História Inversão de Papéis - Fetiche - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook)
Tags Baby Boy, Imagine Jeon Jungkook, Imagine Jungkook, Jeon Jungkook, Jungkook, One Shot Jungkook
Visualizações 176
Palavras 2.712
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei? Pra caramba. Terminei o bônus? Terminei. Tá bom? Num tá, mas fazer o que. Tive uns probleminhas com a digitação da história, mas tudo bem. Depois de quase ter jogado a merda do celular na parede umas 947 vezes eu finalmente consegui concluir, claro que ainda não está perfeito para mim, por isso que quando eu tiver um tempo em que eu possa dedicar TODO a IP eu vou mudar. Desde o início eu disse que haveriam alterações após as postagens, e é o que futuramente vai acontecer.

Mas enfim, fiquem com o hot e espero que gostem, de qualquer forma mesmo sendo temporário.

Eh isto.

Capítulo 3 - Bônus Parte 2 - Fetiche


Fanfic / Fanfiction Inversão de Papéis - Fetiche - Capítulo 3 - Bônus Parte 2 - Fetiche

Senti a ansiedade tomar conta do meu corpo quando um dos dedos pequenos me invadiu lentamente e até que não foi tão doloroso, apenas um pouco desconfortável. Estava curioso para saber qual seria a sensação da movimentação, mas ao mesmo tempo relutante contra a dor.

— Está tudo bem?

— S-sim só vai devagar —Senti Aquele mesmo dedo ser retirado por completo apenas para voltar novamente pra dentro de mim, ela repetiu o movimento algumas vezes até que não ficasse tão difícil para colocá-lo com força.

— Que apertadinho! Relaxa amor, você está um pouco tenso, desse jeito vai ser difícil te preparar.

— Ahn, eu sei! É que isso ainda é um pouco estranho, mas já me acostumo.

— Vai ficar muito gostoso daqui a pouco, Bae, você vai estar implorando pra que eu meta mais.

— P-pode ir mais rápido!

— Tem certeza Jeon?

— Sim! Pode ir — Seu dedo médio passou a entrar e sair rapidamente da minha entradinha, e só ele já estava tão gostozinho...mas eu queria mais, mais rápido, mais forte! E como se soubesse do que eu precisava, minha Noona adicionou mais um dedo, fazendo movimentos de tesoura pra me alargar, eu suponho— Oh, amor...isso é bom, faz Mais.

— É bom é? Gosta de como eu estou socando meus dedos nessa sua bundinha gostosa,uh?

— Gosto...gosto muito. Se eu soubesse...

Ouço sua risadinha sarcástica ir de encontro ao meu ouvido, enquanto levava sua boca até meu pescoço depositando beijos molhados e excitantes pra me provocar, fazendo meu tesão aumentar cada vez mais. Puta merda, quase me esqueci que ainda estamos nessa droga de shopping e acabei gemendo alto pelos estímulos que estava recebendo.

— Shiu, não quer que ninguém venha atrapalhar a nossa brincadeira, não é? Então cala a boca!

Levei uma de minhas mão até a minha boca abafando um gemido quando senti seus dedos me fodendo com tudo e sua mão esquerda tocar meu pau. Seus movimentos continuavam lentos porém intensos, me deixando extasiado e cada vez mais maluco por ela.

— Hm amor, você não sabe como está me deixando gemendo gostoso assim e me apertando desse jeito. Porra! Tão bom te tocar...sentir você rebolando nos meus dedos!

— Continua assim, p-por favor! Ahn — E como uma bela filha da puta ela simplesmente reduziu os movimentos até parar por completo.

— Desgraçada!

— Calma JungKookie, estamos apenas começando...Empina mais pra mim — Era o momento de colocar o plug, mas antes, ela encharcou aquele objeto com o lubrificante e logo encaixando no meu buraquinho. Tremi apenas por sentir aquilo prestes a me preencher.

— Posso?

— Deve... — Segurou no meu quadril enquanto fazia um pouco de pressão com o plug que deslizou com facilidade pra dentro de mim por conta do lubrificante. Seria maravilhoso se eu não estivesse me sentido ser rasgado ao meio, porém tentei relaxar e focar apenas no prazer que sua mão que estava no meu pau me causava. — Vai devagar Noona...

— Que manhozinho, mas tudo bem, eu vou pegar leve agora. Apenas agora.

