História Interativa - Bleach Conflitos Espirituais - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bleach
Tags Bleach, Interativa
Visualizações 41
Palavras 2.875
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Saga, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Episódio 3: O Confronto Sombrio


Fanfic / Fanfiction Interativa - Bleach Conflitos Espirituais - Capítulo 7 - Episódio 3: O Confronto Sombrio

Atlis estava voltando para sua cabana escondida na floresta caminhando tranquilamente. No caminho ele viu três hollows comuns se escondendo atrás de uma igreja, mas quando pensou em fazer alguma coisa ele viu uma mulher com roupas de arrancar surgir por uma garganta dimensional, ela era loira e tinha uma mascara na lateral de seu roso que aparentava ser metade de uma mandíbula e um único chifre em cima da cabeça.

Assim que ela surgiu apenas sua pressão espiritual colocou os três hollows de joelhos e a pele deles começou a evaporar. Um dos infelizes soltou um grito de agonia.

- Me solte - disse ele

- Que pena - disse ela com tédio - vocês três não são um brinquedo interessante.

Ao dizer isso a luz nos olhos deles se apagou e os três caíram mortos no chão, logo em seguida ela se virou para encarar Atlis. Apenas naquele momento ela notou que ele podia a ver. Ela estava segurando uma estranha espada de madeira e a atirou para ele.

- Pega aí - disse ela e Atlis pegou a arma no ar com apenas uma mão.

- Graveto legal - disse ele e ala abriu um grande sorriso ao notar que ele nem estava se esforçando - não acha que é um negocio um tanto quanto pesado para uma dama?

- Nada mau ruivinho - disse ela e ele jogou a arma de volta para sua dona, porem a arrancar não se moveu para pega-la e a arma caiu no chão criando uma cratera de três metros de diâmetro afundando o asfalto - vamos ver então se você é ou não lixo.

Ela surgiu atrás dele em metade de um segundo com sua espada em mãos e acertou a cabeça do shinigami com toda a força que tinha fazendo o asfalto em vota dele também se rachar. O shinigami apenas virou a cabeça para encara-la sem ter recebido nenhum dano.

- Ah, então é para isso que serve - disse ele e ela se afastou surpresa.

- Isso foi... hiero? - perguntou ela sem acreditar e mudando sua expressão para um semblante muito sério - Vendo essas roupas você é um capitão shinigami. Qual a sua divisão?

- Nenhuma - disse ele coçando a cabeça tranquilo - eu meio que sou um traidor, lá dizem que eu sou um cretino e filho da puta.

- Eu sou a sétima espada, Rosalene Leone - disse ela rindo do que ele falou, provavelmente tinha sido uma piada - Qual o seu nome ruivinho?

- Nah... - disse ele - prefiro que você continue me chamando de ruivinho.

- Então está certo... Vem com tudo! - ela avançou segurando sua espada de madeira com as duas mãos. Atlis notou o perigo, dessa vez a espada estava envolta a uma reiatso negra e quando ele desviou para a esquerda um corte foi disparado pela espada e fez uma grande marca no chão. 

Sem dar tempo para o shinigami pensar Rosalene investiu rapidamente cortando o chão em vários lugares enquanto ele desviava.

- Você não vai sacar sua espada? - perguntou ela não estando nem um pouco cansada - Que desfeita com uma guerreira que apenas deseja uma boa luta.

- Claro que não - disse ele - não vou conseguir dormir se desfigurar algo tão belo quanto seu corpo - ele escondeu seus olhos com o cabelo enquanto analisava a forma que ela canalizava poder ao redor daquela estranha espada.

"Imersão - percebeu vendo a rotação da reiatso - não pensei que hollows também pudessem fazer isso"

- Entendi - disse ela depois de um longo suspiro - então você é um tarado.

- Bom, acho que sim - disse ele dando de ombros

"Mas será possível que nada abala essa cara? - pensou começando a se irritar de verdade".

- Eu estou atrasado, então se me da licença eu preciso correr.

- Ora seu! - ela abriu a boca e disparou um enorme cero

- Bakudou 39 Enkousen - ele disse lentamente e uma luz amarela redonda surgiu diante dele o protegendo do ataque - Bakudou 79 Kuyou Shibari - e então oito buracos negros surgiram ao redor dela e o nono surgiu no meio de seu peito impedindo que ela se movimentasse.

