1. Spirit Fanfics >
  2. Intermitências >
  3. Sempre que ele volta

História Intermitências - Capítulo 1


Escrita por: softhyuk

Capítulo 1 - Sempre que ele volta


Passava pouco da meia-noite. A luz do quarto de Sora ainda estava acesa e ela fumava à janela, sem medo que o pai a apanhasse em flagrante àquela hora. Dezassete anos ainda não era idade para tomar as suas próprias decisões e aquilo render-lhe-ia umas boas bofetadas de mão pesada. Yoongi lembrava-se bem do pai da ex-namorada sempre com bafo a álcool e calças jeans mal remendadas. Vê-la à janela após ficar três meses desaparecido fê-lo acreditar que Sora estava ainda mais bonita. A luz da lua incidia nos seus cabelos escuros e a ponta do cigarro queimava laranja.

— Hey — chamou lá de baixo. Sora assustou-se antes de o reconhecer sob a luz amarela dos postes de eletricidade. Vinha com a cara rebentada: um corte no lábio e outro na sobrancelha.

— Bons olhos te vejam — saudou, soprando uma nuvem de fumo. — O que te aconteceu à cara?

Yoongi encolheu os ombros e sorriu daquela maneira que Sora gostava: como quem traz os bolsos cheios de problemas e é prenúncio de destruição. Ela disse-lhe que trepasse pelas grades da varandinha do rés do chão e deu-lhe espaço para entrar pela janela, ficando o chão limpo com vestígios de terra. Apagou o cigarro na pedra mármore do parapeito e Yoongi espreitou os livros arrumados nas prateleiras, os apontamentos sublinhados em cima da secretária e as fotografias coladas na parede, enquanto ela saiu para procurar a caixa de primeiros socorros.

Sora voltou a entrar no quarto. Vestia apenas uma camisa de noite, deixando as pernas bronzeadas à mostra, tinha as unhas dos pés pintadas e restos de maquilhagem nos olhos. Aproximou-se de Yoongi, sentado na cama desfeita, e começou a limpar-lhe as feridas com desinfetante.

— Por onde andaste? — perguntou. Aplicou mais desinfetante na ferida da sobrancelha e Yoongi resmungou.

— Por aí.

— Tu és muito idiota, sabias? Deixas todos preocupados quando desapareces assim.

— Até tu? — provocou. Sora pressionou com força o algodão com desinfetante na ferida da sobrancelha de Yoongi ele esbracejou.

Shhh! Queres que o meu pai acorde? — Tapou o boca do ex-namorado com a mão e ele puxou-a para mais perto de si. Sora fitou os olhos escuros de Yoongi e depois os lábios gretados. Afastou-se para junto da janela quando Yoongi a tentou beijar.

— É verdade que estás com o Taehyung?

— E se for? Estás com ciúmes?

Yoongi riu.

— Posso ficar aqui esta noite? — pediu. Sora negou com a cabeça. — Não tenho para onde ir.

— Para tua casa.

— O namorado da minha mãe expulsou-me — contou. Olhou em volta, sentindo a familiaridade daquele lugar. Cheirava a incenso e saquinhos de sabão ralado.

— Onde estiveste todo este tempo? — perguntou novamente.

— Na casa de uma amiga.

— E foi ela que te fez isso à cara?

— O namorado dela. — Riu. Sora revirou os olhos, não sabendo se podia realmente acreditar naquela história: Yoongi gostava de inventar e também de lhe fazer ciúmes. — Mas ele ficou bem pior.

Daquela vez foi Sora quem riu.

— Tu nem um soco sabes dar — constatou divertida, vendo Yoongi deixar o tronco cai para trás, sobre os lençóis lavados da cama e com cheiro de Sora. Ele lembrou-se daquela vez que foram à praia com alguns amigos e de outra vez que ficaram presos no pavilhão de desporto por engano. Sora cheirava a pastilha elástica de morango, usava o cabelo curtinho e tinha sardas  no rosto e nos ombros. Yoongi achava-a bonita demais e inteligente demais, não compreendendo o que a fez algum dia ganhar interesse por si. E Sora nunca lhe contou, mas foi por conta da bofetada que ele levou em seu lugar quando se meteu entre ela e o pai. Yoongi ficou com a cara marcada de cinco dedos e eles beijaram-se pela primeira vez naquela tarde.

— Então, posso ficar aqui esta noite ou não? — insistiu. Sora olhou-o em silêncio, deitado na cama de barriga para cima. Ela não tinha a certeza se o namorado da mãe o havia realmente expulso de casa e, mesmo sendo verdade, ele ainda podia dormir na casa de Namjoon. Ponderou mandá-lo embora. Suspirou, porém, rendida. Yoongi e Namjoon estavam meio brigados por conta de qualquer coisa idiota e, no fundo, ela não queria que ele fosse embora.

— Está bem, mas só esta noite e ninguém pode saber — avisou.

— Por causa do Taehyung? Pensava que ele era gay.

— Porquê? — questionou sem paciência para comentários ignorantes e Yoongi encolheu os ombros. — És tão estúpido! Agora tira esses pés sujos da minha cama antes que eu mude de ideias e te meta na rua — ameaçou, empurrando-lhe as pernas para fora da cama. Yoongi não se mexeu. Puxou-a, em vez disso, pelo braço e fê-la cair deitada sobre si, sentindo a extensão daquele corpo miúdo sobre o seu. Os olhos de Yoongi eram escuros como abismos e o cabelo estava tão maltratado que espigava nas pontas rebeldes. Sora beijou-lhe a cara, deitou o rosto no seu peito e abraçou-o. — Sabes uma coisa?

— O quê?

— Eu ainda gosto de ti.


Notas Finais


eu tenho de meter taegi em todo o lado, mesmo quando não é em ship :(

"intermitências" vai ter 5 capítulos. vou tentar postar tudo hoje ainda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...