História International Love History - Capítulo 83


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Atlantys Fanfics, Bangtan Boys, Bts, Chim Chim, Jimin, Love, Park Jimin, Romance
Visualizações 1.904
Palavras 9.592
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey-ah! E antes de mais nada, vamos ao agradecimentos e aos abraços!
Um "muito obrigada" a @PBeaunnieJx, @Del_Dido, @Daninha18, @_SnoowFlake, @__Pandinhaaaa__, @Joe_, @Nikaas, @Vic_Park e @KookDoChimChim ♥

E um beijo especial junto com um mega FELIZ ANIVERSÁRIO para @LittleKimHana! Muitos anos de vida, amiga! Que você alcance todos os seus objetivos na vida e que seja muito feliz! Parabéns! #SARANG ♥♥

> Quer aparecer nas notas também?
Siga o perfil e aguarde o próximo capítulo :D

Capítulo 83 - Two weeks


Fanfic / Fanfiction International Love History - Capítulo 83 - Two weeks

 

      Sentindo um vento gelado envolvendo e me tirando do sono tão bom que eu estava tendo naquele momento. Tentei não me incomodar com ele, porém arrepiei-me com aquele ar totalmente frio e acabei acordando. Esforcei-me para voltar a dormir depois que cobri-me com o lençol porém não consegui.

      Bocejei, espreguicei-me e fiquei olhando pro teto até que... Olhei para o relógio de parede e vi que era meio dia. Lembrando que Jimin havia pedido-me que estivesse pronta às dez, simplesmente arregalei os olhos e num pulo eu levantei da cama totalmente apressada. Conferi o horário ao pegar meu celular e foi nesse momento que me desesperei.

      Levantei e andei de um lado pro outro enquanto liguei para Jimin. Nervosa, eu fiquei pensando que todos os nossos planos não aconteceriam naquele dia. E lembrando disso, eu simplesmente me senti frustrada por ter me atrasado. Jimin teria ido em casa rapidamente para me buscar, porém eu não estaria pronta – e nem acordada.

      Eu sabia que ele estava em seu compromisso, não sabia direito se estava numa sessão intensa de ensaios ou se tinham ido a algum lugar receber fãs. Porém mesmo assim eu insisti em ligar pra ele por estar tão nervosa. Insisti e tentei várias vezes, porém ele não me atendeu.

      Nervosa eu voltei pra cama e deixei o celular ao meu lado. Com os olhos úmidos por ter perdido a oportunidade de resolver aquilo logo, eu fiquei ali calada e pensativa, até que Jimin fez meu celular tocar. Ao ver sua foto, levantei com o celular na mão, fui até o corredor do lado de fora do quarto – para não acordar Jasmin com meu falatório – e logo o atendi.

      – Alô. – Atendi sem jeito.

      – Oi, jagi-ah. – Ele respondeu.

      – Amor, me desculpe! Me desculpe pelo atraso, eu realmente não pensei que não fosse ouvir o despertador ou que ele estaria muito baixo e eu não acordaria! Por favor, me desculpe por ter estragado nossos planos? – Falei rapidamente.

      – Oi? – Perguntou sem entender.

      – Eu não acordei ao som do despertador e acabei me atrasando. Desculpe por ter feito você vim aqui à toa, eu realmente não me dei conta da hora... Ah, me desculpe...

      – Eu desliguei seu despertador, (s/n). – Disse ele.

      – Ué, mas por que fez isso? Eu não entendo, tínhamos um compromisso nesta manhã e você simplesmente me fez perder a hora? E agora?

      – Pela manhã eu liguei para o cartório para saber o que precisaríamos levar e o que teríamos que fazer. Pensei que pudéssemos ser atendidos por ontem de chegada, porém lá tudo funciona com reserva de horário. Você tem que marcar uma hora, e assim você será atendida.

      – Como você conseguiu o telefone do cartório? Foi o cartório onde eu autentifiquei o documento assinado por Bang?

      – Sim, e foi neste próprio documento que eu peguei o número de lá. No carimbo há o endereço junto com o telefone para contato, então foi isso que eu fiz.

      – Por isso desligou meu despertador? Por que não adiantaria acordar cedo?

      – Sim.

      – Mas meu celular só destrava com minha digital.

      – Só precisei levar seu dedinho até o leitor enquanto você dormia. – Deu uma risada.

      – Você não existe. – Sorri. – Eu fiquei preocupada, sabia? Eu pensei que tivesse perdido a hora e que tivesse estragado tudo que planejamos.

      – Então... E aproveitando a informação que recebi, fui com Hyuk até lá e ele fez nossa reserva para o último horário. O cartório encerra atividades as sete, e é seis e meia que devemos chegar lá. Hyuk disse que a maioria dos escribas são pessoas bem mais velhas... Acredito que não desconfiarão ao me ver lá.

      – Então ainda há chances de nos casarmos hoje? – Sorri eufórica.

      – Com certeza. – Sorriu. – Já temos um horário marcado, meu amor.

      – Eu mal posso esperar para esse momento. – Senti meus olhos ficando úmidos.

      – Já avisei aos meus pais e eles fecharão o restaurante mais cedo hoje. Minha mãe será nossa madrinha, meu pai o padrinho, e Jihyun e Tae serão testemunhas.

      – Meu Deus... – Sorri nervosa.

      – Tudo está em ordem. Você conhece o endereço do cartório, não conhece?

      – Sim, eu fui lá algumas vezes.

      – Saia de casa as seis, sendo assim você chegará na hora certa.

      – Seus pais vão comigo?

      – Sim, já avisei a todos eles. Vocês virão juntos e aqui encontrarão comigo e com Tae.

      – Você vai ir direto de onde está com Tae?

      – Sim... Eu vim só para ensaiar, porém trouxemos outras roupas e vamos daqui.

      – Quero saber como estará vestido. – Sorri.

      – Só saberá na hora. – Sorriu ele. – Ah, e falando nisso... Lembra-se do presente que lhe dei quando chegou da Dinamarca?

      – O vestido, o sapato e o colar.

      – Chegou a hora de usá-los. – Sorriu Jimin. – Após nosso compromisso, iremos jantar... Só nós três.

      – Seria este o jantar que não conseguimos ter na Dinamarca?

      – Pode-se dizer que sim. – Sorriu. – Me envie uma foto quando estiver arrumada?

      – O noivo não pode ver a noiva antes da hora. – Sorri.

      – Tudo bem, eu vou tentar lidar com a ansiedade. – Sorriu ele. – Meu próximo intervalo aqui vai ser às três da tarde. Assim que der eu ligo de novo, está bem?

      – Okay... Até logo, meu bem.

      – Até logo... Minha noiva. – Sorriu e logo desligamos a chamada.

      Radiante, eu simplesmente deixei meu corpo cair sobre a cama e olhando pro teto eu simplesmente sorri completamente feliz. Alguns minutos antes eu havia pensado que não teria mais chances de resolvermos nossa pendência naquele dia. Porém, Jimin havia resolvido tudo e nossos planos aconteceriam como o esperado.

      Preparei o almoço com a maior animação do mundo e depois de tudo pronto, de ter feito Jasmin dormir e depois de Jihyun ter ido para a escola, simplesmente peguei meu computador para postar algumas fotos de Jasmin em minhas redes sociais – como eu sempre fazia para que todos os parentes soubessem como ela estava. E é claro que era tudo bloqueado e só quem poderia ter acesso era quem eu escolhia.

      Olhando fotos antigas, achei o álbum em meu notebook onde estavam as fotos do primeiro aniversário de Jasmin. Sorri feliz ao relembrar de tudo e ao olhar pra ela dormindo ao meu lado eu pude ver o quanto ela cresceu ao comprar as duas fotos.

      Relembrei de tudo que aconteceu, de como foi... Relembrei quais foram os convidados até que me deparei com uma foto em que juntamos os meninos da república, com Atlantis e Victoria e com Yoora. Yoora? Oh, céus! Como pude esquecer dela? Todos já sabiam e ela foi a única que não contatamos para contar a novidade.

      Eu não sabia muita coisa sobre a vida atual de Yoora. Suas redes sociais estavam desatualizadas e ao lembrar que ela não tinha respondido ao meu e-mail que mandei um tempo atrás, pensei que seus contatos tinham mudado. Como eu a encontraria desse jeito? Como faria?