Sua mão que antes estava no meu pau agora separava minha bunda pra ter certeza que eu havia engolindo tudo. Sua boca voltou ao meu pescoço mas agora ela lambia e deixava mordidas pra que eu me distraísse da dor. Movi meu quadril em movimentos circulares, rebolando para que o plug se acomodasse mais facilmente no meu cuzinho apertado e que por conta do lubrificante estava todo molhadinho, fazendo um barulho obceno quando sua mão começou a movimentá-lo apenas para que eu me acostumasse com o objeto mediano e gélido. Após eu dar sinal, _____ voltou a socar o plug em mim indo cada vez mais rápido, forte e o mais fundo que aquele brinquedo alcançava, e agora eu mesmo batia uma enquanto apoiava meu corpo numa das mãos que estavam na parede.

— Oh, Kookie

— Porra!

Ouvimos o barulho da porta principal sendo aberta e passos em direção próximo aonde nós estávamos. Olhamos assustados um para o outro e rapidamente sua mão esquerda cobriu minha boca porém como a vadia que minha namorada é, logo seu rosto tomou uma expressão safada e travessa. Eu olhei pra ela negando com a cabeça, pois imaginava o que ela tinha em mente. A desgraçada teve a audácia de retirar o plug por completo apenas para meter com força, enfiando ainda mais fundo.

— AH!

Caralho, eu não aguentei

Sua mão pressionou com ainda mais força contra minha boca enquanto repetia os movimentos na minha entrada alargada que ardia um pouco, mas a sensação era bem gostosa. Empinei minha bunda em direção a sua mão que fodia meu cu sem dó e se aproveitando da situação em que eu não podia gemer, metia o objeto com força. Eu não estava aguentando mais. Já sentia o orgasmo se aproximando.

Quando finalmente a pessoa que estava no banheiro saiu, retirou sua mão da minha boca me permitindo gemer 'livremente'

— Caralho Noona, e-eu tô quase, me faz gozar agora, por favor!

E mais uma vez ouço a sua risada atrevida, desacelerando os movimentos.

— Mas que...Por que você parou!? Eu já estava quase! Eu preciso gozar!

— Nada disso Jeon. Já nos arriscamos muito ficando aqui. Vamos embora. Quero poder te ouvir gemendo bem alto e bem gostoso pra mim. Vamos aproveitar bastante ainda. — Depositou rápidos celares por minha pele me fazendo ficar de frente pra si, tomando meus lábios num beijo calmo, contraditório com o que ocorria a minutos atrás.

— Você não pode estar falando sério. Como quer que eu saia assim!? — Apontei pro meu pau que estava duríssimo e latejando pelo orgasmo interrompido. Mas não era só o meu pau que estava pulsando não. O plug continuava no mesmo lugar, lembrei disso apenas quando fui dar um passo em sua direção.

— Te espero lá fora. Ah, e não retire o plug! — Disse já saindo e me deixando no banheiro com uma cara de trouxa e com uma ereção fudida. Ela me paga!

°

°

°

°

°

Não vou nem relatar o quão foi difícil de andar com aquele plug no meio da minha bunda, não porquê doía ou pelo desconforto, mas sim, porquê cada vez que eu dava um passo sentia ele se movendo dentro de mim, por vezes chegava a tocar naquela perte, exatamente aquela partezinha, sabe? Resumindo, eu já estava delirando de tanto tesão acumulado!

E parece que eu não era o único...

Assim que chegamos em casa já estávamos nos agarrando de novo. Um ósculo quente atrás de outro. Apenas pequenas pausas pra depositar beijos nos pescoços para recuperar minimamente o fôlego. Em um instante já estávamos no nosso quarto, em nossa cama, e mais uma vez ela estava no controle, arrancando nossas roupas, e rebolando no meu colo, me deixando cada vez mais perto da insanidade. Porém foi quando os beijos no pescoço evoluíram para chupões no meu corpo em sentido ao meu abdômen que vi que a porra toda iria realmente chegar a algum lugar. Sua língua traçou um caminho pela minha virilha lançando beijos e chupadinhas molhadas, apenas pra testar um pouco mais da minha paciência.

— Me chupa logo, porra!

— Muito apressado, Jeon...a gente nem começou aínda.

— Você sabe que eu detesto enrolação!