- Ei! Espera aí seu merdinha! - disse ela 

- Foi mal, mas você é bem forte e eu estou sem tempo - ele colocou dois dedos na testa - falou.

E então ele despareceu

- Desgraçado eu vou te matar!

Ela começou a aumentar sua reiatso até finalmente ter o suficiente para subjugar o kidou, mas ao fazer isso ela havia notificado cada alma sensitiva de sua presença então precisava logo dar o fora dali. Ela abriu uma garganta novamente para voltar ao Hueco Mundo, mas então sentiu uma vontade irresistível de sorrir.

"Já faz um tempo... que eu não acho um brinquedo interessante nessa dimensão".

Atlis continuou usando o shunpo ininterruptamente até chegar a cabana escondida no meio da floresta, ele fez questão de esconder qualquer rastro de poder que pudesse ter deixado para aquela arrancar seguir. Foi uma sorte conseguir pega-la no primeiro kidou, sua grande sorte foi a distração com o Enkousen. 

Ele parou em cima de uma arvore ficou esperando pelo menos dez minutos para ver se ela o estava seguindo, mas aparentemente ela perdeu o interesse em seu "ruivinho" e foi atrás de outras coisas para matar. Então pode voltar a caminhar calmamente para sua cabana, ele queria ter a sorte de ela estar dormindo, mas é claro que ela o estava esperando com os nervos a flor da pele.

- Atlis! Onde diabos você estava? Você saiu para falar com os quincys há quatro horas, pensei que os shinigamis tinham te capturado seu idiota!

- Ah, foi mau Harumi-chan eu tive uns probleminhas no meu caminho - disse ele com um sorriso despreocupado. Ele colocou a mão dentro de seu shihakushou e tirou uma espécie de sacola de papelão - Olha eu trouxe hambúrguer pra você.

- Não coloque "chan" no meu nome quando eu estiver dando uma bronca em você! - disse ela - E eu não estou com fome!

Ao dizer isso sua barriga roncou fazendo Atlis começar a rir e ela tomou a sacola de suas mãos.

- Me da isso - disse ela - você podia pelo menos ter... - ela foi parando de falar lentamente e começou a olhar fixamente para o seu rosto - isso é... um corte?

Ela colocou a mão no corte já cicatrizado que estava na sua testa onde Badany tinha colocado seu 38 de reiatso negra.

- Não é nada - disse ele tirando a mão dela de seu rosto - aproveite seu hambúrguer que eu vou dormir.

Ele passou por ela e entrou na cabana, deixando-a sozinha com seus pensamentos. Atlis nem sempre fora desse jeito, ele já foi muito sério e reservado. Sempre com uma expressão de raiva em seu rosto e dizendo que ia matar a todos, mas mesmo assim...

Cento e quarenta anos antes

Harumi Hirawa carregava muito sangue em suas mãos, ela fez uma chacina, trucidou todos aqueles que um dia foram próximos de si, ela perdeu o controle de seu poder e ficou sozinha, sua punição foi solidão. Com medo de como os shinigamis superiores regeriam ao que ela fez ela fugiu para o mundo humano e permaneceu sozinha. Como um espirito os humanos comuns não a enxergavam e ela evitava outros shinigamis com medo de ser presa, foi quando um homem de cabelo vermelho e shihakushou se aproximou dela. Ele se agachou para ficar da altura dela e a fitou por um bom tempo, ela já estava esperando que ela a executasse ali mesmo, mas o que ele fez foi muito estranho.

- E aí pirralha - disse ele sério - Por que está nessa rua? Onde estão seus pais.

Harumi o encarou tentando soar assustadora para que ele fosse embora.

- Eu os... matei - disse ela

- Mesmo? - disse ele como se tivesse ouvido a coisa mais normal do mundo - Você parece ter uma historia interessante para contar. Quer comer um sushi e compartilhar memorias?

- Não vou fazer nada que me pedir! - disse ela bem alto e desviando o olhar

- Que coisa cruel de se dizer - disse ele - eu prefiro mulheres com mais de vinte e cinco pelo menos, mas se quer ficar aqui até mais.

E ele simplesmente se levantou e foi embora sem olhar para trás nem uma única vez. Ela o seguiu o dia inteiro para ver quando ele voltaria para a soul society, mas no fim da noite e inicio da madrugada ele foi até uma cabana escondida em uma floresta próxima a cidade. Ele colocou a mão na maçaneta, mas não olhou para trás.

