1. Spirit Fanfics >
  2. Íntimos - Song MinGi >
  3. Posso Te Ajudar, Domme?

História Íntimos - Song MinGi - Capítulo 1


Escrita por: e neozony


Notas do Autor


Depois de ter aceitado que nessa conta eu sou floop, acabei chegando em uma conclusão... Continuarei postando até ninguém mais gostar das minhas histórias! 😘💓

Boa leitura =

Capítulo 1 - Posso Te Ajudar, Domme?


Fanfic / Fanfiction Íntimos - Song MinGi - Capítulo 1 - Posso Te Ajudar, Domme?

Dama: 

1. Mulher adulta casada ou não.

2. Mulher de família nobre.


Tudo que o jovem garoto de vinte anos de idade queria nesse exato momento era a atenção de sua doce e tão amada domme, Song Min-gi não gostava de se satisfazer sozinho, ainda mais tendo ela  ao seu lado todos os dias… Ou nem todos assim, afinal de contas, essa mulher tinha muitas ocupações durante o dia e noite. Mesmo não querendo admitir ou apenas sentindo um pouco de vergonha por dentro, Mingi era na verdade o outro, o seu amante. Mesmo sendo errado ele não conseguiu evitar, foi mais forte que si próprio, olhar todos os dias para aquela mulher era como está no inferno, ardendo em chamas e gritando por ajuda enquanto desejava por ela, desejava ser o seu marido. Ele queria a ajuda dela, queria ser dela e de mais ninguém, queria ser ele o homem a deitar na cama todos os dias com ela e sempre fazer um carinho em seus cabelos, queria ser ele o homem que pudesse acordar sorrindo ao vê-la ainda dormindo. E acima de tudo; queria poder transar com ela sem ser às escondidas, sem pressa para terminar e sem que nada atrapalhasse eles dois. Mais como faria isso? Ela era simplesmente a dona dessa empresa que hoje trabalha e o seu marido o segundo chefe. Isso matava ele por dentro, matava por saber que ele teve a sorte de se casar com uma mulher tão linda dessas mas que até então não sabe aproveitar. Se pudesse, Mingi gostaria de ser o seu único homem, aquele que faria dela a mulher mais feliz desse mundo. Oh céus, ele não sabia mais o que fazer para ser o único.

Mesmo Song pedindo, suplicando e quase brigando com o seu marido, ele sabia que não seria tão fácil assim acabar com esse casamento, até porque a empresa teria que ser dividida por partes, a casa, carro e tudo que tinham também. Ela não queria se divorciar e perder praticamente a empresa que lhe custou cada gota de suor para construir. Ele entendia isso, entendia o seu lado.. mais também estava louco para que isso pudesse acontecer o quanto antes, louco para ser o primeiro e único na vida de sua dama. Ele olhou brevemente para a imensa janela ao lado da sua mesa e admirou melhor o céu tão azul e com poucas nuvens, olhou para o ponteiro e viu que as horas se passavam devagar demais. Existia uma certa preocupação dentro de si, precisava mostrar para ela os relatórios que havia feito e até então a mulher ainda não tinha voltado da sala de seu marido, saiu estressada da sua e foi para a dele mais estressada ainda, alguma coisa estava acontecendo e isso talvez tenha haver com o seu marido que fez algo.

— Será que foi algo tão grave assim? - ele suspirou fundo mais uma vez e desviou seus olhos para o computador bem na sua frente, deixou na tela inicial e levantou sua cabeça. Naquele momento viu a domme passando as pressas para a sua sala, estava ainda mais estressada e não falou com ninguém que precisava falar com ela, praticamente todos ali precisavam falar consigo, mas agora não era o momento certo para isso. Obviamente o menino estava preocupado, havia acontecido alguma coisa grave? Por que ela estava assim? Sua chefe nunca fora uma mulher de se estressar tão rápido assim, ainda mais em seu trabalho, sempre tentava ser a melhor de todas. Mas a carne é fraca e nunca iremos conseguir ser aquilo que mais desejamos para sempre. Foi o caso dela nesse exato momento.

— Mingi, se eu fosse você mostrava o relatório agora, pelo menos ela não vai se estressar mais uma vez. Poupe-a disso. - ele confirmou para a sua segunda chefe daquele setor e levantou da cadeira às pressas, pegou o relatório ao qual estava todo arrumado e seguiu até a sala da mesma. Estava com medo? Bastante! Até porque nunca tinha lidado com ela estressada dessa forma, não sabia como agradá-la ou fazer algo por si, tinha medo que pudesse descontar toda a sua raiva nele, mas a conhecendo bem, sabia que ela não era mulher disso.

