História Internato de Youtubers - Capítulo 34


Postado
Categorias Christian Figueiredo, Igor Cavalari (Igão Underground), Júlio Cocielo, Lucas "T3ddy" Olioti, Lucas Lira (Invento na Hora), Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?), Rafael "CellBit" Lange
Personagens Christian Figueiredo, Daniel Mologni, Igor Cavalari, Júlio Cocielo, Lucas Olioti, Lukas Marques, Personagens Originais
Visualizações 253
Palavras 1.182
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pessoal aqui quem fala é a Letícia, a Mel não pode postar hoje pois ela está indo fazer o Enem, então vamos mandar energias positivas pra ela!
Vos deixo com o capítulo que ela escreveu, boa leitura até lá em baixo!

Capítulo 34 - Um Quase Beijo e a Perseguição de uma Amiga


*Marjorie On*

Depois de Luna me arrastar, e socorrermos a Mel, eu fui ao banheiro e joguei uma água no rosto. Até agora eu não acreditava que depois de tantos anos eu troquei mais de duas palavras com Daniel, e mais que isso, havia ficado sozinha com ele e recebido elogios de sua pessoa. O meu coração não podia estar mais alegre, se não fosse por minha mente que não saia da Ste.

Eu sabia como a minha melhor amiga era e eu me sentia mal por não ser totalmente verdadeira com ela, já que eu sabia que a mesma era completamente apaixonada por Daniel, pelo simples fato dele ser o único que não dar bola pra ela. Tinha que fazer alguma coisa com isso, ela vai me odiar se descobrir, e ainda mais se desconfiar que ficamos a sós. Talvez o melhor que eu faça é continuar mantendo meu segredo, antes que isso dê ruim.

Sai do banheiro e notei que a maioria das meninas haviam ido embora, então fui até o balcão e pedi uma dose de vodka. Nunca sequer ousei colocar uma gota de álcool na boca, até essa noite, onde já tomei whisky com Dani e agora isso. A mesma chega e eu tomo tudo de uma vez, sem mesmo encarar o líquido.

— Opa! Vai com calma ae gatinha! — escutei uma voz diferente vinda do meu lado, então me virei e vi Enaldinho, completamente bêbado.

— Tem razão, não wuero acabar assim — Rimos e ele se sentou no banco, com muita dificuldade.

— Engraçada vc né — Ele falava tudo embolado. — Como que te deixaram sozinha aqui em? Você é tão gata e.. — Ele tentava pegar em meu cabelo mas eu desviava. — Você é.. Linda... E

— E nada, pode parando ai seu moleque alcoólatra! — Reconheci a voz que o interrompeu e um riso deixou meus lábios, ele estava ali, afinal.

— Parece que ele não ta nada bem! — Disse gargalhando da careta que ele fez pra Daniel.

— Ih, calma cara! — Ele riu embolado e segurou o braço dele. — Sua mina é muito bonita... — Daniel o segurou e fez uma careta meio estranha, como se enaldinho tivesse dito algo inoportuno.

— Preciso levar ele embora, e vc vem comigo! — Ele disse firme e pegou a minha mão, colocando-a enlaçada em seu braço.

Com uma dificuldade imensa fomos levando o bêbado pra fora da festa e indo em direção ao internato, ele era tão pesado. De vez em quando paravamos pra rir do que ele falava, quando ele tropeçava e logo atravessamos a passagem e deixamos ele em seu quarto. Após fechar a porta do quarto, ele suspirou.

— Amanhã fala pro seu amigo começar uma dieta. — Dou risada.

— Aquela tripa seca só tem osso! — Rimos e logo um silêncio predominou. — Como está tarde, vou te levar até seu quarto. E não aceito não como resposta!

Antes que eu respondesse. ele segurou em minha mão e começamos a caminhar. passando pelo corredor dos meninos, indo pelo pátio central, passando pela menor parte do jardim e chegando até o lado das meninas. Já era tão tarde, que nem mesmo nos preocupados de alguém nos ver afinal estavamos apenas passeando juntos, já era uma desculpa. Chegando a frente do meu dormitório, me virei de frente para ele, que me encarou.

— Obrigado por hoje Dan! — Sorri. — Você tornou a noite boa!