- Vai ficar se escondendo ai no frio ou quer entrar para ficar próxima do fogo? - perguntou ele 

- Quem é você? - ela perguntou sem se importar mais em se esconder.

- Eu sou igual a você - disse ele - sou um assassino que está fugindo da loucura da soul society.

"Como ele sabe que eu já matei tanto assim...? como ele..."

- Você também tem não é? - perguntou passando a mão em seu rosto e de repente surgiu uma mascara hollow em seu rosto e ela se assustou tanto que caiu sentada no chão - Quer aprender a usar? - perguntou com uma voz distorcida

- Posso parecer nova, mas sou uma shinigami com muito poder! - disse ela - Você não está me amedrontando!

- Mesmo? - perguntou ainda com aquela voz - tão poderosa que nem controla a si mesma? Escute pirralha, entre e aprenda ou desapareça e nunca mais volte.

- Hadou 73! Souren Soukatsui! - ela disparou uma grande quantidade de energia e ele simplesmente bloqueou com a palma de sua mão.

- Você conhece kidous de nível alto, mas seu nível é baixo - disse ele - um numero grande não é o segredo de um kidou e sim a força que você consegue colocar dentro dele.

Ela o encarou friamente tomando uma decisão que mudaria sua vida no mundo humano.  

Mas agora o Atlis sério e focado não existia mais, depois de quase cem anos ele pareceu se cansar de tentar destruir todos, se cansou de sentir ódio, ele só queria ver as coisas acontecerem sem interferir. Ele não era o modelo ideal de amigo, mas era o que os dois tinham se tornado.

Ela suspirou.

"Se não sou eu quem vai impedir você de se matar nessas loucuras?".

----------------------------

 

Draugon continuou caminhando ao lado de Akiko sem ousar dizer o que estava pensando, ele queria saber o por que de estarem passeando pelo deserto dos mortos tão longe de qualquer sinal de civilização. Há muito tempo não existia mais apenas o castelo da rainha do hueco mundo. Existiam um total de cinco castelos naquela dimensão cada um com seu próprio tipo de legislação e leis. Todos os outros quatro castelos optaram por evitar a guerra com a soul society, mas a rainha do hueco mundo não se deixou abalar por causa disso e infelizmente ela tinha os hollows mais poderosos a sua disposição.

Os relatórios da divisão doze se tornavam cada vez mais escassos sobre esse assunto, o tenente Gorab Vorl não se preocupava com nada que não fosse a maquina do ex-general. Isso irritava Draugon profundamente porque ele preferia estar informado de tudo para evitar surpresas desagradáveis e como o responsável por coletar informação estava muito ocupado sonhando ele continuava no escuro.

- Parece que finalmente teremos alguma companhia capitão Kouji - disse general Atsuko olhando para frente onde um pequeno montinho de areia estava se aproximando bem rapidamente.

Kouji colocou a mão no cabo da zampakutou, mas Akiko permaneceu olhando para frente esperando que os inimigos se revelassem e então surgiram três figuras diante dos shinigamis. Uma mulher de cabelo rosa na altura dos ombros uma mulher loira com um coque e uma mulher com um enorme cabelo vermelho. A mais poderosa devia ser a de cabelo rosa. Akiko deduziu que essa deveria ser uma espada e as outras suas fraccions.

- Não atacar logo de cara demonstra o interesse em uma conversa shinigami - disse a mulher de cabelo rosa encarando os dois - quem são e o que querem?

- Qual o seu numero espada? - perguntou Akiko

- Terceira - respondeu ela nem um pouco impressionada por Akiko ter adivinhado isso - e você seria?

- Capitã da primeira divisão Akiko Atsuko - disse ela - eu vim conversar sim, quero saber qual arrancar é responsável pelas ultimas mortes na soul society.

- Você tem uma boca grande pirralha - disse a mulher de cabelo vermelho - chegar em território inimigo fazendo acusações não é algo sábio.

- Ligthning - disse a terceira espada pedindo que sua companheira se segurasse na hostilidade - Não houve assassinato por nossa parte.

- E quais provas você teria? - perguntou Draugon sem tirar sua mão do cabo da zampakutou nem por um segundo

- Provas? - repetiu ela - Que provas você tem de nosso envolvimento?

- A ligação entre vocês e o criminoso numero um da soul society - disse Akiko - ele esteve aqui?

