História Internato Rainbow Rain - Imagine BTS - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jisoo, Jungkook, Lisa, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Amor, Bambam, Bangtan Boys, Beyond The Scenes, Blackpink, Blckpnk, Bts, Got7, Instituto, Jaebum, Jennie, Jeon Jungkook, J-hope, Jin, Jisoo, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Lalisa, Luta, Mark, Min Yoongi, Park Jimin, Poderes Sobrenaturais, Rap Monster, Rose, Seokjin, Sobrenatural, Suga, Taehyung
Visualizações 174
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


RESLOU
Devo estar deixando vocês mal acostumados, de tanto postar né não kkkkkk

O q eu tenho a dizer é: CAPÍTULO IMPORTANTE!!!

Capítulo 5 - Five


Fanfic / Fanfiction Internato Rainbow Rain - Imagine BTS - Capítulo 5 - Five

Correndo. Era como Katherine e os amigos de Jimin estavam atrás dele.


Nenhum deles conseguia alcançá-lo - não que Katherine não pudesse, mas se o fizesse, se revelaria para todo mundo - e pararam ofegantes enquanto Jimin corria cegamente guiado por Yuki.


Seus olhos brilharam de felicidade quando viram raízes saírem do solo e agarrarem o lobo furioso (ainda em forma humana), o prendendo no lugar.



Olharam ao redor para ver de onde surgira tudo, e tiveram vista de uma figura de capuz verde musgo e olhos cinzas brilhantes. Seu rosto era coberto pela sombra da noite e pela sua própria roupa, mas logo saiu de sua pose e retirou o capuz, revelando sua ruivisse natural, junto a uma gargantilha preta, seguida de um top verde sem alças e uma saia acima do umbigo, deixando pouco de seu corpo à vista, com uma fenda dos dois lados das pernas e plantas que iam desde anéis em seus dedos até seus antebraços, com folhinhas - como em seus cabelos, que tinham uma trança embutida para trás tão longa que ficava para a frente na altura da cintura, envolvida com raízes e pétalas roxas e vermelhas como o batom usado pela moça.


Seu sapato era de plataforma, num verde escuro com alças que envolviam suas pernas até as coxas.


Seu olhar desafiador passou para um amigável e misterioso. Passou por entre os rostinhos surpresos sorrindo e chegou até o garoto de olhos da cor da escuridão.



- R-Rosé? - Taehyung chama surpreso.

- Olá, Yuki! Há quanto tempo, não? - Sorriu piscando para ele, que rosnou baixo.

- Vocês se conhecem de onde?! - Yoongi pergunta atiçando mais a curiosidade dos outros ali.

- Eu já namorei com eles, Suga. - Responde dando uma volta tranquila ao redor de seu "prisioneiro".



JungKook e Min Hyun surgem lá, e Hoseok joga uma barreira mágica em torno do outro Min, uma à prova de som.


- Ei! Por que isso??! - JungKook se assusta com o ato repentino, e ao olhar todos, inclusive Yuki, um arrepio corre pela sua espinha.


- Kookie, venha para cá. - Hoseok chama, Tae chama, mas Jimin rosna tão alto que JungKook se encolhe e começa a chorar.



Katherine corre até ele e o abraça, e ao ouvir o milionésimo rosnado de Yuki da noite, Katherine o olhou, e para a surpresa de todos, ele parou com o seu olhar bravo.


Seu olho passou de um completo preto à um castanho escuro, sua cor natural humana, mas mesmo assim suas presas ainda estavam presentes. Yuki ainda assumia o corpo.


- K-Kaherine? - Sussurra antes de começar a soluçar, e Rosé o solta das plantas que voltaram ao chão em seguida, permitindo Jimin cair no chão derrotado.


- E-Eu não acredito... E-Eu fiz m-mesmo isso?! - Questiona olhando para o chão deixando suas lágrimas caírem ali.


Katherine o olha normal agora, e ninguém entende a situação, além de Rosé, e Katherine.

JungKook corre para abraçar o garoto a poucos metros de si, e todos ficam ali, apreciando a paisagem.



Bom, nem todos. Min Hyun odiou ver tudo isso.



Saíram de lá liberando o intruso do grupo apenas depois de uma distância segura, e sentaram-se em mesas no refeitório, o prédio escuro e estranhamente aberto neste horário.


Jimin e JungKook foram para os seus dormitórios, os quais dividiam respectivamente com Hoseok e Yoongi, e deixaram os outros seis na grande cantina.


- Então... Pode nos explicar sobre a sua história com o Jiminnie?! - Hoseok pergunta juntando suas mãos à sua frente debruçado sobre a mesa.

