História International Love History - Capítulo 58


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Atlantys Fanfics, Bangtan Boys, Bts, Chim Chim, Ilh, Jimin, Longfic, Park Jimin, Romance
Visualizações 1.202
Palavras 4.473
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Boa noite a vocês! Estão bem?
Indicação nas finais.
Agradecimentos no comentário fixado.

Capítulo 58 - One more meet


Fanfic / Fanfiction International Love History - Capítulo 58 - One more meet

      Deixando minhas amigas fora de meus novos planos, eu simplesmente comprei as entradas e resolvi ir sozinha com Jasmin ao evento. Eu ainda não sabia exatamente onde ficava o lugar que seria realizado o fan meeting, mas eu daria o meu jeito para chegar até lá. O evento aconteceria no sábado e eu já estava com tudo pronto.

      Eu não entendi muito bem do que se tratavam os tais fansign, fan meeting ou high touch. Mas ao me informar me convenci de que no evento que eu estava prestes a ir, o grupo performaria algumas músicas num pequeno palco e ao final novamente receberia os fãs para um breve cumprimento.

      Ao entender como tudo funcionava, comecei a pensar nos meus planos. Só o que eu queria fazer era entregar a Jimin o pen drive com todos aqueles vídeos que eu tinha feito, então pensei que seria fácil. De acordo com a ordem do evento, primeiro eles chegariam e cumprimentariam o público. Após isso, fariam breves performances de seus sucessos e ao final nos receberiam. E é claro que quando se tratava de crianças, eles davam uma atenção maior. E era isso que eu queria.

      Os dias foram passando e cada vez mais eu ficava ansiosa para chegar sábado. Já na quinta feira é que eu resolvi assistir finalmente ao último vídeo que Jimin tinha deixado em meu notebook. O vídeo era o décimo e assim encerrava a lista que Jimin tinha feito. Apertei o play e logo ele voltou a aparecer em minha tela.

      – Oi, jagi. – Ele disse. – Eu simplesmente estou muito abalado com isso tudo... Não consigo ver sequer uma coisa boa na minha volta para a Coréia. Sim, eu irei ver minha família e isso é ótimo, porém... Eu aguentaria esperar mais. Eu poderia esperar até as férias ou até o final da faculdade. Sei que isso pra mim foi um problema no começo, mas eu aprendi a lidar e consegui sobreviver todo esse tempo. Minha volta poderia e deveria esperar, mas com isso tudo... Eu estou sendo obrigado a fazer o que não quero. Mesmo já com as malas prontas eu sequer consigo acreditar que estarei indo embora amanhã, mesmo com tudo pronto e arrumado eu sequer consigo acreditar que isso é real. A hora está chegando e eu estou com medo... Não quero deixá-la, não quero partir e... Oh, eu não quero... – Abaixou a cabeça. – Eu te amo, eu te amo como nunca amei alguém na vida, e é isso que eu quero que você se lembre todos os dias. Estou indo agora, mas estou te levando comigo em meu coração. Me mantenha sempre em seus pensamentos quando estiver se sentindo mal, pois é o que eu farei contigo quando eu for embora. Eu vou voltar, e do fundo do meu coração eu espero que seja em breve. Voltaremos a ter nossa vida de volta, e assim poderemos continuar com nossos planos e poderemos fazer tudo dar certo como sempre desejamos. Eu te amo, Ashley! E quero que acredite que logo voltarei para estar contigo novamente!

      – Mentiroso! – Falei alto, fechei o notebook ferozmente e logo comecei a chorar por tamanha tristeza. – Mentiroso... Como você pôde fazer isso comigo, Jimin? Como você pôde?

      – Mamãe! O que foi, mamãe? – Jasmin acordou com o meu grito de indignação e logo me chamou.

      – Está tudo bem, meu amor... Deite-se! Eu estou bem! – Eu disse.

      – Não chora! – Ela disse fazendo bico ao ver minhas lágrimas.

      – A mamãe está cansada... Só isso! Eu preciso dormir para poder ficar melhor amanhã, meu amor!

      – Quero ficar contigo, mamãe...  – Ela lamentou quando eu não a tirei do berço e sequer me levantei da cama.

