1. Spirit Fanfics >
  2. Intense >
  3. Extra - Totalmente submisso.

História Intense - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Demorou mas apareci com um extra dessa belezinha!
Boa tarde, meus amores, tudo bem com vocês? Espero que sim. -u-
O que uma quarentena não faz hein, eu finalmente dei os ares da graça, todavia, não se animem muito, porque eu realmente não pretendo focar nas fanfics nessa quarentena e sim estudar, porque ainda há um diploma em jogo e é o meu, então se eu aparecer das sombras, será uma vez ou outra, sinto muito. :/
Não tenho muito o que dizer sobre esse extra, só que ele é uma inversão de papéis dos nossos rapazes e acreditem, é bem hardcore, então só leia se estiver bem com isso visse?
Deixando de enrolar aqui, apreciem sem moderação. -u-
Até as notinhas finais, meus amores. <33

Capítulo 2 - Extra - Totalmente submisso.


Eren Jaeger nunca pensou que veria Levi Ackerman daquela maneira, todo entregue para si e completamente submisso.

Os braços estavam estendidos e devidamente amarrados na cabeceira da cama, enquanto suas pernas estavam abertas, também amarradas, ficando totalmente imobilizado. Na boca continha outro tipo de mordaça, não era uma bolinha vermelha como Eren havia usado da outra vez, mas sim uma espécie de cilindro de silicone, próprio para boca, mantendo-o quieto e que não o deixasse desconfortável.

Os olhos estavam vendados com um pano preto de seda, semelhante ao que o Jaeger havia usado um tempo atrás, deixando o CEO completamente no breu e, na visão de Eren, incrivelmente sexy.

Estava totalmente nu e as pernas tremiam um pouco pela posição em que estava, mas nada dizia, apenas murmurava. Cada pelinho de seu corpo eriçava-se quando escutava algum movimento de Eren pelo quarto, ansiando para descobrir o que ele faria consigo.

Na destra do jornalista continha um chicotinho de couro preto, o qual brincava entre suas mãos para saber como começaria aquela brincadeira entre eles. Levi cedeu ser seu submisso como prêmio de ter sido um bom garoto durante o mês que havia passado. Não nessas linhas, mas algo como “eu lhe dou qualquer coisa” e o Jaeger pediu para que assumisse a posição do Ackerman por um dia. Não negou, ficou satisfeito em ser Eren Jaeger a tomar as rédeas da situação e só de imaginar o que poderia acontecer consigo nas mãos do rapaz, sentia-se duro como pedra.

O castanho passou a ponta do chicotinho nas costas lisas do Ackerman, escutando um arfar pesado do mais velho. Fechou a cara e desferiu o primeiro golpe contra a bunda redondinha e imaculada de marcas — até aquele momento —, vendo um assentir do outro.

— Calado — disse de forma rude e com uma rouquidão que deixava os fios da nuca de Levi em pé.

O moreno tornou a baixar a cabeça, tentando manter-se quieto para não dar bandeira para o que quer estivesse passando na cabecinha do rapaz, mordendo o cilindro de silicone com certa força quando escutou algo cair ao seu lado, provavelmente o chicotinho, sendo agraciado com apertos generosos em sua bunda, seguidos de um tapa ou outro.

Seguiu-se uma série de tapas e alguns apertos em suas nádegas, provavelmente Eren estava disposto a deixá-lo marcado por um tempo, e teve que se conter muito para não acabar fazendo barulho desnecessário.

Seu membro entre as pernas pulsava a cada tapa forte e pesado de Eren. O rapaz havia colocado um anel peniano em seu pênis, só que este vibrava, oscilava entre o forte e o fraco, deixando Levi a beira de ter um treco com a privação de seu orgasmo.

O moreno sentia suor escorrendo por seu tronco e não notou quando Eren parou de puni-lo, deixando o quarto em um completo silêncio. Procurou às cegas pelo mais novo, tentando ouvir seus passos, mas só o notou quando ele se pôs à sua frente, com o chicotinho em punho, tirando-lhe a mordaça, mas não a venda.

