História Intenções Heróicas - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias South Park
Personagens Bradley Biggle, Butters Stotch, Clyde Donovan, Craig Tucker, Eric Cartman, Ike Broflovski, Jimmy Valmer, Karen McCormick, Kenny McCormick, Kevin McCormick, Kyle Broflovski, PC Principal, Personagens Originais, Phillip "Pip" Pirrup, Stan Marsh, Timmy Burch, Token Black, Tweek Tweak, Wendy Testaburger
Tags Au Herói, Bunny, Coon, Creek, Mysterion, South Park, Super Herói Au, Super-heroi, The Fractured But Whole
Visualizações 29
Palavras 2.345
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drabble, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Avisando que o capítulo não foi revisado

Capítulo 10 - Ficha de herói


Kyle e Stan foram os primeiros a chegar na casa de Cartman, apareceram bem mais cedo do que Eric e Kenny esperavam.

Scott chegou logo em seguida, era evidente que estava animado, - provavelmente animado por tentar ser útil em algo,e falhará miseravelmente - era o que Cartman pensou quando tinha abrido a porta se deparado com o Malkison, a energia que transmitia simplesmente enojava o balofo, não sabendo se achava falta de respeito seu estado de espírito diante de sua situação ou se era apenas seu preconceito com diabéticos.

Kyle e Stan estavam sentados no sofá da sala de estar, encarando seus reflexos transmitidos na TV desligada. Era esquisito. Era diferente está naquela sala, por alguma razão, sentiam-se como se estivesse na casa de outro pessoa, de um desconhecido. Talvez fosse o clima? O jeito que as coisas e os problemas rodavam e rodopiavam dentro de suas cabeças? A tensão que os mesmo obtiveram dês da conversa que tiveram no banheiro? Isso causou arrependimento. Arrependimento de está dentro desse problema. Problema de Cartmam afinal, não podia deixar que ele resolvesse sozinho, já que provavelmente só pioraria.

Scott também se sentou no sofá, ficando um pouco distante do judeu de do hippie ao seu lado, mas dividiam a mesma atmosfera, o mesmo clima. Ainda mais estava um pouco constrangido. Nunca esteve naquela casa e muito menos tiverá algum tipo de interação com os três rapazes presentes na sala ou com os outros que "ainda estavam para chegar".

Mysterion descia as escadas com a roupa que Cartmam havia lhe dado, andou até a sala e se apoiou na parede com os braços cruzados, encarando os três rapazes que estavam no sofá. O silêncio infernal instalou-se. Estava esperando, pelos outros.

— Você acha mesmo que eles vão vim? — Perguntou Kyle quebrando o silêncio, não foi intencional, mas a pergunta se dirigiu como uma bela alfinetada pro encapuzado mascarado.

Mysterion deu um longo suspiro entre os dentes — Era o de se esperar — Respondeu seco. O silêncio retornou, ambos estavam sem graça pela pergunta. Cartman iria abrir a boca para falar alguma merda quando alguém bate na porta e o mesmo vai atender, achando que seria seus colegas haviam chegado atrasados e iria esfregar isso na cara do judeu. Mas quando abriu a porta, se deparou com a última pessoa que queria ver nessa Terra, um sentimento de medo tomou conta do seu corpo e a surpresa era nítida em seu olhos arregalados. Butters preencheu seus labios com um gentil sorriso afim de tranquilar Cartman, que não adiantou nada e bateu a porta em sua cara. A fechando rapidamente, apoiando suas costas e erguendo seus braços, como se a porta fosse cair e a tentasse segurá-la.

— O Butters tá aqui! — Gritou olhando Mysterion, ficando em estado de alerta, junto com Kyle em Stan que ficam preocupados e Scott estava confuso com as reação de todos.

Mysterion caminha até a porta, empurrando Cartman, que incrivelmente não reclamou do empurrão. Abre a porta já com o sorriso acompanhado em seu rosto. Para ele sua presença foi uma surpresa boa. Mas do que boa.

— Oi Butters! Que bom te ver, o que faz aqui?

— E-eu posso entrar? Quero falar com o Cartman — perguntou e justificou de cabeça baixa, recebendo uma resposta positiva do maior e um xingamento do gordo ao lado.

Mysterion deu passagem para Butters entra na casa, que já direcionou-se pro Cartman.

— O que cê quer? — perguntou se maneira grossa e cruzando os braços.

— Eu queria... Sabe, te pedir desculpas... — Falou Butters brincando com os dedos e olha em qualquer canto da sala, evitando de olha o diretamente — Agora entendo que não foi culpa sua.

— Sério? — Levanta uma de suas sobrancelhas — Não acha que eu mereço mais além de um pedido de desculpas?

— Pra falar na verdade. Não — Butters responde na maior inocência de sinceridade, que sem querer acaba tirando algumas risadas de Mysterion e Kyle. E logo Cartman mandam eles se fuderem — e também — Continuo — Eu soube do esquema que planejam fazer, essas coisas de equipe e tals...

Logo depois dessa declaração, Cartman solta um olhar raivoso pra cima de Mysterion.

