História Into in Sottwer, Demon or Angel, Flowers in Fire - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Error Sans, Frisk, Grillby, Ink Sans, Mettaton, Muffet, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Afterdeath, Aus, Determination, Dustberry, Errink, Incolors, Kustard, Outerscience, Spiwhirit, Undertale
Visualizações 10
Palavras 2.517
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Fluffy, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Steampunk, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Noussa, eu pensei que Domingos fossem legais, mas aí me arrependo. São chatos e monótonos, principalmente quando se está sem internet. Um motorista maldito 'quebrou' um fio aqui da rua ao tentar dar a curva e a Net só volta segunda, é, sou folgada, to usando a do Vizinho nhe. Tô tentando ser rápida pra apresentar os outros personagens da fic, assim, a cada capítulo, é um personagem novo aparecendo.

Aviso: Plágio é crime!

Bjs de mel e boa leitura ^°^

Capítulo 9 - Travis, o Drama Queen


 Pov's Sylvie

Acordei naquela manhã com o despertador programado soando alto por todo o quarto do dormitório. Incrível, desta vez fui eu o primeiro a levantar. Levantei-me da cama sem muita animação e joguei o aparelho irritante contra a parede, não aguentando mais ter de ouvir aquela coisa. Olhei em volta e suprimi um suspiro, o relógio de parede marcava quatro horas da madrugada. Bem, não iria fazer diferença agora, já estou acordado mesmo. Meh. Acho que vou passear por estes corredores. Caminhei até o único guarda roupa do quarto e vasculhei-o em uma parte, encontrando as malas com as roupas que o sênior Orange, Chermont, tinha deixado para mim e para Heron. Peguei a minha mala e após isso fechei o guarda roupa, destravando-a e escolhendo umas roupas. Basicamente, meu cachecol vermelho, uma short branco com linhas pretas nas verticais e a minha jaqueta branca casual de mangas curtas, escrita "Docinho" no meio. De calçados, as minhas pantufas rosas estilo cachorrinho. Calçada as pantufas, vesti tudo na maior pressa e travei a mala novamente, jogando-a em qualquer canto do quarto e lentamente me retirando dali. 

- Não acho que alguém esteja acordado, mas vai, é, eu posso acabar trombando com alguém, um fantasma.. Talvez... - Contive um sorriso largo ao recordar sobre as historietas que contavam em relação ao internato, queira saber mais sobre esse assunto, um clube de terror até que seria bom por aqui.

Continuei a caminhada por aqueles corredores vazios e abandonadas, não havia qualquer traço que pudesse indicar que uma alma viva estaria acordada uma hora dessas. Mesmo com o anoitecer pendendo, as luzes deste andar continuavam ligadas, iluminando o local e livrando-o da escuridão que era quando chegava a noite e o dia se retirava. Comecei a achar que ficar perambulando por aí não ia adiantar de nada, isso foi até começar ouvir passos nos corredores. Desconfiado mas decidido, procurei um canto em que pudesse me esconder para ver quem era o 'indivíduo fantasma' que passava por ali. Minutos que eram horas passaram-se, um formigamento em meu pescoço fora o suficiente para que eu furtivamente me virasse para os lados e deparasse com quem eu menos queria encontrar naquele internato.

-Procurando algo? — Ele sorria de um jeitinho irritante, suas órbitas com pupilas roxas vidradas em mim, parecia estudar cada centímetro do meu corpo, que encanto!

- Na verdade, nada de mais, só.. Um.. Hã.. Nao.te.interessa. — Sorri por entre os dentes, erguendo-me de onde estava agachado e saindo dali em passos largos.

Mas o fela da puta, do tipo que não liga pro que você fala, ignorou as minhas palavras e teleportou-se para perto de mim, acompanhando os meus passos e o meu ritmo. Puta que pariu, eu sou mesmo um azarado em ter de aturar um desgraçado desses!  Desesperado para me livrar daquela criatura, me teleportei para o mais longe possível dali, e acabei que por me encontrar em um outro local desconhecido por mim mesmo.

- Melhor dia da minha , uhu.. — Murmurei em um tom sarcástico, checando mais uma vez se tinha alguém ser vivo ali por perto.

- Eu diria que sim.. — E de novo, aquela criatura perseguidora reaparece.