      – Deite-se... Está tudo bem! Volte a dormir! – Sequei os olhos, apaguei a luz, acendi o abajur e logo me deitei.

      – Mamãe... – Jasmin continuou me chamando enquanto me olhava entre as grades do berço ali sozinha.

      Lutei para não olhar pra ela e tentei fingir que eu estava dormindo. Eu queria chorar... Queria chorar sozinha... Aquela decepção foi grande e mesmo que eu fingisse que não me importava... Era mentira. Eu não queria que Jasmin me visse daquele jeito e foi por isso que eu não a peguei no colo, porém ela continuou me chamando até que eu resolvi levantar.

      Caminhei até o seu berço, a peguei no colo enquanto ela segurou Mochin nos braços e logo a levei para a minha cama como ela queria. Rapidamente ela deitou-se, cobriu-se e colocou Mochin ao seu lado. Apaguei a luz novamente e ao deitar-me ao lado dela, ela me abraçou.

      – Não pode chorar! Não é pra ficar triste, mamãe! – Ela disse, me olhando com aqueles olhos rasgados.

      – Ainda bem que tenho você ao meu lado!  Eu te amo, Jasmin... Eu te amo demais! Você é tudo pra mim! Você é a minha vida, meu amor! Eu sei que sempre estará ao meu lado! – A abracei e ela sorriu.

      – Não chora... Olha só, mamãe! Mochin vai te dar um beijo! – Ela pegou Mochin e encostou seu focinho em minha bochecha.

      – Que beijo gostoso! – Sorri em meio às lágrimas para não ver minha pequena infeliz. – Agora vamos dormir! Amanhã comeremos bolinhos no café da manhã, você quer?

      – De chocolate? – Ficou animada.

      – Sim! Mas só se você dormir bastante essa noite! Combinado?

      – Combinado! – Ela sorriu.

      – Então vamos fechar os olhos e vamos ver quem dorme primeiro! Quem conseguir, vai ganhar um prêmio! – Eu disse.

      Jasmin logo fechou os olhos e ficou segurando-se para não dar risadas enquanto quis adormecer e ganhar o tal prêmio. Mas ao começar a mexer em seu cabelo, consegui fazê-la pegar no sono e só então depois de muitos minutos eu também apaguei – com o rosto molhado por lágrimas.

      Já na sexta feira, só o que eu fiz foi ver se realmente todos os vídeos estavam no pen drive. Conferindo um por um, eu simplesmente peguei um pedaço de papel branco, cortei um tira e a grudei em cima do pen drive com fita adesiva. Pensei muito no que escrever ali e ao lembrar do nome da pasta que Jimin deixou... Eu tive uma ideia.

      A pasta que Jimin criou em meu notebook com seus vídeos não tinha nome. Apenas o que estava ali para ‘nomear’ a pasta, era um símbolo de infinito. Ao ver aquilo, eu simplesmente desenhei o mesmo símbolo no pen drive e ao lado, eu escrevi um belo ponto de interrogação para questionar a eternidade que ele me prometeu.

      Não achando tudo aquilo o suficiente, eu tive outra ideia e resolvi colocá-la em prática no mesmo instante. Peguei minha câmera enquanto Jasmin dormia, fui para a sala da casa e logo iniciei um vídeo para ser o último dos que ele poderia assistir.

