História INTERLIGADOS (Imagine Min Yoongi - Suga - BTS) - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Imagine, Professor, Suga, Yoongi
Visualizações 80
Palavras 2.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioioioi Lindezasssss

Novo Capítulo aê

contemplem

Capítulo 15 - Primeiros Socorros


Fanfic / Fanfiction INTERLIGADOS (Imagine Min Yoongi - Suga - BTS) - Capítulo 15 - Primeiros Socorros

Tiramos o time na sorte, e eu saio justo com o Jungkook.  

Ele parece feliz em ter saído comigo, apesar de eu não saber jogar direito.

O jogo vai rolando tranquilo. Vez ou outra a bola vem pra mim e eu faço meu máximo para alcançá-la.  

Yoongi parece sério. Mais que o normal.  

Chega minha vez de sacar, e olha só que surpresa: EU NÃO SEI FAZER ISSO.  

Depois da terceira tentativa e de várias risadas do Tae e do Jungkook, ele resolve me ajudar a sacar.  

Confesso que é meio constrangedor. 

Ele chega por trás de mim, guiando meus braços e mãos a partir dos seus e eu me sinto um pouco desconfortável com seu toque. Eu sei que ele é um bom rapaz e muito respeitoso, mas... ele não parece tão ingênuos assim.  

Sinto meu coração disparar quando seu rosto chega a poucos centímetros do meu. Ele me encara e abre um leve sorriso.  

Segundos depois, alguém me puxa forte pelo braço, me afastando dele.  

 

Yoongi: Chega dessa merda. Vamos embora - ele me arrasta por alguns metros.  

 

Jungkook: O que pensa que está fazendo? - ele vai atrás e empurra o Yoongi, fazendo-o se afastar de mim.  

 

Essa não.  

Yoongi o empurra mais forte, derrubando-o.  

 

Yoongi: Fala sério, Jungkook. Você está tão desesperado assim? - ele praticamente berra – Por que não arranja mulher na mesma esquina que sua mãe trabalha!? - diz implicante. 

 

ESSA NÃO.  

Jungkook se levanta rapidamente, segurando Yoongi e indo os dois para o chão. Isso não está realmente acontecendo. Não pode ser.  

Fico paralisada algum tempo, enquanto os dois quase se matam na minha frente.  

Vejo Jimin se aproximando e chamo ele, o incentivando a vir mais depressa.  

 

Jimin: O que está acontecendo?  

 

S/n: SEPARA ELES, POR FAVOR!! - o desespero é nítido na minha voz. Não quero vê-los causando mal um ao outro. Isso realmente é terrível.  

 

Taehyung e Jimin conseguem separá-los depois de alguns minutos e vários xingamentos entre os dois.  

 

Tae: O QUE VOCÊS TÊM NA CABEÇA? - ele praticamente berra, gesticulando com as mãos - OLHA O QUE VOCÊS FIZERAM UM AO OUTRO!  

 

Jimin: Melhor irem embora - Jimin se pronuncia um pouco baixo, minutos de silêncio após a fala de Tae.  

 

Yoongi se vira de maneira brusca e começa a caminhar em direção à seu carro.  

Jimin me manda um olhar, insinuando que eu vá atrás dele, e eu o faço. Dou um abraço rápido em Jungkook, seguido de um "se cuida".  Despeço-me dos meninos e corro atrás do Yoongi, que estava já perto de seu carro. Vou correndo até ele e me aproximo.  

 

S/n: Yoongi!  

 

Ele se vira bruscamente. Sua expressão é de raiva. Seu peito de levanta e abaixa rapidamente, indicando sua respiração ofegante e seus punhos estão fechados, com várias feridas. Ele me encara.  

 

Yoongi: O que está fazendo aqui? - diz seco, grosseiro - Não devia estar cuidando do seu amigo ali? - faz alusão ao Jungkook - Você parecia estar gostando de suas aulinhas de vôlei. - ele se vira novamente, encostando em seu carro e pegando a chave em seu bolso.  

 

S/n: Para falar a verdade, eu também não sei exatamente o que vim fazer aqui... - falo bem baixinho, ainda surpresa com o que acabara de acontecer - mas não vou ir embora. - digo confiante. Apesar de realmente não fazer ideia do porquê de eu ter vindo, vou ficar com ele. Ele realmente precisa de cuidados. Não vou deixá-lo assim. Não quero... - A não ser... – minha voz sai mais hesitante do que eu planejei, sendo então insegura - A não ser que você vá embora e me deixe aqui. - faço uma pausa - O que eu realmente espero que você não faça... 

 

Observo seus punhos abrirem-se lentamente e sua mão vai até a parte de cima do carro. Em seguida, repousa sua testa ali mesmo e eu me aproximo.  