Suspirou profundamente e bateu na porta enquanto puxava ela de uma vez só. O seu coração estava em disparado, se encontrava com tanto medo e ao mesmo tempo uma preocupação.

— Quem é? - a voz de sua domme estava realmente muito grave, e, mesmo que estivesse querendo evitar entrar ali, agora era necessário, já estava aqui mesmo, precisava continuar. Mostrou o seu rosto na porta e ela suspirou fundo, fechou seus olhos por um segundo e tentou controlar a sua respiração que estava profunda.

— Posso entrar, domme? - ela abriu os olhos novamente e assentiu para o rapaz. A relação que tinham não era apenas de simples amantes, ele gostava de exercer respeito para a mulher que o ajudou, ofereceu emprego, moradia e além de tudo tomou o seu coração, ele gostava de usar essas referências. Até porque também gostam e praticam o bdsm, sem dúvidas ele não gostaria de receber uma punição por alguma coisa de ruim ao qual fez e ela supostamente não gostou, era excitante mas também doloroso depois.

— Entre, querido. - ela sorriu abertamente e então ele entrou em sua sala, contudo, foi logo trancando a mesma por dentro e aquilo causou um pequeno riso em sua chefe… Sabia exatamente o motivo pelo qual ele estava ali, mas não iria julgar, também estava precisando dele nesse momento. Mingi tinha o dia todo para entregar esse relatório a ela e então o deixou de lado, tomando prioridade para ela, era a mais importante nesse momento.

— Domme, por que você está tão estressada? Aconteceu alguma coisa grave? - ela suspirou novamente, andou até próximo da sua mesa e encostou-se nela, ficando de frente para o seu baby boy e soltando um pequeno sorriso para o mesmo. — Foi ele, não é? Ele te fez alguma coisa? Te agrediu? Falou algo que não deveria? Me fale.. eu irei resolver! - ela acabou rindo quando ouviu aquilo e negou logo após, se sentiu protegida com o seu baby, mas não precisava de homem algum para resolver os seus problemas, já fazia isso por conta própria.

— Eu vou me divorciar, Song Min-gi.

Abismado. Foi assim que ele ficou até tentar recuperar algum sentido do corpo, não estava acreditando nas palavras que ela acabará de soltar, era uma piada, não era? Não podia ser verdadeiro, sempre dizia que o divórcio não seria possível por um bom tempo. Então por que agora estava dizendo isso? Mingi estava paralisado, não conseguia soltar ao menos um suspiro ou falatório, ainda estava sem acreditar nas palavras que acabara de ouvir. Para ele, parecia uma pegadinha de muito mal gosto, até porque poderia facilmente causar uma parada cardíaca no menino que ainda estava tentando entender melhor.

— Está brincando, não é?

— Não, não estou. Chegamos a um acordo, eu fico com a empresa e o carro, a casa e metade do dinheiro fica com ele. Eu vou ter que trabalhar em dobro para pagar todos esses funcionários agora, mas, não será problema, a empresa cresce a cada dia, não é? Talvez em menos de três meses eu consiga tudo novamente. - ela sorriu fraco, mais o seu menino ainda parecia quieto e sem entender muito bem. Agora seria livre para namorar, noivar e casar com ela? Isso estava realmente acontecendo? Era realmente muito sério? Oh céus, Mingi gostaria de soltar fogos de artifícios com uma notícia tão maravilhosa como essa.

— Então agora eu e você podemos…

— Não vamos pensar em nós agora, tudo bem? Vamos deixar as coisas como estão, eu gosto disso e você também gosta. - ele entendia ela, estava acabando de sair de um casamento que viveu a quase cinco anos, não deveria ser nada fácil, principalmente dividir tudo que era dela.

— Tudo bem, domme, faça como você quiser. Eu ainda serei um bobo e apaixonado submisso por você, sempre estarei aqui com você e para você, pode contar comigo. - ele desceu seus olhares contra a mais velha, percebeu que havia algo ainda estranho no seu corpo; ela ainda parecia um pouco frustrada e cansada, estava exausta se assim poderia dizer. Não que estivesse evitando a presença dele na sala, contudo, também gostaria de relaxar um pouco desse dia difícil que estava tendo agora. — A senhorita ainda está com raiva? O que eu posso fazer para isso melhorar?

