História Inverted World - Capítulo 34


Escrita por: e LittleBunny14

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Bruxas, Fantasia, Lobisomem, Medieval, Original, Realeza, Reinado, Romance, Sobrenatural, Vampiro
Visualizações 12
Palavras 4.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 34 - O Empecilho


No dia seguinte... 

 

Collin Pov's On

 

Agora só nos restava um dia para chegarmos ao Empecilho. Por onde andamos, mais nenhum ataque surpresa aconteceu por parte dos rebeldes. Cada vez mais eu e Chloe estávamos ficando mais próximos e cada vez mais eu tinha certeza de que ela seria uma boa filha para mim e para Victoria. Nós estávamos perto de um riacho e eu percebi que Chloe queria entrar na água. 

 

Collin: Quer entrar?

 

Chloe apenas assentiu e seus olhinhos começaram a brilhar. Fui até a cabana pegar alguma toalha para quando ela saísse. 

 

Quando voltei para onde nós estávamos, eu a vi com a ponta dos dedos na água e brincava com um esquilo. 

 

Collin: Eu trouxe uma toalha, para quando você sair. Vai lá, pode ir! 

 

Chloe: Collin, obrigado... Por tudo que você está fazendo. - Falou me abraçando. 

 

Retribuo o abraço e fico com um sorriso bobo de orelha a orelha. 

 

Collin: Não precisa me agradecer, querida. - Sussurrei em seu ouvido e dei um beijo em sua testa.

 

Ela entrou na água e não parava de jogar água e sorrir. Em pensar que, se ela não estivesse aqui, essa viagem para o Empecilho seria ainda pior. Pelo menos com ao meu lado, posso sentir um pouco de alegria e transferir para ela também. 

 

Chloe: Collin! Olha! - fala apontando para uma rosa que estava na beira do riacho - Por que você não leva para Victoria? 

 

A olho com um sorriso. 

 

Collin: Ela é linda, mas acho que daqui pra quando nós formos ver ela, a rosa já vai estar mucha... 

 

Chloe: Não há problema. - ela toca na rosa e uma luz branca aparece por um momento - Pronto. Assim ela não irá muchar. - fala arrancando a rosa e me dando 

 

Collin: Como soube fazer isto? 

 

Chloe: Minha mãe gostava de pegar flores para mim quando ela vinha para floresta. Como a viagem era longa, ela sabia que iriam muchar, mas fazia isso para elas permanecerem intactas.

 

Ela continuou a brincar na água, enquanto eu limpava a minha espada. Senti algumas gotas de água em meu rosto e olhei para o céu. Às nuvens estavam cinzentas e a chuva só aumentava. Chloe já havia saído do riacho e estava enrolada na toalha que eu trouxe. 

 

Collin: Vamos entrar, antes que fiquemos doentes. - Falei pegando-a no colo 

 

Ficamos encolhidos em um canto da barraca, onde não tinha risco da água da chuva cair em nós. 

 

Chloe: Não sou muito fã de chuva, elas parecem lágrimas. E lágrimas não são boas. 

 

Collin: Por que? 

 

Chloe: As pessoas só choram quando estão tristes.

 

Collin: Mas a também, pessoas que choram pois estão felizes ou com raiva... Ou apenas eu, faço isso? 

 

Chloe começou a rir, mas parou ao ouvir um estrondo. Provavelmente, era um trovão.

 

Ela me abraçou com uma expressão de medo no rosto. 

 

Chloe: Esse também é um motivo para eu não gostar de chuva. 

 

Collin: É apenas um trovão. Não precisa ficar com medo. - falo acariciando sua bochecha com o polegar 

 

Eu e Chloe continuamos conversando, quando um dos Guardas entrou na cabana. 

 

Guarda: Senhor, estamos sendo atacados! 

 

Collin: O que?! - falo colocando Chloe do lado e me levantando - Ataque surpresa de novo?!

 

Guarda: Sim! E desta vez, mataram dois de nossos homens.  