— Só cala a boca e aproveita.— Desceu a boca até às minha bolas que se encontravam um pouco inchadas, colocando uma na boca fazendo uma massagem com sua língua quentinha, o que me fez sentir como uma leve corrente elétrica pelo meu corpo, causando arrepios. Seus movimentos eram lentos porém precisos, sempre sabia a força exata para fazer pressão na minha pele. Sua mão pequena segurou a base do meu pau iniciando uma punheta leve, logo sua boca se juntou ao trabalho, arrancando um gemido surpresa da minha garganta ao sugar minha cabecinha e repetir o procedimento algumas vezes, antes de cobrir toda a extensão, seus olhos lacrimeijaram por ter me engolido por completo, por quê cá entre nós, eu sou grande pra cacete. As sucções foram perdendo velocidade e seu rosto agora seguia para a área próxima ao meu períneo, que com a pontinha de sua língua, criava um caminho úmido até minha entrada, cujo plug permanecia no mesmícimo lugar, e aproveitando que já havia algo me alargando, a Noona apenas o segurou firmemente com a ponta dos dedos passando a movêr-lo dentro de mim. Gemi, lógico. A sensação de algo me preenchendo era muito delirante e indiscutivelmente excitante. Porém, só me sentia assim por ser minha pequena _____ a me proporcionar tal prazer.

— Até tinha me esquecido que você continuava com isso, aqui. É bom? Quer que eu tire?

— Ah... n-não, eu gostei, deixa aí por enquanto... só meche...

— Oh, você quer dizer assim?

— É, assim mesmo Noona!

— Não sabia que você poderia rebolar tão bem, Jeon.. parabéns...você conseguiu reduzir a minha sanidade à quase zero!

— A minha já acabou faz tempo...merda! Porquê isso tem que ser tão bom?

°

°

°

°

°

Me encontrava com o corpo apoiado nos joelhos e as mãos para trás, presas à um tecido de seda num tom escuro, limitando meus movimentos, fazendo minha bochecha esquerda ser esmagada no colchão enquanto continuava ser violentamente penetrado pelo objeto entre minhas bandas.

— ______, Eu não aguento...mais

— Ah, é claro que aguenta! Já está todo destruído só com isso? Que fraquinho...

— V-vai se foder! Acaba logo com isso... é sério!

— Tudo bem, tudo bem, vamos ver...acho que você já está pronto pra isso aqui, não é?

— Noona...não sei se...a-ahm

— Hm? O que ia dizer? — Minha fala é interrompida ao sentir a ponto do vibrador tocando a entrada do meu cuzinho ao qual já havia uma quantidade generosa de lubrificante.

— Filha da-...Caralho ______! Vai devagar, tá doendo!

— Tenta ficar mais relaxado. Ele não é tão grande mas é mais grosso, então vai doer um pouco mais dessa vez, já passa!

— Oh... droga!

De início, as "penetrações" eram cuidadosas, porém conforme a dor reduzia sentia o objeto ir cada vez mais fundo tendo por responsabilidade me rasgar por dentro, porém tal sensação apenas me deixava surtado de tesão, já havia segurado o orgasmo por tampo tempo que estava prestes a explodir, mas faria Questão de vir dentro da mulher causadora dos meus surtos psicológicos. E novamente eu gritava feito uma putinha na cama, enquanto agarrava os lençóis e rebolava o quadril tentando que o vibrador me alargace o máximo possível. Sim, eu estava adorando ser fodido dessa forma. Não, não é como se isso me tornasse 'gay'. Mesmo se fosse não haveria nenhum problema, certo? Porém não é o caso, apenas estou descobrindo novas e fodidamente deliciosas sensações, ao qual não pretendia para de explora-las tão cedo. E não há problema nenhum nisso. Seu punho ia com cada vez mais força contra mim, me desestabilizando mental e fisicamente, enevoando minha mente me fazendo pensar em tudo e em nada ao mesmo tempo. Senti minha pele arder quando recebi um tapa forte em uma de minhas nádegas. Meu caralho, isso me deixou loco.

— De novo!! Me bate mais! 

— Gostou de apanhar, cachorra? Ahn?

— Uhun... — Quem disse que eu conseguia falar? Me limitei a resmungar algo concordando com a cabeça com os olhos fortemente pressionados, a sensação de sua pequena palma em choque contra minha bunda  repeditas vezes, elevou ainda mais meu tesão. 


—JungKookie chega...eu preciso te sentir. Eu preciso do teu pau dentro de mim agora!— Minhas mãos foram soltas com rapidez.

— Vem cá! Deita aqui e abre bem as pernas pra mim!



POV ______


Faço o que meu namorado me pede, me deitando no colchão logo tendo seu corpo forte sob o meu, se encaixando entre minhas pernas me fazendo colocar as minha coxas entorno de seu quadril. Adorava essa posição porque poderia admirar sua expressão de prazer enquanto me fode com força.

Sinto seu membro me penetrando de vagar, me fazendo arquear as costas abrindo a boca num gemido mudo, seu gemido é falhado e rouco e por falta de preparação minha bocetinha estava ainda mais apertada do que o normal. Gostava de ser penetrada sem preparação por conta da dorzinha inicial. Talvez aí estivesse meu fio sadomasoquista...e os tapas que Jeon me dava sempre me faziam aproximar do orgasmo. Sua movimentação era lenta, quase parando, me causando ânsia pela falta da brutalidade, de sentir seu pau indo até o fundo, me arrombando e deixando minha pele ardendo pela força e intensidade da foda.