— Você que me ajudar? - ele assentiu sem nem ao menos pensar. Estava necessitado disso na verdade e não pensaria duas vezes antes de fazer. — Acho que está na hora de machucar os seus joelhos, não é? Vá fundo meu bem, faça o que tem que ser feito. - os olhos do garoto brilharam quando observou ela - aos poucos - começando a tirar sua blusa com botões, deslizando pelo seus braços e parando no chão da sala, ela levou suas mãos até a mesa e se apoiou ali, agora seria ele a continuar o trabalho. — Lembra-se daquele dia em minha casa? Quando você estava indo tão bem com a sua língua e eu logo iria gozar? Oh, eu odiei quando o meu marido chegou em casa e você teve que se esconder… Estava tão perto de soltar tudo na sua cara, uma pena que não deu certo.

Mingi caminhou até ela já sentindo o seu pau duro, apenas em tê-la ouvido dizendo essas coisas, facilmente conseguia se excitar, ainda mais quando ela quem começava. Sem pensar duas vezes, ele cruzou os seus joelhos enquanto os seus olhos brilhavam na expectativa daquilo tudo, deslizou suas mãos pelas coxas e subiu até a saia, onde puxou rapidamente para cima e deixou quase como na altura de sua cintura. Seus olhos novamente voltaram a brilhar quando percebeu que você não usava a calcinha, oh céus, aquilo enlouqueceu o rapaz em questão de segundos. Já desejava entrar em você e deixá-la acabar com ele. Abrindo suas pernas de forma mais rápida, sua língua invadiu com tudo a região íntima e começou a passar pelos clitóris que aos poucos iria se acendendo de excitação. Ela acabou rindo com a pressa do rapaz, fechou os seus olho, abriu mais um pouco suas pernas e tombou a cabeça para o lado, deixando apenas o prazer e relaxamento chegasse ao seu corpo. Não era uma tarefa difícil para o seu menino, ele tinha uma boca que poderia causar várias sensações no seu corpo… Mas a preferida era a sensação do prazer, a sensação que apenas ele poderia causar, aquele momento em que sua língua estava ali dentro.

— Eu, honestamente falando, não me importaria de passar praticamente o horário todo aqui na sua sala e te ajudando a relaxar, eu amo te obedecer, domme, e amaria ainda mais ficar te ajudando todos os dias. - olhando para a mulher no cantinho dos olhos ele acabou soltando um sorriso fraco e voltou para o seu trabalho; te relaxar. — O seu marido não faz as maravilhosas coisas que eu faço, não é? - Song Min-gi logo colocou um dedo dentro dela e sorriu fraco, adorava sentir aqueles dedos o apertando, eram tão grandes, contudo, te relaxava muito mais. Como ela amava isso, não tinha explicações. — Céus, você é tão apertada, domme, deixa-me ainda mais excitado. - ela soltou um pequeno sorriso para o menino e mordeu os lábios em seguida. De certo modo, vê-lo ajoelhado estava causando uma fricção maior no seu íntimo. Era realmente muito bom ver um garoto de vinte anos, 1.83cm ajoelhado na sua frente enquanto tinha como objetivo te relaxar. Isso deixava qualquer pessoa - mulher dominadora - muito mais excitada.

— Oh sim, querido, dessa forma mesmo que eu gosto! - soltou um longo suspiro e jogou a sua cabeça novamente para trás, a sua respiração já se encontrava um pouco ofegante e seria apenas tempo para começar a gemer pelo nome de seu menino. — Isso é tão bom… Você é tão bom comigo, merecia muito mais do que se ajoelhar pra mim todos os dias. — mordeu seus lábios com força e apertou os olhos. Não queria gritar, ainda mais na sala do seu trabalho. Passou suas mãos pelos cabelos dele e puxou com uma força ainda maior, queria muito mais do que aquilo é realmente teria. Song Min-gi fazia de tudo por você, e, te fazer gozar não seria uma tarefa tão difícil assim nesse momento. Ele sabia o quanto estava sobrecarregada e precisava disso, muito mais do que ele mesmo precisava, o seu menino não iria medir esforços para dar-lhe o que gostaria, se pedia por isso ele iria atender em questão de segundos. — Vai meu bem, você está fazendo um ótimo trabalho. - a mulher soltou um pequeno sorriso e novamente voltou a fechar os seus olhos, deixando a desejar apenas outra coisa ali dentro, contudo, deixaria a língua dele trabalhando melhor e com mais precisão. — Min-gi… Oh amor.