 

Collin: Mas o que aqueles f... - eu ia falar algo, mas lembrei que Chloe estava ao nosso lado também - Diga aos outros homens que vamos continuar o trajeto para o Empecilho agora! Não é mais seguro aqui.

 

Chloe: Vai lá Collin, você precisa proteger outras pessoas. 

 

Collin: Chloe... - Falei segurando em sua mão.

 

Chloe: Confie em mim! 

 

Apenas assenti e sai da cabana. Um rebelde tentou me atacar, mas consegui mata-lo. Outro apareceu em seguida, ele ainda conseguiu cortar meu rosto, mas um guarda o matou e meu corte logo cicatrizou. 

 

Guarda: Collin, precisamos ir para o Empecilho agora! Eles podem voltar a qualquer minuto.

 

Collin: Sim! Avise para todos os homens. Não quero demora! 

 

Guarda: Sim, majestade.  

 

Voltei para a cabana e me deparei com uma cena que me fez ficar paralisado. Chloe estava ensanguentada com uma adaga na mão ao lado de um corpo, cuja as vestes pareciam ser dos rebeldes. Ela estava com a expressão aterrorizada no rosto e suas mãos estavam tremendo. 

 

Chloe: Collin... E-eu... - falou olhando para mim com os olhos marejados 

 

Collin: E-ele queria fazer algo de mal com você? - falo me aproximando dela 

 

Chloe: E-ele queria me levar junto à ele...

 

Collin: Calma! - Falei ao abraçá-la. - Está tudo bem, meu amor... 

 

Chloe: E-ele morreu? Eu matei ele? 

 

Eu olhei para o corpo e vi que ele estava muito pálido, pela perca de sangue e já não a batimentos. 

 

Confirmei e Chloe me abraçou de novo. A peguei no colo, e levei-a para o cavalo. Saímos daquele acampamento o mais rápido o possível. 

 

Chloe: Me desculpe pelo o que eu fiz... Eu não queria, eu só... 

 

Collin: Tá tudo bem! Ele queria te machucar... Você apenas se defendeu!

 

Chloe: Mas... E se ele tivesse família? Os filhos e a esposa... Todos ficarão tristes...  

 

Collin: Chloe... Ele provavelmente não tinha família. Geralmente, estes tipos de homens tiram a família das pessoas, contanto, elas não tem nenhuma. E você não deve se sentir culpada por isso. Ele queria lhe machucar e você apenas se defendeu. É isso que deve fazer quando alguém quer lhe fazer algum mal, entendeu?  

 

Chloe: Entendi...

 

O resto da viagem foi totalmente em silêncio e sem descansos. Chloe conseguiu cochilar, depois de tanto se arrepender pelo que fez. Sei que ela é apenas uma criança, e não me orgulho de ensinar isso a ela. Mas, eu aprendi que para garantirmos nossa sobrevivência, outras pessoas terão que morrer no nosso lugar. 

 

Victoria obviamente não vai gostar nada disto, eu até entendo seus pensamentos. Ela nunca esteve em um campo de batalhas, com o pressentimento que em questão de segundos, você pode virar apenas um saco de ossos. 

 

Guarda: Collin, falta poucas horas para chegarmos no Empecilho. Está preparado? 

 

Collin: Seja o que acontecer...

 

Guarda: Onde o senhor vai esconder a menina?  

 

Collin: Isso eu decido quando chegarmos.  

 

Guarda: Como quiser. 

 

Vejo que Chloe havia acordado, o que era bom, pois eu já ia acordá-la. 

 

Chloe: Nós estamos chegando? 

 

Collin: Sim, faltam apenas algumas horas. - Chloe lança um olhar de medo - Não precisa sentir medo. Vou achar um lugar para te manter segura. Igual fizemos da primeira vez, lembra? 

 

Chloe: Sim, mas... Eu não estou com medo de me machucar. 

 

Collin: Ah, não? - a olho confuso - Então do que está com medo? 

 

Chloe: De você não voltar vivo de lá...

