1. Spirit Fanfics >
  2. Interesting - Imagine; Park Jihyo (TWICE) >
  3. Cats...

História Interesting - Imagine; Park Jihyo (TWICE) - Capítulo 5


Escrita por: Lauterram

Notas do Autor


–ⓘ Desculpem qualquer erro ortográfico.

Capítulo 5 - Cats...






– Ué. – Foi a única coisa que eu consegui dizer naquele momento. Estava frio, muito frio, o inverno tinha chegado com força em Seoul e as temperaturas estavam abaixo de 18° graus em vários lugares. Admito que o inverno era minha estação preferida, ficar em casa embaixo do cobertor sem fazer nada era a melhor atividade que se podia fazer e isso era satisfatório.

– Miau. – O motivo de minha fala anterior se pronunciou dentro daquela caixa, colocando suas patinhas na dobra da caixa de papelão e me encarando com aqueles olhos esverdeados. Era um gato de cor preta, ali, dentro da caixa me encarando. Eu estava voltando do colégio quando ouvi alguns grunhidos dentro de uma caixa, perto da estação. Eu não trabalhava hoje, então estava indo para casa dormir ou procastinar como sempre fazia. Mas, aquele miado chamou minha atenção e foi inevitável que eu fosse averiguar. Dentro da caixa não tinha só um, mas sim cinco pequenos gatos, que miavam de forma baixa. Eram filhotes como podem ver, bem novos por sinal. Acho que vocês já sabem que eu tenho um fraco por animais, então aquela situação me deixou toda 'nhonhonho. Eu não podia levar os filhotes comigo, por mais que eu quisesse, afinal eu já tinha um gato e Taeyeon me mataria se eu levasse mais algum.

– Me desculpem, mas eu não posso levar vocês comigo... – Falei enquanto fazia carinho em um deles. Os gatos estavam ali me encarando, principalmente o que parecia ser o mais velho deles, como se me pedissem socorro. Aonde estava a mãe deles? Afinal não tem como esses gatos terem parado aqui sem a mãe deles e isso estava me intrigando...

– O que está te intrigando? – Como um teste para cardíaco, alguém simplesmente sussurou em meu ouvido. Eu praticamente me joguei no chão da rua totalmente assustada. Ali estava ela, como um fantasma que te segue em todo o lugar, Park Jihyo. 

– Que porra é essa? Assombração? – Falei irritada com a garota, me levantando e ficando frente a frente com ela. A Park só sabia rir da minha reação, na verdade essa era a coisa que ela mais fazia quando estávamos juntas desde semana passada.

– Ih, que drama todo é esse? Tá devendo, é? – Jihyo disse brincalhona, me estendendo a mão e me ajudando a levantar. – Aliás, você é muito boca suja.

– Não enche, estou em uma situação de vida ou morte. – Assim que me levantei, me dirigi novamente até a caixa e olhei os gatos. Todos estavam juntos e grudados, pareciam testar de algum forma se aquecerem por causa do frio. Aquela cena partiu meu coração em milhões de pedaços, eu queria poder fazer alguma coisa.

– Oh, são seus gatos? – Jihyo se aproximou de mim e da caixa, observando os gatos em seu interior.

– Não, alguém abandonou eles aqui. – Falei calma, porém era evidente minha decepção. Eu poderia levar os gatos para casa, mas Taeyeon além de não gostar, tem alergia, ela mal chega perto do Dino por causa disso. Não posso arriscar, porém ignorar aquilo estava me destruindo por dentro.

– Pretende levar eles para a sua casa? – A Park disse enquanto se agachava ao lado da caixa e fazia carinho neles. Aquela visão foi tão satisfatória, o olhar de Jihyo era algo que 'pra mim ainda era indecifrável, mas eu podia sentir o carinho dela pelos gatos.

– Eu não posso, já tenho um gato. – Me agachei e fiquei perto da garota, enquanto observava os gatos. Eu me sentia mal por não poder leve eles, o frio poderia ser mortal para esses filhotes e eu iria me culpar para sempre se algo de ruim acontecesse, eu precisava pensar em algo.