- De quem está falando? - perguntou a mulher loira

- Atlis Forbrand. Ex general e traidor da Soul Society - disse Akiko - Fale ou você ira sofrer

"General Forbrand está vivo?! - a mente de Draugon gritou para si mesmo, mas foi inteligente o suficiente para ficar calado"

- Sofrer? - repetiu Ligthning - Eu acho que não!

Ela foi para cima de Akiko com sua espada em chamas e os outros foram obrigados a se afastar pelo calor da espada da arrancar, mas Akiko segurou a lamina com a palma de sua mão.

- Izumi - disse Akiko e ela tocou o cabo de sua zampakutou, mas não a desembainhou. De repente Ligthning foi afastada por uma forte repulsão - Me mostre o que você tem - disse a General

A espada se virou para lutar com a general, mas Kouji surgiu na frente dela com sua zampakutou já desembainhada.

- Seu oponente sou eu - disse ele - Tensei!

A lamina da zampakutou dobrou de tamanho e seu cabo se tornou escuro assim como o resto da lamina. Kouji a subiu rapidamente fazendo uma enorme rajada de energia escura que a espada simplesmente se deixou atingir e não gerou nenhum dano. Ela levantou apenas um dedo.

- Cero! - ao disparar Kouji bloqueou o ataque com sua espada, batendo de lado na luz e a atirando para longe - impressionante senhor capitão... mas eu espero que tenha algo melhor do que isso em mente, isso é claro se quiser vencer. Meu nome é Yuna Frost e você está oficialmente morto - Ela pagou duas pistolas na sua cintura e apontou para Kouji. Ela encostou uma pistola na outra e um grande brilho começou a surgir entre elas - Cero Metralleta!

Kouji foi pego de surpresa quando, em uma velocidade impossível de acompanhar, surgiram centenas de milhares de ceros destruindo uma grande área ao redor de onde eles estavam. No efeito surpresa ela conseguiu acertar três tiros, dois de raspão no braço esquerdo e uma na coxa da perna direita, até que ele fez uma grande parede de energia escura para se proteger.

- Desista - disse a espada - sua movimentação já era.

- Não é comum eu rir enquanto luto, mas... - Kouji sorriu - eu não preciso me mover para lutar.

De repente a parede se transformou em uma mão gigante que conseguiu segurar Yuna e a prensar contra uma duna de areia, ela se livrou da mão a destruindo com outro disparo de cero, mas Kouji já estava levantando sua espada novamente.

- Sua guarda está aberta - ele mirou nas costas dela e disparou mais uma grande rajada de energia escura criando uma cortina de fumaça e bloqueando a visão do capitão.

Yuna surgiu atrás dele, ela tinha um ferimentos nas costas que estava sangrando, mas suas pistolas tinham sumido e no seu lugar havia uma grande espada, ela concertou energia em sua ponta e a atirou antes que ele pudesse entender o que estava acontecendo.

- Super Cero! - Kouji teve um segundo para criar uma nova parede de energia negra, mas foi completamente inútil quando o cero a atravessou como se fosse feito de vidro e o golpe o acertou diretamente. Por causa da parede de energia o golpe foi enfraquecido, mas ainda assim fez uma grande queimadura em seu peito e destruiu parte de seu haori.

- Então tá espada-san - disse Kouji com seu tom de voz um pouco mais sério - eu cansei de brincar com você - ele recuou todas as trevas que estavam espalhadas pelo campo de batalha na sua lamina - eu até podia ficar aqui mostrando outras técnicas de shikai, mas você tem informações que eu quero e eu não tenho tempo para consegui-las educadamente então - ele levantou a espada novamente só que dessa vez mais lentamente - Bankai... Darkness Tensei no Hakai...

 


Notas Finais


Bakudou 39 Enkousen: https://www.youtube.com/watch?v=TMfBu4zWOY0
Bakudou 79 Kuyou Shibari: https://www.youtube.com/watch?v=c4GB19zRCc4
Hadou 73 Souren Soukatsui: https://www.youtube.com/watch?v=HuGq9IzP5dI


Interativo (independente no seu comentário coloque exatamente o numero da sua decisão para eu saber qual você escolheu):

=>Para Akiko Atsuko (calipiso)

Sobre a luta com Terra e Ligthning você tem três opções:

1) Lutar para matar e ir embora satisfeita sem ouvir mentiras de arrancar
2) Brincar com as fraccions enquanto Kouji consegue a informação
3) Usar poder para acabar com a luta rapidamente e ir direto para Yuna Frost para interroga-la


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...