 

Suspirei alto e senti minhas mãos tremerem. Eu a olhei e abri um sorriso. Quero passar confiança para Chloe, quero que ela tenha esperança.

 

Collin: Eu vou voltar. Eu prometo! Vou lutar, para voltar para a Victoria, para minha mãe e para você! 

 

Chloe apenas sorriu e olhou para a estrada à frente. Ela já não era mais repleta de flores e árvores. Foram substituídos por uma terra cinzenta, poucas árvores e ar sufocante. Parecia o fim do mundo. 

 

Guarda: Aonde você pretende esconder a garota aqui? Não a árvores e nem cavernas...

 

Eu olho ao redor e vejo uma não tão longe. 

 

Collin: Alí! - falo apontando para a cabana - Levarei ela agora até lá agora. Vão na minha frente. Eu vou conseguir acompanhar. 

 

Guarda: Como quiser, majestade.  

 

Eles continuaram e eu fui levar Chloe até a cabana. Quando chegamos, mando Chloe ficar no cavalo. 

 

Collin: Fica aqui, Chloe. Vou ver se tem alguém aqui.

 

Observo a cabana e vi que estava vazia, também não havia sinais que alguém morasse ali. 

 

Collin: Certo, Chloe - Falei ao colocá-la no chão - Você vai ficar aqui dentro e não vai sair por nada! Eu não sei em quanto tempo eu volto, mas provavelmente não vai ser algo rápido.

 

Chloe: Eu não vou sair daqui... Eu prometo! 

 

Eu a abracei. Não queria soltá-la por nada, Chloe é uma das poucas coisas que me motivam a lutar. Não vou decepciona-lá. 

 

Chloe: Eu te amo, Collin. 

 

Collin: Eu te amo, minha pequena...

 

Eu fiquei parado olhando para ela, eu realmente não queria deixá-la aqui, sozinha. 

 

Chloe: Collin, é melhor você ir... - fala cabisbaixa 

 

Collin: Lembre-se: Se alguém tentar lhe machucar, faça o que você fez na barraca, entendeu? - ela assentiu  

 

Saio da cabana e sigo os outros homens. Quando estávamos nos aproximando, vimos o caos que tomava conta de todo o espaço.

 

Um grande muro de pedras é cercado por fogo e barris de pólvora. Um passo em falso, uma flecha atirada na direção errada e já éramos. 

 

Collin: Coronel, quero todos os elfos de nosso exército aqui agora! 

 

Coronel: Por que? 

 

Collin: Elfos podem gerar matérias naturais. Se eles conseguirem gerar água, talvez podemos conseguir apagar o fogo... E se não der certo, já éramos. 

 

O Coronel apenas obedeceu as minhas ordens e os elfos começaram a gerar água. Mas a cada faísca apagada, mas fogo surgia em outro lugar.

 

Coronel: Majestade, não está funcionando! 

 

Collin: Continuem tentando! Uma hora ou outra, isso vai acabar! 

 

Coronel: Estamos perdendo muito tempo!  

 

Collin: Os elfos ficam aqui tentando apagar o fogo, nós iremos atacar agora!  

 

Coronel: Mas... 

 

Collin: Sem mas! Vamos! AGORA!

 

Os elfos faziam o possível e o impossível para acabar com o fogo. Quando eles conseguiram diminuir em algumas partes, nós atravessamos o portão do muro. 

 

Pensei que ouviria um estrondo e teria a visão dos pedaços que sobrariam de nos. Mas não. Ao entrar, estávamos intactos, os rebeldes não esperavam por isso, essa era a nossa chance. 

 

Collin: AGORA! 

 

Começamos a atacar. Flechas viam em nossa direção, mas os bruxos conseguiram tirá-las de nosso caminho. Alguns rebeldes já nos enfrentavam com espadas e adagas. 

 

Desci do cavalo e comecei a atacar o que vinha pela minha frente. Consegui matar um ou outro com a espada, mas a maioria ficaram feridos.

