História Fated to love you - Destinado a te amar - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Conflito, Drama, Romance
Visualizações 40
Palavras 2.323
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa noite flores 🌸🌸
Mais um capítulo 🌸😘
Boa leitura 😉

Capítulo 17 - Eu e você: quando eu me sinto mais feliz!


Fanfic / Fanfiction Fated to love you - Destinado a te amar - Capítulo 17 - Eu e você: quando eu me sinto mais feliz!

Chyse

- Ah, ... Desculpa eu... Não queria atrapalhar.... - diz a minha guia de balé, ao abrir a porta e nos vê agarrado um ao outro.

Nós ficamos parados sem saber o que fazer e a garota sai fechando a porta parecendo muito surpresa.

Droga, nós estávamos agarrados demais, não há como não vê que estávamos nos beijando com muito, muito fogo.

- Ren... - digo sem saber o que fazer, olho pro Ren que franze a testa com uma expressão de incomodado.

- Droga, eu me deixe levar. - ele fala passando a mão nos cabelos.

- Não é sua culpa Ren. - digo preocupada, afinal nós dois nos descuidamos muito hoje.

- Suspiro. É melhor irmos pra casa Chyse. - ele diz parecendo muito cansado.

- Certo eu vou me trocar. - digo apontando pra vestuário.

- Eu espero você. - ele diz e eu vou me trocar. Eu conheço a orientadora a algum tempo, ela até me elogiou um dia desses e eu fiquei muito feliz com isso. Mas eu não sei o quanto posso confiar nela. Estou com medo, será que ela vai dizer pra alguém? Uma coisa são suposições feitas por alguns alunos via o professor careca, outra coisa é alguém nos vê com os próprios olhos. O que vai acontecer agora?

- Estou pronta. - digo ao me aproximar do Ren. Ele me olha e faz um sinal de sim com a cabeça e nós saimos, indo pegar o metrô, ficamos ambos, calados e pensativos depois do que aconteceu, não sei direito o que pensar e como reajir, parece que o Ren também não. Depois de sairmos do metro vamos caminhando pra casa, Ren quebra o silêncio:

- O quanto você conhece aquela garota?

- Não conheço muito dela. Só das aulas de balé. - respondo enquanto caminhamos.

- Você acha que ela vai guardar o que aconteceu com ela?

- Acho pouco provável Ren.

- Suspiro. Certo. - ele diz parecendo chegar a mesma conclusão que eu. A de que essa história vai andar em muitas bocas.

- Me desculpa Ren. - afinal foi eu quem provoquei o Ren num lugar inapropriado.

- Não se desculpe, não é sua culpa. Foi eu quem foi atrás de você Chyse. Mas pra falar a verdade quem é o culpado é a menor das minhas preocupações agora. - ele diz parecendo aflito enquanto andamos. Vejo os punhos do Ren fechados, ele para e diz:

- Tsc.. eu sou mesmo um idiota. Como pude não controlar tudo isso? - ele está se cobrando demais. Eu estendo devagar a minha mão até tocar a sua, Ren se assusta com a minha mão pegando na sua, ele me olha relutante enquanto eu o olho preocupada, em seguida ele relaxa segurando a minha mão com gentileza.

- Vai ficar tudo bem Ren, vai ficar tudo bem. - digo tentando o tranquilizar. Ele me dá um sorriso triste em seguida apóia sua cabeça no meu ombro.

- Eu não quero que você saia ferida dessa situação Chyse. - ele diz com a voz rouca.

- Eu não vou Ren. Desde que eu esteja com você eu não vou. - digo levando uma mão aos cabelos do Ren.

- Não, não vai. Vou garantir isso. Custe o que custar, vou garantir. - ele diz e em seguida respira fundo e tira sua cabeça de meu ombro. Ele aperta minha mão e diz com um sorriso mais animado:

- Vamos pra casa? - Ren é realmente forte, enquanto eu não sei direito o que fazer ele já se preparou pra fazer algo e me defender. Eu sou grata a ele, mas não posso ficar parada enquanto Ren fica perturbado a cada descoberta que acontece com relação a nós. Ele é forte o suficiente por nós dois, mas eu não posso, tenho que ser forte também.

Não sei o que ele está pensando e se for pra me proteger ele nunca vai me dizer, sempre foi assim. Ren assume sempre toda a carga sobre si e me deixa despreocupada, mas as coisas não podem ser assim, não se quizermos ficar junto.

- Chyse? - ele pergunta enquanto o olho com carinho, perdida em meus pensamentos.

- Oi amor... - respondo suave e Ren parece ter se surpreendido com o que disse, vejo o rosto dele começa a corar, ele ficou com vergonha?