— Quero ouvir você chamando por mim quando começar de verdade — começou por dizer, afagando os fios molhados pelo esforço, fazendo Levi suspirar pesado. — Se lembra da palavra de segurança?

— Sim.

— Diga caso eu passar dos limites.

— Sim, senhor.

— Ótimo.

Se levantou de joelhos na cama, fazendo Levi acompanhá-lo cegamente no processo. Queria tanto vê-lo, chamar por ele, clamar por ele.

— Coloque a língua para fora, Levi.

O baixinho prontamente atendeu o pedido — lê-se ordem — proferida pelo Jaeger, sentindo a ponta do objeto que ele levava em mãos passar levemente por sua língua, sentindo o gostinho de couro que desprendia dele tomar seu paladar.

Eren se curvou e murmurou contra a orelha alheia algo como “lambe”, e como um bom obediente que era, acatou o pedido, passando a lamber cada pedacinho exposto para si. Ele queria que fosse o outro, mas se não o tinha naquele momento, poderia esperar.

— Chega.

O mais baixo suspirou, frustrado com aquela nova ordem, porém, a acatou, voltando a colocar a língua para dentro da boca e esperando que Eren colocasse — novamente — a mordaça entre seus lábios, mas ele não o fez. Apenas saiu da frente do Ackerman, ficando atrás dele, tocando a bunda redondinha com gosto novamente.

Arfou pesado, quase grunhindo com o primeiro golpe que havia levado em sua bunda, deixando seu pau praticamente pingando com o feito. Era um verdadeiro masoquista quando queria, realmente não havia comparação quando trocavam de lugar. Enquanto ele era cuidadoso ao testar os limites alheios — depois que se conheceram melhor, obviamente —, Eren era um tremendo sádico quando lhe convinha, deixando Levi com a bunda dormente de marcas mas completamente satisfeito ao acabar se desfazendo — mesmo que às vezes no seco —, tremendo por longos minutos.

Arqueava as costas a cada chibatada contra sua pele, fazendo-a arder por longos minutos, só poderia respirar quando Eren tinha alguma compaixão de si e apenas lhe massageava, beijando vez ou outra onde havia acertado.

O Ackerman estava pronto acabar se rendendo a dor que aquele tratamento estava lhe fazendo, mas estava se sentindo tão bem que nem se dera conta quando o Jaeger parou com tudo e apenas massageou o local de forma leve, quase como um afago.

— Podemos continuar? — perguntou ainda com as mãos na bunda alheia, apertando o local.

— Sim. — Levi respondeu prontamente, mantendo a cabeça virada para a frente.

O Jaeger nada disse depois disso. Apenas passou a depositar breves selares nas costas alheias, deixando uma marquinha de chupão em um canto ou outro. 

Levi se conteve em tentar não virar o rosto. Estava louco para ver como Eren estava, se estava vestido, se estava sem suas roupas; estava curioso. Mordiscou o lábio inferior, pendendo a cabeça para frente, imaginando como o amante estaria. Obviamente que para si sempre estaria belo com ou sem suas roupas, mas ser privado de vê-lo era o pior das punições.

Mais uma marca em seu corpo fizera com que erguera o tronco, olhando para trás mas sua visão ainda era privada. Aquilo fez Eren rir de si, o mordendo levemente uma polpa da bunda.

— Está me procurando? — questionou o mais novo entre eles, tocando os fios escuros e molhados pelo suor, puxando-os com força entre os dedos, fazendo com que Levi arqueasse as costas durante o ato. — Você realmente fica melhor do que eu nisso, nem parece um dominador. — debochou passando a língua pelos lábios cheinhos. — Essa sua bundinha, Levi, ah… Me leva a loucura! Me dá vontade de fazê-lo implorar para te foder.