Revirei as órbitas e virei-me de imediato para o imprestável. Este tinha o mesmo sorrisinho irritante de anteriormente, da mesma forma que não retirava suas órbitas de pupilas roxas de mim. Podia jurar que estava comendo-me com os olhos, mas acho que ele não seria tão tolo de ter estes pensamentos pervertidos em relação a mim. Não. Ele não teria coragem. Não. Ou será que teria...?...

- Heh, olá sweet, sou Travis, suponho que seja um dos novatos? — Deu uma risada notavelmente irritante e escandalosa.

- Exato. Sylvie. Notícias voam né? — Retribui um sorriso meramente falso, definitivamente não aguentando mais manter aquele diálogo.

Ele murmurou alguma coisa que eu não consegui entender e sorriu do canto da boca, assentindo.

- Na verdade, um passarinho me contou, mas dá no mesmo. 

- E esse 'passarinho' por acaso é um stalker? — Lhe lancei um olhar desconfiado, e ele riu de leve, concordando e dando de ombros.

- Ahan, e me parece bastante abismado com o fato de você ser tão.. Como dizer.. Hmm... Isolado? — Procurou as palavras certas no final, desviando o olhar para os lados. - Bem, vejo que tinha razão.. Heh.

- Meh. Ele só não me conhece direito. Quem dera pudesse. Do jeito que é, ninguém consegue aturar. Pelo menos, eu não consigo. — Admiti com um sorrisinho, pensando no quanto charlatão ele era, do tipo que te cantava e não dava a mínima sobre o que você ia pensar depois.

- E você gostaria de o conhecer? — Voltou-se para mim com as órbitas brilhantes, um olhar curioso e incompreensível estampado em seu rosto.

- Pfft!! — Segurei uma risada, tentando recuperar o fôlego. - Haha, nunca! E porque se importaria com esse assunto? Eu mal te conheço. 

- Sei lá? Tipo, me vêem como um conselheiro psicológico. Talvez eu devesse agir como um afinal, é, eu sou um bom ouvinte. — Murmurou, suspirando e fitando o teto por uns breves instantes.

Conselheiro psicológico, ouvinte? Bem, estes últimos dias, acho que estou precisando de um

- Você sabe que horas são agora? Tô sem relógio. — Admiti embaraçado, aguardando pacientemente sua resposta.

- Bem.. Eu acho que.. Por volta de.. Umas.. Oito e trinta e quatro. Seria horário do café da manhã. — Sorria, começando a caminhar, o segui. - Ora, agora não é eu que estou lhe seguindo, não é mesmo? — Deu mais uma vez uma risadinha descontraída, as vezes parando no meio do caminho.

Ri e concordei com um leve assentimento da cabeça, meus passos eram lentos conforme atravessava o seu ritmo.

- Você conhece o Burnier? Não sei porquê, mas sinto que são amigos, não sei?.. — Indaguei.

Ao ouvir o nome citado, ele parou completamente em seu caminhar e fitou-me com um olhar de tamanha surpresa e desentendimento, balançando a cabeça de um lado pro outro como se quisesse negar alguma coisa.

- Você acertou. Éramos amigos de velha data. — Sorriu fraco. - Isto foi até ele me esquecer e nosso laço de amizade enfraquecer, até restar apenas um lembrança como consolo. Eu mal me recordo de como eram aqueles tempos de amizade que tínhamos, faz tempo tempo.. 

Amizades parecem não durar muito por aqui. 

Logo nos víamos atravessar o espaço aberto para a cantina depois de sair daquele segundo andar, alguns alunos retiravam-se preguiçosamente do local e dispensavam-se para seus quartos dos dormitórios, talvez para tirar uma soneca merecida antes de irem verificar o horário de aulas e tudo mais. As moças da cantina também pareciam meio cansadas por conta do trabalho de ter de preparar um café da manhã mais reforçado e vitaminado. Mesmo de longe, podia sentir o delicioso cheiro de panquecas na frigideira, o doce sabor de mel derretido sobre minha boca, isto fora o suficiente para que já começasse a babar ao imaginar-me experimentando daquela textura e sabores. Alunos começavam a se organizar em filas separadas para pegarem seus pratos, alguns já estavam na mesa e conversavam animadamente sobre coisas paralelas, debatiam sobre assuntos que tinham em comum ou vez ou outra beliscavam o prato de panquecas. Alguns rostos conhecidos se faziam presentes naquelas mesas, Yves, Remi e seu grupo pelo menos. 

