1. Spirit Fanfics >
  2. Iratze - Klance >
  3. Capítulo XI

História Iratze - Klance - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


OIIIII povo!
desculpem a demora para postar cap.
minha vida está uma loucura. Não consegui nem responder vocês.
espero que gostem!
as coisas vão começar a esquentar para nosso casal daqui pra frente, e eu estou falando em todos os aspectos.

Capítulo 11 - Capítulo XI


Algumas horas haviam se passado desde o caos que tinha ocorrido naquela tarde. Nada de muito novo havia acontecido desde então. Lance ainda dormia, Pidge e Hunk estavam tentando salvar a maioria dos móveis quebrados e Keith bolava um plano para esconder o corte gigantesco que ganhara mais cedo. A noite abraçou a todos como se fosse uma veste negra e intimidadora e ninguém sabia o que dizer ou o que fazer. A nuvem lutuosa cobriu todo o lugar e não restavam muitas opções para reverter aquela situação.

- Ei cara? Você acha que consegue fazer essa cicatriz sumir com alguma runa? - Pergunta o grandão colocando uma garrafa quebrada dentro de uma caixa de papelão.

- Eu acho que não Hunk. Não acho que exista alguma runa que possa deixar a pele mais bonita. Mas na sua opinião, ficou muito ruim? - Diz pegando um caco de vidro e olhando seu reflexo.

- Com certeza - Fala a baixinha com uma vassoura na mão.

- Pidge! - O maior a repreende com o olhar.

- Que foi? Só estou tentando alegrar um pouco esse ambiente.

- Não tem problema. Eu acho que estou até melhor do que antes. - Diz Keith com um sorriso fraco no rosto.

- Pior não poderia ficar não é? - A ruiva solta dando risadinhas baixas.

- Na minha opinião Keith, não ficou ruim. Agora você pode ter uma lembrança desse dia que apesar de ter sido bem destruidor, uniu a todos nós. Quem diria que iríamos entrar em uma carnificina bem no começo da manhã.

- Eu que o diga. Ainda bem que fiz backup dos meus arquivos. Aqueles idiotas destruíram meu lap top.

- Essa confusão toda foi a coisa que menos me surpreendeu hoje, eu acho. O fato de vocês serem dois lobisomens administrando um hotel no meio do nada e fazendo doces deliciosos, me deixou ainda mais impressionado.

- Também ficamos surpresos por ver dois Shadowhunters afastados de seu bando. - Pidge diz ajeitando os óculos no nariz.

- Isso é verdade cara. O que exatamente você e o Lance vieram procurar aqui?

- É uma história bem longa e complicada.

- Se você ainda não percebeu, temos muita coisa pra fazer aqui e com certeza o Senhor Bela adormecida não vai acordar tão cedo então pode abrir o bico.

- Eu concordo com a Pidge Keith. Estou curioso para saber mais e assim você também nos tira do tédio. Já matamos dois coelhos com uma cajadada só.

- Muito bem - Keith diz soltando todo o ar que aspirara com os pulmões.

O mestiço direcionou-se até a bancada e apoiou o cotovelo sobre a mesma. O casal de lobos aproximou-se e sentou um pouco mais à frente nas cadeiras que ainda estavam inteiras.

- Como vocês puderam perceber hoje, estamos com uma grande quantidade de demônios assolando a terra e ela não para de crescer. O poder deles aumenta a cada dia e está mais difícil de matá-los.

- Nisso eu concordo. Geralmente eu acabaria com esses vermes nojentos sem ficar nenhum pouco cansada mas hoje foi bem diferente. Eu senti que não iríamos conseguir.

- Eu também Pidge.. - Hunk diz direcionando o olhar para a garota que retribuiu na mesma hora.

- Pois é pessoal. Eu acho que eu tenho a explicação pra tudo isso.

- Com o que estamos lidando Keith? - diz a loba em pele humana.