— Você contou pra ele!?

— Não! Não que eu me lembre! — Respondeu

— Não grite com ele! — Mandou Butters — é que eu fui almoçar e quando sentei na mesa com o pessoal reparei que o Token não tava, aí perguntei "cadê o Token?" e o Craig respondeu "Cartman levou ele junto com um cara", aí perguntei o porquê e o Kyle — aponta pro mesmo — falou que iriam na casa do Clyde pega alguma coisa pra ajudar na equipe, aí perguntei "que equipe?" e ele respondeu "uma equipe idiota que acredita que dará certo para salvar sua pele, aliás ele convidou todo mundo a ir na casa dele pra participar dessa porra" então pensei em aparecer — Terminou de falar fechando os olhos e soltando um leve sorriso. Cartman olha pra Kyle com sangue nos olhos, o mesmo não se importa — Aliás, eles vão vim?

— Não — Respondeu rápido sua pergunta — Bem provavelmente que não.

— Porra de judeu fofoqueiro! — Cartman gritava enfurecido pra Kyle, que não muda de expressão — Por que caralho cê contou pra ele?!

— Isso é um segredo? — Perguntou de volta.

— Claro que é! Não se sai por aí contando uma porra dessa! — Refugou batendo os pés no chão.

— Cara, mas não foi isso que você fez no almoço? — Perguntou Stan.

— Cala a boca , a conversa é com o judeu e não com o hippie alcoólatra.

— Vem calar, cuzão.

— Como é que é? Ta me mandando calar a boca seu fudido? — Perguntou Cartman num tom provocativo.

— Por acaso a gordura afetou sua audição? — Stan tentou devolver a provocação a altura. Enfurecendo mais o Eric.

— Chega disso caras! — Kyle disse se levantando do sofá — Francamente! Isso é idiotice!

— Total! — Comentou Scott, ninguém se importou.

— Afe, esperava um barraco! — Disse Clyde decepcionado ao lado de Token, espera...

— Clyde?! — Disse todos em coral , surpresos.

— Quando que você entrou?! — Perguntou Mysterion.

— Ué, estava batendo na porta, aí o Butters atendeu — Justificou-se.

— Pra que esse pano nas costas Clyde? — Butters perguntou, tentando mudar de assunto. Mysterion chegou por trás passando a mão em seus cabelos iniciando um carinho.

— Já já você vai ver — Respondeu pro menor — Aliás, sabe se os outros vão vim? — Perguntou, olhando diretamente pra Token, que balançou a cabeça dando sinal positivo.

— Todos responderam que viriam para me dá uma mão — Token olha em torno da sala, visualizando todos que haviam chegado — Pelo jeito, só falta o Craig, o Tweek e o Jimmy

— Que solidariedade — Falou Kyle sarcasticamente.

.•°•.•°•.•°•.•°•.•°•.•°•.•°•.•°•.

Todos estavam na sala, assistindo TV, brincando um com outro e se distraindo. Mysterion e Cartman estavam na mesa de jantar, observando a alegria e o divertimento de seus colegas e amigos no sofá daquela casa. Todos estavam lá, todos compareceram. Mas é agora, o que iria fazer com eles?

— Como que vai ser? — Mysterion direciona seu olhar pra Cartman.

— Primeiramente, vamos falar de tudo... "Tudo" — Corrigiu-se com as aspas — Sabe, o lance do Butters e do anticristo.

— E o meu lance? Sabe, de faze todos acreditarem que sou imortal, como vai ser?

— Aí o problema não é meu né — Mysterion jogou-se para trás, olhando pro teto e bufando." Mas que porra " — Posso até te dá uma ajuda, mas só depois.

— Tá. — Respondeu ríspido, mostrando que não acreditou naquela falsa ajuda.

Cartman se levantou bruscamente da cadeira, batendo as mãos fortemente na mesa, chamando atenção de alguns que assistiam a TV.

— Venham aqui! — Mandou, e todos obedeceram com cara emburrada. Foram na cozinha e cada um pegou uma cadeira para se sentar — Mysterion, você começa.

Mysterion se levanta de seu lugar, ficando ao lado de Cartman.

— Ée... — Passou-se uns breves segundos raciocínando sobre as palavras que deveriam sair da sua boca — Bem... Pra resumi a história, Butters fez.. — Olhou discretamente pro mesmo, como se esperasse uma aprovação para poder avançar. Butters retribui um sorriso fraco — Fez um pacto com um garoto que aparenta ser o anticristo para ter poderes e matar o Cartman.

Todos olharam para o pequeno garoto da cicatriz.

— Caralho Butters, sério isso? — Perguntou Stan com o queixo caído. O outro confirmou tímido com a cabeça — Que tipo de poder 'cê tem?

— É-é um poder elétrico e-

— Elétrico?! — Perguntou Tweek animado. Estranhamente animado — Tipo, elétricidade mesmo?!

— Sim!

— Como que foi o processo para te-los? — Kyle perguntou apoiando os cotovelos na mesa.