      – Oi, Jimin do BTS. – Fitei a câmera enquanto me vi totalmente séria. – Você agiu como se não me conhecesse na última vez que nos vimos, mas agora eu irei lhe dizer coisas para que você se lembre quem sou eu. Sabe aquela que você prometeu amor eterno? Sabe aquela que você dizia que era a responsável pela sua felicidade? Sabe aquela mera americana que você conheceu na faculdade e que acabou se envolvendo com ela amorosamente? Pois é, não sei se você se lembra, mas essa sou eu. E acima de tudo, além de tudo isso que eu disse... Também sou eu a mãe da sua filha que você acaba de descobrir que tem. Só estou dizendo isso para que você tente se lembrar de tudo, só queria refrescar sua memória. – Dei uma pausa. – Promessas... Promessas são levadas pelo vento e isso é o que sempre dizem. Até acredito nisso, porém não acreditei que isso aconteceria comigo um dia e olha só... Acabou acontecendo mesmo. Sim, eu ainda uso o colar com a sua inicial como eu sei que você já viu, porém o que essa letra significa pra mim agora é o nome da minha filha e não o nome da pessoa que me jurou amor eterno e acabou não cumprindo sua promessa. E é justamente pela filha que eu tive contigo, que eu vim atrás de você. Vim para que ao menos você soubesse que ela existe e ao menos... Pudesse se apresentar a ela como o pai que ela não teve até então. Porém... Isso eu não conseguirei. Você a viu e ela viu você, não sei se isso parece suficiente aos seus olhos, mas para aos meus não é. Ela vê você como um famoso, uma pessoa desconhecida qualquer e mal ela sabe que aquele que a cumprimentou como uma simples fã, era seu pai. Mal ela sabe que aquele que a ignorou é o motivo de nossa viagem até aqui. Sim, eu queria que ela soubesse quem você é, mas pelo visto isso não será possível. Eu só vim pra que você soubesse dela... E agora você já sabe. Eu poderia gravar um vídeo enorme falando tudo que eu senti com o desprezo que você me deu naquele dia, porém de minha parte isso não importa... Não mais. Só o que me importa nesse momento é a minha filha e eu queria que você ao menos a tratasse do mesmo jeito que eu a trato. Não vou falar mais de minhas mágoas nem de tudo que senti, vou te poupar de ouvir isso, porque como eu disse... Eu vim por ela. Eu vim por Jasmin e agora estou prestes a voltar para o meu país. Dentro de dez dias eu estarei indo embora e não se preocupe... Eu não vou espalhar boatos sobre você ter uma filha com alguém como eu que nem do seu país eu sou. Não se preocupe, quando eu for embora eu jamais voltarei ou tentarei contato novamente. Pensei que seria um bom pai pra Jasmin, mas ao ver o jeito que a tratou eu simplesmente prefiro que ela pense que não tem um pai assim como ela já pensa. Esse é o meu último contato contigo, não se preocupe. Como eu disse, estou de malas prontas e logo estarei indo embora de novo. Se o arrependimento bater e você quiser ao menos dar um beijo na testa da sua filha, saiba que eu estou aqui mesmo em Busan. Mais exatamente em Sasang-Gu, na rua Gamgbyeon-Daero N°13. Isso é tudo! Sequer vou dizer a ela que teremos visita, porque eu tenho certeza de que você não virá. – Dei uma pausa. – E só o que eu queria dizer pra você para finalizar, é... Obrigada! Obrigada por ter me dado Jasmin! Eu considero ela só minha, até porque até hoje quem esteve com ela o tempo todo foi eu e você sequer sabia da existência dela. Mas, mesmo considerando ela só minha filha e não sua, eu sei que você teve parte nisso. Ela é uma menina incrível e totalmente amável... Tenho certeza de que você ficaria feliz ao saber quem sua filha é. – Dei outra pausa. – Como eu disse, isso é tudo! Adeus, Chim Chim! E boa sorte em sua carreira musical! – Abaixei a cabeça e parei o vídeo.

      Me senti devastada por ter que dizer tudo aquilo. Eu realmente falei coisas que não queria falar, mas fui motivada por minhas mágoas. Chorei ao fazer isso, mas precisei ser realista. Salvei, o adicionei na pasta, passei para o pen drive e pronto. Agora sim tudo estava completamente pronto.

(...)

      Já no sábado de manhã, encontrei minhas amigas na mesma praça de sempre e ao deixar Jasmin brincar um pouco com Rae Rae, começamos a conversar. Elas ainda estavam empolgadas com aquele fansign que tínhamos ido e o tempo todo me contaram o que sentiram ao encontrar seus ídolos mais uma vez assim tão de perto.

      – Eu simplesmente surtei ao ouvir o Rap Monster dizendo o meu nome! Melhor dia da minha vida! É sério! – Sorriu Yoo Rin.