- Se você continuar me olhando assim eu vou te beijar. - digo diante da cara vermelhas do Ren.

- Puff.. hahaha. Sua atrevida. - ele diz sorrindo.

- O que você duvida? - digo rindo colocando uma mão sobre seus ombros.

- Chyse estamos perto de casa. - ele diz me adiventindo.

- Se você não me beijar vai ter que me carregar.. é uma punição.. - digo brincando com ele. Ren rir e diz:

- Punição? Hahaha.. ok.ok. - ele fala se virando de costas e se agachando.

- O que ? - pergunto.

- A punição ou você não vai ter coragem vai? - ele diz me desafiando, eu então coloco minhas mãos em seu ombro e me posiciono.

- Não me desafie Ren. - digo já nele, Ren solta uma gargalhada e segura minhas pernas se levantando.

- Vamos cavalinho. - digo o provocando.

- Você não devia me provocar. - ele diz apertando ainda mais a sua mão.

- Por que? - Ren dá um sorriso malvado o mesmo de quando ia aprontar quando criança.

- Se segure. - ele diz e começa a correr.

- O que? Reeeeenn. Eu vou cair, eu vou cair. - digo apertando meus braços e gargalhando enquanto Ren corre e gargalha feito um menino levado. Fomos assim até chegar em casa.

Não precisa de muito pra eu esquecer as coisas ruins, eu só preciso está com Ren, apesar do meu medo do que pode acontecer eu ainda, preciso estar com Ren, com ele me sinto forte, me sinto feliz. Eu também vou nos proteger Ren, não importa o que. Está decidido, vou lutar até o fim por nós, pelo nosso amor.

Chegando em casa mamãe está preparado o jantar e a noite foi bem normal, como de costume tomamos nossos banhos, jantamos, cada um tomou sua tarefa e fomos deitar. Eu me deito agarro o Renzinho:

- Sabe, apesar de tudo foi um bom dia, por que você estava comigo. - digo sorrindo e fechando os olhos, aos poucos o sono me domina e eu adormeço.

Na manhã seguinte é manhã de domingo, eu desço ajudo a mãe no café, ela se arruma e sái. Me pergunto o que tanto ela faz que sempre está fora. Eu tomo meu café e vou lê meus mangas deitada no sofá da sala.

- Bom dia tampinha. - diz o Ren descendo as escadas.

- Ah, bom dia. - respondo sem olhar, estou concentrada no meu mangá, a história está muito boa.

- Hum? O que você é? Criança ainda por acaso? Por que ainda ler mangás? - ele diz olhando o que estou lendo.

- Pro seu governo mangás não são só pra crianças e além do mais é muito divertido, melhor que aqueles livros chaaatos que você lê que só tem um monte de letras. Vou ler mangá pelo resto da vida.

Ren começa a gargalhar e dá um beijo na minha testa indo pra cozinha. Enquanto Ren toma café eu termino a leitura, arrumo meus mangás e me levanto indo até uma cômoda que fica na sala, me sento ao chão e guardo meus mangás na cômoda, ao abrir uma parte pra guardá-los vejo uma caixinha que faz tempo que não uso, eu sorrio e a tiro.

Nela há uns cadernos de desenho e um monte de lápis de várias formas, números e cores. Eu adorava desenhar e modéstia parte sou muito boa com isso, mas nunca mais me senti inspirada pra desenhar. Agora por alguma razão quero muito voltar a desenhar.

- O que está aprontando? - Pergunta o Ren ao me vê com as coisas.

- Estava pensando em desenhar. - digo abrindo o caderno.

- Hummm? Você não cresce mesmo. - o Ren diz se sentando ao meu lado no chão rindo.

- Certo senhora bonzão, tome. - digo entregando um caderno pro Ren ele olha pro caderno e me olha com olhar de interrogação.

- O que ? - ele pergunta com uma sombrancelha levantada.

- Vamos, pegue - digo insistindo com um sorriso de lado. Ele sorrir e pega o caderno.

- Ok. Isso é uma competição? - ele diz escolhendo do alguns lápis.

- Exatamente. - digo rindo pegando alguns também. Ren olha pra minha mão sorrir e começa a desenhar, eu levanto um pouco meu olhar pra vê o que ele desenha.

- Ei.. não cole. - ele fala encolhendo o caderno em seu peito.

- Ok, mas o que vai desenhar? - pergunto curiosa.

- Bem, vou desenhar o que me faz feliz. Certo? Sem mais perguntas. - ele diz se afastando e sentando próximo a janela.

- Certo, vou fazer o mesmo então. - digo olhando por Ren, ele sorrir balançando a cabeça e volta a desenhar. Eu fico olhando pro Ren por um tempo séria. Como seria bom manter esse convívio assim.

