História I.P.Q. Nusquam. - Interativa. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Escolar, Ficção, Interativa, Internato, Magia, Mundos Paralelos, Nusquam, Original, Sobrenatural
Visualizações 26
Palavras 3.739
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ainda a vagas, podem ficar tranquilos.
Aqueles que estão fazendo ou concluindo, não precisa de desespero, pode ir fazendo com calma. :3

Então, Oi.
Eu decidi começar a escrever, e gostaria de deixar explicado alguns mecanismos da história.

Os "..." demarcam a mudança de cena ou quebra de tempo.

Os "*" vão marcar as músicas escolhidas para àquele comento, entre eles estará o nome delas e as vezes o ponto do play, todas estaram nas notas. Quando aparecer "***" quer dizer que a música acabou.

Os pontos de vista são marcados no início dos capítulos, onde eu irei colocar "Pov's" e o nome do personagem, quando não aparecer e porque você está no ponto de vista do Autor. As vezes eu posso acrescentar eles no meio da história.

Palavras de negrito + inclinadas são pensamentos.

Por agora é só isso. :)
Espero que gostem, toda crítica construtiva e bem vinda.
Até...

Capítulo 2 - Capítulo 01 "Bem vindo." -parte 01.


Fanfic / Fanfiction I.P.Q. Nusquam. - Interativa. - Capítulo 2 - Capítulo 01 "Bem vindo." -parte 01.

*The Score - Who I Am”


Os raios de sol da manhã começavam a iluminar o dia, e consequentemente o quarto do jovem Klaus North.

Ele repousava sobre uma cama dura, havia chegado a grande Cidade Central pelo início da madrugada, estava exausto e mal notou a falta de lençóis ou o fato do chuveiro estar queimado, muito menos a janela sem vidros. Não havia nada ali para levar, a não ser que o ladrão arrancasse as roupas de seu corpo ou quisesse levar sua única mala que acomodava dois pares de roupas e uma jaqueta.

Ele resmungou quando sentiu o calor do sol queimar sua pele parda, sentou-se na cama e espreguiçou-se. O rapaz de 1,84 de altura se colocou de pé observando com seus olhos castanhos escuro pela primeira vez atentamente o local, não se importou com a simplicidade e falta de móveis ou objetos, na verdade ficou apenas preocupado pela falta de vidro na janela.

Ele caminhou até o banheiro e se analisou no espelho, havia algumas marcas nos braços e em seu corpo definido, ele parecia um pouco cansado mas nada que um banho não resolva.

Assim que a água fria bateu nos curtos cabelos de finos fios pretos e escorreu pela suas costas, ele sentiu um choque percorrendo todo seu corpo, já estava acostumado a banhos gelados e até gostava deles, mas aquela água parecia ter saído de um congelador. O corpo do rapaz se arrepiou e ele tremeu de leve, não tardando a sair dali. Vestiu uma calça jeans, uma camiseta de manga comprida escura e calçou as botas surradas.

Após se trocar e arrumar suas coisas, saiu dando um aceno como adeus a recepcionista que tinha uma cara nada amigável. Ele deveria seguir para o instituto, que ficava bastante longe da área mas “perigosa” da cidade onde se encontrava, faria a prova de classificação, sua mãe havia juntado dinheiro por meses para o mandar para lá e ele não poderia a decepcionar agora.

Suspirou pesadamente ao atravessar a rua, não tinha como se perder ali, o edifício da instituição era enorme e alto, de 15 a 20 andares caso não se enganava. A estrutura tinha um ar moderno e muitas janelas que quase sumiram na cor branca que possuía.


***


Seguiu por mais duas horas antes de ver uma cena que não lhe agradou, um grupo de jovens atacando outro. Ele rapidamente se aproximou deles, não ligando para o fato de que estava adentrando um beco escuro e sem saída no final. Ele jogou a mala em um canto qualquer perto de um lixeiro e avançou para cima deles.


-Ei!-chamou a atenção deles, os rapazes, que ao todo eram três, mudaram sua atenção para ele, o outro que estava deitado no chão se contorceu um pouco virando o rosto para o lado assim podendo o encarar. -O que foi que ele fez para merecer um tratamento tão hostil?-perguntou cruzando os braços, suas sobrancelhas estavam franzidas e seu olhar era ameaçador.

-Seja o que for não é problema seu. -Disse um dos rapaz este usava um boné preto e possuía olhos azuis.

