História Into You - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Ação, Amor Bandido, Criminal, Justin Bieber, Romance, Sexo
Visualizações 238
Palavras 1.743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieee amores, tudo bem? ❤

●°• LEIAM AS NOTAS FINAIS •°●

Capítulo 27 - Capítulo 26.


Havia colocado um biquíni branco, que agora se destacava contra minha pele bronzeada. Também tinha tentando, de novo - numa tentativa falha - de falar com ele, mas nada. Havíamos passado o dia da areia, bebendo sucos naturais e comendo saladas de frutas com bastante chocolate. Sem nada em mente eu me dediquei a Bi, porque Andy estava ocupada de mais prestando atenção em cada pessoa que entrava no hotel. Por mais que Bianca nunca me deixasse sozinha, eu não me sentia totalmente preenchida. Eu sentia falta de todos eles... De minhas conversas com Chaz e minhas discussões bobas com Ryan... Do amor louco de Justin e do carinho do meu irmão.

Mas, tudo ia passar... Eu esperava pelo menos. Enquanto caminhamos de volta para o quarto, eu e Bi conversamos sobre shows que gostaríamos de ir, mas a conversa acabou aasim que chegamos  no quarto e vimos que Andy estava aos prantos, bagunçando todas as minhas coisas.

–– O que você quer aí? –– perguntei irritada.

–– Cadê? Você não trouxe nenhum absorvente? –– ela perguntou nervosa. Absorvente? Para que se eu não estou menstruada? Um momento... Hoje é dia dezenove...

Eu me sentei bruscamente e respirei fundo. Bianca deu um dos seus para Andy, que correu para o banheiro. Comecei a contar mentalmente o último dia de minha menstruação... Às vezes em que tive relações com Justin e também quando não tomei remédio e quando ele não usou camisinha. Ok, havia descido para mim dia sete do mês passado, e não é possível que eu esteja... Grávida. Hoje era dia vinte e três... Meu Deus! Deve ser estresse, por isso não aconteceu nada até agora. Isso já aconteceu antes, é normal... Eu não estou grávida. Não estou.

JUSTIN

Estava exatamente a uma semana sem dormir. Era dia e noite da minha vida tentando ter algo contra Frank, mas parecia que o filho da puta resolveu por fim virar inteligente e se esconder igual rato. Chris não saia de seus computadores por nada, enquanto Ryan tentava viajava Frank para todos os lados. Chaz e eu estávamos de olho no seu próximo golpe, que devido aos cálculos de Chris e Ryan aconteceria daqui a três noites. Fazia tempo que não falava com Leslie, mas ela precisava de um tempo longe de mim, tanto quanto eu dela. Eu não tinha percebido antes o quanto ele significava para mim, e se por algum acaso qualquer tipo de risco para a vida dela surgisse eu preferia morrer no lugar dela. Eu não podia colocar sua vida em perigo.

Eu consigo.

Estava tomando o décimo copo de café hoje, e Chris me olhou assustado.

–– É melhor você ir descansar um pouco... –– ele falou.

–– Estou bem... –– minto esfregando os olhos.

–– Cara, Leslie vai ficar bem. –– Ryan falou.

–– Droga... Só quero trazer ela de volta. –– Falo amargo.

–– Então traga. –– Chaz fala.

Eu  sorrio irônico.

–– Vocês falam como se fosse fácil... Porra, ela vai acabar se machucando se voltar. –– aviso.

–– Quem disse? Estamos todos aqui, Bieber. Vamos protegê-la. –– Chaz continuou a falar.

–– Não... A gente mal fica em casa, como podemos protegê-la? –– Pergunto já sentindo a raiva crescer dentro de mim.

–– Vamos nos mudar. –– Chris fala. –– Não somente para outra casa, mas para outro lugar. –– ele concluiu.

–– Onde? –– Perguntou Ryan.

Era lá que tinha um estúdio de balé que Leslie queria frequentar, eu já ouvi ela dizer isso. Eu sei que ela iria gostar da surpresa.

–– Saskatoon. –– respondi.

–– Estamos falando sério? –– Ryan perguntou animado.

–– Chris venha comigo, vamos buscá-la. Ryan compre qualquer casa lá e leve todas nossas coisas para lá. Chaz, assegure que seja de difícil acesso para qualquer pessoa. Estarei de volta assim que possível.

–– Beleza. –– Ryan falou se levantando.