Aquele diálogo unilateral fizera com que o pau do Ackerman guinasse, tremendo com aquele tratamento. Eren realmente era o melhor para levá-lo à beira de uma loucura como aquela: trocar de lugar.

— Você sabe que posso usar isso contra você, não sabe? — provocou o mais velho, sorrindo em escárnio, grunhindo com o puxão forte que recebera como resposta. — Não sou um dominador a toa, Eren.

Aquela atitude fizera com que Eren ficasse puto. Não bastasse Levi ter trocado de lugar consigo e agora estava praticamente desprezando de seu tratamento. Não nessas linhas, claro, mas isso o deixou puto. Ele estava duvidando de si? Pois bem, ele que esperasse para ver o que aconteceria para ver o ganharia.

Soltou os fios recém aparados, soltou também os nós das cordas que prendiam Levi à cama. O virou para si e o beijou de forma brusca, fazendo com que ambos gemessem durante o processo. Os separou quando ficou sem ar, afastando o Ackerman de forma brusca, o deitando na cama.

— Se ousar tirar essa venda ou esse anel, você vai ver do que sou capaz.

Aquilo foi o suficiente para Levi engolir em seco e concordar. 

Eren o deitou com a cabeça virada para a beirada da cama, o arrumando para que ficasse confortável o suficiente. O CEO escutou barulho de zíper, o fazendo ter mil pensamentos a respeito. O que Eren faria consigo? 

— Vamos lá, use essa boquinha para me agradar. Está tão respondão ultimamente que isso é um mísero bônus do que o espera.

Sentiu a ponta do membro de Eren molhar-lhe os lábios finos, não evitou sorrir internamente por ter tocado no ponto fraco dele. Abriu a boca o máximo que conseguia, sentindo Eren preenchê-lo muito fazendo com que quase engasgasse, mas precisava manter o controle.

A língua passou pela extensão, a lambendo como se fosse o melhor dos doces. Não conseguia evitar fazer barulhos, estava adorando chupar Eren daquela posição. Chupou-lhe a cabecinha inchada, passando a pontinha da língua pela fenda gotejante, gemendo baixinho quando o Jaeger moveu o quadril, tocando-lhe a garganta.

Queria se tocar, gozar enquanto estava com Eren em sua boca, mas nem isso poderia fazer — ao menos foi isso que entendeu. Sentiu os movimentos contra sua boca aumentarem, o fazendo salivar, acomodando como podia, gemendo mais a cada estocada em sua boca. Estava sentindo seu pau doer, queria tanto gozar que provavelmente desfaleceria se continuasse aquilo.

As mãos fortes do jornalista segurou a cabeça de Levi, fazendo com que ele o acolhesse melhor, rosnando baixinho. Ver Levi daquele jeito para si era o melhor dos deleites.

— Engula tudo! — ordenou enquanto continuava a estocar a cavidade pequena, desfazendo-se momentos depois.

Aquilo foi como um tapa para Levi. Eren estava tendo seu prazer e praticamente gozara no seco.

Quando enfim o mais novo se afastou, conseguiu respirar fundo, engolindo tudo como havia sido ordenado. Se arrumou na cama e esperou a próxima investida do namorado. 

— Vire-se e fique de quatro.

Fez o que lhe fora pedido, sentindo os dedos do jornalista resvalarem em sua entrada, não conseguiu evitar gemer. Pendeu a cabeça quando sentiu a língua de Eren ali. Ele praticamente tremeu na base, gemendo baixinho enquanto suspirava com a língua alheia.

— Está gostoso? — Eren perguntou, tocando agora sua entrada com os dedos, fazendo o Ackerman suspirar e concordar.

— S-sim…

O Jaeger voltou a chupá-lo naquela área, enfiando-se vez ou outra enquanto masturbava o pau alheio. Levi estava muito duro e aquilo estava fazendo seu ego inflar.

Parou o que fazia, tateando a cama procurando por algo em específico: era o lubrificante. Banhou seus dedos com o líquido, voltando a tocar a entradinha pequena e pulsante. Aquilo fizera Levi puxar o lençol, gemendo baixinho.