-Agora é. -ele se aproximou mais.

-Olha aqui, esse merdinha… -O rapaz não conseguiu terminar já que Klaus agarrou seu pescoço o enforcando os outros dois se moveram, mais não muito, Klaus levantou o dedo indicador em um sinal para não avançarem mais.

-Que falta de educação. -voltou seu olhar sobre o rapaz em sua mão, ele tentava respirar. -Eu vou dizer isso uma vez, apenas uma vez. -seguiu olhando para os outros dois. -Se os vir mais uma vez atormentado alguém, eu não terei piedade. -soltou o rapaz que caiu sentado, seus amigos se aproximaram para o acudir. -Sumam da minha frente enquanto ainda estou de bom humor. -a rispidez em sua voz causou arrepios nos jovens que saíram correndo. -Você consegue se levantar? -ele se acalmou abaixando para socorrer o rapaz que ainda estava estirado no chão.


Ele nada respondeu, nem se moveu, Klaus o examinou, havia desmaiado. O jovem tinha cabelos castanhos escuros e sua pele era parda, mas estava pálida de manchada de sangue. Ele pegou o jovem no colo e saiu às pressas para fora dali, três pessoas o cercaram para ajudar no socorro. Após o jovem ser levado por uma ambulância ele retornou para o beco mais sua mala não estava mais ali, e para ajudar sua roupa estava manchada de sangue. Ele suspirou pesadamente e lamentou a perda mais seguiu para o instituto, ainda havia coisas a serem feitas, depois ele dava queixa do furto.


. . .


*Norihiro Tsuru - Last Carnival.*


Assim que chegou notou que o lugar era mais imenso que parecia, a entrada era um grande corredor de flores e arbustos que levavam direto a enorme porta dupla de blindex, o chão era de uma espécie de pedra branca que se dividia em blocos pequenos até a entrada do ambiente, onde se tornava um piso liso e branco.

Assim que atravessou a porta uma mulher usando roupa social veio às pressas para perto dele, uma recepcionista. Ela questionou com preocupação o sangue em suas vestimentas e ofereceu ajuda, Klaus recusou e a acalmou, dizendo que havia vindo para fazer o testa, e com um grande sorriso ela o guiou até sua sala.

O local era enorme de paredes brancas repletas de quadros com mapas de países e estrelas, o teto parecia o céu a noite cheio de estrelas, constelações e nebulosas, e após um tempo o observando Klaus podia jurar que elas se mexiam. As duas portas são de madeira rústica e escura. O piso de uma madeira mais clara. As mesas são de uma madeira escuro e as cadeiras eram estofadas. Haviam 6 fileiras com 10 carteiras cada.

Ele era o segundo a chegar, já que, no final da sala, na última carteira da fileira da direita estava um rapaz, graça ao capuz escuro que usava, Klaus não conseguiu ver quem era. Ele decidiu não o incomoda sentando na segunda carteira, da última fileira da esquerda.

Aos poucos a sala foi enchendo e logo não haviam mais lugares para se sentar.


***


Ele respirou fundo quando uma mulher muito bem vestida adentrou a sala. Com um estalar de dedos um caderno de perguntas e caneta surgiu sobre as mesas.


-Leiam todas as questões, qualquer tentativa de cola fará a prova ser anulada, o silêncio é necessário e nem uma dúvida será esclarecida, boa sorte. -assim que terminou de falar se sentou em uma cadeira na frente da sala cruzando as pernas e observando todos com atenção.


Apesar do nervosismo Klaus tentou se concentrar na prova, as questões variam muito de dificuldade e às vezes ele se sentia muito confuso.


. . .


Após cinco horas sentado ele finalmente terminou sua prova. Estava exausto e faminto, e antes de sair do local a mesma recepcionista de antes o barrou. Com um grande sorriso ela lhe devolveu sua mala, quando questionada avisou que apenas foi instruída a lhe entregar a mala e um envelope. Ele abriu de imediato e ficou surpreso ao ver o comprovante de sua entrada, havia passado.


“-Instituto Qualificatório e Preparatório de Nusquam.-


Carta de admissão: Aprovado.


Prezado senhor North, temos o imenso prazer de anunciar que foi aprovado em sua avaliação, é escolhido para atuar na classe do Lobos.


Sua pontuação fora de 63 no teste manuscrito, e tivemos o prazer de prestigiá lo com 1 ponto em seu teste atuante.