Eu e Chris fomos para nossos quartos, arrumar nossas coisas. Guardei todas as minhas roupas dentro das malas e peguei apenas uma mochila com três mudas de roupas. Minhas coisas estavam prontas para Ryan pegar quando fosse levar tudo embora.

~(...)~

Sempre pensei que amar era fosse um  termo qualquer, mas me enganei... Minha mãe estava certa, certa antes de ser assassinada... Quando a perdi pensei que nunca mais seria capaz de amar uma pessoa, tanto quanto mãe, amigo, ou como minha mulher... Enganei-me; Leslie havia feito eu enxergar que amor é muito mais além disso. É na verdade uma jura de sinceridade e honestidade. Nunca pude ser capaz de mentir para ela, ou enganá-la, pois sentia que não estaria sendo verdadeiro comigo mesmo, e nada seria mais importante que isso. Eu a amava, e sabia que a amaria por todos os outros dias que ainda estarariam por vir... Pois era ela. 

Eu lutaria por ela... Me casaria com ela. Compraria uma casa na praia, e abriria uma academia, para que ela pudesse ensinar as pessoas a dançar. Eu cuidaria dela mais que tudo na vida. Iriamos adotar um filho... Faremos dele um bom rapaz. Conseguiríamos contruir nossa família, e nada seria mais importante que isso. Nada valeria mais a pena do que isso.

~(...)~

Quando chegamos  eu respirei profundamente. E encarei Chris, que estava calmo demais para o meu gosto.  Ele riu de meu apavoro e entrou no carro. Sentei-me no banco de carona e comecei a passar minhas mãos nas minhas pernas. Estava ansioso para vê-la. Animado demais, e isso tudo estava tão visível que Chris riu baixinho de mim outra vez, me fazendo fechar a cara pra ele. Eu apertei minhas mãos em punhos quanto paramos de frente ao hotel.

Respirei fundo e saí às pressas; fui até o porta-malas pegar minha mochila e corri para dentro. Não consegui esperar por Chris, estava quase roendo as unhas, mas meu coração disparou assim que eu atravessei a porta de entrada do hotel. Todos ali já me conheciam, eu tinha praticamente fundado essa porra toda, e o respeito deles, era foda de mais.

Fui para a suíte principal e abri a porta.

–– Leslie? –– Gritei. A mulher que estava fazendo faxina no quarto apareceu assustada.

–– Ela está dormindo, senhor. Passou mal pela manhã. –– ela informou empurrando o carrinho para fora do quarto.

Eu larguei minha mochila no chão e andei com pressa até o local onde ficava a cama. Ele estava vestida apenas com um conjunto de calcinha e sutiã de renda branco. Sua pela estava mais escura, ela tinha pegado um belo bronzeado. Eu estava preocupado de mais para acordá-la. O que será que tinha acontecido? Por que ela tinha passado mal hoje de manhã?

Tiro o tênis e a camiseta. Caminho para a cama e me deito com cuidado, para não acordá-la. Eu apoio a cabeça na palma de minha mãe e fico a observando dormir tão demasiadamente calma. E na hora que ela virou o corpo totalmente em minha direção eu observei seus peitos. *O coisa maravilhosa*

–– Ei! –– sussurro tocando seu braço. –– Leslie... –– chamo outra vez, enquanto deslizo meus dedos por sua pele macia. Seus olhos se abriram um pouco, então eu percebi que ela havia chorado. Seus lindos olhos ver estavam tão inchados que mal podiam ser abertos. Eu franzi a teste e a encarei sem entender nada.

Ela envolveu os braços em volta de meu pescoço e subiu em cima de mim. Eu sorrir feliz, pois queria muito transar, mas algo estranho aconteceu. Ela afundou a cabeça em meu pescoço e começou a chorar. Eu não soube o que fazer, o que me deixou imóvel por alguns segundos, mas então eu a abracei com força. O que será que havia acontecia com ela? Eu sabia que tinha sido errado tê-la mandado para longe de mim, mas eu nunca pensei que ela ficaria assim.

–– Me desculpe... –– ela implorou entre soluços. Desculpar o quê se era eu que tinha errado?

Eu me sentei com ela ainda com  em cima de mim e fechei os olhos. Eu queria chorar por fazê-la chorar. Mas, precisava ser forte, por nós dois.

–– Eu te amo. –– digo baixinho. Beijo sua pele e a aperto com força.


Depois de falar brevemente com Andy e Bianca, nós fomos jantar. Não conseguia tirar meus olhos da minha mulher. Porra era inacreditável dizer que ela era somente minha; quanto poder eu parecia ter? Caralho, ela é tão preciosa e não faz idéia. Eu nunca mais a faria chorar outra vez, disso eu tinha certeza.

