1. Spirit Fanfics >
  2. Intermitências >
  3. Sempre que ele fica, II

História Intermitências - Capítulo 3


Escrita por: softhyuk

Capítulo 3 - Sempre que ele fica, II


— Soube que o Yoongi voltou. — Taehyung comentou, vendo Sora encolher os ombros. — Não precisas de te fazer de desentendida.

— O que importa o Yoongi agora? — perguntou manhosa. Taehyung estava sem camisola, com o peito desnudo à mostra, e ela sentada sobre as suas coxas, vestindo apenas roupa íntima. Fez-lhe um carinho nos cabelos da nuca e deixou-lhe um beijo na orelha.

— Ele é teu ex-namorado, então importa — contrapôs.

— Não sabia que tinhas ciúmes do Yoongi — brincou. Taehyung, no entanto, permaneceu sério.

— Já estiveste com ele desde que voltou? — perguntou, mesmo já sabendo a resposta. Sora suspirou antes de responder.

— Ele está a passar por um momento difícil por conta da família — explicou, fazendo um carinho no rosto do namorado. — Não tem nada a ver connosco.

— E tens de ser tu a ajudá-lo?

—  É sério que queres falar do Yoongi agora? — Sora perguntou frustrada, descendo a mão do rosto de Taehyung pelo seu pescoço e peito. Inclinou-se sobre o tronco dele e beijou-o. Taehyung correspondeu rapidamente, apertando a cintura da namorada contra si e arfando baixinho. O ar ficou escasso em questão de segundos e as peles lisas incendiavam ao mais simples toque.

— O que é isto? — Taehyung notou uma marca negra na perna despida de Sora e passou o dedo indicador em círculos sobre a pele pisada.

— Não sei, acho que batia com a perna em algum lado — mentiu, relembrando o empurrão que levara do pai algumas noites atrás. A última bofetada que levara, consequência da descoberta do maço de cigarros, havia deixado um ligeiro hematoma na cara que ele escondeu com uma máscara cirúrgica e a desculpa de estar engripada.

— Devias ter mais cuidado — aconselhou. Beijou-lhe a clavícula exposta, o ombro pontilhado de sardas e o pescoço. A língua molhada deixou um rasto de saliva quente e ele sentiu-lhe os seios pequenos contra o peito quando a puxou mais para si. — És tão linda — elogio, beijando-lhe os seios por cima do soutien.

Sora enterrou o nariz no pescoço de Taehyung: cheirava a baunilha e cigarro. Ela queria saber, porque de entre todas as garotas do colégio que gostavam dele, ele a havia escolhido a si. Ela sentia-se especial quando pensava a respeito. 

— Tae? — chamou. Os olhos escuros de Taehyung encararam-na com admiração, emoldurados por pestanas curtas, e a pergunta morreu-lhe no fundo da garganta. Delineou-lhe as sobrancelhas retas e a cana do nariz. Beijou-lhe as pálpebras e os lábios. — É melhor eu ir embora. Está a ficar tarde e o meu pai fica preocupado quando me atraso. 

Taehyung suspirou e afrouxou o aperto em torno do corpo da namorada. Sora pegou as suas  roupas do chão e vestiu-as, escapando da casa do namorado pelas traseiras.

Fez o jantar para o pai e deitou os restos fora. Queria comer — sentia fome —, mas alguns dias atrás voltara a atacar o frigorífico a meio da noite, faminta, e desde então evitava comer por se sentir culpada. Também vomitou na casa-de-banho da escola depois de almoçar kimbap. Lembrava-se de uma tia afastada lhe ter dito que as meninas precisam de sofrer para serem bonitas.

Após verificar que o pai estava a dormir pôs-se a fumar à janela, daquela vez tomando o cuidado de esconder o maço de cigarros nos arrumos — o pai nunca o entraria lá. Ao olhar para baixo e ver o alcatrão gasto da rua lembrou-se do dia em que Yoongi regressou após levar uma surra sabe Deus de quem. 

Ligou-lhe para o telemóvel eram quase onze da noite.

— Onde estás?

Porquê? Estás com saudades minhas? — provocou, fazendo Sora arrepender-se de ter ligado.

— Só queria saber se estás bem.

Estou ótimo — mentiu.

— Estás em casa do Namjoon?

Hm — grunhiu em jeito de resposta.

— Ainda bem que se voltaram a entender.

Yoongi não disse mais nada e os dois ficaram em silêncio por bastante tempo: o tempo suficiente para Sora terminar o cigarro e sentir a ponta dos dedos queimar. Ouviu um suspiro do outro lado da linha e imaginou Yoongi deitado no chão do quarto de Namjoon, dentro de algum saco-cama que não devia ser usado desde que Namjoon deixara de participar nas colónias de férias.

Se ainda gostas de mim porque estás com o Taehyung?

Sora olhou o céu pontilhado de estrelas.

— Porque também gosto dele — respondeu. — Boa noite



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...