 

Chloe Pov's On

 

Eu estava na cabana brincando com uma boneca de pano que eu havia encontrado em um dos pequenos quartos. Até agora não havia nenhum sinal de que alguém iria entrar lá. Eu não via a hora do Collin chegar naquela porta e dizer que tudo aquilo tinha acabado. Algum tempo se passou e eu ouvi um barulho, como se eu pessoa acabasse de entrar lá. Como eu estava cheia de esperança, pensei que fosse Collin.

 

Chloe: Collin? É você? - falo com um leve sorriso indo em direção à porta, mas ele logo se apaga, quando vejo que era um dos rebeldes

 

Tentei fechar a porta de novo, mas o homem conseguiu segura-lá. Comecei a correr pela cabana atrás de alguma janela. Eu encontrei uma, mas tinha um homem na frente dela. 

 

Este não vestia as roupas velhas dos rebeldes. Ele vestia trajes nobres e tinha um símbolo estampado em um broche. Pensei ser algum amigo de Collin, mas a estampa do símbolo é diferente do símbolo que tem na armadura de Collin.

 

Rebelde: Calma, menina... Se você tentar fugir, vai demorar mais e mais. E isso só vai aumentar a sua dor.

 

Chloe: Você nunca me pegará! Collin não irá deixar! 

 

Rebelde: Collin? - pergunta um um sorriso irônico no rosto - Ele não cuida nem dele mesmo, que dirá de uma pirralha como você! 

 

Chloe: Mentira! Collin sempre cuidou de mim mais do que qualquer outra pessoa! 

 

Rebelde: Ora, vamos logo com isso! Quanto mais rápido, melhor! - fala vindo em minha direção 

 

Chloe: Não! - falo me desviando e pegando a mesma adaga que eu tinha usado mais cedo - Não se aproxime!

 

Rebelde: Você não tem coragem de matar um inseto! - Falou tentando me pegar, mas consegui correr para a entrada de novo. 

 

O homem que estava na janela apareceu com um sorriso provocativo. Ele se abaixou, ficando da minha altura. 

 

Ethan: Olá, garota... Eu sou o Ethan... Quer saber o que eu vim fazer aqui? 

 

Balancei a cabeça negativamente e tentei correr de novo. Ele me pegou pelas mãos, fazendo a adaga cair no chão. 

 

Ethan: Mesmo que você não queira saber, vou contar... Eu estou aqui por ordem de uma pessoa importante que mora no mesmo castelo que o Collin... E esta pessoa, quer o rei morto. Eu vim aqui matar o seu... - Ele começa a procurar uma palavra adequada -Qualquer coisa que você, o considere. 

 

Chloe: Não!

 

Ethan: Parece que você muito apegada à ele, seria uma pena se... Bem, você sabe. - fala com um sorriso irônico - Morresse.  

 

Chloe: NUNCA! - falo alterando a voz e dou um chute em sua parte de baixo, dando tempo de pegar a adaga de volta - Você nunca irá machucar ele! Eu não vou deixar! 

 

Quando eu ia correndo, o primeiro homem que eu havia visto vinha em minha direção. 

 

Rebelde: Vamos, garota. Não torne as coisas mais difíceis!

 

Enfiei a adaga na perna esquerda do rebelde, fazendo ele cair. Aproveitei e enfiei ela em seu pescoço,desta vez. O Ethan estava se levantando, quando eu o puxei para o chão novamente. Ele me olhou assustado e logo entendi o motivo. Seu corpo estava ficando com um tom acizentado, desde a mão que estou segurando, até o resto do corpo. Ele caiu no chão e soltei a mão dele. 

 

Seu corpo continuou cinza e com algumas veias ressaltadas na região do pescoço. Me levantei e peguei a adaga. Eu não iria me trancar naquela cabana de novo. Eu não tinha para onde ir, e prometi ao Collin que ficaria aqui. 

 

Olhei para os corpos e fiquei apavorada. Eu matei três pessoas, em um mesmo dia... Minha mãe não teria orgulho de mim, se ainda estivesse viva.

