1. Spirit Fanfics >
  2. Into the open air >
  3. Salvando sua pele

História Into the open air - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Estou postando novamente esse capítulo, pois fiz uma alteração de peso pra história, que não quiser ler tudo de novo, pode pular pro diálogo do Legolas e do Thranduil que da no mesmo

Capítulo 4 - Salvando sua pele


Após tantos anos de treino, foram poucas as vezes que Tauriel e Legolas puderam por a prova suas habilidades de luta

O que deixava a jovem elfa um pouco frustrada, o que não era de todo o ruim, pois significava que o reino estava seguro, mas ela não podia deixar de pensar se outros povos  estavam tão seguros quanto o dela, vez ou outra

Todo o facinho que ela tinha, por descobrir coisas novas, se aplicava a outras culturas, e muitas vezes ela se pegava pensando, nas dificuldades que outros povos tinham, enquanto estava sozinha, quando podia esconder seus pensamentos

Mas, rapidamente foi tirada de seus devaneios privados

- Tauriel, está ocorrendo uma invasão de trolls e orcs na parte baixa da floresta - avisou um guarda apressado

Ela prontamente foi até os locais de treino e pegou seu arco e flechas, juntamente com suas espadas

"invasão ele disse?"
Ela pensou exitante, rezando aos deuses que nenhum cidadão estivesse  ferido, desejando que pudessem conter aquele ataque

Ela montou em seu cavalo, e partiu para o portão do castelo junto de outros guardas

- Ia caçar trolls sem mim Tauriel? - Uma voz brincalhona porém suave  disse logo atrás dela

Ela se virou para encarar Legolas, e  sorriu ao ver sua expressão sorridente, as vezes sentia que era impossível não sorrir perto dele

- Oh desculpe Mellon, me parece que você está atrasado - ela disse dando risada

- Tive algumas pendências a tratar - Ele disse olhando para frente

Ela logo imaginou que deveria ser algo relacionado ao pai

Assim que o portão abriu, todos os guardas saíram em disparada, preparados para o iriam encontrar, todos sérios e concentrados

Poucos minutos de cavalgada foram nescessários para chegar ao local do ataque, ao passar pela entrada da aldeia, Tauriel sentiu uma sensação de déjà vu, tão grande que puxou bruscamente o freio de seu cavalo,
Desejou estar em qualquer lugar que não fosse aquele

- Desculpe amigo - ela falou, direcionando o animal rapidamente para perto de algumas casas, o clima estava frio, e  haviam grupos numerosos de orcs invadindo casas, e outros trolls partiam para cima de moradores

Ela foi mortal, atacando-os com flechadas na cabeça, saltando em sua direção pronta para matar os mais resistentes, ela tinha sangue nos olhos, sentia que devia aquilo para aquela população

Deixou o cavalo e correu na direção de alguns trolls, que iam atrás de moradores, ela não podia deixar de se perguntar o motivo do ataque, mais ainda, ela se perguntava o motivo da união daquelas criaturas, ela parou no meio de todo aquele caos, ouvindo os gritos, e sentindo o cheiro de sangue, sem saber se era élfico
Foi um ataque tão mortal, e era inegável que um número considerável de elfos havia morrido, parecia que quanto mais trolls caiam, mais brotavam

Ela quis saber imediatamente da onde eles surgiam

Correu pelas ruas, matando todos que estavam em seu caminho, travando lutas brutais, mas ela não podia se deixar abalar pela dor que lhe invadia os músculos, ao ver seu amigo, em apuros

Legolas lutava bravamente contra um troll bem grande, ele era hábil com a espada e se defendia com destreza, porém  notando tarde de mais um grande troll indo em sua direção, Tauriel sacou seu arco e mirou no olho esquerdo daquela criatura maligna, acertando em cheio, e correndo para salvar seu amigo

- Salvando minha pele novamente - ele disse sorrindo, enquanto lidava com outro monstro

- É o meu dever Mellon - Ela lhe sorriu de volta

O troll foi furioso na direção da elfa, determinado a acabar com ela, distribuído socos em sua direção, que ela logo desviou e usou sua espada para a sua defesa, a criatura, agarrou seu braço e a jogou no chão, Tauriel ficou surpresa pelo troll conseguir pensar em algo assim, logo se pôs de pé, e acertou novamente o bicho com algumas flechas