      – Eu o achei muito simpático... E ele foi um dos únicos que conseguiu se comunicar totalmente sem problemas com Jasmin por causa do idioma. – Eu expliquei.

      – Sim! Ele é fluente em inglês e japonês, se não me engano! É um gênio! Pelo amor de Deus, ele é maravilhoso!

      – E o que dizer do meu Hope? O que dizer do amor da minha vida? – Sorriu Sun Mi. – J-Hope pra mim é a coisa mais linda de main dancer da Coréia todinha! É lindo demais!

      – Ele também foi muito simpático! E se esforçou para falar com Jasmin mesmo não conseguindo muito. – Sorri.

      – E então, conheceu o Jimin? Lembro-me de que você tinha escolhido até uma blusa para Jasmin com o nome dele, mas ainda não o conhecia. – Perguntou Yoo Rin.

      – Sim, eu o conheci. – Fiquei neutra. – Mas não tenho motivo para estar assim tão animada quanto vocês.

      – Ora, mas como assim?

      – Digamos que eu me decepcionei um pouco. – Expliquei. – Ele sequer falou comigo assim como os outros e isso me fez ficar um tanto chateada.

      – Ele é tímido! Não se importe com isso! – Sorriu Sun Mi.

      – E ele gosta muito de crianças! Deve ter se encantado com Jasmin que até esqueceu de cumprimentá-la! – Yoo Rin riu.

      – Pois é... Deve ter se esquecido mesmo. – Respondi.

     Ainda com meus planos de deixar minhas amigas fora de tudo aquilo, eu sequer comentei sobre a minha ida ao fan meeting naquela tarde no centro de Busan. Eu queria fazer tudo sozinha e não queria interferências. Por isso que mesmo não sabendo muito sobre o evento eu preferi ir sozinha.

      A hora estava chegando e eu logo resolvi arrumar Jasmin. Dessa vez, coloquei uma blusa qualquer nela – e por decisão minha, eu não a fiz usar a camisa com o nome de Jimin. Só para me mostrar ‘fã’ – o que de fato eu não era – peguei meu boné com o símbolo do BTS e o coloquei quando me aprontei. Tudo estava certo, agora era só sair de casa.

      Novamente eu segui pela estrada até o centro e com a ajuda do GPS do meu celular, eu cheguei exatamente no lugar certo. O teatro Burj, onde aconteceria o fan meeting, era totalmente bem decorado, bonito e totalmente famoso por ali. Ao pedir informações, logo me vi de frente para as escadarias de acesso e logo vi uma fila.

      E mais uma vez, eu reparei como tudo era tão bem organizado e calmo. Algumas pessoas estavam na fila para entrar, enquanto outras já estavam lá dentro. Pelo trânsito que peguei até chegar lá, acabei me atrasando e fui uma das últimas a adentrar ao teatro – mas sequer me importei.

      Chegando lá logo vi muitas pessoas com suas lanterninhas em formato de globo piscando sem parar, até que os rapazes apareceram no palco. Um a um, eles foram aparecendo e enquanto todos gritavam “B-T-S! B-T-S! B-T-S!” eles acenaram e fizeram corações com os braços para demonstrar o afeto que eles tinham com aqueles que gostavam do belo trabalho que faziam.

      Jasmin animou-se e quis ficar em meu colo para poder ver tudo do alto. Sorridente, ela também gritou o nome do grupo com seu sotaque americano e o isso me deixou com o coração apertado.

      Mal ela sabia o porquê de estarmos ali novamente...

      Um a um eles cumprimentaram a todos e logo se apresentaram. Da direita pra esquerda estava: J-Hope de casaco preto e branco, Suga de cabelo verde, Jin com um blazer preto, Jungkook de jaqueta vermelha, Jimin todo de preto e com o cabelo laranja, V também de jaqueta preta e ao seu lado, Rap Monster com uma camisa vermelha listrada.

      Conversaram um pouco com os fãs e logo começaram seu pequeno show. Pelo que apareceu no telão, eu consegui identificar quatro músicas que foram performadas ali. Run, I Need U, Young Forever e No More Dream. Tiveram outras duas, mas por não conhecer eu fiquei sem saber quais eram.