      Ainda com Jasmin dormindo ao meu lado, Chim Chim do outro e com o notebook na mão, eu voltei a escrever para Milan lhe pedindo informações sobre Yoora. Jimin havia me falado dela, porém acabamos nos esquecemos involuntariamente devido ao número de coisas que tínhamos a resolver.

      Levando em conta o fuso horário, pensei que estaria tarde para contatar os meninos. Porém, ao ter lembrado de Yoora eu acabei ficando tão ansiosa que sequer me importei com essa questão. Abri o e-mail, selecionei o endereço de Milan e logo comecei a escrever-lhe sobre o que eu precisava. Contei que queríamos saber notícias sobre Yoora e que pretendíamos contar a ela sobre as novidades.

      Escrevi de forma breve, e depois de uma rápida revisão no que eu havia digitado eu enviei. Seria pouco mais de onze da noite nos States, e pela rotina que os meninos tinham eu duvidei que estivessem acordados naquele horário. Sim, eu declarei minha urgência no título do e-mail que enviei a Milan, porém não sabia se isso faria eu receber uma resposta rápida.

      Voltei a ver as fotos do aniversário de Jasmin para distrair-me de toda aquela ansiedade para uma resposta. Em volume baixo eu assisti aos vídeos da festa e foi neste momento que uma notificação do GMail subiu lentamente no canto direito da tela de meu notebook. E a melhor parte... Foi em nome de Milan.

      Por um instante eu simplesmente não acreditei que ele tivesse respondido-me naquele horário. Mas antes de perder tempo perguntando-me se aquilo seria real ou apenas um sonho, eu cliquei na notificação. A página demorou a abrir, porém quando carregou eu simplesmente abri um sorriso enorme.

 

By: Milan Thompson ([email protected])

To: (Seu e-mail)

From: Manhattan (N.Y) Unites States

Tittle: Yoora’s at South Korea!

 

Olá, (s/n)! Sim, eu tenho notícias sobre Yoora, porém não sei se conseguirei lhe ajudar tanto assim. Há uma semana, Yoora e sua família voltou para a Coréia do Sul para visitar os parentes.

Não sei se sabe, porém ela já terminou a faculdade e aproveitando que estava livre de compromissos, nas férias de seu pai eles resolveram voltar a Coréia depois de tanto tempo.

Me parece que haveria uma grande celebração de aniversário dos avós de Yoora. A família dela é grande, e parecia que esta comemoração já estava sendo organizada há muito tempo. Ela nos contou que toda a sua família era esperada para este compromisso, então por isso ela e sua família resolveram ir.

E aproveitando as férias dos pais dela, eles ficariam por aí quase um mês. Não sei ao certo, porém foi o que ela nos contou.

Pelo tempo que ela já viajou, é claro que ela já está na Coréia. Porém não sei ao certo onde. Ela disse que voltaria ao lugar onde ela nasceu e viveu, parece que sua família toda ainda reside por lá. Porém... Não sei onde é este lugar.

Mas! Ela nos deixou seu e-mail atual e um telefone para contato. Faz um tempo que não a contatamos, mas quando fizemos isso, usamos os serviços de e-mail. Ligação para a Coréia daqui é um tanto complicado. Porém, você está aí então creio que será mais fácil.

Deixarei anexado no final deste e-mail os contatos que ela nos deixou anotado em um bilhete e espero que eles sirvam para você.

Espero ter ajudado!

Abraços!

Milan.

 

      E foi neste momento que eu simplesmente arregalei os olhos e fiquei chocadíssima ao descobrir que Yoora estava na Coréia. Talvez ela fosse a única entre nossos amigos que poderia nos prestigiar com sua presença em nosso casamento e ao pensar nesta possibilidade eu simplesmente surtei.

      Ainda relendo o e-mail de Milan falando sobre Yoora por não ter acreditado que aquilo era verdade, meu celular tocou e eu me dei conta de que era três horas da tarde. Vi a foto de Jimin e atendi sem demora.

      – Você! Não! Vai! Acreditar! – Atendi nervosa.

      – Você está grávida? – Ele riu.

      – Claro que não! – Caí na risada.

      – Eu sei, estava brincando. – Ele riu. – O que foi?

      – Você não vai acreditar quem está na Coréia!

      – Seus pais?

      – Não. – Sorri.

      – Quem?

      – Yoora!

      – Tá de brincadeira, não está?

      – Acredite se quiser. – Sorri.

      – Jagiya, como você descobriu isso? – Parecia empolgado.

      – Entrei em contato com Milan novamente. Não sei se você lembra do que viu nos vídeos que eu te dei naquele pen drive, mas quando eu precisei da ajuda de todos ao ter engravidado, os meninos se aproximaram muito de Yoora. Davam carona a ela e sempre estavam juntos. Ela entrou em nosso círculo de amizade, então ao pensar nela eu lembrei deles. Entrei em contato com Milan e ela me informou que há uma semana ela veio até aqui para passar as férias.

      – Mas isso é ótimo! Muito bom! Ela poderá ir ao nosso casamento, amor!

      – Sim, talvez ela seja a única que poderá comparecer... Puxa vida, eu estou muito nervosa! – Sorri. – Milan disse que ela está na cidade onde ela nasceu e morou enquanto esteve aqui. Você se lembra de onde ela é?

      – Gwangju! Ela é de Gwangju!

      – Você sabe onde fica esse lugar?

      – Sim. Fica a leste de Busan.

      – É longe?

      – Umas duas horas pela rodovia.

      – Milan me deu o telefone dela, será que eu consigo contatá-la? Meu Deus, estou muito nervosa!

      – Ligue pra ela! Tente entrar em contato, talvez dê certo!

      – Eu vou tentar agora, acho que não é um horário muito inconveniente para uma ligação inesperada.

      – Isso, faça isso! Tente falar com Yoora noona e assim que conseguir me avise!

      – Esta bem... Vou ligar e espero logo ter novidades para contar a você!

      – Tudo bem, até logo!

      – Até logo! – Sorri e logo desliguei.

      Deixei o celular em meu colo, abri o anexo que Milan enviou-me e logo digitei o número. Com um chip comprado na Coréia assim como o que eu tinha comprado para o celular novo de Jimin, seria fácil contatar Yoora. Digitei o número, levantei-me do sofá deixando Jasmin de um lado e Chim Chim do outro e logo fui até a varanda.

      Apertei o botão verde, coloquei o celular no ouvido e nesse momento simplesmente senti meu coração bater mais forte. De primeira, chamou até cair a ligação. Porém, eu não desisti e tentei de novo. E no segundo toque...

     – Sim? – Ouvi a voz dela.

     – Kim Yoora? – Perguntei nervosa.

     – Quem quer falar com ela? – Perguntou.

     – É você? – Fiquei eufórica.

      – Quem é?

      – Não está reconhecendo minha voz? – Falei em inglês e com sotaque.

      – Não! Não, não, não! Espera aí, Espera aí! Não pode ser você!

      – E quem você acha que é? – Continuei falando em inglês.

      – (s/n)? – Perguntou totalmente nervosa.

      – Sou eeeeeeu! – Respondi.

      – Pelo amor de Deus, por onde você andou? Eu estou na Coréia há uma semana e sequer consegui te encontrar! Meu Deus, onde você está?

      – Em Busan.

      – Só se for num lugar que não pega sinal de internet, porque o tanto de mensagens que eu te enviei pelo Twitter...

      – Eu não acesso meu Twitter faz muito tempo. – Sorri. – Onde você está?

      – Estou em minha antiga casa no centro de Gwangju. – Sorriu ela. – Garota, eu ainda não acredito que estou falando contigo de novo! Meu Deus, estamos tão perto!

      – Precisamos marcar um encontro! – Sorri.

      – Mas é claro! – Sorriu ela. – Podemos marcar para o quanto antes! Nossa, eu ainda não consigo acreditar! – Ficou eufórica. – Como conseguiu meu contato?

      – Entrei em contato com Milan e os meninos da república, eles me informaram seu telefone e seu novo endereço de e-mail.

      – Nossa... Eu mal posso acreditar que finalmente nos encontramos! Pensei que eu fosse voltar aos Estados Unidos sem conseguir te encontrar! Como está Jasmin?