"Não deveria ser tão difícil acabar com essa coisa"

Em determinado momento, o troll, conseguiu acerta-la, com um soco tão forte que fez com que ela batesss contra uma parede, sentindo os ossos estalarem

Legolas que a poucos segundos havia ganhado a própria luta, não exitou ir ao auxílio da amiga, atacando o troll por trás, pulando em suas costas, tentando cortar-lhe a cabeça, Tauriel usou aquilo como distração, e agarrou a própria espada, golpeando a criatura no meio barriga, o troll fez um último barulho grotesco e caiu sem vida

A elfa se aproximou para ajudar Legolas a levantar

- Parece que quem salvou a minha pele foi você, mellon - Ela falou estendendo-lhe a mão

- um evento muito raro eu devo dizer - respondeu rindo, mas logo tirando o sorriso do rosto e tocando a face da elfa a sua frente - Você está bem? Se machucou

Ao sentir o toque do príncipe, um calor envolveu o rosto de Tauriel, ambos eram muito discretos e toques eram coisa rara, logo tratou de sorrir e afirmar que sim

Continuaram lutando lado a lado, e junto com outros guerreiros, acabaram com a orda de criaturas restante, reunindo os corpos daqueles monstros e jogando um em cima do outro

A elfa se afastou da guarda e foi rapidamente revirar os escombros, Legolas obviamente foi atrás

- Procurando algo Tauriel? - ele disse se aproximando

- Sobreviventes - disse séria

Ele não pode evitar de pensar o quanto aquela situação deveria se assemelhar com o ataque sofrido por ela na infância, logo tratou de ajudá-la

Tauriel já sabia o que ele devia estar pensando, e não pode deixar de sentir seu coração se aquecer pelo ato do melhor amigo

Ambos buscaram e reviram até acharem uns poucos moradores da aldeia, e direcionaram eles para junto dos outros, longe do local de batalha

Alguns guardas se ofereceram para escoltar os cidadãos até a parte alta do reino, a elfa foi junto, querendo se assegurar que todos teriam um lugar para dormir

Legolas teve de voltar ao palácio, para fazer seu relatório ao rei, dizer o resultado da luta, e pedir auxílio quanto ao destino dos moradores sobreviventes, sentindo que deveria ficar e ajudar sua amiga, mas partindo mesmo assim

ℕ𝕠 𝕡𝕒𝕝𝕒𝕔𝕚𝕠...

Ele cruzou com pressa a passarela que levava até o trono do rei se curvando e levantando a cabeça dirigiu a palavra ao seu pai

- Meu rei, venho-lhe informar sobre o ataque

-  Já estava aguardando você Legolas, diga-me os ocorridos da batalha

- Bem, nossas tropas se espalharam pela cidade, lutando com os trolls e orcs bravamente...

- Trolls e orcs? - o Rei disse expressando a sua confusão e descontentamento

- Sim, trolls e orcs, peço a sua permissão para investigar o motivo da união desses grupos de criaturas

- Permissão concedida, volte a falar sobre a batalha - Disse Thranduil gesticulando com a mão, para que seu filho desse continuidade aos relatos

- Enfim, nossas tropas se dividiram, e não com muito esforço derrotamos todos os orcs e trolls que atacavam a cidade, mas algo me chamou atenção, eles eram mais resistentes, e nos atacavam em pontos certeiros

- Se aprofunde nisso

- Bom, enquanto eu lutava com um, outro troll veio pelas sombras em minha direção, era enorme devo dizer, mas Tauriel o conteve, ela lutou muito bem, porém enfrentou dificuldade para acabar com este, mas lutamos lado a lado e derrotamos a besta, ela foi realmente habilidosa - Thranduil ao ouvir tais palavras, não se impressionou nem um pouco, ele sabia das habilidades louváveis da elfa, mas o que lhe arrancou surpresa foi o brilho mínimo nos olhos de seu filho

- Mas eu estava pensando em como essas criaturas chegaram de repente em nossas terras

- De fato é incomum, em relação a sua missão, quantos soldados ora leva? Acredito que deve escolher a dedo, temos ótimos rastreadores - Thranduil se levantou e caminhou na direção do filho

- Acredito que não será nescessário, já tenho uma elfa em mente, e acredito que outros soldados serão mais úteis aqui, visando que outros ataques podem ocorrer - Legolas disse, dando um tiro no escuro

- E onde está Tauriel agora? - Thranduil perguntou, não tão interessado na resposta

- Ela assumiu o dever de ajudar os sobreviventes a se reinstalarem na parte alta do povoado

- Vai se juntar a ela? E ajudar os moradores?