No envelope se encontram a listas de regras da sua classe, sua grade de horários, o número e a chave de seu quarto.


Esperamos ansiosamente a sua presença. Agradecemos desde já, Administração dos Lobos.


-Assinado: Luke Santorine.”


Klaus abriu um largo sorriso e olhou desacreditado para a mulher a sua frente, ela sorriu de volta.


-Gostaria que eu o acompanhasse até seu dormitório?-perguntou gentilmente, ele assentiu.


. . .


Klaus estava diante de uma porta de madeira preta, a recepcionista lhe explicou que o pavilhão era novo, e que o quarto ainda estava sobre um feitiço de modificação.


-E agora?-perguntou confuso e preocupado.

-Basta por suas mãos sobre a porta, pensar sobre o ambiente que deseja ter, e então o quarto fará o resto. -explicou ficando parada atrás dele.

-Tá… mas como eu vou saber que quarto eu quero?

-Apenas imagine.

-Certo…


Klaus se concentrou, ele tentava formular em sua cabeça o que desejava para aquele ambiente.

Um local confortável, que lembrasse seu quarto em casa. O teto, o piso e as paredes são de madeira de pinho, a direita haverá uma enorme janela, ele prefere que seu banheiro seja simples, com piso de cerâmica branca, as paredes eo teto serão brancas, dentro haverá um conjunto branco de pia, vaso e banheira, além de uma ducha.


-Pronto, sorriu.

-Abra. -pediu com gentileza.


Eles entraram o local, realmente lembrava muito seu quarto em casa, até o teto descebdo na vertical para os fundos do quarto, sem móveis ainda, mas nada que não pudesse resolver com o tempo.


-Não quis imaginar móveis novos? -perguntou a mulher curiosa.

-Ah… dava?


Com uma risada ela estragou os dedos, cortinas cor de champanhe surgiram na janela a cobrindo por inteiro e nas laterais surgiram prateleiras.

Uma cama baixa de casal surgiu de frente para a porta, e um closet com quatro portas de madeira escura do lado esquerdo da porta do banheiro.

Ela ainda transformou a cabeceira da cama em um conjunto de três janelas foscas, do lado esquerdo à um pequeno banco servindo de mesa para um abajur. No chão a frente da cama surgiu um tapete escuro com alguns detalhes em dourado.


-Isso lhe agrada? -perguntou curiosa e esperançosa.

-Uau, isso ficou incrível. -sorriu. -não acho que esse seja o trabalho de uma recepcionista? -riu ela sorriu.

-Sou uma recepcionista, minha tarefa e recepcionar os alunas e ter certeza de que estão bem acomodados.

-Wom…

-Acho que está tudo em ordem, haverá mais roupas limpas, lençóis e cobertores no seu armário. -disse observando o quarto e apontando de leve para o guarda roupa. -Acha que precisa de mais alguma coisa?

-Não… -sorriu, antes que pudesse agradecer seu estômago roncou. -ah…

-O refeitório fica no pavilhão central, segundo andar. -sorriu. -tome um banho e vá lá, tenho certeza que as cozinheiras poderão preparar algo delicioso para você, estou me retirando, tenha um bom dia senhor North. -ela se retirou fechando a porta.


Klaus suspirou e observou o local, era um pouco grande, com o tempo começaria a preenchê lo melhor com seus livros de estudo e objetos pessoas.


*The hollow Coves - The Woods.*


Ele foi até o guarda roupa, havia três pares de roupas a sua espera, nada que ele não usaria, guardou ali as poucas roupas que tinha, pegou seus pertences e seguiu para o banheiro, onde tomou uma relaxante ducha quente, ao sair se trocou, colocando uma calça jeans e uma camiseta xadrez vermelha, ao colocar os pés nas botas deu duas batidinhas com o pé direito antes de sair, trancou a porta, mesmo pensando que não era necessário e seguiu para o pavilhão central.

Assim que adentrou o elevador, uma jovem foi junto, ele apertou o botão do segundo e ela do décimo quinto.

A jovem possui uma aparência delicada, suas feições são sérias e sua postura e de alguém muito confiante. Sua pele é extremamente branca, quase pálida, Klaus podia quase ver suas veias. Os olhos redondos e verdes estavam fixados no chão, o nariz e arrebitado e os lábios carnudos tinham um tom rosa claro. Os cabelos loiros quase brancos caíam de leve para frente lhe dando um ar angelical. Ela trajava uma saia colada branca, que ia até metade de suas cochas, uma blusa de mangas longas listrada e solta em uma tonalidade rosa pastel, nós pés um par de botas pretas, cano curto.