      – Enorme. – Sorri. – A levarei em nosso encontro para que veja o quanto ela está esperta.

      – Ahhh! E falando nisso, você por favor poderia me esclarecer uma dúvida que me fez surtar assim que eu cheguei à Coréia? Eu não sei se estou certa se entendi ou não, mas isso pra mim foi surreal e até agora eu estou estática sem saber no que acreditar!

      – O que eu preciso te esclarecer? – Dei risadas.

      – Eu cheguei ao Aeroporto de Incheon com minha família, pegamos um taxi e eu simplesmente vi a foto de Jimin estampada em um outdoor perto de uma arena de shows aqui no centro! Eu sei que você já o encontrou! Eu sei que você teve motivos para ficar aqui e para não voltar pra casa, então agora quero que me conte tudo! Estão juntos? Reataram o namoro?

      – Quanto a isso eu acredito que nem tenho mais o que lhe explicar, não é? – Sorri envergonhada.

      – Quando eu vi a foto dele eu simplesmente surtei! No mesmo instante eu procurei por BTS no Google e vi todo o perfil de Jimin na lista dos membros! Meu Deus, quanto tempo eu dormi? Jimin era simplesmente um garotinho inseguro quando o conheci, e agora é um artista que roda o mundo todo?

      – Essa foi de fato a minha reação ao descobrir tudo. – Sorri. – Mas é tudo verdade... Jimin teve uma bela oportunidade e aproveitou com êxito. Eu não sabia, mas por aqui muitas pessoas têm o sonho de crescer e ser contratadas por alguma agência de entretenimento... Aqui é algo cultural e muitas oportunidades são dadas. Não sei se você sabia, mas Jimin sempre cantou muito bem... E por ter tendência a dança e por ter feito uma parte da faculdade... Isso lhe deu experiência e ele foi recrutado.

      – Sim, isso de fato é bem cultural por aqui. Mas eu não imaginaria que chegaria aqui depois de um tempo e encontraria meu irmãozinho estampado num outdoor anunciando um show numa das maiores arenas de Seul!

      – Ei, mas você não falou isso pra ninguém... Ou falou?

      – Eu não sou louca. – Ela disse.

      – Nem para sua família? Não comentou com ninguém?

      – Não. – Ela disse. – Meus pais viram a foto dele, mas meus pais não o conhecem. Eu vi e surtei, porém foi internamente. – Ela riu. – Por isso eu queria te achar, por que só com você eu poderia conversar abertamente sobre isso. E sobre os meninos da república, eu simplesmente avisei quando cheguei e isso foi tudo.

      – Ainda bem... Aos poucos estamos contando o que aconteceu para algumas pessoas. Ninguém sabe ainda ao certo, porém com o tempo estamos liberando algumas informações.

      – Entendi. – Disse ela. – E como vai Jimin? Encontrei fotos maravilhosas dele no palco enquanto pesquisei no Google.

      – Terminou uma mini turnê recente pela Ásia e agora está em uma pausa temporária. – Sorri.

      – Puxa vida, eu mal posso acreditar nisso! – Sorriu ela. – Me sinto orgulhosa por ver aonde ele chegou!

      – Se você se sente assim, imagine eu. – Sorri.

      – Quando podemos nos ver? É sério, precisamos nos encontrar e precisamos conversar!

      – Podemos marcar qualquer dia desses... Jimin não poderá ir, até porque é complicado que apareça abertamente em público e ele tem muitos compromissos por agora. Mas! Jasmin e eu podemos encontrá-la!

      – Daqui há dois dias terei assuntos para resolver em Seul. Você pode me encontrar por lá? Há um belo restaurante no centro, acho que podemos almoçar juntas.

      – É claro... É até mais perto do que ir até Gwangju.

      – Isso é verdade. – Deu risada.

      – Me passe o endereço do restaurante ou apenas me indique o nome que eu procuro os detalhes na internet.

      – Certo... Lhe enviarei pelo Facebook.

      – Você usa o Kakao?

      – Voltei a usar quando cheguei aqui para contatar algumas amizades antigas.

      – Me passe seu ID, e assim conversaremos por lá.

      – Enviarei por mensagem para este número.

      – Certo! Entrarei em contato logo logo, e assim acertaremos o horário de nosso encontro pra que possamos conversar!

      – Eu mal posso esperar para ver vocês novamente! Fico muito feliz por ter me procurado!

      – E eu fico feliz por ter encontrado você! – Sorri. – Jimin vai adorar saber disso!

      – Diga a ele que estou com saudades!

      – Eu direi. – Sorri. – Até breve, Yoora!

      – Até breve, (s/n)!

      Desligamos a ligação e por alguns segundos eu fiquei simplesmente boquiaberta por ter falado com Yoora mais uma vez depois de tanto tempo. De fato, Yoora seria a nossa única amiga que teria condições de comparecer ao nosso casamento e poder contar isso a Jimin seria totalmente incrível.

      Com os pensamentos longe, sorrindo e com o celular na mão eu fiquei totalmente dispersa... Até que ouvi uma voz doce vindo da brecha da porta de entrada da casa.

      – Mamãe...

      – Oi, amor. – Falei com Jasmin.

      – Quero mingau.

      – Ei, mas você está descalça?

      – A meia estava me apertando.

      – Calce o chinelo. – Entrei em casa. – E me espere no sofá, vou fazer e logo trarei pra você.

      – Está bem. – Ela disse e logo correu pro sofá como eu tinha mandado.

     Aprontei o lanche de Jasmin e enquanto ela comia eu simplesmente comecei a fantasiar em minha mente o momento que eu me encontraria com Jimin no cartório. Ele já sabia qual roupa eu usaria, mas e ele? Qual seria seu look para aquele dia tão importante?

      Sonhando ao imaginá-lo arrumado eu sorri e fiquei ansiosa para aquele momento. Jihyun chegou cedo da escola como Jimin havia lhe pedido e logo foi se arrumar. Fiquei com Jasmin no quarto enquanto arrumei nossa roupa até que seu tio apareceu arrumado e ofereceu-se para ficar com ela.

      – Você está simplesmente a cara do seu irmão! – Sorri ao vê-lo.

      – Você sempre me deixa corado ao falar isso. – Envergonhou-se.

      – Imagino ele assim como você quanto tinha seus quinze anos. – Sorri.

      – Minha mãe diz que ele era realmente assim. – Sorriu. – Estou apresentável? Não costumo me vestir assim então não sei se pareço bem.

      – Está ótimo! – Sorri.

      – Obrigado. – Sorriu Jihyun.

      Ele vestia uma blusa Polo preta totalmente social. Usava jeans escuro, tênis discretos e tinha uma jaqueta preta nas mãos. Sua franjinha estava arrumada como a de Jimin e ao sorrir... Sem dúvidas ficou idêntico a ele.

      – Quer que eu fique com Jasmin para que se arrume?

      – Vou arrumá-la primeiro, aí depois eu deixo ela com você, está bem?

      – Quando precisar... Estarei na sala vendo TV.

      – Tudo bem, pode deixar que eu te chamo. – Sorri.

      Para Jasmin eu escolhi um vestido azul marinho com um laço grande na cor branca amarrado em sua cintura. Escolhi uma meia calça, sapatinhos e belas presilhas para colocar em seu cabelo. Depois de arrumar tudo eu fui banhá-la e só depois de aprontá-la é que eu chamei Jihyun.

      – Que linda! – Ele disse quando Jasmin se jogou em seu colo.

      – Gostou do meu vestido? – Sorriu ela, toda convencida.

      – É tão lindo quanto você. – Sorriu ele. – Ah, meus pais já chegaram, (s/n).

      – Já estão se arrumando? Está na hora.

      – Minha mãe já foi pro banho e meu pai está arrumando sua roupa.

      – Certo! – Peguei minha roupa nos braços. – Vou me arrumar e logo encontro vocês na sala.

      – Okay. – Concordou ele ao sair com Jasmin no colo.

      Com minha roupa nos braços eu fui para o banheiro que estava livre e logo comecei a me arrumar. Tomei um banho rápido – pois já estava quase atrasada – e assim que terminei, sequei meu cabelo rapidamente. Eu pretendia usar o babyliss nas pontas, porém isso me custaria muito tempo e eu não poderia atrasar-me.

