História Invisual - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Jeongguk, Jikook, Jimin, Jk!uke, Jungkook, Jungkook!uke, Kookmin, Kpop, K-pop, Lemon, Namjin, Top!jimin, Vhope, Vmin, Yaoi
Visualizações 1.172
Palavras 1.856
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, depois de tanto tempo em hiatus total no site, eu decido voltar e dessa vez espero que para ficar mesmo. Me desculpem pela demora, mas é que eu realmente precisei tirar esse tempo para mim, para pensar e também para rever meus conceitos sobre o site e sobre o que é ser um ficwriter. Ainda estou descontente com várias coisas, mas estou tentando lidar com isso agora, então por mais que eu não esteja dando muitos detalhes aqui, saibam que se eu voltei, isso é totalmente por vocês. Acho injusto deixar vocês na mão depois de tanto amor que me deram, então aqui estou <3

Essa atualização está saindo bastante tarde, mas espero que segurem o soninho para ler esse capitulozinho. Espero que gostem <3

Capítulo 21 - Vigésimo


Depois da minha pseudo declaração para Jeon naquela noite, ele não soube o que me responder e por isso sequer o fez, mas tudo bem, eu entendia completamente que isso poderia ser bastante esquisito para ele. Sem contar que o Kim tinha um complexo de inferioridade muito grande e eu não duvidaria nem um pouco se ele achasse que eu estava fazendo aquilo apenas por pena ou sei lá o que mais sua mente complexada pudesse criar a respeito disso.

Mas eu não estava, de verdade, dizendo aquilo para que ele se sentisse desejado pela primeira vez na vida ou algo do gênero, eu disse aquilo porque eu estava mesmo desejando ele. Talvez não exatamente na forma mais carnal de se dizer — embora sim, admitisse que o corpo do mais novo era bastante lindo —, mas bem mais na sentimental. Ele era um garoto adorável e me trazia nostalgias agradáveis demais, misturada a sentimentos que fazia tempo que eu não sentia.

Claro que eu não saberia dizer se de fato estou apaixonado por ele de verdade, porque esse assunto é meio complicado para mim. Mas eu sentia que gostava sim dele, sentia vontade de estar com ele, de proteger ele, de segurar em sua mão e de ter a liberdade de dar pequenos beijinhos espalhados pelo seu rosto. Talvez fosse um pensamento bastante adolescente da minha parte, mas eu não conseguia deixar de pensar que era exatamente assim que eu me sentia, como um adolescente.

Era impossível ignorar que, mesmo nem fazendo tanto tempo que nos conhecíamos, Jeon e eu tínhamos sim alguma ligação quase que predestinada. Era um pensamento que eu não tinha desde que parei de ver Taehyung há anos atrás e por mais que pensar nele ainda me deixasse estranho, eu sentia que poderia esquecê-lo totalmente se ficasse com o Jeon.

Não, meu objetivo não era ficar com o garoto cego para esquecer meu antigo primeiro amor, porque eu sei o quão babaca seria se eu fizesse isso. Meu objetivo, de verdade, era o de reencontrar alguém que me fizesse sentir bem, que me fizesse sentir aquela chama engraçada no meu peito e que trouxesse aquelas esquisitas borboletas em meu estômago. E parte de mim me diz claramente que o Jeon pode me trazer isso, porque de alguma forma ele já estava conseguindo trazer.

Todavia a outra parte de mim me dizia que era uma besteira completa, que deveria esquecer aquilo enquanto ainda tinha tempo e que deveria apenas ficar um tempo solteiro, indo para algumas festas, transando com algumas pessoas sem compromisso e curtindo a vida de solteiro que eu nunca curti realmente.

Mas a verdade é que isso não fazia muito o meu tipo. Transar era bom, óbvio que sim, mas eu sou aquele tipo de cara bem mela cueca que prefere fazer amor do que fazer sexo. Acredito que as coisas sejam muito melhores quando se está com alguém que gosta e que isso faz toda a diferença para mim. Então é, seria meio complicado para mim forçar uma vida que eu nem curtia tanto.