Ergueu-se enquanto ainda massageava por fora, tirando a venda do mais velho, logo depois livrando-se do anel preso em seu pau. Sorrira sadicamente, enfiando o primeiro dígito, gemendo com o aperto gostoso em seu dedo.

— Nem pense em gozar agora. Aguente até eu terminar de prepará-lo.

— Eu não irei aguentar por muito mais tempo, Eren… — murmurou baixinho, empinando-se mais para o rapaz atrás de si.

— Então terei que ser rápido aqui atrás.

Colocou mais um dedo, mexendo-os em conjunto. Alargava a entradinha pequena, estocando seus dedos fundo, suspirando ao imaginar-se ali, fodendo seu namorado enquanto o tinha gritando a plenos pulmões por mais.

Abaixou-se metendo a língua junto aos dedos, Levi choramingou com aquela tortura toda. Estava Eren ainda bravo consigo por ter escarneado de seu tratamento? Mordeu o lábio inferior com força, evitando mover o quadril enquanto sentia os dedos trabalharem em si avidamente.

Eren continuou naquilo até notar que Levi não aguentaria por muito mais tempo. Afastou o rosto da bundinha alheia e continuou a meter seus dedos, os torcendo, acertando um ponto em específico no baixinho, soubera disso quando este arqueou as costas, gemendo guturalmente. Entretanto, parou com tudo ao notar que Levi logo logo se desfazeria, então tirou seus dedos, dando um pequeno tapa em uma das nádegas do CEO.

— Eu estava quase gozando… — balbuciou o Ackerman, deitando-se de bruços, respirando fundo por seu orgasmo ter sido privado outra vez.

— Eu sei, por isso parei. — Eren deu de ombros, levantando-se da cama.

— Onde vai? — Levi ergueu o rosto ao ver Eren se afastar de onde estava.

— Com medo de não gozar hoje? — debochou o mais novo.

O Ackerman nada disse, apenas suspirou, contendo-se em não se esfregar naquela cama enorme, fechando os olhos por um momento, não notando o que Eren aprontava pelas suas costas.

O castanho se aproximou do guarda-roupas, pegando um novo sachê de lubrificante e também um vibrador bullet, daquele que dava para colocar no canal anal, voltando sua atenção para a cama, onde Levi estava praticamente estirado e duro. Sorriu e se aproximou do namorado.

— Vai descansar agora? Pensei que quisesse gozar — beijou-lhe um dos ombros, escutando um suspiro e os olhos pequenos o olharem. — Levante seu quadril para mim. 

— O que vai aprontar? 

— Faça o que mandei.

O CEO fez sentindo-se trêmulo. Estava duro e suas bolas pesavam querendo logo gozar. Iria falar sobre isso com Eren, mas assim que ficou na posição pedida, sentiu a língua ávida o lambendo como nunca. Apertava o lençol com força, se controlando ao máximo que conseguia, gemendo baixinho. Seus olhos já estavam lacrimejados, se o jornalista continuasse o estimulando daquela forma, acabaria se desfazendo sem ele deixar.

— Eren! — O chamou alto quando sentiu algo ser inserido. Escutara apenas um risada baixinha do namorado. 

Os nós de seus dedos já beiravam o pálido de tanto que amassava o tecido que cobria a cama entre eles.

O vibrador tinha uma cordinha para ser puxada no final de uma relação, então o Jaeger apenas posicionou-se entre as bandinhas bem marcadas, invadindo o interior alheio, arfando pesado.

— Você fica mais apertado a cada foda… — disse baixinho, puxando Levi para si pelos braços, fazendo com que erguesse o tronco. — Se fode em mim, Levi, você tem permissão para gozar a qualquer momento agora.