     Com o cabelo natural e já usando o vestido, eu fui até o quarto e comecei a me maquiar. Realcei meus olhos com uma sombra escura, usei rímel, um pouco de blush e finalizei tudo com um batom não tão chamativo. Coloquei meu colar que Jimin tinha dado, peguei minha bolsa, meu sapato e logo saí do quarto. Depois de descer as escadas, calcei-me e ao chegar à sala...

      – Puxa vida, você está linda! – Disse Sra. Park ao me ver.

      – Obrigada! – Sorri tímida.

      Sra. Park usava um vestido estampado e justo, estava maquiada e em seus braços ela segurava um casaco fino. Sr. Park usava um jeans claro, uma blusa de muito bom gosto na cor azul marinho feito o vestido de Jasmin e belos sapatos pretos.

      – Tudo pronto? – Perguntei tímida depois de muitos elogios.

      – Sim, acho que já podemos ir. – Disse Sr. Park.

      – Pegou seus documentos e tudo que iria precisar? – Perguntou Sra. Park.

      – Sim, Senhora. Já está tudo arrumadinho aqui dentro de minha bolsa.

      – Onde está a mochilinha de Jasmin? – Perguntou Jihyun.

      – Está em cima da mesa, pode levá-la pra mim, por favor?

      – É claro. – Concordou ele.

      Depois disso, fomos todos juntos até a varanda. Abri o carro, Jihyun foi colocar Jasmin na cadeirinha enquanto Sr. Park abriu o portão e Sra. Park ficou ao lado de minha pequena. Saí da garagem, Sr. Park sentou-se no banco do carona e só então é que seguimos ao cartório.

      Como Jimin tinha aconselhado, saímos de casa às seis da noite, e chegamos ao cartório assim que o relógio marcou seis e meia. Pedi que Jihyun ligasse para Jimin e lhe avisasse que chegamos. Não sabíamos onde ele e Taehyung estavam, então pedimos que fossem nos buscar. De frente ao cartório, todos saíram enquanto estacionei o carro ali mesmo.

      Vi pelo retrovisor que os dois chegaram e vi até o momento que Tae cumprimentou a família de Jimin. Porém, eu tinha que prestar atenção ao estacionar e acabei não vendo muitos detalhes. Estacionei, parei, desliguei o carro depois de puxar o freio de mão e neste momento, eu vi Jimin rodeando o carro. O segui com os olhos até que vi ele parando ao lado da porta do motorista.

      Apontou para a tranca e assim que eu destravei o carro, ele a abriu e me estendeu a mão.

     – Ajuda para descer, querida? – Sorriu.

      E foi neste momento que ainda dentro do carro eu pude reparar em Jimin. Ele usava uma calça social que deixava óbvio o quanto suas coxas eram definidas. Usava um sapato social e na parte de cima, uma blusa de manga ¾ branca de botões. Usava máscara, é claro. E seu cabelo estava partido de lado como ele gostada de usar.

      Sorri ao vê-lo e sem pensar duas vezes eu simplesmente segurei sua mão e saí do carro. Fechei a porta, tranquei com a chave, liguei o alarme e só então é que Jimin pôde reparar em mim. Segurando-me pela mão, Jimin fitou-me da cabeça aos pés com corações nos olhos enquanto fiquei tímida e com os cabelos ao vento por estarmos perto da rodovia.

     – Maravilhosa... – Ele sussurrou em meu ouvido ao abraçar-me. – Você está simplesmente maravilhosa... Linda... – Ele não parava de falar. – Minha princesa...

      – Confesso que você está vestido exatamente como imaginei. – Sorri envergonhada.

      – Correspondi as suas expectativas, amor? – Sorriu ele arrumando o cabelo.

      – Sempre. – Sorri ao sentir seu perfume sendo trazido pelo vento forte.

      – Tão linda... – Ele segurou-me pelo rosto.

      – Será que eu posso beijar o noivo? – Sorri.

      – Sempre. – Sorriu ele.

      Suas mãos escorregaram pelo meu corpo e me abraçaram pela cintura. Nossos corpos se colaram enquanto eu levei minhas mãos até seu rosto. Abaixei sua máscara lentamente e ao deparar-me com seus lábios que eram os mais gostosos... Simplesmente não pensei duas vezes antes de beijá-lo.

      Jimin encostou-me no carro e ali mesmo nos beijamos de felicidade pelo momento. Seus pais estavam do outro lado da calçada junto com Jihyun, Jasmin e Taehyung, porém isso não nos impediu de nada.

      – Eu te amo... – Arrumou meu cabelo. – De uma forma inexplicável.

      – Eu te amo... – Coloquei sua máscara no lugar. – De uma forma inigualável.

      – Vamos entrar? – Perguntou.

      – Vamos.

      – Está certa disso? Não há mais volta se você decidir seguir em frente.

      – E quem te disse que eu tenho intenção de voltar? – Sorri. – Vamos...

      Entrelacei nossos dedos, atravessamos a rua e logo nos juntamos a sua família. Jihyun estava com a mochilinha de Jasmin nas costas e Sra. Park a segurava no colo quando nos aproximamos.

      – Ei, você veio! – Sorri ao abraçar Tae.

      – Um de meus irmãos está prestes a se casar... Acha que eu ficaria de fora disso? – Sorriu e correspondeu ao meu abraço.

      Taehyung usava jeans escuros, sapatos chamativos e uma blusa social de botão na cor preta. Para cobrir seu rosto, assim como Jimin ele estava usando uma máscara e em sua cabeça havia um óculos escuro. Seu cabelo castanho escuro deu destaque ao seu rosto assim como seu sorriso quadrado sempre animado e seu alto astral e bom humor.

      – Obrigada por ter vindo, seu apoio de fato sempre será muito importante para nós. – Sorri.

      – Puxa vida... – Ficou corado. – Você está linda.

      – Obrigada. – Sorri.

      – Não fique enciumado, hyung. – Tae ficou desconsertado com meu sorriso.

      – Sim, de fato ela está linda mesmo. – Sorriu. – Eu concordo.

      Envergonhei-me com tantos elogios, e sem demora fomos todos para dentro. Chegando lá, por já termos nosso horário reservado, o tabelião e a escriba já estavam a nossa espera. A mulher parecia ter na faixa de cinquenta anos e o homem já era um senhor. Ao notarmos isso, nos convencemos de que de fato Jimin e Tae não seriam reconhecidos por eles.

      Por ter ido ao cartório de manhã, Jimin levou as xérox de nossos documentos que eu já tinha providenciado. Como tínhamos urgência naquele processo, eu já tinha adiantado tudo e na hora de ir buscar informações e fazer nossa reserva, ele levou tudo. Chegando lá, as xérox – já avaliadas e revisadas – foram conferidas com os documentos originais, e só então é que o processo começou.

     O juiz matrimonial chegou ao final de toda a análise de documentos. Se aquilo poderia acontecer assim tão facilmente e sem demora? Não. Normalmente demoraria trinta dias para todo o processo de avaliação e agendamento, porém tínhamos pressa então Jimin pediu urgência.

      Uma fila imaginária era formada pelos casais. Os documentos e a perícia eram feitos numa ordem e assim que tudo estivesse certo, a cerimônia poderia ser marcada. Isso demoraria certa de vinte a trinta dias, porém ao declarar emergência e carência neste caso... Fomos adiantados na tal fila.

     Sem mais demora, depois de alguns minutos dedicados aos documentos e muitas averiguações, tudo começou. O juiz nos fez perguntas, ouviu nossas respostas e então ele chegou a parte principal.

      – Senhor Park Ji Min, é de livre e espontânea vontade que o senhor deseja e aceita casar-se com (s/n) diante dos dirigentes, das autoridades, dos padrinhos e das testemunhas?

      – Sim. – Jimin assentiu curvando-se.

      Minhas mãos tremiam naquele momento. O juiz estava totalmente calmo e o mesmo eu poderia dizer sobre o escriba e tabelião. Meus olhos estavam prontos a derramarem lágrimas, porém eu tentei controlar-me para não borrar minha maquiagem e sair feia em nossas fotos de recordação.

      Ouvir a resposta positiva de Jimin eu já sabia que iria ouvir. Porém, naquele momento eu simplesmente fiquei muito nervosa e feliz ao mesmo tempo. Jimin sorria docemente pra mim com um olhar de dever comprido. Seu sorriso me deixou calma e seus olhos me disseram “Finalmente”.