Apesar da aparência, Klaus sentiu que deveria ser cauteloso ao seu lado, se perguntou porque, mas não teve tempo de tirar suas conclusões já que o elevador chegou ao seu andar. Ele saiu e a jovem observou suas costas, ela tinha certeza de que Klaus ficou a observando, e não gostará nada disso.


***


Quando o elevador parou no décimo quinto andar, Itália Madison Vaguan, saiu em passos largos e elegantes, o som da batida de seus pés ecoavam avisando mais a frente a sua chegada. Ela seguia por um longo e espaçoso corredor, haviam várias portas ali, mas ela desejava chegar na do fim.

A enorme porta de madeira dupla, entalhada nela havia o símbolo de uma enorme serpente, seu corpo formava um círculo em volta de sua cabeça que estava abaixada deixando assim visível as marcas da parte superior de sua testa que formavam um perfeito losango.

As portas se abriram antes mesmo dela se aproximar deixando que ela entrasse direto, o lugar era enorme com um grande mesa retangular no centro,  lá no final havia um quadro, de uma mulher bem vestida e elegante, sentado de forma reta, seus cabelos brancos caíam com suavidade pelos ombros, seus olhos cor de esmeralda se assemelhavam ao de uma cobra e sua pele era pálida como papel, uma serpente verde repousava sobre seu colo a cabeça levemente abaixada deixava à vista o rubi em formato de losango que ali se alojava. Analisando o local com mais atenção dava para se notar o carpete vermelho bem limpo, as paredes pintadas de preto não tinham nem uma decoração, e o rodapé das mesmas era de madeira escura. O teto subiu em formato de uma abóbada e do centro dele caia um lustre de candelabros, havia uma porta do outro lado da sala abaixo do quadro da misteriosa mulher.


-Seja bem vinda. -Comprimentou a única mulher na sala, sentada na cabeceira da mesa do outro lado da sala, uma ficha repousava a sua frente na mesa. -Eu sou Bianca Salazar, vice líder das Víboras, e um grande privilégio a conhecer.


Os longos cabelos negros estavam bem alinhados em um rabo de cavalo, sua pele é branca e seus olhos verdes. Ela trajava um curto vestido preto e um colar com o símbolo da serpente na porta se pendurava em seu pescoço. Ela tinha um ar elegante, um corpo bem definido e volumoso.


-Nossa líder, Sabrina, lamenta muito não poder vir recepcioná la, mas houve um problema… -suspirou, Itália notou breve olhar nervoso da mulher, mas preferiu ignorar.

-Está tudo bem. -respondeu séria.

-Certo, venha eu vou lhe mostrar as instalações. -sorriu guiando a jovem pelo corredor repleto de portas, dizendo o que havia em cada uma. -E aqui fica o laboratório dos novatos, será aqui que você irá desenvolver seus projetos no início. -sorriu abrindo a porta, ela dava a uma enorme sala de paredes claras e piso branco.


O teto é alto e branco, com luzes embutidas, haviam vários balcões de mármore preto enfileirados em duas fileiras com 15 cada. Havia um grande espaçamento entre elas. Três pessoas em mesas diferentes se encontravam trabalhando ali. Uma garota no terceiro balcão da esquerda mexendo com seu notebook e um telescópio, um conjunto de 5 frascos com diferentes substâncias viscosas. Um garoto no final da sala no balcão da direita, havia um pouco de graxa em seu rosto, ele construía alguma máquina. Na primeira bancada da esquerda outro rapaz, ele estava com vários papéis e três livros sobre a sua mesa, fazendo anotações à mão.


-Edmundo, pode mostrar a senhorita as mesas disponíveis. -pediu ao rapaz da primeira bancada os outros se desviaram com rapidez para ver quem era e logo voltaram a trabalhar.


Edmundo se levantou deixando os matérias de seu colo sobre a mesa. Ele possui cabelos castanhos claros e olhos castanhos escuro, sua pele é parda e ele tem um corpo definido. Trajava uma camiseta preta e uma calça jeans escura, sobre seus ombros o jaleco branco se pendurava, nos pés usavam um sapato social bem polido e limpo.