 

Chloe: E-eu apenas me defendi... - Pensei em voz alta

 

Collin Pov's On 

 

Eu nunca tinha visto os rebeldes lutarem tanto quanto hoje. Eu matava quatro e vinham mais dez para cima de mim. Era como se eles se multiplicassem cada vez que matávamos algum deles. 

 

Coronel: Eles são muitos, majestade! - fala lutando com um dos rebeldes - Acho melhor recuar!  

 

Collin: Não! Temos que terminar isso de uma vez por todas!

 

Coronel: Collin, a maioria de nossos homens estão mortos e a outra parte está tentando controlar o fogo! 

 

Collin: Não vamos recuar! Eles tomaram essa parte do reino, e hoje ela vai voltar a ser nossa!

 

O Coronel apenas concordou e voltou a lutar. Os rebeldes do Empecilho são mais preparados do que qualquer outro, que eu tenha visto. 

 

Alguns barris de pólvora ameaçaram explodir, mas ficaram intactos. Só tinha um jeito de sair vivo daqui... Uma aldeia rebelde aos pedaços. 

 

Collin: Coronel! Junte todos e vá para o muro! Vamos explodir isso aqui!

 

Ele apenas assentiu com a cabeça e foi avisar os outros. Eu continuei lutando até ver que todos estavam juntos. 

 

Coronel: MAJESTADE, RÁPIDO! - fala gritando no muro - Está prestes à explodir! 

 

Collin: ESTOU INDO! - grito, mas cada vez mais os rebeldes vinham em minha direção 

 

Eu sabia que iria ser o último de chegar até o muro. Os rebeldes estavam me cercando. Quando pensei que eu teria tempo de correr, um deles me acertou no abdômen com uma espada.

 

Guarda: COLLIN! - Falou correndo até mim e o reconheci, Liv. 

 

Liv é um amigo meu. Eu que o treinei para a guarda e também consegui uma vaga para ele no nosso exército. 

 

Collin: LIV, NÃO! 

 

Liv: Calma, eu vou te ajudar, levanta! 

 

Levantei com a ajuda de Liv e comecei a atacar todo rebelde que eu via pela frente, Liv fez o mesmo. Fizemos isso até o caminho do muro. 

 

Quando estávamos atravessando o portão e uma flecha atingiu a Liv no peito e a outra atingiu a mim na coxa. 

 

Minha visão virou apenas fogo. O estrondo foi tão forte que fez a terra tremer brevemente. 

 

Coronel: Ajudem o Collin! Rápido! 

 

Collin: Liv...

 

Liv: E-está t-tudo bem, C-collin - fala com dificuldade 

 

Collin: Nada fale nada! Só vai piorar!  Cuidem do Liv primeiro! O ferimento dele é mais grave que o meu! - falo, mas Liv segura meu braço 

 

Liv: N-não irá adiantar... Acabou. M-mas saiba que eu sou eternamente grato pelo o que você fez por mim, m-majestada... - fala ainda com dificuldade 

 

Collin: Liv... - falo com os olhos marejados 

 

Liv: F-foi uma honra lutar junto ao senhor, majestade... F-fico feliz por ter lhe ajuda a se s-salvar... - fala com um leve sorriso de gratidão - A senhorita Victoria tem sorte de ter o senhor como futuro noivo. Obrigado... 

 

Não demorou muito e ele já havia fechado os olhos. 

 

Collin: Liv, não! - falo tentando acordá-lo - Você ficará bem! Me escute! Acorde!

 

Liv não abria os olhos. Sua respiração a cada segundo falhava mais ainda. Ninguém estava fazendo nada ao meu redor. Senti meu rosto molhado pelas lágrimas. 

 

Collin: FAÇAM ALGO SEUS IMBECÍS! - Gritei encarando-os 

 

Coronel: Collin... Ele já se foi... - Falou pondo a mão em meu ombro. Quase não notei que minhas feridas já haviam cicatrizado.