Gostava de estar junto a alguém, de assistir Netflix agarradinho e mandar mensagens bobas e falar sobre coisas melosas. Por mais que eu soubesse que nunca poderia mandar mensagens bobas para o Jeon e que também seria impossível assistir algo na Netflix com ele, eu ainda assim queria tentar. Me sentia idiota, mas eu queria dar ao Kim todos os amores que ele nunca teve. Mostrar para ele que não é só os pais que podem encher ele daquele sentimento gostoso.

Todavia a grande incógnita era: e se ele não quisesse? Ele não me respondeu quando disse que gostava dele e mesmo que eu tenha levado isso como surpresa e não realmente como uma ignorada digna de friendzone, talvez houvesse a possibilidade dele não estar nem um pouquinho interessado em mim daquele jeito. E pensar nisso me deixava um pouquinho para baixo e talvez até ferisse meu orgulho, porque eu nunca levei um fora de alguém antes.

Mas tudo bem, não é como se eu fosse aquele tipo de macho escroto que não aceita um não e sai por aí falando escrotices de machos escrotos, eu iria respeitá-lo se não me quisesse daquele jeito e continuaria sendo amigo dele caso ele preferisse assim. De qualquer jeito, eu queria que o Jeon ficasse bem e se sentisse bem, estando ou não junto comigo. Isso era total escolha dele.

Por isso não toquei mais naquele assunto ao ritmo em que os dias iam passando. Era um pouco esquisito dormir sempre no mesmo quarto que ele e ser cuidado por Seokjin e Namjoon, mas até que a vida de vagabunda que não faz nada era legal. Sei que parece folgado, mas era legal ficar deitado o dia todo vendo série, ganhando comida e bebida na cama e recebendo qualquer coisa que pedisse. Era meio ruim ter que tomar banho necessitando da ajuda de alguém e ter que pedir por companhia quando precisasse ir ao banheiro, mas isso era o de menos quando tinha todo o resto de bandeija.

Só que junto a isso tudo, também vinha o tédio. Eu não era acostumado a ficar fazendo nada o dia inteiro e meus dias, principalmente na parte da manhã, eram bem chatinhos para mim. Isso porque era de manhã quando Seokjin e Namjoon saíam para trabalhar e também era o horário em que o Jeon ia para a escola estudar. Eu ficava completamente sozinho em casa, no silêncio do tédio total.

Suspirei pesadamente, olhando para a tela do meu celular que brilhava na minha cara. Era a quinta vez que eu ficava revendo todas as postagens de hoje no meu instagram. Já tinha me saturado de tanta série, o youtube já tinha perdido a graça naquele momento e meu whatsapp estava mais morto que minha atual vida sexual.

— Ah, que saco… — praguejei baixinho, abrindo o navegador do Chrome e abrindo a janela anônima.

Tá, se eu não tinha nada para fazer então podia só aproveitar que era o momento do dia em que ninguém estava em casa e bater uma. Um pouco mal educado? É, mas ninguém é de ferro e mesmo estando em uma casa que não era a minha, eu ainda era um homem e digamos que homens têm necessidades muito grandes de esvaziar periodicamente, poxa. Não me culpe por isso.

Por isso acabei procurando por um título de pornô bem genérico mesmo, como “cute boys porn gay” porque desculpa, mas eu não curto muito aqueles pornôs com caras super musculosos e machões que, na tese, são o tipo ideal que agrada o mundo gay. Eu preferia muito mais os magrinhos, bonitinhos e que gemiam fofo. Talvez porque eu sou um cara consideravelmente pequeno e eu gosto de me sentir dominante no sexo.

Não que eu seja a pessoa mais dominante do mundo, virilidade 10/10, mas talvez o complexo de todo mundo me achar fofo demais e eu não gostar de parecer fofo me afete um pouquinho. Era um saco quando, antigamente, conhecia algum cara que queria sair comigo e na hora do rala-e-rola ele ficar bravo por jurar que eu era passivo por causa da minha cara.

Ativo não tem cara! Eu não preciso parecer o normativo hétero para ser o ativo, nem o passivo precisa ter o visual delicado e até “afeminado”. Posições sexuais não têm nada a ver com a aparência ou a personalidade e me irritava demais ver pessoas se interessando por mim só por eu, algumas vezes, parecer o tipo ideal de passivo indefeso.