      – Senhora (S/Nome completo), é de livre e espontânea vontade que a senhora deseja casar-se com Park Ji Min diante dos dirigentes, das autoridades, dos padrinhos e testemunhas?

      – Sim. – Respondi e nesse momento eu vi Jimin levando sua mão livre até os olhos. Certamente estaria emocionado.

      – Vamos às assinaturas. – Disse o juiz.

      Segurando-me para não chorar, tentei manter-me firme. Porém ao ver como todos nos olhavam... Taehyung parecia tocado, Sr. e Sra. Park pareciam totalmente explosivos de alegria e Jihyun... Distraía Jasmin.

      Um livro enorme foi aberto na mesa em nossa frente e então, após repetir alguns versos legislativos, chegou a hora de assinar. A primeira foi Sra. Park, a madrinha. Peguei em minha bolsa minha câmera de impressão instantânea e logo entreguei a Taehyung para que fotografasse.

      Em seguida, foi a vez do pai de Jimin – nosso padrinho de casamento. Debruçou-se sobre a mesa e neste instante, Taehyung o fotografou também. Em seguida foi a vez de Jihyun, a primeira de nossas testemunhas. Sra. Park pegou Jasmin no colo enquanto Tae fotografou novamente e em sua fez, ele deu a câmera a Jihyun.

      E então... A tão esperada hora. Jimin foi chamado, e bem devagar ele assinou seu nome no grande livro. Em seguida, foi a minha vez – assinando pela ultima vez com meu nome de solteira. Fui fotografada e ao final, depois de tudo muito bem conferido...

      – E perante a lei estabelecida pelo artigo 34.560 parágrafo único da constituição coreana e de acordo com todas as revisões do décimo quinto cartório da cidade de Busan... Perante as testemunhas e a aceitação dos noivos em questão... Eu lhes declaro... Casados.

      Ele disse, e nesse momento eu não consegui mais aguentar-me tão firmemente. Tampei os olhos com as mãos e simplesmente deixei-me levar pela emoção.

      – Essa é a hora que eu beijo a noiva? – Perguntou Jimin, totalmente emocionado e nervoso.

      – Está achando que estamos numa igreja em cerimônia religiosa? – O juiz o fitou sério e Jimin ficou corado no mesmo instante. – É brincadeira, rapaz... – Sorriu. – Podem comemorar!

      E nesse momento, Jimin agarrou-me em seus braços. Abraçados e emocionados nós ficamos ali perante a todos. Taehyung nos fotografou muitas vezes, porém isso não foi suficiente para nos deixar acanhados com nossa emoção.

      – E aqui está a certidão de casamento. – Ele nos exibiu o documento. – Assinada, plastificada, autentificada e pronta para ser guardada por vocês. – Entregou-nos. – Meus parabéns! – Apertou a mão de Jimin. – Felicidades! – Curvou-se a mim.

      – Muito obrigada, Senhor juiz! – Sorri e curvei-me. – Muito obrigada!

      – Pretendem tirar fotos? – Perguntou ele.

      – Podemos?

      – É claro. – Sorriu. – Venham! – Chamou os outros funcionários. – Juntem-se a nós!

      Juntamo-nos todos em fileira e depois que Tae nos fotografou, novamente Jimin e eu recebemos felicitações da parte deles. Em seguida, pedi que a moça que lá trabalhava nos fotografasse. Primeiro tiramos fotos todos juntos. Depois, só com Sr. e Sra. Park – os padrinhos. Em seguida, tiramos com Jihyun e Tae – as testemunhas. E por final, com nossa pequena.

      Resolvemos tudo que tínhamos que resolver e logo fomos informados que o cartório estava prestes a ter suas atividades diárias encerradas. Sr. e Sra. Park tomavam conta de Jasmin enquanto conversaram depois de muito nos felicitar. E Tae, junto com Jihyun conversavam com Jimin enquanto sentei-me numa poltrona e li toda a certidão.

“Park (s/n)”

      Eu simplesmente fiquei apaixonada por meu novo sobrenome, e confesso que li aquele documento por muitas e muitas vezes, bem rapidamente enquanto todos estavam dispersos. Park... Finalmente, agora de fato... Eu sou a Sra. Park, esposa de Jimin.

      Sentada na poltrona, secando minhas lágrimas e com o documento na mão eu permaneci ali, até que Jimin aproximou-se.

      – Park (s/n)... Soa bonito, não acha? – Perguntei a ele.

      – Tão bonito quanto você, a esposa mais linda que existe no mundo. – Sorriu.

      – Esposa... – Sorri envergonhada.

      – E então... Vamos seguir ao restaurante agora, Sra. Park? – Estendeu-me a mão.

      – É claro, marido. – Sorri ao chamá-lo assim.

      Seguimos todos para o lado de fora e ao chegar lá, contamos sobre nossos planos. Contamos que iríamos ao restaurante para comemorar, porém acabamos nos convencendo de que iríamos sozinhos. Tae tinha compromisso, os pais de Jimin simplesmente estavam cansados demais para seguir até mais um destino e Jihyun desistiu de ir por pensar que atrapalharia Jimin e eu.

      Insistimos, é claro. A comemoração deveria ser entre todos nós, porém ao final tivemos que aceitar suas decisões. Se queríamos que todos nos acompanhassem? Sim. Porém confesso que estar só com Jimin e Jasmin não seria nada mal. Finalmente, só nós três... Em família.

      Jimin ligou para Hyuk que sem demora apareceu e tratou de levar seus pais e Taehyung para seus respectivos destinos. Despedimo-nos de todos, nos abraçamos, recebemos muitas felicitações – inclusive de Hyuk – e logo depois, era só nós três ali naquela avenida de frente ao cartório.

      Jimin colocou Jasmin na cadeirinha, sentou-se ao meu lado no banco do carona e só depois de resolver tudo é que finalmente seguimos ao restaurante que Jimin havia feito uma bela reserva para nossa comemoração.

      O lugar era bem reservado, totalmente calmo e silencioso. Entramos e logo que chegamos a recepção, eu fui até lá para nos identificar. Usar o nome de Jimin seria complicado, então ele reservou em meu nome. Fomos encaminhados até nossa mesa e logo nos acomodamos por lá.

      – Que lugar maravilhoso. – Sorri.

      – Eu quero um sorvete. – Disse Jasmin olhando o cardápio como se soubesse ler.

      – Ainda não está na hora da sobremesa. – Jimin riu.

      – O que acha de pedirmos a especialidade da casa?

      – Fique a vontade, a decisão é sua. – Sorriu ele.

      – Só não esqueça do sorvete. – Jasmin fez aegyo.

      – Só se você comer tudo. – Sorri.

      Chamei um dos garçons que todo bem vestido veio nos atender. Fiz nosso pedido e quando ele retirou-se, notei que Jimin me fitava sorridente sem sequer piscar os olhos.

      – O que foi? – Perguntei.

      – Nos casamos. – Sorriu.

      – Ainda está sem acreditar? – Perguntei novamente.

      – Parecia algo tão distante e complicado... Porém agora é a nossa realidade.

      – E assim será pro resto da vida. – Sorri. – Dê-me sua mão.

      – O que foi? – Estendeu-me sua mão.

      – Esqueci de fazer uma coisa. – Sorri.

      Peguei a mão direita de Jimin, encontrei em meio aos seus anéis o que tinha o meu nome gravado do lado de dentro, o tirei de seu dedo e passei para a mão esquerda – onde deveria ser usava uma aliança de casamento.

      – Agora sim. – Sorri.

      – Confesso que eu também esqueci disso. – Pegou a minha e repetiu o ato. – Agora sim. – Beijou minha mão.

      – Isso é tão incrível. – Sorri. – Minha ficha está caindo aos poucos.

      – Acho que só acreditarei quando acontecer nossa cerimônia. – Sorriu ele. – Acho que só neste momento minha ficha irá cair.

      Continuamos conversando brevemente enquanto Jasmin estava segurando o cardápio e olhando as fotos, até que nosso pedido chegou. Dividimos as porções, começamos a comer e por notar sua dificuldade em alguns momentos, Jimin ajudou nossa pequena a conseguir segurar os “palitinhos” como ela chamava.