 

Collin: Não, não! O Liv não!

 

Coronel: Vamos, Collin... Nós não temos mais nada para fazer aqui. A guerra acabou. 

 

Collin: Eu não vou deixar ele aqui! - falo alterando a voz 

 

Coronel: Collin, vamos... - fala estendendo sua mão - Ele foi um bom homem. 

 

Depois de alguns minutos, eu me levanto e enchugo minhas lágrimas.  

 

Collin: Vamos pegar a Chloe. - falei secamente indo em direção ao meu cavalo

 

Estávamos nos aproximando da cabana quando eu avistei dois corpos na entrada dela. Desci do cavalo e fui ver do que se tratava. Um estava com um ferimento no pescoço e na perna, o outro estava com o corpo cinza e algumas marcas estranhas eram aparentes em seu pescoço. 

 

A adaga que Chloe usou para matar o rebelde no acampamento. Entrei na cabana e olhei em todos os pequenos cômodos. Nenhum sinal da Chloe. Comecei a pensar o pior, meus olhos já estavam marejados novamente. 

 

Collin: Procurem ela pelas redondezas. Ela não deve ter ido muito longe! - Falei montando no cavalo, em seguida fui em direção à uma trilha aleatória do bosque.

 

Não demorou muito e eu vi uma boneca de pano no chão, desci de meu cavalo e a peguei, mas não lembro de ter visto Chloe com ela, quando ouço alguém chorando em algum lugar. Olho para o lado e vejo Chloe encolhida perto de uma árvore, estava chorando. Vou correndo em sua direção. 

 

Collin: Chloe! - falo a abraçando - Eu estava com tanto medo de que alguém tivesse feito algo à você...

 

Chloe: C-collin... 

 

Collin: POR QUE NÃO FICOU NA CABANA? - falo alterando a voz e ela me olha assustada, nunca havia gritado com ela - Eu disse para ficar lá até que eu voltasse, não disse? Por que não me obedeceu?!

 

Chloe: EU MATEI TRÊS PESSOAS HOJE! - Falou gritando e saindo de perto de mim. 

 

Collin: Chloe, eu já perdi um amigo hoje... - Falei tentando manter a calma e lembrei de Liv - Não ia aguentar perder você... 

 

Chloe: Por que você não ia aguentar? Você não se importa comigo mesmo! 

 

Aquilo doeu mais que tudo. Passei a mão no cabelo, colocando ele para trás. Eu a olho, não aguentei vê-la chorar. 

 

Collin: Chloe, eu me importo com você sim! Você é praticamente a minha filha... Quando eu não te vi naquela cabana, só imaginei o pior...

 

Chloe: Eu sinto muito por você ter perdido seu amigo, sei que dói... Mas não significa que você tenha que descontar tudo isso em mim! Eu acabei de matar três pessoas em um só dia e eu pensei o pior por você estar demorando para voltar. Então decidi ir pra longe de lá, eu não iria aguentar ficar olhando para os corpos das pessoas EU matei!

 

Collin: Me desculpe Chloe... Eu prometo que nunca mais vou descontar minha raiva ou qualquer coisa que eu sinta em você... Ou em qualquer outra pessoa... 

 

Chloe: Me desculpe por ter gritado com você... - Falou me abraçando - Eu te amo, pai... 

 

Collin: Eu te amo, filha...

 

Eu a levei até o cavalo e reuni todos os homens novamente. 

 

Coronel: Achou a menina? 

Collin: Sim, eu achei. - falei olhando para ela e demos um leve sorriso um para o outro - Agora vamos. Não quero mais ficar por aqui nem por mais um segundo. 

Coronel: Como quiser, majestade. 

Collin: Mas, esperem... -todos pararam - Eu... Acho que nunca falei uma coisa assim para vocês, mas acho que demos nosso melhor hoje e, assim, conseguimos vencê-los. Nós lutamos bravamente e foi uma honra para mim lutar junto à vocês.