Não que ser passivo fosse um bicho de sete cabeças, é claro que como um homem gay sexualmente ativo, eu já fui o passivo em algumas transas. Nenhum gay só fez uma coisa na vida, guarde isso bem, todos nós queremos provar um pouquinho de cada coisa para não cair na monotonia sexual. E por mais que alguns optem por serem só ativos ou só passivos em alguns casos, todo mundo que já faz sexo há um tempo já experimentou os dois lados.

Mas sim, eu preferia ser o ativo. Sinceramente não me interessava nem um pouco pelo prazer anal, até porque eu em particular não via prazer naquilo. Preferia relações físicas sim, com um parceiro que concordasse em ser apenas meu passivo, porque era a maneira com a qual eu gostava de fazer sexo. E nada daquilo, repito: NADA tem a ver com a minha aparência.

Entrei no Pornhub mesmo, procurando pelas miniaturas um pornô que parecesse legal, achando alguns um pouco bizarros e outros em péssimo qualidade. Se era pra bater punheta, eu queria bater punheta com elegância e gastar meus olhos com algo de boa qualidade e que não tivesse ninguém enfiando duas mãos inteiras no cu do pobre coitado do ator.

E foi depois de uma quase longa procura — cerca de cinco páginas —, eu achei um que parecia bom, então cliquei nele e esperei alguns segundos até que carregasse. Assisti um pouco o início, a enrolação com os diálogos ruins que a gente só vê em vídeo pornô mesmo. Do tipo “oi meu nome é Jorge, sou o encanador”, “oi Jorge, minha pia tá quebrada e uau que pau lindo vamos trepar”. Mas tá, na minha cabeça eu ignorava o diálogo e tentava imaginar numa história melhor para que pudesse começar a me excitar.

Depois de um tempo naquilo, quando eles começaram as preliminares, eu sentia meu membro começar a dar seus sinais de vida, por isso não tardei muito para tirá-lo logo de dentro da calça e começar a massageá-lo para acelerar o processo de enrijecimento. Eu só queria acabar com aquilo logo mesmo, gozar e fingir que nada aconteceu, limpar tudo com alguma meia mais próxima e depois colocar ela na lixeira como se nunca tivesse existido.

E quando estive suficientemente duro, o casal já estava realmente transando, enquanto o passivo gritava um pouco desajeitosamente alto e o ativo tinha uma voz um pouco mais grossa do que de costume. Estava sozinho, então não precisava dos fones de ouvido, só eu ouviria mesmo e sinceramente era mais excitante assim, gostava do som alto que o sexo produzia, então tudo bem.

Comecei a me masturbar realmente, sentindo minha mão apertar um pouco o meu falo, acariciando até embaixo e voltando lentamente para cima, brincando com a minha cabecinha com o meu polegar. Não estava me empenhando tanto, para ser sincero, mas já era um alívio considerável em apenas poder estar me masturbando depois de dias naquela casa.

Não vou detalhar muito, mas estava quase gozando e não era nem a metade do pornô ainda e embora isso fosse até um pouquinho vergonhoso e me fizesse parecer meio impotente, eu sabia que era só porque eu realmente estava fazendo aquilo com pressa, bastante desligado ao mundo a minha volta e prestando atenção somente na imagem de sexo que tinha a minha frente.

Tão desligado que sequer notei os passos no piso de cerâmica, juntamente a presença repentina no quarto. Tão desligado que de fato só prestei atenção nisso quando ouvi a sua voz, completamente surpreso.

— O que você está fazendo? — Jeon perguntou, absurdamente perplexo.


Notas Finais


ME SEGUE NO INSTAGRAM > https://www.instagram.com/jihopark_/ (@jihopark_)
.
E aí, o que acharam? Comentem aqui embaixo a opinião de vocês <3 Não se esqueçam de adicionar a fanfic aos favoritos se quiserem e também de me seguir para receberem notificações sempre que eu atualizar. Beijinhos e até o próximo capítulo~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...