      Ali ficamos por um tempo, até que nos demos conta de que já era muito tarde. O lugar era totalmente acolhedor e agradável, e estar ali com minha família era simplesmente tudo que eu queria. Porém, tínhamos que ir embora. Acertamos tudo na hora da saída e em seguida seguimos ao estacionamento. Enquanto Jimin ficou de pé segurando Jasmin que estava quase dormindo, eu tirei o carro da vaga e logo ele entrou.

      Jasmin estava totalmente agarrada nele quando pegou no sono, e para não acordá-la, Jimin resolveu ir com ela no colo no banco de trás. E assim fomos até chegar em casa novamente. Chegando lá eu abri o portão depois de checar o movimento de pessoas na rua, guardei o carro e só depois disso Jimin saiu com nossa bebê no colo.

      A acordei quando chegamos, pois ela teria que tomar um banho. Se ela chorou? Sim, porém era necessário e eu prometi que seria rápido. Enquanto lhe dei banho, Jimin preparou sua cama e depois disso ele foi fazer o mesmo que Jasmin no banheiro que estava livre.

      Terminei de arrumar Jasmim com seu pijama e logo a deitei no colo. Eu queria ao menos ter trocado de roupa, porém ela estava sonolenta e agarrou-se comigo. Fiquei ninando-a, até que Jimin apareceu já de banho tomado e a pegou de meu colo.

      – Deixa que eu cuido dela. – Ele estendeu os braços.

      – Ela já está quase dormindo.

      – Vá tomar banho... Assim que ela dormir eu a coloco no berço.

      – Tudo bem. – Lentamente eu a deitei em seu colo.

      Enquanto tirei meu sapato, Jimin ficou ninando Jasmin andando pelo quarto. Saí de lá, e chegando ao banheiro simplesmente corri até a água quente e totalmente relaxante que caía do chuveiro. Com frio depois do banho, tirei o excesso de maquiagem que ainda estava em meu rosto e só então eu escovei os dentes. Enrolei-me no roupão de banho que eu tinha levado e só então pude sair dali.

      Abri a porta e dei de cara com Chim Chim ali deitado. Assustei-me e de fato quase soltei um grito por quase ter pisado nele, porém ele logo animou-se ao me ver, e meu nervoso passou. Abaixei, o afaguei e depois de um tempo resolvi voltar ao quarto enquanto tremi de frio.

      Chegando lá, me deparei com Jasmin no berço e com Jimin deitado na cama completamente coberto. Só o seu rosto era visível e até suas madeixas loiras foram tampadas pela touca que usava. Jimin parecia ressonar, e confesso que sorri ao vê-lo ali. Conferi se Jasmin estava coberta, cheguei perto de Jimin e pude ver que ele estava totalmente “apagado” naquele momento.

      Só então é que eu fui escolher uma roupa para me vestir. Abri as gavetas, peguei algumas peças e neste momento, desenrolei-me daquele roupão. Vesti minha roupa íntima, vesti uma blusa larga e enquanto eu procurava meu conjunto de moletom...

      – Por que tão linda? – Ouvi uma voz.

      Nesse momento, me tampei com o roupão e rapidamente olhei para a porta. Porém, ela estava fechada e instantaneamente meu olhar voltou-se até a cama. Jimin estava acordado, e me observou o tempo todo enquanto me troquei.

      – Que susto! – Sorri. – Pensei que você estava dormindo! – Sussurrei.

      – Vem pra cama, vem... – Chamou-me ainda só com o rosto aparecendo entre os cobertores.

      – Só vou terminar de me vestir e já estou indo.

      – Vem assim mesmo. – Sorriu.

      – Mas eu preciso me vestir. – Sorri. – Vou ficar com frio desse jeito.

      – Estou disposto a esquentá-la se quiser.

      – Vai me esquentar? – Sorri com audácia.

      – Amor, vem logo... – Disse manhoso enrolado nos lençóis.

      Sem pensar duas vezes e ainda usando apenas uma calcinha e uma blusa larga, eu pendurei o roupão no suporte e caminhei até a cama. Deitei-me ao seu lado e logo me abracei com ele. De fato, ficar ali com Jimin era bem mais aconchegante do que eu tinha pensado antes – mesmo estando seminua.

     – Saudades de te ver assim... – Aproximou-se de mim. – Saudades de te sentir...

      A mão de Jimin passeou pela minha cintura, passou em minha barriga e logo foi pra baixo de minha blusa. Sentir seus dedos me tocando cada vez mais para cima me fez sentir arrepios, e sentir sua respiração perto do meu rosto me fez morder os lábios.

      Sua mão encontrou meus peitos e nesse momento, Jimin os apertou levemente. Aquilo poderia ser apenas um leve carinho, porém ao sentir sua boca bem no meu ouvido respirando fundo e arfando de saudade... Eu levei aquilo tudo para um “outro lado” de interesse.

      – Também estava com saudades... – Sussurrei.

      A boca de Jimin encontrou a minha neste momento e ao sentir aqueles lábios deliciosos encostando-se aos meus, eu simplesmente quis me entregar. Apalpando meus peitos, Jimin me beijou e ao sentir aquilo tudo, senti-me totalmente estimulada. Meus dedos ficaram enterrados em suas madeixas loiras e foi aí que eu colei-me ainda mais a ele.

      Quando saiu de meus peitos, a mão de Jimin voltou a deslizar sobre meu corpo até chegar à borda de minha calcinha. Senti arrepios ao sentir seus dedos ali, porém decidi dar atenção somente aos beijos que eu lhe dava. Com uma mão só, Jimin afastou minhas pernas e foi neste momento que ele colocou a mão por baixo de minha fina roupa íntima.

      Arfei ao senti-lo ali e acabei dando uma pausa em nosso beijo. Jimin levou sua mão até sua boca, umedeceu seus dedos e neste momento ele voltou com sua mão até onde ela estava antes. Foi tocando-me lentamente... Cada vez mais para baixo... Até que encontrou meu clitóris.

      Ao tocar-me bem ali, Jimin me fez suspirar e foi neste momento que ele voltou a beijar-me. Seus dedos faziam movimentos circulares exatamente onde eu mais sentia prazer e foi nesse instante que eu sequer consegui dar continuidade aos meus beijos.

      Com a boca entreaberta eu fiquei enquanto fui masturbada por Jimin, e foi neste momento que ele aproximou-me de seu ouvido. Gemendo baixinho bem ao pé de sua orelha eu fiquei, enquanto ele fez-me sentir prazer de uma forma tão simples e gostosa.

      – Era isso que você queria? – Sorriu ele.

      – Você ainda pergunta? – Sorri entre os baixos gemidos.

      Jimin continuou masturbando-me e me estimulando com a ponta dos dedos, até que começou a penetrar-me com eles. Apertei os olhos e abri a boca para gemer mais alto, porém Jimin me abafou com beijos. Eu simplesmente já estava perto de gozar por conta daquilo tudo. Jimin me estimulava com um dedo, com os demais ele me penetrava enquanto me beijava de língua.

      Fui ficando cada vez mais inquieta, e ele sabia o que estava acontecendo comigo.

      – Quietinha... – Sussurrou.

      Tentei calar-me, porém ao sentir todos aqueles estímulos juntos... Não fui capaz de aguentar muito tempo. Cravei minhas unhas no travesseiro enquanto esforcei-me para não fazer barulhos altos... E gozei. Fui invadida por espasmos instantâneos enquanto senti um prazer enorme. Nos braços de Jimin eu relaxei e depois de ter tomado um ar... Fui recompondo-me.

      – Me delicio só de ver sua expressão de prazer. – Beijou-me.

      – Nossa... – Respirei fundo.

      – Bom?

      – Uma delicia. – Sorri e o puxei para um beijo.

      Beijei Jimin com vontade e depois disso, resolvi levantar-me para ir me limpar. Eu estava totalmente úmida e molhada, se não quisesse molhar a cama também teria que procurar um lavatório urgente.

      – Aonde você vai?

      – Vou me lavar. – Eu disse. – Só um minuto, vou trazer um papel pra você.

      – Pra que papel? – Ele disse, lambendo os dedos que ele tinha penetrado em mim enquanto me olhou.

      – Não acredito que você fez isso. – Enlouqueci e mordi os lábios.

      – Você fala como se eu nunca tivesse te chupado antes. – Ele riu. – Acha mesmo que preciso de papelzinho para me limpar?