      Fizeram algumas brincadeiras entre si naquele palco como pular corda e queda de braço e ao final de tudo, eles despediram-se brevemente. Após isso, saíram do palco e logo uma fila começou a ser formada para o momento dos autógrafos. Ganharíamos um pôster com o autografo de todos depois de cumprimentarmos eles.

     A fila foi formada e rapidamente ela foi andando. Logo foi liberada a entrada de pessoas com crianças e nesse momento, eu peguei o pen drive e o escondi na palma da minha mão direita. Fui andando com Jasmin a cada vez que fila ia andando e finalmente, eu os vi de novo. Estavam organizados da seguinte forma: V, Jin, Suga, Jimin, Rap Monster, J-Hope e Jungkook.

      Ao passar rapidamente por V, Jin e Suga, eu simplesmente os cumprimentei com um aperto de mão usando a esquerda e ao chegar em Jimin... Eu usei a direita – qual eu levava o pen drive. Dessa vez nada foi emocionante, pois eu estava cheia de rancor no coração e mais uma vez o que eu não queria, acabou por acontecer.

      Novamente, ele nos tratou como meras fãs e novamente fingiu que não me conhecia e que não imaginava quem era Jasmin. Ao estar frente a frente com ele novamente, ele estendeu a mão pra mim e ao cumprimentá-lo, eu deixei o pen drive na palma de sua mão. Ao sentir que eu lhe entreguei algo, ele me olhou como se quisesse saber o que era.

      – Guarde. – Eu disse baixo e logo fui cumprimentar os próximos enquanto eu simplesmente quis sair daquele lugar ao fazer o que eu pretendia.

      Jasmin sorria para todos e estava muito alegre depois daquele show, porém eu... Calada estava, calada continuei. Em total silêncio, eu cumprimentei os meninos com um breve sorriso no rosto e ao final, quando peguei o pôster autografado, simplesmente segui até o carro, coloquei Jasmin na cadeirinha e fui pra casa.

      Sim, exatamente nessa ordem.

      Ver Jimin novamente não me deixou animada, muito pelo contrário, eu me senti o oposto disso. Ver ele me fez ficar totalmente chateada por mais uma vez ele ter fingido que eu era uma qualquer. Mas, aquela foi a última vez e tudo iria ficar bem depois quando eu voltasse pra casa.

      Ainda dentro do carro, eu simplesmente pensei que tudo estava resolvido. Eu tinha ido para a Coréia resolver coisas e consegui fazer tudo que eu queria – ou quase tudo. Mesmo estando chateada e mesmo tendo que voltar sem Jimin, eu estava me sentindo “bem”.

      Essa não era a palavra que me definia, mas foi a que melhor se encaixou no momento para falar sobre o que eu estava sentindo. Tudo estava resolvido e agora sim... Só o que me restava fazer era esperar o dia de ir embora.

      Chegando em casa, dei um belo banho em Jasmin e logo depois, a coloquei em seu berço para que pudesse descansar. Fiz o mesmo que ela e dentro de minutos, também me deitei em minha cama solitária. Eu estava cansada e com a cabeça cheia, só o que eu queria era dormir bem naquela noite e esquecer aquilo tudo.

      Eu ainda tinha dez dias para ficar na Coréia e não era necessário mais que eu ficasse saindo todos os dias justamente para procurar Jimin. Eu já tinha o achado e sequer pensava em me encontrar com ele de novo. Jimin não era mais uma de minhas prioridades e como eu não tinha nada mais para fazer... Pensei em passear com Jasmin. Só eu e ela.

      Os próximos dias seriam repletos de passeios que eu havia programado para nós duas e para isso eu mal poderia esperar. Eu tiraria fotos dela para guarda de lembrança e sendo assim, quando crescesse ela poderia ver tudo e se alegrar muito pelo que fiz por ela.

(...)

       Durante os dois dias seguintes, Jasmin e eu fomos andar por Seul e Incheon. Experimentamos especiarias coreanas, visitamos pontos turísticos e até a praia de Hae Yundae nós fomos – que foi a primeira praia coreana que eu conheci ao ter ido lá pela primeira vez anos atrás.