— Eu quem agradeço! — Ele devolveu o sorriso. — Você tornou todos os dias bons! — Ele acariciou a minha mão que ainda segurava. — Olha, Marjo...

Ele suspirou e coçou a cabeça, não queria se despedir, não sei se foi impressão minha ou se ele queria dizer mais alguma coisa também. Segurei firme a sua mão e subi os meus pés, ele era muito mais alto que eu, e assim lhe dei um beijo na bochecha.

— Boa noite! — Senti minhas bochechas corando. — Obrigado mais uma vez!

— Ei, obrigado você! — Ele segurou o meu queixo e deu o sorriso mais encantador que eu já vi. Droga Daniel! — Boa noite!

Ele ficou me encarando alguns segundos e começou a se aproximar. Como ainda segurava o meu queixo, o meu coração alavancou em disparada e eu paralisei. Ele se curvou e o seu cheiro invadiu minhas narinas, era o que faltava pra me entorpecer de vez. Senti o toque dos seus lábios em minha testa e senti o meu corpo relaxar, Fechei os olhos e suspirei. Alguns segundos depois, ele voltou a si e nós sorrimos um aparo outro, abri a porta e ele foi caminhando pelo corredor, no meio dele se virou e acenou pra mim. Entrei no quarto e me despi, deitei na cama e senti o peso do sono me invadir, mas não foi o suficiente pra tirar o sorriso enorme que estava pregado em minha boca.

*Dia seguinte*

As pressas, eu caminhava para o refeitório. Tinha que avhar qualquer uma das meninas, tinha uma coisa importante pra mostrar. Passei pela entrada rápido e correndo pelas mesas. Encontrei Letícia, Mel e Bruna conversando.

— Meninas..— Disse ofegante.

— Pelo amor de Deus Marjorie, ta indo tirando o pai da forca? — Letícia disse colocando a mão no coração.

— Aconteceu.. Deixa eu.. Olha isso — Tentando recuperar a respiração, coloquei o bilhete em cima da mesa. — é a Rafaelli

Rapidamente elas pegaram e leram juntas, fazendo a mesma cara de "WTF" que eu. Rafa havia fugido do colégio e ido para um apartamento. Disse pra que não nos preocupassemos, como se o bilhete fosse fazer essa mágica. Que vontade de bater na minha amiga cabeça de vento.

— Vamos contar pras outras? Luna deve ter visto alguma coisa. Elas não são colegas de quarto? — Mel disse e eu, Bruna e Let assentamos.

— Partiu! — Elas levantaram mas quando iamos saindo, demos de cara com a megera da vice-dirtora.

— Bom dia meninas! — Ela arqueou a sobrancelha nos encarando. — Posso saber onde vão com tanta pressa?

— Vamos estudar pra prova de biologia de amanhã senhora! — Disse a Letícia rapidamente.

— Isso mesmo! — Bruna complementou. — Sabe como é né?!

— Hm, que seja! — Deu de ombros. — Vim dar um recado, a diretora está esperando Marjorie em seu escritório, agora! — As meninas me encararam.

— Vão indo sem mim, e contem a página do livro pras outras meninas. — Pisquei discretamente e sai andando na frente.

Será que a diretora descobriu que saímos? Ou será que viram eu e Daniel ontem a noite? Se eu tiver problemas com a direção logo agora, meu pai jamais vai me aceitar, muito menos me perdoar. Longos minutos depois eu estava correndo novamente, aliviada não ser nada relacionado a ontem, o que me fez gostar de infrigir as regras, pelo menos por não ter sido pega. Dessa vez eu corria pra ver se as meninas descobriram algo sobre a Rafa e lhes contar que eu ia precisar de ajuda pra mudar de quarto.


Notas Finais


É isso gente, quem quer matar a Mel por esse quase beijo? Sim, eu!
Link do grupo: https://chat.whatsapp.com/EKslc4tzsDV1BcoouOVNAi
Link da fic foda da Mel: https://spiritfanfics.com/historia/imprevisto-10204948
Link da minha fic pq a gente faz propagando onde puder: https://spiritfanfics.com/historia/the-inevitable-always-happens-10768367


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...