      – Eu volto logo. – Sorri ainda sentindo espasmos.

      – Como você quiser. – Sorriu.

      Enrolei-me no roupão e novamente saí do quarto. Cheguei rapidamente ao banheiro e lá comecei a higienizar-me. Me sequei com minha toalha, prendi meu cabelo novamente, vesti o roupão outra vez e voltei ao quarto totalmente cheia de vontade de chupar Jimin. Ele não tinha brincado comigo? Pois agora seria a minha vez de me divertir com ele.

      Caminhando lentamente eu voltei ao quarto, entrei e fechei a porta. Desamarrei o roupão e quando olhei para Jimin... O vi adormecido. O sorriso em meu rosto desfez-se quando vi que ele tinha dormido, mas ao mesmo tempo... Sorri de ternura ao ver aquela cena tão fofa.

      Jimin estava embolado nos lençóis e dessa vez ele de fato estava dormindo. Tinha acordado cedo, estava fora de casa desde de manhã, foi ao cartório, passou por horas e horas  de ensaios seguidos, ao final foi até o cartório novamente e depois de tudo fomos ao restaurante. Jimin estava acostumado com a correria, porém isso não o impedia de estar cansado.

      Sua toca estava torta, quase saindo de sua cabeça. Suas bochechas estavam amassadas como as de Jasmin enquanto dormia e ele, estava totalmente encolhidinho como se sentisse frio. Jimin estava tão acomodado que eu simplesmente resolvi não acordá-lo. Precisava descansar, e nossa pendência... Poderíamos resolver outro dia.

      Já era tarde quando eu resolvi vestir-me. Coloquei um casaco fino, vesti uma calça de moletom e depois de desligar a TV... Deitei-me ao seu lado, o beijei na testa e dormi abraçada a ele.

*

      Na manhã do dia seguinte, acordei tarde por ter ido dormir já de madrugada e ainda enquanto cocei os olhos e bocejei... Enquanto espreguicei-me e relaxei, um cheio agradável e diferente chamou-me a atenção.

      Sentindo aquele cheiro tão bom, eu sorri e ao virar-me na direção da mesinha onde estava o abajur do meu lado... Fui surpreendida com um buque de flores. Dessa vez não foram jasmins, dessa vez foram rosas vermelhas – as mais cheirosas que existiam.

      Abri um baita sorriso ao ver aquelas lindas flores e no mesmo instante eu pensei no quão cedo Jimin teve de acordar para comprá-las e para deixá-las exatamente ali. Sentei-me na beirada da cama totalmente apaixonada e logo peguei o cartão que estava no meio delas.

“Feliz um dia de casados, Sra. Park.”

- J

      Oh, céus... Jimin era mesmo um doce de pessoa... Beijei o cartão que continha aquelas palavras e logo ao levantar-me, já fui atrás de um recipiente para guardar minhas lindas flores. Depois de arrumá-las dentro de um belo vaso e depois de preparar frutas picadas para o café da manhã de Jasmin, eu revolvi ligar para Jimin e agradecer pelo presente.

      Tentei ligar e a chamada chegou a cair duas vezes. Se eu me preocupei? Sim, porém no mesmo instante eu lembrei que Jimin estava em seus ensaios tão intensos, então resolvi ele ter um descanso para poder me ligar.

      – Oi, amor. – Sorri tímida.

      – Oi, jagyia. – Sorriu.

      – Obrigada pelo presente. – Sorri. – Simplesmente amei.

      – Você sorriu ao ler o que eu escrevi?

      – Sim. – Sorri outra vez.

      – Então meu plano deu certo. – Sorriu. – Tudo bem por aí?

      – Sim, por aqui sim. E aí, como estão indo os ensaios?

      – Músicas novas foram adicionadas ao setlist do show que temos que fazer em Jeju, então estamos tendo que nos esforçar mais ainda. Eu pretendia chegar cedo hoje, porém não contava com este imprevisto.

      – Tudo bem, não há problemas. – Sorri.

      – Algum plano pra hoje?

      – Até agora não.

      – Vá passear com Jasmin. Lhe compre brinquedos, leve ela ao parque... Façam lanche... O que acha?

      – Desse jeito ela vai crescer muito mal acostumada. – Dei risadas.

      – Não há problemas, enquanto eu puder dar tudo a ela... De tudo ela terá. – Sorriu. – O cartão de créditos está dentro do guarda roupa.

      – Tuuuuuudo bem, você quem sabe. – Sorri. – Comprarei algumas coisas pra você também.

      – Use o dinheiro com ela e contigo.

      – O cartão estará nas mãos de quem?

      – Nas suas.

      – Então eu decido o que comprar. – Sorri.

      – Só dessa vez, viu? Vocês são minhas prioridades, devo preocupar-me com vocês primeiro e não comigo.

      – Mas que papinho, hein... Eu duvido se você não gostaria de ganhar um belo relógio. – Sorri.

      – Se comprar o dobro de valor em coisas para Jasmin e para você, eu aceito. – Sorriu.

      – Tudo bem, mais tarde nós sairemos.

      – Obrigado. – Sorriu.

      E foi justamente isso que fizemos. Na parte da tarde eu arrumei Jasmin e logo em seguida, saímos sem destino. A levei ao parque municipal, a levei até uma loja de brinquedos no centro e logo depois fomos ao shopping. Jasmin simplesmente divertiu-se muito em todos aqueles brinquedos para crianças enquanto eu conversei com Yoora pelo celular.

      Yoora havia chamado-me pelo Kakao, e então começamos a conversar. Nosso encontro seria meio dia no restaurante KSpare no centro de Seul. Marcamos tudo certinho e depois... Era só esperar o momento de nossa partida até o centro no dia seguinte.

      Voltei para casa com Jasmin totalmente cansada. Já era noite e por ter lanchado no shopping ela sequer quis jantar. Lhe dei banho e a coloquei para dormir cedo devido ao seu sono e cansaço. Jimin de fato chegou tarde. Só Jihyun e eu estávamos acordados quando ele chegou, e mais uma vez... Chegou tão cansado quanto no dia anterior.

      – Meu encontro com Yoora é amanhã em Seul. – Sorri.

      – Gostaria muito de poder ir junto. – Sorriu. – Queria contar a ela sobre a novidade.

      – Oh, o que acha de fazer um vídeo? Posso dizer a ela que você lhe enviou uma mensagem e assim farei uma surpresa a ela quando você contar.

     – Hum, boa ideia! – Sorriu. – Onde devo gravar?

      – Grave no meu celular... Eu mostro a ela assim que possível.

      – Okay, vou gravar lá fora por causa da iluminação. – Sorriu.

      – Tudo bem. – Sorri.

      Arrumando minha roupa e a de Jasmin para o dia seguinte eu continuei ali, até que Jimin voltou depois de alguns minutos. Mostrou-me o vídeo e foi neste momento que eu me convenci de que Yoora surtaria.

(...)

“Eu gostaria de estar neste encontro com você, Noona. De fato eu gostaria muito de vê-la depois de tanto tempo, porém tenho tantos compromissos que não pude ir. Porém, há um dia em que poderemos nos ver e neste dia eu posso garantir que nosso encontro acontecerá. Quer saber quando? No dia que (S/n) e eu celebrarmos nossa festa de casamento. Sim, já estamos casados no papel, porém nossa festa ainda acontecerá. E mais do que uma simples convidada... Desejamos que seja nossa madrinha... E então, o que me diz?”

(...)

      – O que achou? – Perguntou ele.

      – Está ótimo. – Sorri. – Ela certamente irá surtar ao saber disso.

      – Tomara que ela aceite ao nosso convite. – Sorriu ele, deitando-se na cama. – A que horas você sairá amanhã?

      – Pouco antes das dez.

      – Amanhã meu ensaio começará mais tarde, creio que conseguirei vê-la antes que saia.

      – Tomara que sim. – Concordei.

      Terminei de arrumar nossas coisas para o dia seguinte, e sem demora eu deitei-me ao lado de Jimin. Contou-me como estava os ensaios e quando perguntei sobre os membros, ele disse que ainda estavam um tanto desconsertados um com o outro. Não tinham muito assunto nem muita aproximação.