- Se você não desenhar vai perder pra mim de lavada. - diz o Ren me olhando de canto de olho sorrindo. Ele percebeu que eu estava o olhando, eu sorrio faço um sim com a cabeça e começo a me concentrar no caderno.

Algo que me faz feliz né?! Já sei, sei bem o que vou desenhar. Começo com as formas e ao pouco vou dando mais definição a um momento meu com Ren. Um momento mágico, aquele de quando nossas palavras são perdidas pela afeição, o momento mais feliz pra mim, quando estou com Ren, quando a gente se beija.

Ren olha pra mim enquanto eu sorrio desenhando e pegando algumas cores pra colorir o desenho.

- Você parece se divertir. - ele diz sorrindo.

- Sim, estou. - falo sorrindo pra ele.

- Pena que vai ser uma humilhação seu desenho a frente do meu. - ele diz convencido voltando a desenhar, eu sorrio e volto ao meu.

- O meu está pronto. - diz o Ren todo orgulhoso de seu trabalho.

- Ok o meu também.

- Certo vamos ver primeiro o seu. - ele se aproximando de mim e se sentando a minha frente.

- O que ? Por que? - pergunto

- Ora, por que assim você não vai ficar com vergonha de mostrar o seu depois.

- Certo. - digo levantando uma sombrancelha, esse convencido vai ficar no chão, entrego meu caderno pro Ren e ele pega sorrindo, seu sorriso convencido muda no mesmo instante que ele vê o desenho.

- Chyse? Quando...? Quer dizer... - ele diz me olhando e voltando a olhar o desenho.

- O que foi Ren? - pergunto com um sorriso de lado.

- Não é que, quando você aprendeu a fazer esses desenhos? Eu quase nem distingo se é real ou não. - ele diz dando um sorriso nervoso.

- Eu sempre gostei de desenhar, fiz um curso e fui aprimorando com o tempo, meus professores dizam que eu tinha talento natural, só precisava moldar.

- Bom sem dúvida você é talentosa.

- Certo agora o seu. - digo me aproximando.

- O que? Eu? Bem.. é éé.. melhor deixar de lado essa história toda de competição sabe. - ele diz começando a ficar vermelho.

- Não Ren quero vê, me mostre. - digo me esticando pra pegar o desenho do Ren mas ele desvia pra suas costas.

- Não Chyse. - ele diz nervoso. Eu olho pra ele com olhar de desafio e me estico pra pegar, Ren o levanta a cima de sua cabeça e eu me apoio nele querendo pegar enquanto ele tenta evitar que eu pegue, nós rimos diante de tudo isso. Até que eu consigo alcançar o caderno, meu joelho escorrega e caímos no chão, eu caio por cima do Ren rindo e ele rir também.

- Hahaha. Certo vamos vê. - digo ainda em cima dele e trazendo o caderno e olhando o desenho do Ren.

- Puff. Hahahahah. O que.. hahahahah. O que é isso Ren ? - pergunto enquanto Ren está com a cara vermelha como um tomate olhando pro lado, ele murmura entre os dentes.

- Bem eu disse que ia desenhar o que me faz feliz..

- E o que seria exatamente? Eu não consigo entender o que é. - digo com o sorriso mais controlado agora.

- Bem esse desenho é você. - ele diz sorrindo pra mim.

- O queeee? Eeeu? Isso sou eu? - digo inconformada com o péssimo desenho que ele fez de mim. Agora é a vez do Ren começar a gargalhar.

- Mas então, você nos desenhou? - ele diz limpando algumas lágrimas do canto do seus olhos.

- Ah sim. Eu disse que desenharia algo que me faz feliz também. - digo corando um pouco.

- Hum.. isso quer dizer que quando nos beijamos você se sente feliz? - ele passando seus dedos em minha bochecha. Eu sorrio e faço um sim com a cabeça.

Ren sorrir e segura meu rosto enquanto aproxima o seu e nós nos beijamos docemente e voltamos a nos olhar. Eu saio de cima do Ren e volto a me sentar no chão, Ren também volta e sentar, ele passa suas pernas ao meu redor e me abraça apoiando sua cabeça em meu ombro e dando um cheiro no meu pescoço.

- Tão bom... - ele diz baixinho, eu sorrio e ele continua:

 - Pra mim também, quando estamos juntos é o melhor momento, é quando eu me sinto mais feliz. - ele diz levantando seu rosto na altura do meu sorrindo eu correspondo seu sorriso olhando em seus olhos e logo voltamos a nos beijar.


Notas Finais


A imagem é o momento que eu imaginei que a Chyse desenhou. 😅🤗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...