-Certo, tenham um bom dia. -sorriu se retirando, Itália encarou o rapaz que suspirou.

-A mesa diretora tá livre, às três últimos também, na fileira da esquerda a mesa cinco, sete, catorze. -disse olhando na direção delas e colocando as mãos nos bolsos.

-Vou ficar com essa. -disse se dirigindo a primeira da direita.

-Okay. -ele se aproximou. -A recipientes, combustíveis e algumas matérias primas aqui. -abriu as portas debaixo do balcão deixando visível a variedade de recipientes e máquinas que ela poderia usar, além de que uma porta estava repleta de raízes, ervas e substâncias que futuramente poderia usar, tudo bem organizado e alinhado. -Ferramentas e utensílios duas últimas gavetas, as duas primeiras estão vazias. -ele disse abrindo a primeira e tirando um jaleco de dentro entregando a ela. -Não esqueça de escrever seu nome na mesa. -apontou a uma plaquinha do lado esquerdo da mesa na lateral sobre o balcão. -Aqui. -ele tirou uma caneta do bolso e a entregou, ela rapidamente escreveu seu nome ali e devolveu. -Prontinho, bem vinda. -sorriu retornando a sua mesa.


Itália sorriu de volta e olhou para os outras, a garota nada disse e o rapaz no final da sala acenou. Ela suspirou voltando sua atenção para a bancada, aquilo não era um sonho, ela realmente havia conseguido chegar ali e agora poderia se tornar mais forte. Sorriu e saiu da sala, os outros três se entreolharam brevemente e voltaram a suas atividades.


. . .


No refeitório, Klaus estava esperando na fila, mas o rapaz a sua frente aparentemente adora bater um papo com a cozinheira que parecia bastante empolgada com a conversa. A cozinheira se chama Delilah, aparenta ter um 70 anos, de cabelos grisalhos e olhos castanhos claros, sua pele enrugada possui uma tonalidade meio bronzeada.


-Eu vou morrer de fome… -resmungou seus pensamentos em voz alta.

-Ah. -o rapaz a frente o olhou surpreso. -Desculpa, eu meio que me empolguei. -riu coçando a nuca. -Vou querer o prato do dia e para sobremesa salada de fruta. -sorriu para cozinheira que logo foi preparar seu pedido. -Oi, me chamo Lohan Ethan Schmutz Lowe. -disse estendendo a mão a Klaus em um ato amigável para comprimentalo.


O rapaz não possuía mais de 1,72 de altura, pele branca e corpo magro, mas visivelmente forte e definido. Os olhos e os cabelos, que são curtos e possui uma franja, são negros como a noite. Ele traja um look até que simples, uma calça jeans preta, um moletom verde escuro e um tênis All Star de mesma cor com os cadernos bancos.


-Klaus North. -aceitou o aperto de mão com um leve sorriso.

-Está em qual classe?-perguntou curioso na tentativa de iniciar uma conversa.

-Lobos… -respondeu, Klaus analisou o rapaz de cima em baixo, não parecia uma pessoa ruim, na verdade transbordava uma energia muito boa.

-Oh, eu também. -sorriu alegre. -Eu tô super empolgada para começar, um pouco nervoso, mas ainda sim empolgado. -A cozinheira entregou uma bandeja para ele, nela havia um prato de lasanha e um pequeno pote com salada de fruta que ele havia pedido, ele agradeceu com um sorriso. -Você chegou a quanto tempo?

-Hoje… -disse pensativo olhando o cardápio. -Vou querer o combo 09 e para sobremesa uma maçã. -disse a cozinheira que sorriu indo preparar seu pedido.

-Wom, se quiser eu posso te mostrar o lugar. -ofereceu, Klaus lhe olhou com seriedade e Lohan já o encarava, assim que percebeu isso desviou o olhar.

-Séria bom. -disse após um suspiro, o sorriso de Lohan se alargou.

-Certo, então começamos assim que terminamos.


O pedido de Klaus chegou, um prato com salada, bife e arroz com feijão, e ao lado sobre um guardanapo uma maçã, eles escolheram uma mesa entre as diversas do local e se sentaram.


*Feel Good - Gryffin & Illenium(feat. Daya)*


Eles conversaram durante um bom tempo, Lohan se mostrou uma pessoa bastante otimista e empolgada, vez o outra fazia uma piada. Não demorou muito para Klaus se sentir mais confortável na sua presença e começar a agir de forma mais brincalhão.