Coronel: Eu também! Eu me orgulho de ter treinado vocês, junto com o General Müller. Que infelizmente, não está mas entre nós. Todos que morreram devem ser lembrados e honrados! Agora, vamos voltar para nossas famílias... Não aguento passar nem um segundo sequer a mais na estrada. Vamos! 

Todos aplaudiram e voltamos a estrada. A quantidade de homens que estavam presentes, não formam a metade dos que estavam conosco antes. 

Chloe: São quantos dias de viagem? 

Collin: Apenas algumas horas... O Empecilho é relativamente perto do reino. Acho que no anoitecer já estaremos em casa...

Chloe: Então quer dizer que eu finalmente irei conhecer a Victoria? - pergunta animada 

Collin: Sim, você irá conhecê-la. - falo sorriso de orelha a orelha 

Chloe: Será que ela realmente gostará de mim? 

Collin: Claro que vai! Não há como não gostar de você, Chloe.

Chloe adormeceu e acordou apenas quando chegamos no reino. Era impossível não acordar com o barulho. 

As pessoas abriram caminho para nossa passagem. Todas aplaudiam e gritavam. Mas apenas a silhueta do castelo ao pôr do sol me chamava atenção. Eu esta a minutos de distância de Victoria. Chloe sorria encantada com tudo.

Chloe: Quanta gente... 

Collin: Sim... Mas Chloe, por favor, não diga a Victoria que eu falei para você matar, caso necessário... Ela não gosta muito disso... 

Chloe: Entendido!

Collin: E... Também não diga que eu disse à você para não falar à ela sobre eu ter lhe ensinado à matar e... 

Chloe: Collin, eu já entendi. - fala rindo 

Collin: Ótimo... 

Quando vou me aproximando do castelo, vejo guardas de outro reino. 

Coronel: Mas quem são eles, majestade? 

Collin: Também quero saber.

Chloe: Collin... Eu conheço o símbolo desta bandeira... Um dos homens que eu matei tinha um broche com este mesmo símbolo... Ele disse que foi mandado para te matar. 

Collin: Um desses exércitos eu conheço... São do reino de Annabeth, mas o outro... - Falei ao Coronel - E Chloe, não se preocupe, vamos descobrir logo quem são...

Os portões se abriram, mostrando os jardins do castelo. Todos estavam lá, mas meus olhos procuravam apenas por Victoria. Desci do cavalo e ajudei Chloe a descer em seguida. 

Collin: Hoje nós voltamos de uma batalha... Por mais de décadas os rebeldes tomaram um pedaço de nosso reino. Mas agora, eles se foram! O Empecilho é nosso de novo! 

Começaram a aplaudir e as pessoas abriram o caminho da entrada para o palácio. Minha mãe estava, e ao seu lado Victoria.Fui até minha mãe junto com a Chloe e a abracei. 

Collin: Mãe... 

R. Verônica: Meu filho... Seu pai teria muito orgulho de você agora...  

Eu sou sorri para ela e logo fui abraçando Victoria, que me abraçou mais forte como nunca. 

Victoria: E-eu pensei que... - fala com a voz falha, ela estava chorando 

Collin: Ei... - falo limpando suas lágrimas - Eu estou aqui agora.

Ela começou a sorrir e segurei o seu rosto, fazendo nossos olhares se cruzarem. Eu a beijei de uma forma calma, como se nada pudesse nos atrapalhar. Paramos pois todos começaram a bater palmas, após o nosso beijo. 

Victoria ficou com o rosto em um tom avermelhado e encostou a cabeça em meu ombro. 

Victoria: Quem é ela? - Falou apontando o olhar para Chloe. 

Eu estava prestes a respondes, mas ao direcionar meu olhar para o interior do castelo, vi um rosto familiar. Lorde Fiorenttine...

Collin: O que ele está fazendo aqui?  

Victoria: É um assunto complicado... 

R. Verônica: Collin, preciso falar com você à sós. 

Collin: Claro...  - falo confuso - Chloe, fique com a Victoria, está bem? 

Chloe: S-sim...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...