- Eu o conheci há dois anos, quando entrei aqui. Namorei ele em segredo, e em um dia Yuki veio até mim e quebrou meus vasos de plantas medicinais, por puro ciúmes de Min Hyun. - O último nome deixou uma complexidade nos rostos alheios. - Pois é, Min Hyun tem um histórico de brigas com Jimin. E não vou mentir, mas ver o meu ex-namorado e meu irmão brigando foi nostálgico. - Sorri no final da frase, o que arrancou olhares e expressões mais surpresas do que nunca dos outros cinco.


- Min Hyun é seu irmão?! - Hoseok tomou coragem e perguntou.


- Meio irmão! Minha mãe teve ele com outro cara antes de se casar com o meu pai, e depois me tiveram. - Explica desinteressada.


Todos ali estavam muito mais do que surpresos, não tenho nem palavras para descrever suas expressões perplexas e assustadas.


- Obrigada. - Marinne se manifesta depois de um tempo em silêncio. - Por ter nos ajudado, obrigada. - Agradece sorrindo meio sem graça, e ela pisca em resposta.


- De nada, Kim.




[...]





- Eles podem perceber sua capacidade de dom sobrenatural, seu nível de magia, seu nome ou sua presença, sem nem te olhar nos olhos. Eles são completamente incríveis! - Exclamava o professor Jang empolgado. -Já salvaram tantas nações, que são chamados popularmente de Heros, ou originalmente de specialis filii Garden, que quer dizer "As crianças especiais de Garden". - Define o senhor já de idade, se apoiando na mesa empolgado. Era fácil ver o fascínio em seus olhos.


- Professor, por que as crianças especiais de Garden??! - Um garoto pergunta o interrompendo.


- Eu já ia explicar. - Sorri satisfeito. - A história é que... Há muitos séculos, havia uma ilha, denominada de insula potentium Garden, que quer dizer Ilha dos poderosos de Garden, outro nome em latim. Esta ilha se localizava no continente Africano. Esta ilha recebeu esse nome devido a um orfanato ali presente, o único lugar onde as pessoas nasciam e cresciam, mas não morriam. - Faz uma pausa e bebe um pouco da sua água. - Elas não morriam porque eram apenas seis, seis das mais poderosas no mundo inteiro. Seus pais eram de origem desconhecida, já que diziam que cada um nascera de um lugar na natureza.



Depois de um tempo, um ataque foi feito. Sabe quem liderou o ataque?! Agares, o maior inimigo destes até hoje. Cada um foi enviado para um continente, onde continuaram suas vidas normalmente, e até hoje Agares tenta os procurar. É óbvio, que depois de um tempo, seu filho Leviatã conseguiu encontrar um e o matou, este residia na Oceania, e seu nome era Jacy. Leviatã e seu pai estão ciente dos outros seres, porém eles são altamente protegidos, além de que, no continente asiático, nunca encontraram o seu próprio "Herói". Alguns dizem que isso é melhor, outros não pois a qualquer momento ele pode ser morto sem ninguém saber, e há muitas teorias, mas veremos tudo isso na próxima aula. - Finaliza a explicação respirando fundo.



Achando que tinha acabado a aula e passando a tarefa no quadro, o professor se surpreende ao ver que, alguém tinha levantado a mão nessa altura do campeonato.


- Professor Jang? - Chama a peculiar estrangeira ali presente.


- Sim, Katherine?!


- Poderia fazer uma pergunta?


- Claro.


- O senhor sabe de onde vieram as crianças? Digo... De onde da natureza eles vieram. - Pede interessada. - O senhor sabe, não é?


- Sei sim. - Confirma. - Um deles nasceu de um ninho de cobras, e foi enviado quando mais velho para o continente Americano. Outro, nasceu na beira de um rio, e foi levado para a Antártica. Jacy nasceu do pólen da flor mais bonita do jardim do Éden, e foi enviado para a Oceania, como sabem. Uma outra criança, nasceu do pó de fogos de artifícios jogados na noite de natal, e veio para a Ásia, enquanto outros dois, gêmeos separados, nasceram no deserto do Saara, e foram enviados para a Europa e o outro, permaneceu na cidade de Garden, um local há cinquenta quilômetros da ilha mágica. - Explica se virando de volta para o quadro.


- Ano novo, senhor.


- O que? - Pergunta confuso, e a garota ri soprado ao responder.


- Fogos de artifício. Foi do ano novo, não do natal. - Completa saindo da sala assim que o sinal tocou.


Os alunos ali presentes se surpreenderam com tamanha sapientia alheia e sua coragem ao corrigir o professor, mas ela não ligava.



Ela estava lá, ela sabia o que tinha acontecido, mas deixou o professor e suas crenças para lá.



Ela estava ciente de que quase tudo ali era mentira, mas ela decidiu ficar quieta.






Ela não pode levantar suspeitas.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...