       Jimin me disse que tinha convidado-os para a cerimônia no cartório, porém só quem aceitou ir foi Tae. Tentei consolá-lo, porém ele parecia um pouco conformado com tudo que aconteceu. Conversando nós ficamos ali, até que o sono atacou Jimin – o mais cansado entre nós dois. Adormecemos juntos e agarradinhos na cama, e assim ficaríamos até a manhã seguinte.

*

      Era sexta feira, oito da manhã quando acordei. Jimin estava tomando café na cozinha quando fui dar banho em Jasmin e de fato ele conseguiu falar conosco antes de sair ao seu destino. Nossa pequena já estava pronta quando ele teve que sair, e com abraços e beijos ele despediu-se de nós ao notar que Hyuk tinha chegado.

      Aprontei-me e totalmente ansiosa eu saí no horário marcado. Coloquei Jasmin no banco de trás, tirei o carro da garagem e sem parar eu segui até Seul pela estrada interestadual. Chegamos cedo, é claro. Porém isso não foi um problema para nós.

      Andei com Jasmin pelo badalado centro comercial de Seul e perto da hora marcada, seguimos até o restaurante. Assim que entramos, logo avistei Yoora de costas para a entrada, sentada na mesa de número 3 – a que tínhamos escolhido. Suas madeixas loiras e compridas me chamaram a atenção e ao vê-la, simplesmente aproximei-me com rapidez.

      – Olá! – Apareci para ela.

      – (s/n)! – Ela abraçou-me junto com Jasmin. – Oh, que saudades!

      – Olá, titia! – Sorriu Jasmin.

      – Meu amor, como você está linda! – Sorriu Yoora ao ganhar um abraço de sua afilhada.

      – Quanto tempo, hein? Puxa vida!

      – Quase um ano! – Sorriu ela. – Puxa vida, você está muito diferente!

      – Você acha? – Sorri.

      – Seu cabelo está enorme! – Sorriu. – E Jasmin também!

      – Sim, ela está uma moça. – Concordei.

      – Puxa vida, pensei que não conseguiria ver vocês antes de ir embora. – Sorriu ela. – Onde estão morando?

      – Na casa dos pais de Jimin. – Sorri enquanto sussurrei.

      – Oh, não! Isso é sério? – Sorriu nervosa. – Mas que ótimo! Ah, e falando nele... Pode começar a me contar tudo! Como o encontrou? Quer dizer... Quando?

      E foi neste momento que eu abri o jogo com Yoora. Jimin e eu confiávamos muito nela e de fato, sabíamos que ela nunca nos trairia. Yoora era uma ótima pessoa, e ao contar tudo a ela, não lhe poupei de detalhe algum.

      Contei como foi tudo desde que cheguei à Coréia até o dia atual e com tanta informação, Yoora ficou simplesmente chocada. Ao final de tudo, do almoço e de muita conversa, ela perguntou sobre como Jimin estava. Começamos a falar dele e foi neste momento que eu disse a ela que ele tinha lhe enviado uma mensagem em vídeo.

      Conectei os fones em meu celular, abri o vídeo e lhe entreguei. Ver a reação de Yoora ao ver o que Jimin tinha a lhe dizer foi simplesmente lindo. Seus olhos se encheram de lágrimas pelas palavras dele e a cada vez mais ela foi ficando emocionada. O vídeo foi chegando ao fim, e a hora do recado principal chegou.

      Jimin falou sobre o casamento e só o que Yoora fez foi ficar boquiaberta com o celular na mão e com os olhos arregalados. Fiz um sinal para que ela ficasse em silêncio e controlasse sua emoção, mas logo vi lágrimas de felicidades escorrendo em seus olhos. Com o celular na mão e com os fones no ouvido, Yoora sorriu em lágrimas e ao final...

      – Eu aceito! – Abraçou-me. – Eu aceito, é claro que eu aceito ser madrinha de vocês! É claro!

      – Ei, não chore!

      – Eu sabia que vocês ficariam juntos afinal! Eu sabia! Sabia que daria certo!

      – Então sua presença está confirmada em nossa festa? – Sorri.

      – É claro! Claro que sim! Quando será?

      – Ainda não sabemos, porém será em breve.

      – Oh, meus parabéns! – Yoora me abraçou forte. – Meus parabéns pela realização! Estou muito feliz com isso!

      – Obrigada por nos apoiar... Sabíamos que poderíamos contar contigo. – Sorri.

      – Puxa vida, eu fiquei até com calor agora. – Ela riu secando os olhos.

      Continuei conversando sobre a novidade com Yoora, porém logo ela teve de ir embora. Gwangju era longe, e ela teria de se adiantar. Tiramos fotos juntas, gravamos um vídeo para Jimin e ao final... Nos despedimos.

      De volta a casa, apenas esperei Jimin chegar para lhe mostrar o vídeo que Yoora gravou para ele. Jimin sorriu sem parar ao vê-la e simplesmente ficou muito feliz por ela ter aceitado ao seu convite. Assim que cheguei em casa, enviei a Milan as fotos com Yoora para ele ver que eu consegui encontrá-la e em seguida eu o agradeci pelas informações.

      Estávamos eufóricos ainda com toda aquela notícia e aquele encontro com Yoora. Conversamos muito sobre como tudo aconteceu, porém logo o sono bateu enquanto assistíamos TV na sala. Jimin pôs Jasmin para dormir enquanto eu arrumei nossa cama. E depois de poucos minutos... Nos deitamos.

      – Fico pensando em nossa cerimônia. – Eu disse a ele, enquanto estávamos deitados e abraçados.

      – Como você a imagina?

      – Você vai rir.

      – Por quê? – Ele riu.

      – Desde que começamos com essa ideia de casamento, eu me imagino casando em sua casa. Sabe? Algo simples. Até porque sua fama não nos permitiria fazer tudo em um grande salão de festas e eventos ou em uma grande igreja ou templo.

      – Seria aqui mesmo em minha casa? É assim que você quer?

      – Sim, algo simples e apenas com poucos convidados. Não preciso de muita coisa ou muito luxo, estando com nossas famílias e amigos aqui já seria o suficiente.

      – Oh, então temos um problema resolvido. – Sorriu.

      – Problema?

      – Pensei que não poderíamos celebrar nosso casamento agora, pois ainda tínhamos que escolher os lugares, a decoração... Pensei que você quisesse algo grandioso e bem cheio de luxo. Bom, ao menos era isso que eu gostaria de lhe oferecer e é isso que eu acho que você merece.

      – Prefiro algo simples, com pouca gente e totalmente alegre.

      – Por isso temos a solução para a espera de nossa cerimônia.

      – Ainda não entendi.

      – Fazendo tudo em minha casa, não precisamos esperar tanto tempo para realizar a festa. Aqui nós faremos tudo, organizaremos tudo então podemos fazer quando bem entendermos.

      – Tipo... Daqui a duas semanas? Está me dizendo que podemos fazer tudo aqui mesmo, como eu quero e em duas semanas talvez?

      – É claro. – Sorriu ele. – Eu dou o meu jeito e providencio tudo, prometo isso a você.

      – Oh, meu Deus... – Sorri nervosa.

      – É isso que você quer? Nossa festa de casamento aqui mesmo, só para os íntimos e dentro de duas semanas?

      – Sim, é o que eu quero. – Sorri nervosa.

      – Então é isso que eu irei fazer. – Sorriu. – Providenciarei tudo, e assim como você deseja... Comemoraremos o mais rápido possível.


Notas Finais


International está acabando, porém não há motivos para tristeza! :D
Teremos muitas fics novas depois desta! Venham conferir as sinopses! #GO

Haru Haru (Shortfic Rap Monster)
https://spiritfanfics.com/historia/haru-haru-shortfic-rap-monster-10787126

Lovely Vengeance (Shortfic Taehyung/V)
https://spiritfanfics.com/historia/lovely-vengeance-shortfic-taehyung--v-10799216

Come and rescue me (Shortfic Jungkook)
https://spiritfanfics.com/historia/come-and-rescue-me-shortfic-jungkook-10818756

How you dare? (Shortfic Suga)
https://spiritfanfics.com/historia/how-you-dare-shortfic-suga-10839910

Caught in a lie (Jimin)
https://spiritfanfics.com/historia/caught-in-a-lie-jimin-10864481

Continuem comigo! Venham acompanhar histórias novas! :D #FIGHTING


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...