Keith detalhou para ambos toda a profecia e toda a história que Lance havia descoberto. Contou sobre a mudança do inferno para a terra e mencionou o artefato angelical. Hunk e Pidge escutavam tudo com muita atenção, fazendo algumas breves perguntas durante o diálogo mas sem cortar a fala do mestiço.

Depois que acabou de dizer Keith respirou fundo e esperou os dois começarem a falar.

- Quer dizer então que você e o Lance estão procurando esse tal de objeto mágico? - falou a menor.

- Exatamente!

- Okay. E como é que vocês vão neutralizar a força demoníaca que está dentro dele?

- Essa parte já é mais complicada mas nós temos um enigma, só não conseguimos decifrá-lo totalmente.

- Que enigma é esse? - Hunk indaga.

Keith retira um pedaço de papel de sua jaqueta aonde havia anotado o enigma no livro.

- Está aqui. - o de cabelos longos entrega o papel para Hunk que lê em voz alta.

- “Se quiser salvar-te, morra por ele. O único jeito de chegar, é pular da montanha e o único jeito de vencer é abandonar a espada. Se correr você morre mas se pensar calmamente, você terá a vitória. A perdição é o caminho e a confiança é a chave.”

Depois de terminar o escrito, Hunk estendeu o papel novamente para seu amigo e colocou a mão sobre o queixo em sinal de pensamento.

- O que na verdade vocês conseguiram decifrar disso?

- Bom.. Eu e Lance descobrimos em um mapa antigo da cidade, que essa tal perdição é realmente um lugar. Estávamos seguindo a estrada a caminho de lá quando viemos parar aqui.

- Entendi cara. E esse tal mapa.. está com você aí? Talvez eu e Pidge possamos ajudar com alguma coisa, conhecemos bem essa área.

- Está na minha mochila lá no quarto. Eu vou lá pegar, só um instante.

Keith correu pelas escadas até o piso acima e adentrou o quarto onde havia passado a noite. Observou seu amigo na cama e o ódio voltou às suas veias quando lembrou da cena.

- Eles vão pagar por tudo isso Lance, eu prometo. Por tudo o que causaram com a gente e com as pessoas a qual nos importamos. - disse ao lado do moreno enquanto procurava o objeto na mochila.

Permitiu-se olhar para o maior residente na cama e como que por instinto deixou um beijo carinhoso em sua testa. Fechou a porta atrás de si e voltou para onde seus mais novos amigos estavam.

- Encontrei. - fala enquanto terminava de descer os últimos degraus.

Keith estende o mapa sobre uma mesa redonda próxima, limpando alguns cacos de vidro e pedaços de madeira que estavam sobre ela.

- É aqui. - aponta o asiático para o lugar que deveriam seguir.

- Esse é realmente um mapa bem antigo da cidade. - a pequena diz passando o dedo sobre as linhas e trajetórias do papel.

- Eu conheço muito bem esse lugar. - apontou o maior com tristeza nos olhos. - quando eu era pequeno, antes de me familiarizar com o mundo das sombras, eu viva em uma cabana simples com meus pais. Havia uma floresta gigante no local e eu costumava brincar lá. Não sabia nada sobre o lugar mas depois que meus pais morreram, eu tive que sair. Não quis ir para tão longe pois ainda sentia a presença deles comigo. Então construí essa pousada e estou aqui desde então.

- Sinto muito por sua perda Hunk. Eles deviam ser pais maravilhosos.

- Eles eram mesmo Keith. Aprendi tudo o que sei com eles.

- Eles te ensinaram muito bem, principalmente na parte gastronômica, devo adimitir.

- Muito obrigado haha. Mas então.. eu posso mostrar o caminho para vocês. Aposto que será mais fácil do que ficar perambulando sem rumo por ai. E isso é uma das coisas que eu não recomendo fazer.

- Isso seria incrível cara! Iria nos poupar um tempo precioso.

- Da última vez que eu e Hunk fomos lá, o lugar possuia algumas casas e pequenos comércios. Ainda há vestígios da floresta, por mais que sejam poucos. Não é um lugar muito agradável de se estar, pra falar a verdade. Mas acho que se vocês forem cautelosos, as pessoas os deixarão em paz.

