História Internato dos Signos (INTERATIVA) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Adolescente, Interativa, Internato, Magia, Signos, Signos Do Zodíaco
Visualizações 36
Palavras 1.645
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sci-Fi, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que goste do capitulo!!

B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 7 - Baile - Parte 2


Narrador...

As duas meninas se dirigiram ao meio do salão e ficam ao lado do diretor que as desejam sorte e deixa as duas sozinhas para planejarem a apresentação delas.  Alexandra afasta-se um pouco de Hakura e fecha os olhos, se preparando para usar o seu poder “Eletrifice”. Quando a menina abre os olhos, as luzes do pátio se apagam deixando apenas três  e as caixas de som começam a flutuar e vão para próximo da menina e ficam rodando no ar. Uma gota de suor escorrega pelo o rosto de Alexandra e cai no chão e uma das caixas de som cai alguns centímetros assustando os alunos, pois pensaram que a caixa iria cair no chão e quebrar-se podendo machucar a morena, mas ela consegue voltar a controlar a caixa. Hakura usa o seu poder “Tymos” fazendo três pilastras de pedra aparecer do chão e ficarem debaixo das caixas de som. Alexandra começa a apagar e acender as luzes do pátio fazendo parecer uma balada enquanto Hakura se prepara para usar o seu poder “Juks”. Quando Hakura está preparada para usar o seu poder, uma espada aparece em suas mãos e começa a pegar fogo. A menina vai à direção de Alexandra com a espada na mão bastante rápida e a joga para cima na tentativa de criar uma atração aos estudantes enquanto Alexandra usa o seu poder, mas a espada acaba atingindo uma das pilastras de pedra e a quebra fazendo a caixa de som ir à direção do chão. Alexandra tenta controlar a caixa de som, mas é interrompida com o tempo sendo parado. A menina fica confusa e olha para Hakura que está com a respiração pesada.

- O que foi que você fez, Hakura? – Alexandra pergunta preocupada e vai até a menina que está com um pouco de falta de ar, pois, como usou o seu poder mais forte, usou uma grande quantidade de magia.

- Eu parei o tempo, porque a nossa apresentação deu errado e eu acabei me desesperando – A menina fala e vê a expressão que está no rosto de Alexandra – Por que você está preocupada, Shiru-Chan?

- Você sabe o que acabou de fazer? – Alexandra pergunta preocupada e Hakura nega com a cabeça – Você acabou de usar magia de tempo! – Alexandra fala alto e acaba assustando Hakura que está bastante confusa.

- E o quê que tem eu usar eu usar o “Mystics”, Shiru-Chan? – Hakura pergunta confusa e Alexandra respira fundo.

- Magia de tempo é uma magia proibida e quem é pego usando é punido e, por isso, você não deveria ter usado esse seu poder, Hakura, não quero que você seja punida por algo que não sabia! – Alexandra fala calma e coloca a mão no ombro da amiga que está assustada por não saber que ela tem um poder proibido. Hakura olha assustada para as suas mãos e depois olha para Alexandra.

- Co-como você sabe disso tudo, Shiru-Chan? – Hakura pergunta confusa e gagueja enquanto olha para a amiga desconfiada. Alexandra apenas respira funda e tira a mão do ombro da menina.

- Eu amo ler só pra você saber. Leio muitos livros que falam sobre magia, magias antigas e "proibidas" para ser mais exata, e aqueles que contam histórias sobre lendas e mitos mágicos. Acabo sabendo de muita coisa que muitos não sabem – Alexandra explica calma enquanto vê a expressão de desconfiança sumir do rosto de Hakura e se transformar em uma expressão de entendimento - Por isso, eu sei que magia do tempo é uma magia proibida e não se deve ser usada, muito menos em um internato  onde há professores com poderes que podem acabar sendo imunes a magia de tempo. Agora, vamos voltar ao normal e fingir que nada disso aconteceu. Não conte para ninguém sobre a sua magia proibida, Hakura, mesmo para os seus melhores amigos, pois pode ser bastante perigoso para você!

- Tudo bem, Shiru-Chan, não conto nada disso para ninguém! – Hakura fala e dá uma piscadinha para a amiga que volta ao seu lugar onde estava antes de o tempo ser parado. Alexandra avisa que a menina já pode “despausar” o tempo e Hakura obedece estralando o dedo e fazendo tudo se mexer novamente. Alexandra controla a caixa de som fazendo-a flutuar e ficar rodopiando no ar enquanto duas luzes piscam na direção da caixa que começa a tocar uma música eletrônica e faz as luzes piscarem non ritmo da música fazendo todos aplaudirem a apresentação das duas. O diretor vai até onde as duas estão e chamam outra dupla.

Quebra de Tempo

As apresentações acabaram e chegou à hora de anunciar qual foi a dupla campeã do baile. O diretor fica no meio do pátio com as duplas atrás dele.