Ah sim, finalmente ela estava começando a se animar um pouco mais, sorria fraco e mordendo os seus lábios vez e outra. Era exatamente essa a sensação que ela tanto esperava, a sensação do seu orgasmo se aproximar e ela jogar tudo na carinha tão linda que Song Min-gi tinha. Ele era o seu amante, isso ninguém mais tinha dúvida, contudo, apenas Mingi tinha a capacidade de fazê-la gozar apenas com a língua, nem uma outra pessoa tinha esse poder todo, apenas o seu doce e inocente menina tinha essa capacidade. Essa era uma das personalidades dele, amava tanto que não cabia dentro de si.

— Vai querido… Trabalha essa língua. - novamente puxou os cabelos dele enquanto soltava alguns suspiros ainda mais pesados. Min-gi movimentou a sua língua de cima abaixo e depois voltou a chupar aqueles clitóris tão deliciosos que ela tinha, se sentia ainda mais excitado apenas em chupar aquele local que para Mingi, era o paraíso em forma de um corpo. Só de imaginar fazendo isso todos os dias na sua domme, chupando ela bem gostoso e depois recebendo a recompensa que merecia; de certa forma o deixava ainda mais excitado do que já estava. Depois de tê-la encarado por cima dos olhos e de ter amado aquela visão privilegiada que apenas ele tinha - querendo ou não o seu ex marido não gostava desse tipo de relação -, mas agora tinha uma pessoa para fazer isso em você, um homem capaz de atender todos os seus pedidos sem ao menos pensar duas vezes… E como amava isso nele. Song Min-gi fechou os seus olhos brevemente e soltou um sorriso meio divertido, ele sabia que estava dando certo, logo mais teria aquele orgasmo tão delicioso em seu rosto para se lambuzar completamente.

Diante disso, mais uma vez ele afastou as suas pernas e passou uma pelos ombros do mesmo, agora sim seria ótimo para você soltar tudo o que gostaria. Mordeu brevemente os seus lábios e levantou a cabeça em seguida, agora sim iria fazer o que estava sonhando e desejando, estava tão perto que não tinha mais o que pensar, apenas soltar. Por isso, fez questão de fechar os seus olhos violentamente e soltar diversos suspiros de uma vez só, mordendo os seus lábios para não gritar pelo nome do seu amado, acabou jogando para cima a sua cabeça. Oh céus, agora sim estava ainda mais perto do que antes, não excitaria em soltar tudo aquilo no rostinho tão lindo que ele tinha.

— Min-gi, meu bem! - por fim, depois daquele abafado gemido, acabou soltando o seu orgasmo como bem estava imaginando, nem ligou se iria suja-lo ou não, só queria dar-lhe o que tanto estava pedindo. — Oh meu amor. - agora mesmo se sentia mais realizada do que antes, como estava querendo fazer isso com ele.

— Que delícia, domme! - o jovem te olhou por cima dos olhos com um sorriso contagiante nos lábios. — Eu amo sentir o seu gosto. - rapidamente puxou os meninos sobre os cabelos para cima e ferozmente beijou os lábios tão deliciosos dele. — E amo ainda mais quando sou recompensado por você, domme. A mulher sorriu fraco e voltou a beijar os lábios dele mais uma vez, agora mais necessitado do que nunca.

E foi ali, naquela sala, que vocês transaram por pelo menos duas horas seguidas, Mingi sentindo o seu corpo e deixando que fizesse tudo ao que queria nele, afinal de contas, o seu menino amava as recompensas que você dava por um bom trabalho feito. E mesmo todo acabado, maltratado e destruído, Song Min-gi esperava mais uma vez que a sua domme pudesse destruí-lo. Depois de um bom relaxamento vem sempre a recompensa, e a dele era a melhor de todas.


Notas Finais


Coletânea Mommykink (fem!dom):
https://www.spiritfanfiction.com/listas/femdom-mommy-kink-3196525

E vamos de fem!dom com o ATEEZ agora. Pois é, estarei escrevendo com eles também, finalmente né. 🙌
Quem gostou bate palma, quem não, paciência... 😳😋

Favoritem e comentem aí quem acabou gostando, adicione na biblioteca também, tou pensando em um bônus com BDSM 👉😘👈

Meu Perfil: @Sweetback


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...