— Isso não tem importância judeu! — Cartman respondeu pro Kyle mesmo não sendo o alvo da pergunta. Tentando acabar com as perguntas sem fundamentos — A importância é que Butters não me matou, então ele não cumpriu o pacto, e provavelmente ele virá atrás dele e de mim.

— Porra — Comentou Craig — E você quer que a gente faça o que? Quer que a gente dá uma surra no filho do capeta?

— Tipo isso — Respondeu sincero, que deixou Craig quanto surpreso e decepcionado. 

Eric encosta sua mão no ombro de Mysterion se aproximando em seu ouvido, cochichou um "vou lá em cima e já volto" e saiu em direção á escada, subindo em seguida.

— Bem, mas não podemos faze isso sem um plano, e também não podemos faze isso sozinhos! Por isso eu e o Cartman resolvemos reunir vocês para nos ajudar! — Mysterion falava animado, tentando mostrar a sua necessidade do apoio de todos e transparecer confiança e esperança aos colegas, que já não tinha des que souberem que estavam mexendo com o anticristo.

— N-não me leve a-a-a a mal, m-mas em q-qual parte  v-v-você entra nisso t-t-t-tudo? — Perguntou Jimmy,um pouco irritado por conta do problema de sua gagueira.

"No começo, já que eu causei tudo isso" respondeu mentalmente. Mas, como responderia essa pergunta verbalmente? Se sentiu encurralado, pensando em várias respostas "a culpa é minha, se tivesse voltado nada disso teria acontecido" "se tivesse voltado pra escola, nada disso aconteceria com o Butters e Cartman" "se eu ainda continuasse a aguentar a falta de confiança de vocês, isso não teria acontecido" "a culpa é minha mas também é de vocês". Estava tenso pela demora da resposta e preocupado se começassem a suspeitar. Mas por sorte, Cartman aparece, quase salvando sua pele. O gordo estava carregando um monte de papelada em sua mão, aparentavam esta escrita com palavras pequenas e um grande espaço para preencher, na outra, segurava um monte de lápis

Entregou uma folha pra cada um que estava presente na mesa e colocou todos os lápis no centro. Voltando a ficar do lado do encapuzado imortal.

— O que é isso Cartman? — Perguntou Scott levantando a mão para receber um pouco de atenção.

— Boa pergunta! Vou explicar — Respondeu bufando, não pelo dono da pergunta. Mas sim por que já sentia o olhar torto do amigo ao lado, com certeza iria receber uma bela reclamação depois da pequena aula explicativa — Isso meus amigos, são fichas de personagens. Como agora estamos juntos, queremos que virem heróis como o Coon e Mysterion. Não precisam ter pressa para preencher, mas hoje só quero as informações pessoais. Também quero que façam um desenho da sua fantasia de herói, não precisa ser bonito e sim entendível. Quero que realmente sejam sinceros, contem segredos e coisas realmente pessoais, eu guardarei todos. Quero a confiança de vocês.

Kyle olhou meio torto pra Cartman - assim com Kenny - , alguns não reclamaram e já foram pegar o lápis no centro e preencher a ficha caseira, outros ficaram encarando o papel, pensando se valia a pena questionar mais detalhamente o motivo daquilo. Antes de alguém fizesse outra pergunta sobre as fichas, Mysterion puxou Cartman pela braço, seguindo a escada e ficando no corredor à cima. Encarava o balofo sério enquanto ouvia a conversa que começará lá embaixo, mas não entendendo nada do assunto de discutiam.

— Que porra é essa? — Mysterion perguntou raivoso e indignado — Pra que caralhos isso?

— Kenny, Kenny — Passou seu braço em volta de seu pescoço — Relaxa e deixa te contar com calma o que pretendo fazer.

Kenny tirou o braço pesado em volta de si, o encarando e esperando a explicação.

— Acho que não iremos "camufla" o que estamos fazendo, já qe a gente tem uma vida de herói, então pensei em recruta-los e criamos uma franquia, quando descobrirem que detemos o anticristo, todos da cidade irão ser nossos fãs, por isso a ficha, pós preciso saber tudo sobre eles — Cartman realmente contava tudo com brilho nos olhos, sabendo que o amigo não pegaria e essência de tão genial era seu plano que será acidentalmente aplicado — Kenny imagina! Ficaríamos ricos pra caralho! Seremos tão famosos que atuaremos em filmes sobre nós! FILMES! Imagina um filme sobre você, até mesmo da sua imortalidade.

— Você vai arriscar a imagem deles pra mídia? Não está preocupado que tem a porra de um anticristo de provavelmente está atrás de você?

—  Claro que estou! Mas também é preciso aproveitar da situação, vamos aproveitar disso muito bem.

— Você é um filho da puta! 

— Lá pra frente você vai entender a importância, aliás — Cartman entrega uma ficha de personagem pro Mysterion — Mesmo sabendo muito de você, seria bom se preenchesse. Confie em mim, em apenas uma vez.

Cartman se virou e desceu as escadas. Kenny poderia está irado por esta fazendo parte de expôr seus amigos desse jeito, mas no momento bateu um raiva maior e irracional. Por que caralhos aquela última frase afetou tanto o McCormick?








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...