Depois que terminaram de comer, Lohan o guiou por toda a instituição, mostrando cada lugar e explicando suas funções. No final do dia os dois já haviam se tornado, de certa forma, amigos, o que deixou Klaus bastante surpreso, já que o mesmo tinha dificuldade em fazer novas amizades e confiar em estranhos.

O dia já estava quase acabando quando voltaram a área dos dormitórios, apesar de estarem no mesmo pavilhão, Lohan estava instalado no quinto andar, enquanto Klaus havia ficado no primeiro.


***


-Então a gente se vê amanhã?-perguntou observando Lohan entrar no elevador.

-Claro. -sorriu acenando. -até.

-Até.


Klaus seguiu para seu quarto, no meio do caminho lembro que deveria entrar em contato com seus pais, teria feito isso mais cedo se não tivesse se distraído com o passei pelo colégio e se esquecido.

Caminhou até a recepção e perguntou a recepcionista onde poderia fazer uma ligação para telefone fiquiso, ela o deixou usar o da recepção e ele agradeceu. Assim que deu o primeiro toque sua mãe atendeu.


-Klaus? -perguntou desesperada.

-Sim, oi mãe. -sorriu.

-Graças a Deus você está bem, então como foi? Está tudo bem?

-Sim, estou bem. -seu sorriso se alargou. -Eu passei, sou um lobo.

-AAAHH!- gritou eufórica do outro lado, Klaus afastou o telefone e riu. -Isso é ótimo, eu sabia que iria conseguir.

-Sim… Obrigado por me forçar a vir para cá.

-Rá! Parece que alguém admite que estava errado. -Klaus podia imaginar o sorriso debochado de sua mãe.

-Sim, sim. -riu.

-Como foi o dia? Me conta tudo.

-Bom, eu já estou instalado, pode pedir para Richard mandar as minhas coisas. -sorriu.


Klaus fez um breve resumo para sua mãe de como era a instituição e de como havia feito um novo amigo, preferiu omitir o fato de ter sido roubado e depois magicamente ter conseguido suas coisas de volta.


-Que bom… Ah, seu irmão chegou. -Klaus ouviu sua mãe passar o telefone para o mais velho e lhe contar a novidade.

-Oi, parabéns pela admissão. -disse seu irmão do outro lado da linha. -quem diria que seria um lobinho. -riu.

-Pois é, como estão indo as coisas aí?

-Bem, como sempre. -suspirou. -O inverno chegou mais cedo, nada que eu não possa controlar, eu vou aí levar as suas coisas daqui a dois dias.

-Você pode pedir para alguém trazer. -falou preocupado, não poderiam ficar gastando as economias assim.

-Nhén, e perde a chance de voltar ao instituto e cumprimentar o pessoal, nem pensar. -riu. -Nós vemos em dois dias, até.

-Certo, certo. -bufou.

-Mamãe vai desligar, cuidado. -disse calma do outro lado após receber o telefone de volta.

-Sim, vocês também. -sorriu. -Te amo.

-Também te amo. -desligou.

-Obrigado por me deixar usar. -disse a recepcionista que sorriu. -desculpe ocupar tanto tempo.

-Tudo bem, ninguém liga neste telefone mesmo. -disse sorrindo e apertando o botão da secretária eletrônica.

-Você tem 64 ligação e 34 mensagens. - disse uma voz robótica depois de um bip.

-A não ser hoje. -falou meio nervosa e constrangida.

-Desculpa.

-Tudo bem. -suspirou. - Hora de retornar ao trabalho.

-Acerto, até.

-Tenha um bom dia. -Sorriu e acenou para Klaus que retribui e saiu indo para seu quarto.


Notas Finais


Play do Capítulo:

# The Score - Who i am.

https://youtu.be/MwtvktjEuOM


# Norihiro Tsuru - Last Carnival.

https://youtu.be/hG1gbOjWWdI


# The hollow Coves - The Woods.

https://youtu.be/2Q466ZPyNAo


# Feel Good - Gryffin & Illenium(feat. Daya)

https://youtu.be/sZLLB6JNKpU


Todas as músicas usadas na história serão colocadas nesta playlist :3

https://www.youtube.com/playlist?list=PLTUyEgaYT-UqRYhNGVVzTb5D4C9begNS6


Obrigado por ler, espero que tenham gostado, até… *~*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...