- Hey, venha sweet, o café da manhã não espera! — E saiu me puxando para uma fila da cantina, tivemos de esperar ali para pegar nossos pratos.

Uns olhares alheios foram direcionados rapidamente para mim e Travis, cochichos vindo das mesas em relação a nossa 'amizade' inesperada e murmúrios indesejáveis em relação a minhas roupas. Puta que pariu. Minhas roupas? Esse povo é ridículo mesmo.

Não demorará muito para que chegasse a nossa vez de pegar nossos pratos. Travis pediu apenas uma pequena porção de panquecas e dispensou o mel, mandando adicionar de bebida um capuccino refinado, disse que não podia comer muito por conta das calorias. Tá. Sei. Calorias. Agora eu é que devia estar de jejum. Sou mais gordo que uma baleia e ele reclama de si mesmo, santa paciência. Pedi várias porções de panquecas, uma trilha delas pelo menos, várias coberturas de mel derretido e de bebida gelada um suco de cereja no copo. Só sei que nunca vou esquecer desde o último ocorrido, nunca mais escolho comer comida exótica. Nunca. 

- Você vai se sentar aonde sweet? As mesas não estão muito ocupadas, mas acho que se você for escolher, pode se sentar comigo e a galera. — Comentou com um sorriso largo, e sem esperar, saiu andando em direção a uma mesa com um grupinho todo reunido.

Me.. Juntar a galera? Não sei se é a melhor opção, eu sou do tipo anti-social, nunca fico muito com ninguém, prefiro mais ficar em um canto solitário do quê ter de ouvir as pessoas tagarelando no pé do ouvido. Dei de ombros e o segui logo atrás, não ia custar muita coisa socializar um pouquinho. Só espero que Heron não fique assustado de não me encontrar, o estranho é que ele é que sempre é o primeiro a acordar. Heh, deve ter sido o mal uso do despertador, isso que dá ficar jogando no computador até tarde da noite. Peguei um lugar que sobrou e depositei minha bandeja em cima da mesa, todos eles pareciam divertir-se uns com os outros, dando bobeira, conversando sobre a vida, poucas e boas.

- Hey galera, esse aqui é o novato, Sylvie! Fala aí sweet, se apresenta! — Travis exclamou escandaloso, piscando levemente as órbitas enquanto beliscava um pouco da panqueca e após isso bebia de seu capuccino.

Me encolhi um tanto quanto constrangido, o coração quase que saía pela boca. Que merda hein Travis, faltava gritar? Bufei e revirei as órbitas, mandando um "oi" baixinho pra eles e desviando o olhar para meu prato de panquecas. Desse jeito eu perdia o apetite fácil.

- Uou, o novato é caladinho! Heh, prazer parceiro, eu sou Marly! — A humana me cumprimentou com uma alegria contagiante.

Marly era uma humana de olhos azuis cristalinos. Ela seria quase albina, se não fosse por sua pele clara. Seus cabelos eram louros encaracolados, de vez em quando ela assoprava a franja dos olhos, que a impedia de ver. Suas bochechas era redondas, rechonchudas, dava-lhe um aspecto fofo e amigável. Suas sobrancelhas eram finas e castanhas, os olhos eram redondos e bem abertos. Ela estava a usar um tipo de vestido azul de renda florido, que ia até os joelhos, usava sapatilhas com lacinhos pretos e bolinhas brancas.

- Pois é Marly! Mas logo ele se solta querida, nesse grupo ninguém é calado não! — Travis riu e terminou com suas panquecas e o capuccino, enquanto eu nem comido havia 

- Não sei porquê tanta exaltação Travis, deixa o novato em paz. Outra voz se pronunciou, mas desta vez era um esqueleto, assim como eu e Travis.

Ele não tinha Glitch em um olho como eu, ou vestia roupas extravagantes como Travis. Usava uma boina arroxeada sob o crânio, suas órbitas tinham pupilas lilases psicodélicas, vestia uma camiseta colorida com as cores galácticas, uma meia calça também galáctica, usava uma jaqueta azul escuro e calçava sapatos de sola dourados.