- Tem alguma idéia de onde podemos começar a procurar?

- Em uma de muitas das minhas aventuras por lá, eu achei um lugar perdido e isolado, no coração da floresta. Depois de subir por um pequeno morro podia-se exergar uma cachoeira. Porém, entre o morro e a caida d´água, havia um vasto rio que corria extremamente rápido. Tinham muitas pedras pontudas e era muito alto. Nunca tentei me aventurar por lá e acho que seria um bom lugar para investigar.

- Realmente é bem interessante. Acho que agora só preciso esperar o Lance acordar para partirmos.

- Falando em Lance.. - Disse o grandão. - Por que você não diz logo que gosta dele?

- Oo...o qu..e? E.. Eu não go.. gosto dele! De onde você tirou isso Hunk?

- Ah cara.. para com isso. Nós sabemos muito bem notar uma paixão quando vemos uma. E o seu interesse pelo magrelo está bem explícito. - Pidge disse como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

- Eu não sei do que vocês estão falando. Eu e Lance somos só amigos.

- Tudo bem se você não se sentir confortável em conversar sobre isso com a gente. Mas eu vou te dar um coselho, mesmo que você não utiize-o. Não guarde seus sintimentos dessa maneira. Você pode perceber o quão doloroso é quando você não puder mais falar sobre eles. Se você gosta dele.. diga que gosta. Pode ser tarde demais quando você tentar dizer.

- Eu agradeço o conselho Hunk, mas eu não vou precisar usar. Eu e Lance somos apenas amigos e vamos continuar assim.

- Como quiser. - O lobo disse dando um sorriso acolhedor.

- Boa noite pessoal. Estão falando sobre mim? - Lance desçe as escadas no meio de bocejos e espreguiçadas.

- E ai cara, como está se sentindo? - Hunk se levanta da cadeira e recebe o moreno com um abraço bem apertado.

- Eu estou bem grandão. - O moreno diz tentando encontrar ar nos pulmões.

- Opa.. foi mal ai. Sei que não nos conhecemos muito bem mas já te considero um grande amigo.

- Não tem problema Hunk. Depois de arrancar várias cabeças ao meu lado, acho que já somos quase irmãos.

- Estou vendo que melhorou bastante. - Disse Keith ainda sentado.

- Também, dormindo por horas, até eu ficaria ótima. - falou Pidge de maneira sínica.

- Nossa, quanto amor. Estou me sentindo da realeza agora. - Falou o latino colocando a mão no peito.

Keith levantou-se enquanto Lance e Hunk caminhavam até onde ele estava. Pidge permaneceu sentada na cadeira como se o móvel fizesse parte de seu corpo.

- Fico feliz que esteja recuperado, poderemos seguir nosso caminho sem muitos problemas.

- Você está mais grosso que o normal, está tudo bem? - O moreno fala segurando na mão do menor.

- Eu estou ótimo! - Imediatamente Keith desfaz o contato e cruza os braços na frente do corpo. - Só não quero perder mais tempo. 

- Então ta legal. - Lance se vira e cumpimenta Pidge que não faz nenhum esforço para se mover.

- E então.. Vocês estavam conversando sobre o que?

- O Hunk e a Pidge estavam dizendo o caminho que temos que seguir. Eles conhecem essa área como a palma das mãos e se dispuseram a ajudar.

- Isso é incrível! Depois quero ouvir toda a história. 

- Depois te conto tudo. - Disse Hunk.

Os quatro termiram de limpar a recepção e estavam dando graças por terem se livrado de todos os hospedes do hotel a tempo. Seria muito difícil limpar as manchas de sangue mundano do chão.

Lance e Keith foram para o quarto assim como Pidge e Hunk. Auquele dia já tinha trazido aventuras demais.. para os Shadowhunters era mais fácil esquecer do que conversar sobre isso.

 


Notas Finais


e ai?
continuo a escrever assim?
preciso mudar alguma coisa?
a cronologia está boa pra vocês?
dexem os coments!!!! prometo responder todos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...