- Sim, com a sua licença...

- Pode ir, tem a minha permissão para partir em missão  - E vendo o príncipe partir com tanta pressa quanto entrou, o rei se pôs a duvidar do antigo julgamento que fez sobre a elfa que a tanto tempo havia resgatado

 ℕ𝕒 𝕒𝕝𝕕𝕖𝕚𝕒...

- Muito obrigado, Menina - Uma mulher dizia apertando o braço de Tauriel, que a ajudava a se deitar na cama do hospital (elfos tem hospital?)

- Não se preocupe senhora - ela disse tantando dar o mais esperançoso dos sorrisos

- temos sorte de ter alguém bondosa como você em nossa guarda - a mulher disse, puxando os cobertores

Tauriel sorriu e saiu ao auxílio do outras pessoas, oferecendo ajuda aos médicos elfos, uma ajuda que foi bem vinda, pois ela tinha um conhecimento variado sobre a medicina élfica

Ao notar Legolas na porta enquanto cuidava de uma garotinha, ela não pode deixar de sorrir, ele veio em sua direção, os cabelos brilhando a luz dourada do local, as roupas meio gastas devido a batalha, mas ainda sim...

"O que está pensando Tauriel?" Ela repreendeu a si mesma, ficando constrangida pelos próprios pensamentos

- Confesso que quando disseram que estava no hospital já te imaginei toda acabada - ele disse rindo

- Você nunca vai me ver acabada Legolas - ela lhe direcionou um olhar carrancudo, mas logo sorriu brincalhona - mais fácil ser o contrário

- Eu duvido senhorita - Ele falou revirando os olhos

A criança que acompanhava tudo quieta não pode deixar de dizer: - Vocês formam um belo casal

Ao ouvir tal suposição, Tauriel ficou tão vermelha, um calor subindo pelas orelhas, Legolas não ficou atrás, deu risada do constrangimento da amiga, mas ele mesmo estava corado

- Nós não somos um casal -  a elfa respondeu baixo

- Mas vocês ficam bem juntos - a criança respondeu dando de ombros, teimosa querendo dar a última palavra

Tauriel tratou de terminar de enfaixar a perna dela logo e sair daquela situação embaraçosa

Quando já estava em outro paciente, olhou para Legolas que ainda estava em seu encalço

- Quer algo mellon? - fez a pergunta sem olhar para ele

- Vim lhe informar que partirei em uma missão...

- E quando pretende voltar?

- O mais breve possível, irei investigar as origens do ataque recente

- Entendo, e irá sozinho? - Tauriel disse voltando a atenção no enfermo a sua frente

- Eu imaginei se você não poderia me acompanhar

Ao ouvir aquilo a elfa sorriu e olhou novamente para ele, sentindo-se contente por ter sido escolhida para tal missão

- O que acha?

- Eu aceito obviamente, não vou deixar aqueles orcs acabarem com você - disse ela rindo

- Me alivia ouvir tais palavras - ele respondeu rindo também

Logo ele tratou de se mexer e ajuda-la

E assim passou o resto do dia, com os moradores abatidos, porém aliviados pela ajuda que lhes foi oferecida

E com uma Tauriel agradecia e confortada pela presença de seu amigo e suas brincadeiras para distrai-la

E Legolas tocado ao ver ela tão empenhada a ajudar os moradores, pensando também que teria de decidir os detalhes da missão que em breve embarcariam 


Notas Finais


https://my.w.tt/a7fZZpPnD8 o link da história por outra plataforma, estou sempre corrigindo e postando primeiro lá, quem quiser dar uma olhada, se sinta a vontade


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...