Depois disso, Chris saiu com Bianca e Andy ficou no quarto comigo e com a Leslie. Andy encarava a TV e assistia programas rindo alto enquanto Leslie ria baixinho da minha cara de impaciência.

–– Andy? –– chamo grosso. –– Não se tocou até agora, porra? Vaza daqui! Quero foder com minha mulher. –– falo me levantando e apontando para a porta.

Leslie ficou toda vermelha e afundou a cabeça no travesseiro; Andy pareceu tomar um choque de realidade e se levantou sem dizer nada. Quando ela saiu do quarto eu tranquei a porta e tirei a camiseta. Leslie se sentou no sofá e me esperou chegar até ela. A puxei pelas pernas e a coloquei no meu ombro. Ela começou a ri alto, o que me fez rir também. Eu a joguei em cima da cama, fazendo ela ri um pouco mais.

Tirei todo o seu biquíni e fiquei por minutos olhando-a pelada, junto com seu sorriso vergonhoso. Desabotoei minha calça e subi por cima dela. Passei minha mão por seu seio direito e a desço até seu quadril, apertando-a com força. Contive-me para não fodê-la com força, pelo menos não hoje, por hora eu precisa dar-lhe carinho, por isso enfiei-me dentro dela lentamente, e acabei soltando um alto e claro gemido. Leslie se arqueou para cima e suspirou. Beijou-me, e me apertou.

Comecei a me mover lentamente dentro dela. Era tão bom e diferente, ainda mais quando fazíamos sem preservativo algum. Sentia-me nos céus e era ótimo. Eu já imaginava... era Leslie, a minha mulher. Eu a tinha entre meus braços agora e para sempre.

Acariciando cada canto de seu rosto liso, eu a penetro com mais força, fazendo-lhe soltar um grito de prazer. Adianto-me a acabo acelerando demais. Meus gemidos são a prova concreta do quanto essa mulher mexe comigo. Ela dá breves reboladas do lado de baixo, o que me faz chegar quase lá... Quase lá... *Oh minha doce menina...* Gozo deliciosamente e enterro-me em cima dela. Leslie parece uma manteiga derretida embaixo de mim nesse exato momento.

Ela era a melhor, a melhor ao me dar prazer. Porque ela era meu parapente adoidado, e num dia de tempo ruim o parapente não tem chance, mas isso não acontecia com Leslie... Era forte de mais para combater qualquer coisa, inclusive um tempo ruim. Inclusive, um cara ruim.


Notas Finais


Buenas monas hahaha Andei sem internet por um tempo, me desculpe 💔 Mas, como sei que algumas de vocês lêem bastante pelo o Wattpad, vim propor um acordo. A primeira temporada de Into You está chegando ao fim... Em três semanas eu termino (dói admitir isso), e por isso vim pedir para que vocês escolhessem qual dessas duas fic's com o Justin será a próxima a ser publicada e no (Watt).

Primeira proposta: Corações Tatuados (fic abandonada por minha irmã no prólogo, então decidi terminar de escrever kkk)

Sinopse: Fugindo da Rússia, os irmãos Joshua e Amandla acabam indo parar em Toronto, mas tudo que já estava planejado muda completamente quando eles começam a correr perigo, até que Joshua conhece Justin Bieber, o tão famoso mafioso que comanda o tráfico em Toronto. Ao prometer cuidar dos irmãos Makarov, Bieber atravessa qualquer conceito que havia criado para cumprir sua palavra dada por apenas um proposito... Ele quer ajuda em troca para conseguir algo que está acima de suas mãos.

SEGUNDA PROPOSTA: Lost Bet

Sinopse: Erin vive com o namorado desde os quinze anos, e por ser um relacionamento abusivo e estressante ela não tem muita opção a não ser continuar com ele. Justin é um gangster que aposta em rachas, que rouba bancos e que não vale um centavo. Mas, mesmo sendo quem é, ele tem um motivo para todos os dias ir competir com Julian, o criminoso mais famoso da cidade.

O jovem rebelde Bieber sente uma atração imensa por Erin, e vê o quanto ela sofre nas mãos de um de seus maiores inimigo, por isso arma um plano para roubá-la pra ele. E quando ganha Erin em uma aposta tudo na vida dos três mudam drasticamente.


É isso... Espero que gostem :) Até o próximo capítulo. Amo vocês, com amor e carinho,

Dêh! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...