História Ira Contra o Sobrenatural (HIATUS) - Capítulo 1


Escrita por: e BrisaBrigadeiro

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Híbrido, Magia, Misticismo, Romance, Sobrenatural, Suspense
Visualizações 10
Palavras 1.649
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense
Avisos: Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!!! Tudo bem??
Antes das leitoras da minha fic me matarem pelo atraso das postagens vou explicar por que eu estou criando uma fic nova.
Eu sou amiga da BrisaBrigadeiro, e nós um dia durante a aula (Sim, a gente não estava prestando atenção), estavamos conversando sobre fics que nós lemos e deu um pique de criatividade em nós duas, ficamos conversando por um bom tempo até que decidimos criar essa AUHSUAH.
E calma!! Não vou deixar a minha outra fic de lado!!! Logo logo vai sair capítulos novos, só aguarde!!

Espero que gostem da fic pois estamos fazendo com muito carinho para o entretenimento de vocês!

Boa leitura!!

Capítulo 1 - Pesadelos


S/n On

Mais um dia se inicia com o ar de verão sufocante, o som do vento balançando os sinos na varanda e a cortina branca que não impede a claridade, mas deixa o ambiente agradável e confortável, o doce cheiro de grama molhada após os irrigadores terminarem seu trabalho matinal, fitei a cortina balançando com a brisa gelada e acolhedora e fiquei pensando, como todos os outros dias, me perguntando o que este dia planejava para mim, me levantei com má vontade e fui tomar meu banho para me refrescar e tirar a sensação de estar com o corpo suado, como se eu tivesse acabado de malhar ou praticar um esporte. 

Tive outro pesadelo, os mesmos olhares, todos me olhando e me analisando, como se eu estivesse sendo testada, a sensação esmagadora de que tem algo que você não sabe, mas não sabe como descobrir, mas é tudo bobagem, é apenas um pesadelo como qualquer outro. Liguei o chuveiro, mas como todos os dias, me perdi nos pensamentos, de todos os olhares, um em especial me chamava a atenção, eu conseguia imaginar como era a pessoa que estava a me fitar atentamente, um olhar intimidador e confiante. 
Acordei dos meus pensamentos e me peguei olhando para cima, sentindo as gotas de água batendo contra o meu rosto. Fui terminar o banho que já deveria ter acabado, peguei uma bucha e coloquei um pouco de sabão, coloquei embaixo da água e fui apertando até começar a fazer espuma. Comecei a passar a bucha sobre meu corpo rapidamente para não demorar muito, quando percebi que tinha uma marca na parte inferior dos meus seios, parecia uma tatuagem, mas eu não fiz nenhuma. Uma marca tribal com traços escuros e um desenho intrigante ( https://goo.gl/images/DAwUyb ), como esta marca apareceu em meu corpo? 

Terminei de me enxaguar e me sequei com a maravilhosa toalha verde-água de microfibra que tinha ganhado e fui depressa para o meu quarto. Quando fiquei em frente ao espelho retirei a minha toalha rapidamente e olhei para o espelho assustada, imaginando como esta marca foi parar lá, qualquer roupa que eu use descuidadamente vai mostrar, então tenho que tomar cuidado para o meu pai não ver. 

Tive uma sensação ruim quando observei bem, e senti a presença de alguém me observando, na mesma hora me cobri e olhei para a porta de vidro, não tinha ninguém. 

-Filha? Está aí? Queria conversar com você, está vestida? 

-Espera só um momento pai, estou me vestindo - respondi afobada pelo susto. 

Coloquei um short preto e um blusão laranja que quase o tampava. 

-Pode entrar. 

-Ele entra rapidamente e com um sorriso no rosto - Filha, temos novos vizinhos, que tal você ir visitar eles e levar um presentinho que eu e sua mãe separamos para dar as boas-vindas? 

-Claro pai! Onde está o presente? - Respondi com um tom de ânimo forçado. 

-Está lá embaixo na cozinha, em cima da ilha. 

-Ok, vou só terminar de arrumar o cabelo e colocar o sapato. 

Ele fecha a porta com cuidado e me deixa sozinha no meu quarto, mesmo após ele sair do quarto continuo olhando para a porta, uma sensação estranha me corrompe por dentro corrompendo minha sanidade aos poucos. 

Fiz um coque alto bagunçado e coloquei uma sapatilha preta. 

Minha respiração estava forte e eu sabia que algo vai acontecer, mas não tinha ideia do que poderia ser. 

Fui caminhando lentamente, meus ouvidos estavam afiados, cada passo que eu dava era como um estouro contra a madeira, um som estridente e ensurdecedor, me deixava ainda mais aflita, eu não queria conhecer este novo vizinho. 

Peguei o presente em cima da ilha da cozinha e fui caminhando respirando bem fundo até as grandes portas do casarão. 

Ao abrir as portas me deparei com um garoto alto parado em frente a porta, como se soubesse que eu estava de saída. 

-Posso ajudá-lo? - Falei surpresa.

-Eu sou novo aqui, acabei de me mudar, gostaria dos números de emergência pra caso aconteça algo. - Disse com um sorriso de lado. 

-Ah, claro! Entre por favor, vou anotar para você. 

O guiei até a sala de estar e peguei uma folha de papel e uma caneta para anotar tudo. 

-Pode se sentar, não precisa ser tão formal - Falei dando uma risada desconcertada. 

Anotei tudo que ele precisava enquanto ele me olhava fixamente, sua respiração em um certo momento começou a ficar pesada, o que fez com que o ar também ficasse. Ele se levantou e foi em minha direção, seus passos eram ameaçadores de tão fortes, ele se sentou ao meu lado, ele foi chegando perto fui me afastando aos poucos. 