Em um gesto inseguro, eu passo minha mão em seu cabelo, fazendo um leve cafuné e ele suaviza sua expressão. Ele pega a chave e abre o carro.  

 

Yoongi: Entra. - ele diz autoritário. 

 

Entro no carro dele um tanto insegura, afinal, é a primeira vez que fazemos algo sem o acaso envolvido.  

Depois de longos minutos em silêncio, ele começa a dirigir.  
 

S/n: Para onde vamos?  
 

Yoongi: Não sei. - ele fala num suspiro - para onde deveríamos ir? - ele parece concentrado. Sequer olha pra mim durante o trajeto. 
 

S/n: Hospital...? - digo como se fosse uma opção lógica, afinal, ele está coberto de sangue e machucados.  

 

Yoongi: VOCÊ SE MACHUCOU?  - ele vira brusco pra mim, olhando meu corpo, como se estivesse procurando por alguma ferida ou anomalia.  
 

S/n: O QUÊ? Eu não, né. Olha pra você! - aponto para seu corpo - Você precisa tratar isso.  
 

Yoongi: Ah... Hospital não. Isso depois cura sozinho.  

 

S/n: Mesmo assim você precisa tratar isso, Yoongi - reviro os olhos e faço uma breve pausa, deixando um silêncio reinar por alguns segundos - Me leva em casa?  

 

Ele não diz nada. Apenas assente com a cabeça e dirige concentrado o restante do caminho, quase que ignorando minha presença ali.  

Chegamos em frente à minha casa e ele para o carro, deixando-o ligado.  

 

S/n: Você não vai... Ham... Estacionar?  

 

Yoongi: Pra quê? - ele pergunta rude e eu reviro meus olhos.  

 

Será que ele ainda não entendeu? 

 

S/n: Pra você entrar, Yoongi. - digo envergonhada. Não quero que ele pense errado. Eu quero mesmo é tratar de suas feridas, e desconfio de que se ele for embora não irá fazê-lo. 

 

Percebo o mesmo abrir um leve sorriso, o que me estressa um pouco. Por que ele está rindo depois de toda essa merda?  

 

S/n: Esquece. - reviro os olhos e abro a porta do carro, saindo e caminhando em direção à minha casa. 
 

Vou em direção à porta, demoro um pouco para achar as chaves e entro, sem olhar para trás.  

Me surpreendo quando a porta não fecha e sinto uma ponta de felicidade quando percebo o motivo. Ele veio.  

 

Yoongi: Então... me convida a entrar e depois tenta fechar a porta na minha cara? - ele diz abrindo um sorrisinho e encostando a porta - Mas que coisa feia. - diz como quem repreende a uma criança que acaba de fazer algo errado.  

 

Fico um pouco sem graça com suas palavras, mas o fato de ele ter vindo me alegra.  

 

S/n: Desculpa, eu...  

 

Yoongi: Tudo bem, relaxa. - ele me interrompe, abrindo um sorriso que faz o meu coração disparar. QUE SORRISO. - Eu estou brincando com você. - ele leva o seu indicador até a ponta do meu nariz e dá um leve toque. Como ele pode ir de tão bruto a tão carinhoso rápido assim? 

 

Nos encaramos por alguns segundos até sentirmos que o momento estava realmente constrangedor, então eu o puxo até o sofá, pego uma caixinha de primeiros socorros que tem aqui em casa e começo a limpar os machucados dele, dando máxima atenção a cada um. 

Ele me olha, observando cada movimento meu enquanto passo a mão timidamente por suas mãos e braços.  

Hesito ao mover as mãos para seu rosto. Ele tem alguns cortes acima da sobrancelha, nos lábios e na bochecha.  

 

Yoongi: Não precisa se envergonhar. - ele percebe minha insegurança quando passo a mão sobre o canto esquerdo dos seus lábios. Pega minha mão e segura em seu rosto.  

 

S/n: É só que... é estranho - olho para baixo e dou uma leve risadinha. Eu sou uma tonta mesmo. É só limpar os cortes dele, S/n. O que há de tão difícil nisso?  

 

Yoongi: Você está fazendo um bom trabalho. Relaxe - ele abre um sorriso, me encara e eu derreto.  

 

Retribuo seu sorriso e continuo a dar atenção ao que realmente era necessário no momento.  

A princípio, ele se recusa a cobrir alguns machucados, mas após minha insistência, permite que eu cubra pelo menos os das mãos, já que sãos os mais abertos.  

Termino depois de alguns minutos e nos levantamos do sofá.  

 

Yoongi: Eu acho que já vou embora... - diz e vamos caminhando devagarinho até a porta. - Muito obrigado por... Cuidar de mim. - Põe a mão na cabeça, balançando os cabelos de forma tímida.  

 

S/n: Ah... tudo bem. Não foi nada - sorrio leve.  