- Caramba René, cê é chato demais! Acho que passar tempo com Gil não tá lhe fazendo bem! — Travis resmungou com uma careta, rindo juntamente a Marly, recebendo um dedo do meio de René.

- Nada haver! Gil é muito legal pra você saber! Ele não é que nem você que toda hora fica se esfregando nos outros por ai Travis. — Revirou as órbitas, empurrando a bandeja vazia para frente da mesa.

Eles acabaram que por me explicar que Gil era um dos nerds da escola, ele era muito apreciado pelos professores por conta de sua intelectualidade. Travis, sem que René estivesse ouvindo claro, comentou que este tinha uma possível queda pelo nerd cientista, ele meio que 'shippava' os dois juntos também. Nem queria saber mais do que ele comentou, só coisas pervertidas, como imaginar eles dois juntos numa cama e.. Ah você entendeu!

Quebra de Tempo ~

Depois de acabar com as panquecas e terminar de beber o suco de cereja, ficamos um tempinho ali na cantina jogando conversa fora. Até que foi divertido, eu admito, não imaginei que fazer amigos fosse assim tão fácil. Imaginei que fosse algo como invadir um campo em guerra e ter de se proteger com palavras intelectuais que serviriam de escudo. É. Bem besta de minha parte pensar isso.

- E aí ele jogou a torta na cara dele! Foi h.i.l.á.r.i.o! Yves sabe realmente como acabar com a vida dos outros heh! — Travis ria enquanto contava sobre os últimos ocorridos no internato.

Nada de mais. Só coisas que acontecem na escola. Tipo, briga com os professores, Yves sendo detido, Darci levando advertência por ser paquerador de mais, faltas, guerras de comida, etc.

- Huh.. Sério? Me diz, quem é que não arruma uma confusão dessas? — Marly comentou com um sorriso debochado. - Eu lembro, que talvez, só talvez, Pallas vá dar uma festa! Ettienes vai estar lá, claro, eles moram juntos literalmente.

Pera.. Ettienes? Então eles estão mesmo estudando aqui? Uou! Heron realmente vai pular de alegria com esta notícia, se eu conheço bem. 

- Uma festa? My gody! É claro que eu vou miga!! — Travis dava gritinhos internos com a notícia. - More, eu não me divirto numa festa faz dias! Eu adoraria me encher com bebidas alcoólicas pra esquecer o panaca do Burnier!

- Meh. Eu não vou. Combinei com Gil de ficar estudando pra prova de história. — René sorriu sem graça, levantando-se de seu lugar na mesa. - Eu já vou, tenho de revisar a matéria, bem, boa sorte em espalhar a notícia da festa Travis. — Acenou, se afastando.

Quando saiu, Travis apenas compartilhou olhares de pura malícia com Marly, os dois pareciam suspeitar de algo, mas não quiseram compartilhar as suspeitas comigo. Não que eu me importe tanto assim, claro. Travis e Marly começaram a reenviar SMS um pro outro, devem estar já espalhando a notícia sobre a festa por meio de suas redes sociais. Pude ouvir vários sininhos de notificações apitando, mensagens de outros contatos de seus telemóveis.

- Prontinho! Tudo acertado! Cabei de falar com Pallas, vai ser na casa do Ettienes mesmo! — Desligou o telemóvel e o pós sobre a mesa.

- Então tá, só espero não ter de te trazer bêbado pra cá! — Marly debochou, guardando seu telemóvel em sua bolsa vermelha de couro.

- Haha, que nada! O máximo que vai acontecer é ele vomitando no caminho. - Me intrometi, lançando um olhar vitorioso pra Travis, que me deu o dedo meio e saiu com uma cara de tacho.

- Ele se vira. Tá acostumado. 

Marly sorriu serena e o seguiu despreocupada, Travis realmente merecia o melhor papel para 'Drama Queen'. Levantei-me da mesa também e sai de lá da cantina, chega de passeios por hoje, vou revisar os horários de aulas.

Pov's Sylvie off



Uma festa.. ?..







De que modo as coisas acontecem?






Oh.. Sim... Tem todos os jeitos .







Sorria, flores não florescem assim tão rapidamente se elas rejeitam os raios do sol..






É provável...







Que os fios presos conectam-se a primavera...






Doce primavera..






Heh...



| Fim de capítulo 7 |


Notas Finais


Hoi! Espero que tenhas gostado do capítulo! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...