– Hm, isso é interessante. – A voz de Jihyo soou fraca ao meu lado. A garota estava me encarando com aquele sorriso dela.

– O que exatamente? – Perguntei a Park, que nada me respondeu de início, apenas se acomodou ao meu lado, grudando sei corpo ao meu.

– Você. Eu vejo em seus olhos, a preocupação com eles. É a primeira vez que eu te vejo assim. – Jihyo disse ao meu lado. Sua mao subiu e parou nas pontas de meu cabelo, fazendo um pegando carinho ali. Ela tem razão, quase ninguém me vê preocupada com alguma coisa, eu raramente expresso algum sentimento para alguém fora do meu - pequeno - ciclo social.

– Eu sempre gostei de animais, desde pequena. Minha mãe me ensinou a amar todos os seres, menos aqueles que podem te fazer mal. – Eu disse a Park, enquanto encarava os gatos na caixa.

– Entendo. – A Park disse baixinho, desviando seu olhar para a caixa também. Um silêncio consideramente agradável se instalou ali, enquanto nós duas olhávamos os gatos. O frio estava forte, mas ao mesmo tempo em me sentia quente com o calor do corpo de Jihyo colado ao meu. A rua estava completamente vazia, quem visse aquela cena chamaria nós duas de malucas ou esquisitas por estarmos ali, paradas. Mas, eu não ligava nem um pouco para o que os outros iriam pensar. Eu estava feliz e triste ao mesmo tempo. – Bem, se isso vai ter fazer feliz, eu tenho um plano! 


– Que plano? 


[...]


– Meu deus, me ajude! – A voz de Jihyo soou alta pelo telefone, e desta vez, era eu que estava rindo igual a uma retardada.


– Calma, o que houve? 


– Eles não param de miar, querem subir encima de mim! 


– Como assim?


– Eles estão me escalando como se eu fosse uma parede! Aí! Meu cabelo!


– Acho que eles estão com sono.


– E o que eu tenho haver com isso?


– Gatos são extremamente fiéis, você os tirou do frio, agora eles querem te proteger a todo custo.


– Dormindo em mim?


– Talvez. 


– Talvez? É isso que você me fala? 


– Ué, você que quis os gatos, agora assume.


– As vezes eu te odeio.


– É recíproco.


– Oh, eles estão dormindo! Pera, o que eu faço agora?


– Espera um pouco e colocar eles em algum lugar quente e fofo, eles vão se acostumar a dormir ali.


– Ainda bem que eu tenho você, minha irmã tá quase me esganando!


– Pera, você tem uma irmã?


– Tenho, eu te contei, não? 


– Acho que não, ou eu não me lembro...


– Hummm, perfeito!


– ...Perfeito?


– Por que você não vem aqui em casa amanhã? Minha irmã iria adorar te conhecer... Pane no sistema: Hwang (Seu nome) acabou de morrer.


– ...(Seu nome)?


– Ãn? 


– Você tá bem?


– Quem?


– Ué, você.


– Eu?


– É.


– Eu o que?


– Você. Quer. Vir. Na. Minha. Casa. Conhecer. Minha. Irmã? 


– ...


– (Seu nome)!


– Ãn? Ah, eu.... a gente...


– Não vou fazer nada, não se preocupe...


– O que? Eu não pensei em nada!


– Você é uma pervertida!


– Yah! Me fala que horas eu tenho que ir!


– As 17:00, não se atrase!


– Ok, boa noite, Jihyo.


– Não vai me dar um beijo?


– Estamos em uma chamada, pelo que eu saiba não existe beijo virtual.


– Existe sim, inventei agora. 


– "O trem Thomas, aquela japonesa estranha tá lá embaixo"


– Já vou! Boa noite, Hwang. Não esqueça, vou cobrar meu beijo!




Definitivamente, essa garota é maluquinha.


Notas Finais


Cap curto pq o próximo promete kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...