      Tiramos fotos, andamos de carro o dia inteiro e nos divertimos muito. Jasmin se alegrava com coisas pequenas, eu não precisava de muito para fazê-la rir, porém... O seu nível de alegria durante aqueles dias estava totalmente elevado. Ela estava se sentindo muito bem com a nossa rotina e se ela estava bem... Eu não teria como ficar diferente.

      Ah, e como eu já esperava... Jimin sequer deu as caras. Foram só dois dias que tinham se passado? Sim, mas se ele realmente tivesse interesse já teria aparecido. Foram muitos vídeos no pen drive? Sim, porém eles eram curtos e já dava para ele ter visto todos por duas ou três vezes. Se ele se importou? Eu imaginava que não, porém... Comecei a ter certeza do que eu já esperava.

      Mas, como eu havia dito... Eu seguiria meu rumo mesmo assim, não havia motivos para ficar e o meu prazo já estava chegando ao fim. Dentro de oito dias eu estaria embarcando em uma aeronave de volta pra casa e pra isso eu mal poderia esperar. Eu não saberia como contar tudo aquilo para todos, mas só de estar longe dele eu já me sentiria bem.

     Chegando em casa com Jasmin no final da tarde do terceiro dia, deparei-me com Sra. Kwan varrendo a calçada como costumava fazer. Estacionei o carro, peguei Jasmin e ao vê-la ali, a cumprimentamos e trocamos algumas palavras.

      – Boa tarde! Como vai a senhora? – Sorri.

      – Boa tarde! – Ela sorriu. – Comigo tudo bem, passei uma tarde agradável hoje ao receber a visita de meus netos! E com vocês? Estavam passeando?

      – Acabamos de chegar da praia e aproveitamos bastante o sol que não estava tão forte! Assim não é tão perigoso e é mais agradável! – Expliquei.

      – Imagino! – Ela sorriu. – Já fiz isso muitas vezes durante minha juventude... E isso já faz muito tempo!

      – Foi legal, mas eu me sinto muito cansada! – Sorri. – Mas, mesmo assim terei que fazer nosso jantar antes de qualquer coisa!

      – E qual será o cardápio da noite? Alguma comida americana ou algo que só vocês conhecem? – Ela sorriu.

      – Ainda não sei, mas sinta-se convidada para estar conosco quando quiser! – Sorri. – Aqui só sou eu e Jasmin, uma companhia até que cairia bem! Seria ótimo!

      – Oh, é sério? – Ela ficou surpresa.

      – Sim! – Sorri. – Se quiser, pode vim jantar conosco hoje! Não farei nada de tão especial, mas se a senhora vier, com certeza será bem agradável!

      – O problema é que eu durmo muito cedo. – Sorriu. – Daqui a pouco já vou me deitar, então acho que não chegaria a tempo.

      – Então apareça para o café da manhã! Sei fazer biscoitos integrais que são uma beleza! A senhora vai adorar!

      – Tentarei ir para o jantar, mas se não conseguir, prometo bater em sua porta na hora do café! Vai ser ótimo estar com vocês! – Sorriu.

      – Como a senhorita quiser! – Brinquei. – Agora vou entrar, essa pequena aqui está totalmente sonolenta! Até logo!

      – Até logo, querida! – Ela acenou.

      Entrei em casa, tranquei a porta e logo fui preparar a roupa de Jasmin para depois do banho. Ainda com ela totalmente sonolenta eu lhe dei banho e ao vesti-la, ela simplesmente caiu no sono em minha cama. Enquanto cochilava, eu fui tomar um banho quente para poder me sentir melhor antes de começar o jantar. Porém... Ao ter tomado banho e ter me deitado no sofá para assistir ao noticiário, eu acabei cochilando também.

      Chegamos às seis da tarde e ao acordar, vi que já era quase dez da noite. Ainda desnorteada e com os olhos pesados, eu levantei-me e aos poucos eu fui desfazer as bolsas que eu tinha levado para a praia. Arrumei tudo de volta nas gavetas, separei as roupas sujas e molhadas e por fim, tomei coragem para começar o jantar.