- Todas as duplas fizeram ótimas apresentações hoje, mas apenas uma pode levar o premio da noite. A dupla campeã é... – O diretor dá uma pequena pausa para deixar todos mais ansiosos que já estão – Madison Madeleine e Red Hunter com a união dos fantasmas e das facas sombrias! – O diretor fala animado e os dois se abraçam enquanto recebem os parabéns de todos os amigos e os alunos dos outros anos os aplaudem.

O baile continuou normalmente com os jovens dançando e se divertindo com os jogos, porém nem todos os jovens estão com a mesma animação do começa. Yuri está um pouco para baixo por ter feito Dan se sentir mal por causa do beijo entre os dois. Yuri está criando coragem de ir falar com o moreno. O relógio bate à meia noite anunciando o fim do baile. Os jovens reclamam, pois o baile ainda estava bastante animado, porém o diretor desliga o som e manda todos se retirarem do pátio. Alguns dos jovens vão aos seus quartos dormir enquanto outros resolveram ir a alguma boate aproveitar o resto da noite, pois no outro dia não haverá aula por ser sábado.

Yuri vai para o seu quarto e encontra Dan tirando o seu terno. Os dois viram o rosto para lados opostos e ficam em silêncio. Yuri vai até o banheiro e se olha no espelho.

- Por que eu não consigo me assumir? Eu sou gay, mas nego até a morte se alguém me perguntar se eu sou... por que isso? Será que é medo? Medo de ninguém gostar mais de mim e me excluírem ou será que... eu tenho vergonha de ser assim? – Yuri se questiona no pensamento e uma lágrima cai do seu olho direito. Ele a enxuga rapidamente e começa a se despir e começa a banhar. Durante o banho, ele começa a pensar em varias coisas, principalmente em Dante. Yuri sente alguma coisa pelo o seu colega de quarto, mas ele não quer sentir, não quer ter que viver sendo julgado pelas as pessoas, não quer simplesmente sofrer bullying de ninguém. O menino termina de banhar e sai do banheiro apenas com uma toalha na cintura. Ao sair do  quarto, Yuri se depara com Dan em pé na frente da porta sem camisa.

- Yuri, me desculpa por ter te beijado no baile sem ter falado nada! – Dan pede enquanto olha nos olhos de Yuri que apenas respira fundo e olha para a sua cama. Dan coloca a mão no rosto do menor e o vira para ele – Me desculpa, por favor, Yuri...

- Eu te desculpo sim, Dan, mas não sei o motivo de tu esta me pedindo desculpa. Foi apenas um beijo! – Yuri fala como se não significasse nada, mas essa não era a verdade. A verdade é que Yuri nunca tinha beijado ninguém e o beijo com Dan, mesmo sendo um rápido selinho, significou muito para ele. Um pequeno sorriso surge nos lábios de Dan e ele abraça Yuri que cora por estar apenas de toalha. Dan se separa rapidamente do abraço ao perceber a seminudez de Yuri e entra no banheiro sem falar nada deixando o menino sozinho no quarto. Yuri veste o seu pijama, se deita na cama e fecha os olhos. Yuri aparece em uma floresta de árvores altas negras e nevoa tensa. Ele começa a passear por meio das árvores e reconhece onde está. Ele encontra uma cabana de madeira escura. O menino entra na cabana e não vê nada. Yuri começa a explorar a cabana e encontra uma pessoa sentada no sofá enquanto assistia televisão.

- Oi, Alok, por que me trouxe aqui? – Yuri pergunta confuso e se aproxima do sofá marrom. A pessoa se vira para Yuri e ele se vê no sofá. Alok dá um sorriso sádico para o Yuri e se levanta ficando de frente para ele. Yuri repete a pergunta novamente e Alok pisca um dos olhos.

- Eu quero voltar. Já faz um tempo que não apareço por lá. Fiquei sabendo que fomos pra um internato e o nosso companheiro de quarto é um gostoso! – Alok fala com o sorriso sádico no rosto e geme ao falar de Dan – Quero voltar, você não tem coragem de ficar com o Dan mesmo que você queira, mas eu sou diferente. Sou a sua personalidade “louca” e eu iria fazer coisas que...

- Ok, Alok, eu te deixo ficar no controle por um dia, mas não hoje – Yuri fala interrompendo a sua outra personalidade que fica animado e se joga no sofá – Eu te deixo no controle amanhã à noite, estou muito cansado hoje. Não quero fazer o que você está pensando!

- Tudo bem, Yuri, não se esqueça da sua promessa ou eu ficarei no controle por uma semana – Alok ameaça Yuri que engole em seco. Ele gosta de se tornar o Alok, mas tem vezes que a sua dupla personalidade faz coisas que acaba ficando longe de mais – Amanhã irei me divertir muito, Yuri, você vai gostar do resultado!

- Espero que sim... – Yuri fala um pouco receoso do que vai acontecer na noite seguinte.

 


Notas Finais


Espero que tenha gostado do capitulo!! Foi mal não escrever as outras apresentações, fiquei com preguiça, mas irei tentar recompensar alguns personagens!!

Bjs, até a proxima!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...