Mas como conheço o homem encima de mim, sei que ele não aguenta enrolações idem, a certeza disso veio assim que JungKook ficou de joelhos na cama erguendo minhas pernas as mantendo suspensas enquanto tomava impulso para me invadir com força. O som de nossos corpos se chocando me deixava ainda mais inebriada pelo momento.

— Gosta assim, hm? Gosta de sentir meu pau indo bem fundo nessa bocetinha gostosa?

— Ai merda...assim... rápido!

— Porra Amor, porque você tinha que ser tão apertada!? Vai acabar comigo.

— Jeong- ah... me beija Kookie!

Deslizei minhas mãos pelo corpo másculo levando-as até embaixo, apertando a carne farta e durinha de sua bunda, arranhando sua pele com minha unhas no processo. Separei-as fazendo mais pressão do seu corpo contra o meu, só então lembrei do objeto que havia caído com a movimentação.

Com a mão direita segurei com firmeza na parte da base do vibrador, colocando e retirando-o lentamente de dentro da buraquinho pouco violado e voltando logo em seguida, repetindo o processo várias vezes. Peguei o pequeno controle ao meu lado ligando na velocidade mínima apenas para que não o assustasse.

Puta merda!

—Sinta ele todo dentro de você, entrando assim...bem devagar. Continua me comendo!!

— Caralho, que delícia! Você vai se arrepender de ter me provocado tanto e não ter me deixado gozar aquela hora...

— Você tava adorando, JungKook

— Estava, mas posso usar a situação como desculpa pra te foder ser dó!

— Jogo sujo.

— Cala a boca! Só sente meu pau arregaçando essa sua bocetinha, hm?

— E se eu contrair assim?

— AH, filha da puta! — Aumentei o nível da vibração para o nível 3, no caso o último, eu conseguia sentir o objeto se movendo dentro dele, através da minha mão que continuava a empurrar o vibrador pra dentro de si, agora com força e rapidez. Seus olhos se fechavam e dava para perceber seu globos oculares se revirando conforme seu porno mais sensível era atingida com violência e precisão. Suas mãos agarraram com força em torno do lençol de cor clara, fazendo com que os nódulos de seus dedos ficassem brancos. A intensidade com que seu corpo colidia contra o meu se tornava cada vez mais insana. Nossas peles se arrepiavam e suavam, ambos chegando ao ponto de berrar de prazer. Senti o orgasmo se aproximando.

— Noona, conti...continua acertando aí. Porra, que gostoso!!

— Jeongguk...você sempre me fode tão bem— Depositei beijos em seu pescoço enquanto Jeon chupava meu seio direito com vontade, mordendo meu mamilo sensível e massageando o outro.

— Olha isso...sua bocetinha toda vermelhinha de tanto eu meter nela...você gosta né, sua safada?

Tão forte...tá doendo Ggukie...

— Quis me provocar, agora aguenta!


— Desgraçado do caralho!




— Amor, eu não 'tô mais aguentando...é sério! — Tendo minha entradinha o esmagando e sua próstata sendo estimulada com força pela primeira vez não teria como adiar o orgasmo.

— Pode gozar!

— Vou encher essa sua bocetinha de porra!

— Jeon!

E o orgasmo veio forte

— AH...caralho!!

— Puta merda...

— Porra... Essa foi a melhor foda da minha vida. Por que minha namorada tinha que ser tão boa hã?

— Por quê você tinha que ser tão gostoso? Mas não pense que acabou não, ainda vou acabar contigo de várias formas.


— Você não presta!



— A propósito, o que você acharia  de uma cinta peniana

























Eu finalmente havia realizado minha maior fantasia, que agora se tornou um fetish, conheci um dos melhores lados do meu namorado, vulgo JungKook e ainda passamos a ter uma relação sem nenhum tabu. Mas afinal eu estava enganada. Meu maior fetish não eram as práticas sexuais, objetos ou posições. 



Meu maior fetish é Jeon JungKook. 










Notas Finais


Que final bosta. Desculpa se não foi como esperavam e principalmente depois dessa demora provavelmente esperavam algo melhor né? mas prometo que quando (se) eu tiver saco pra editar vai ficar aceitável, ok?

Obrigada por lerem, essa é a minha fic fav pq envolve algo pessoal e tals... foi ótimo poder compartilhar com vcs, galero.

Então tá. Até!! 😉❤️👊🏼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...