      Fazendo tudo aos poucos, eu sequer me preocupei em me apressar. Jasmin tinha lanchado de tarde e por ainda estar dormindo, eu simplesmente teria que fazer uma mamadeira para que ela tomasse enquanto continuava dormindo. Após isso, eu já poderia colocá-la no berço e ela passaria a noite toda dormindo.

      Fiz o jantar e logo coloquei minha comida no prato quando percebi que Sra. Kwan não viria naquela noite. Sentei-me no sofá e comi enquanto assisti ao noticiário. Ainda muito cansada e com dores de cabeça, antes que eu acabasse dormindo ali de novo, eu resolvi levantar-me para fazer a mamadeira de Jasmin.

      Passei pelo quarto e a vi deitada do mesmo jeito e no mesmo lugar onde eu tinha deixado-a. Lavei a louça, guardei as panelas e logo fui preparar o leite quente. Bocejando, eu aprontei tudo e ao colocar o leite na mamadeira e sacudi-la, eu ouvi batidas na posta de entrada da casa. Era exatamente onze e meia da noite quando isso aconteceu e ao ouvir aquelas batidas eu logo pensei na Sra. Kwan.

      Ela tinha dito que dormia cedo e que talvez não desse para chegar na hora do jantar, mas ela era tão boazinha e gostava tanto de agradar a todos que eu pensei que ela teria se esforçado para ir mesmo assim – mesmo que já fosse muito tarde. Ainda esfriando a mamadeira em minhas mãos enquanto eu a sacudia, eu caminhei até a porta.

      Aproximei meu rosto do olho mágico que ficava bem no meio da porta e o que eu vi foi uma pessoa totalmente vestida de preto. Ela olhava de um lado pro outro como se estivesse assustada e ao vê-la, até eu me assustei. Meu coração começou a bater rapidamente e eu fiquei nervosa.

      Bateu mais uma vez na porta e mais uma vez eu decidi olhar no olho mágico. A pessoa usava uma máscara preta tampando a boca e o nariz, usava um óculos escuro e uma touca preta. A pessoa parecia totalmente suspeita e ao ver como ela insistiu nas batidas, eu fiquei totalmente com medo.

      Ainda nervosa e sem saber o que fazer ao ver aquela pessoa totalmente de preto e com o rosto coberto, eu resolvi olhar mais uma vez pelo olho mágico, até que notei uma coisa que me fez estremecer e me deixar completamente sem chão e sem reação.

      Aquela touca preta escondia belas madeixas completamente laranjas. E ao ver aquela cor de cabelo, eu simplesmente fiquei com a garganta seca. Fora Sra. Kwan, só havia uma pessoa que poderia me procurar naquele momento, naquele horário e naquele dia. E aquela pessoa, não era nenhuma das minhas amigas.

      Rodei a chave lentamente ainda sem acreditar. Destranquei a porta e ao abri-la totalmente boquiaberta é que eu pude ver bem quem estava ali. A pessoa abaixou a máscara que usava e isso foi o suficiente. Ao ver aquela boca, me convenci que era a que eu conhecia bem.

      – Oi, jagi. – Disse Jimin, um tanto tímido e receoso.

      Fiquei perplexa ao ouvir sua voz me chamando daquele jeito novamente. E só então, eu me convenci de que eu estava errada. Jimin tinha nos tratado com indiferença, mas por algum motivo, ele resolveu aparecer.

      E pensando bem, era esse motivo que eu iria descobrir naquela noite antes de qualquer coisa. 


Notas Finais


"TONGUE TECHNOLOGY" TWOSHOTS (+18)

Sinopse: A sugestão da moça que estava a disposição no clube de strip, foi avaliar o desempenho que os rapazes teriam ao usar a boca para algo a mais. Porém, ela não contava com o que aqueles três caras que dividiam uma mesa redonda, seriam capazes quando quiseram se submeter a avaliação. Sendo assim, ela teria a difícil missão de escolher entre: Kim Seokjin, Kim Namjoon e Kim Taehyung.

Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/tongue-technology-13906407


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...