Aquilo foi como um manjar dos deuses para o baixinho. Arrumou-se melhor e moveu o quadril com precisão, sentindo o vibrador alcançá-lo fundo, assim como o membro teso do namorado. Gemeu baixo, soltando-se dos braços do mais novo, apoiando-se na cama, pegando mais impulso a cada movimento.

Revirava os olhos a cada estocada que sentia, chegava a ponto de babar conforme se movia. E Eren para fodê-lo mais a sanidade, levou dois de seus dedos à boca pequena, brincando com a língua alheia. Ambos arfavam conforme continuavam naquilo, Levi estava a ponto de explodir em um orgasmo daqueles e com Eren brincando consigo só facilitava ainda mais as coisas.

Continuou até Eren se cansar e se mover por conta própria, acertando fundo, fazendo barulhos ecoarem pelo quarto do casal. Virou o rosto de Levi para si, o beijando ao tirar seus dedos da boquinha bonita, brincando agora com a língua afiada com seus dentes, sugava-a, chupava e fodia o resquício de consciência que ainda existia no Ackerman, fazendo-o arfar e gemer a cada movimento que faziam juntos.

Não demorou para que o CEO desse resquícios de que acabaria se desfazendo a qualquer momento. Separou as bocas, sorrindo maldoso, continuando as investidas fundas, vendo a expressão tomada de prazer do outro, continuando até que ele se desfazesse, o que não precisou esperar muito, porque o moreno acabou por gozar segundos mais tarde, mordendo fortemente o lábio inferior, chamando o nome do Jaeger de forma sussurrada.

— Está me apertando tanto que não irei aguentar muito, Levi — falou baixinho, contra a orelha alheia, mordendo a cartilagem clarinha.

— P-pode vir dentro, por favor…

Aquilo foi como um convite para que gozasse logo e foi o que fez, se desfez em jatos fortes, preenchendo a entradinha alheia, gemendo contra a orelha alheia, mordendo o lábio inferior para se controlar.

O moreno beijou-lhe após respirar fundo, sendo recompensado à altura. As línguas encontravam-se com mais calma que antes e ficaram nisso até se sentirem satisfeitos um do outro. Se afastaram e encostaram as testas.

— Irei cuidar de você agora. Que nem faz comigo — murmurou Eren, beijando a bochecha alheia, sorrindo um pouco, já parcialmente recuperado do torpor.

— Não é necessário. — Levi disse.

— Eu insisto. — Eren rebateu, beijando agora os lábios de forma breve. 

Saiu do interior quentinho, tirando também o vibrador que ficara ali, jogando-o em algum canto da cama, se levantando, seguindo para o banheiro do quarto, colocando Levi sentadinho na tampa do vaso sanitário. Ligou o registro da banheira, a enchendo com água morna, colocando Levi sentado ali após esta encher o suficiente.

— Está boa? 

— Maravilhosa… — balbucicou com um sorriso no rosto.

Eren se colocou atrás do baixinho, passando a banhá-lo, o limpando por cada cantinho, dando um beijinho ou outro pelo corpo marcado, sorrindo vitorioso. 

Lavou os fios negros, os massageando e jogando água após notar que estavam limpos o suficiente. 

— Espero que tenha gostado — disse baixinho, apreciando agora apenas a presença do mais velho, o abraçando pela cintura, apoiando o rosto na curvatura do pescoço dele.

— Eu amei. Cada momento foi único. 

Levi o beijou e sorriu ficando ali por mais um tempo.

Eren não era um dominador, mas ele sabia o dominar como ninguém e não estava disposto a fazer isso com mais ninguém a não ser com ele, a pessoa que amava. Aquilo era o bastante para si, nada mais importava a não ser eles ali, apreciando a presença um do outro após uma sessão quente. E amava cada momento, todos eram especiais e ninguém mudaria isso.


Notas Finais


Então, o que acharam? Ficou do agrado de vocês? Não ficou? Não há problema, só me dizerem aí nos comentários onde pequei que tentarei melhorar viu?
Se cuidem, se hidratem e até uma próxima, meus amores. -u- <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...