 

Yoongi: Então... Te vejo na escola amanhã.  

 

Já com a porta aberta, ele, do lado de fora, ele se aproxima de mim, causando um leve descompasso do meu pulso, e deposita um selar no cantinho dos meus lábios.  

Ele se vira e vai embora, sem falar mais nada. Também não precisava. 

Observo-o a caminhar até seu carro e sorrio quando se vira e me faz um leve aceno e então, entra no carro e vai embora. 

Me dirijo até o sofá e me sento, dando um suspiro alto. Sorte a minha que ninguém pode me ver agora. É um estado que com certeza eu vou sentir muita vergonha daqui algum tempo. Mas como eu não reparei antes?  

Bastava observar os sinais.  

Um sorriso escancarado no rosto, os pensamentos aéreos, um grande suspiro logo depois que ele se foi. Sim. Eu estou desse jeito. O pior é que estou gostando. É difícil de admitir, mas com certeza eu estou...  A P A I X O N A D A  

Eis a palavra que eu tentei evitar até agora. Como esse homem rude consegue me fazer sentir tantas coisas?  

O pior disso é não ter certeza sobre os sentimentos dele. Me faz sentir insegura. O jeito fácil com que ele se irrita, as suas palavras grosseiras...  

Mando esses pensamentos pro além quando me lembro de suas palavras noite passada. "Eu estou apaixonado por você, S/n".  

Abro um sorriso imediatamente ao recordar de tais palavras. Será que ele foi sincero? A dúvida me mata completamente. AF. 

É por isso que as pessoas não deveriam se apaixonar. Eu já estou ficando paranoica. Que vergonha.  

 Ouço um barulho. É a porta. Será que ele está voltando? Fico levemente frustrada ao ver que era Hee e Jimin entrando aos beijos, me deixando desconfortável.  

Aliás, esses dois têm o dom de me deixar constrangida, não importa o lugar.  

Eles me percebem observando toda aquela melação e param de se beijar, vulgo se comer ali na minha frente.  

 

Jimin: Que cara de decepção é essa? - ele me faz um sorriso sugestivo. - Estava esperando alguém? - Eu vou matá-lo algum dia. Sem sombra de dúvidas.  

 

S/n: Eu? Claro que não. Eu só não estava esperando que fosse haver uma exposição pornô ao vivo aqui na minha casa. SERÁ QUE VOCÊS NÃO CONSEGUEM SE SEGURAR ATÉ CHEGAR EM ALGUM QUARTO? - Falo brincalhona, fazendo cara de nojinho.  

 

Hee: Oush. Você que não devia estar aqui... Tenho certeza que vi o Jungkook indo embora sozinho. Onde você estava, ham? - ela faz cara de desconfiada.  

 

Coro ao ouvi-la sugerindo algo entre mim e o Jungkook. Ela deve ficar bem frustrada quando descobrir que na verdade é em outro ser que eu estou tendo um... interesse?  

 

S/n: Ah... É... Eu me senti um pouco mal, acho que foi a comida, hun? - falo meio enrolado, tentando encontrar uma desculpa para justificar o fato de que eu simplesmente sumi.  

 

Hee: Ah... Você perdeu uma grande oportunidade de jogar seus charmes, sabe!? - ela faz um olhar de segundas intenções - Você não vai acreditar. Ele e o Yoongi tiveram uma briga feia. O Jimin teve que separar os dois até... Mas se você estivesse lá, você poderia, ham... Consolá-lo, sabe? - ela abre um sorriso - Quem sabe, até brincar de médico - ela cai numa gargalhada.  

 

S/n: Hee! - digo em tom de repreensão, tentado amenizar minha expressão envergonhada.  

 

Hee: Ah, para! Eu vi como você olhava pra ele... - eu fico mais vermelha ainda. Será que ela não vai parar? Vejo a diversão expressa no rosto de Jimin. Ele está adorando isso. - Relaxa, S/n, eu vi ele te olhando também. Com certeza ele gosta de você.  

 

S/n: SERÁ QUE VOCÊ PODERIA PARAR? Voltem a se beijar por favor.  

 

Jimin: Vamos, Hee. Eu tenho certeza que a S/n sabe como brincar de médico. Se eu a conheço bem, ela já até andou treinando - ele diz olhando para a caixinha de primeiros socorros em cima do sofá e depois novamente para mim. Droga. Por que eu não guardei aquilo?  

 

Ele puxa Hee pelas escadas, deixando-a sem entender direito a sua fala, e se dirigem até o quarto.  

Tento ignorar os barulhos e durmo feito pedra, aguardando ansiosamente pelo dia de amanhã.  


Notas Finais


Ô ALELUIA

GENTE, A VONTADE DE QUEBRAR A CARA DO JIMIN É GRANDE

DEIXE SE COMENTÁRIO!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...