-Aqui está os números que você precisa - me virei rapidamente e me deparei com ele incrivelmente próximo ao meu corpo, levei um susto e me levantei na mesma hora - O que esta fazendo??!! 

-Não se preocupe, não vou fazer nada... Eu só queria agradecer pela hospitalidade - Disse dando uma risada.

O levei até a porta andando um pouco distante dele - óbvio né, ele chegou a ficar colado em mim, ta óbvio que é um tarado - Quando eu ia chegar na porta me lembrei que tinha de entregar o presente, então pedi que ele esperasse um pouco na sala enquanto buscasse. Peguei o presente e quando estava voltando acabei deixando o presente escapar da minha mão, fazendo com que o mesmo caisse no chão. Me abaixei para pegar e certificar de que não tinha amassado ou danificado o conteúdo, a caixa ficou com uma ponta deformada e fiquei um pouco magoada mas me levantei e ao me virar, o meu novo vizinho estava a me observar atentamente, corei no mesmo instante e desviei o olhar para não parecer tão envergonhada.

Fui em sua direção e lhe entreguei, disse que estava amassado por causa da queda, mas ele não pareceu se importar. Ele agradeceu o presente e fomos para a porta nos despedir. Estava prestes a fechar a porta quando me lembro de perguntar no nome dele, mas quando olhei, ele já não estava mais lá.

[...]

Estava tentando estudar mas não conseguia parar de me sentir incomodada com o que tinha acontecido. Estava tão distraída pensando em suas maçãs de seu belo rosto que até me esqueci da marca que habitava em meu corpo. 

Corri para o banheiro para verificar se ela ainda estava presente e senti uma presença estranha no cômodo mas ignorei. Estava em frente ao espelho do banheiro e levantei um pouco a minha blusa para checar, mas antes de conseguir enxergar algo da marca observei no reflexo do espelho e vi borrões. Quase me cagando de medo voltei a fitar o meu reflexo, mas as luzes do banheiro piscaram e, de relance, olhei para o espelho novamente e vi um par de olhos amarelos e vibrantes. Virei-me rapidamente e sai da suíte e olhei em volta no meu quarto.

Rapidamente sinto uma mão tapar minha boca e a outra segurar o meu corpo. Ele começou a me guiar até a minha cama e me deitou ainda com a mão na minha boca. Eu estava tão desesperada que fechei meus olhos fortemente e orei para que nenhum mal acontecesse com a minha pessoa. 

-Por favor fique calma, não grite, não lhe farei mal algum! Eu só quero conversar! - Disse tentando me acalmar - Eu vou soltar a minha mão e vou te pedir pra não me processar! Por favor! - Disse tirando suas grandes mãos lentamente da minha boca. 

-Q-quem é você??

-Primeiramente, me perdoe por chegar assim de repente, e segundamente meu nome é Kim Namjoon, prazer em conhece-la S/n! 

-Como você sabe o meu nome?! 

-Sou um dos que te observou a vida inteira, você em breve entenderá o motivo. 

-Você pretende conquistar minha confiança ou me fazer ficar com medo?

-Pretendo te proteger - Disse com um sorriso fofo, fazendo aparecer suas belas covinhas - Mas não se preocupe, eu não sou o único que vai te proteger. 

-Oi? Ok, isso não é normal. O que tá acontecendo? Como você entrou no meu quarto?

-Hm, isto é um segredo, logo você vai descobrir. 

-Então como você apareceu no meu quarto, é um segredo? 

-Éh... Então... É estranho, eu sei! Mas confie em mim, não sou perigoso...pra você... - Disse baixinho.

-Pera... Como assim pra mim?... Eu estou realmente assustada e... 

-Filha, você está aí?

Me assustei e olhei para a porta do quarto, quando voltei o olhar para o lugar onde Namjoom se encontrava, ele tinha desaparecido. 

-Nos vemos por aí chibi! - ouço a voz dele mas não o vejo. 

-Chibi?! Que audácia!! 

-Haha - Deu um riso soprado e de um jeito fofo, com isso acabei rindo também. 

-Filha? Está aí? Tenho uma surpresa para você. - Falou me chamando novamente. 

-Estou indo pai!

Desci as escadas e fui até a sala onde ele se encontrava. Ao chegar, me surpreendi com o meu irmão mais velho JB. 

-OPPA!!! - Disse pulando em seus braços o abraçando, e o mesmo retribuiu rapidamente. 

-Oi Chin!! - Disse ele animado afundando seu rosto em meu pescoço, dando uma fungada, me fazendo dar um risinho. 

-Senti tanto a sua falta!! Você foi fazer intercâmbio e me abandonou aqui! Aigoo!! - Disse fazendo biquinho. 

-Ownt... Desculpa ter saído assim. Era uma oportunidade única, não faz esse biquinho... Assim você me faz vontade de te apertar e te mimar! 

Reajo instantaneamente aumentando o biquinho.. 

Ele se aproximou de meu corpo o suficiente para sentir seu calor e me envolveu com seus braços, me abraçando delicadamente. Ele beija minha testa e faz carinho em minha cabeça, bagunçando meu cabelo. 

-Eu queria poder ficar assim pra sempre... - Falei baixinho e ele aumentou a força do abraço e me respondeu. 

-Eu também fofinha... - disse beijando o topo de minha cabeça.

-Filho?! Jaebum, é você mesmo?!

 


Notas Finais


Gente!! Fiquei muito carente de um abraço quando escrevemos esse final!!
Se possível peço a opinião de TODAS as leitoras nos comentários sobre oq acharam deste capítulo!! (pfv leitoras fantasmas! me ajudem!! kkkkkkk)

BriBri manda bjinhos @BrisaBrigadeiro

Espero que tenham gostado!!! até o próximo capítulo!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...