História Iris - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Lilith "Lily" Page, Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Tinker Bell, Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Lgbt, Swanqueen
Visualizações 74
Palavras 1.539
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, LGBT, Orange, Seinen, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí? Como você está?
Boa leitura

Capítulo 4 - Sonho e Café


Olívia P.O.V

E agora? Ajo normalmente ou faço tipo? Foda-se, vou ser eu mesma.

Liv Mills: Timidez mesmos. Um certo alguém não devia estar dormindo já que vai acordar cedo?

Ruby Lucas: Eu tava dormindo, mas a natureza me chamou kkkk

Acho que ela está seguindo a mesma linha de pensamento que eu.

Ruby Lucas: Algumas horas atrás vc não parecia nem um pouco tímida, o que mudou?

Liv Mills: Nada mudou, eu sou tímida! Mas também sou bem cara de pau.

Ruby Lucas: Você deve ser tão fofa com vergonha

Liv Mills: Anjo, vai dormir. Já não está falando coisa com coisa.

Ruby Lucas: Vc sempre desconversa quando está com vergonha?

Ela aprende rápido.

Liv Mills: Talvez. Não estou te expulsando, mas é quase 3 da manhã, você tem que dormir.

Ruby Lucas: Vc sempre é assim tão certinha?

Liv Mills: Não sou certinha, só não gosto de ficar igual a um zumbi.

Ruby Lucas: É certinha

Liv Mills: Minha rola.

Ruby Lucas: Que agressiva, não faz assim que eu me apaixono de vez 😉

Podia viu, não ia reclamar nem um pouco.

Liv Mills: Aham, sei.

Ruby Lucas: Tô falando sério

Ruby Lucas: Já vou dormir, mas antes quero te perguntar uma coisa

Liv Mills: Manda.

Ruby Lucas: Quer dar uma volta na praia comigo amanhã/ hoje?

Liv Mills: Quero, mas não sei se hoje vai dar. Meio que sofri um acidente e talvez role punição.

Ruby Lucas: COMASSIM? Cê tá bem?

Liv Mills: Estou, não foi nada demais, só batemos em um poste, estou inteirinha assim como o resto do pessoal.

Ruby Lucas: Não acredito, tenho que checar pedacinho por pedacinho de vc pra ter certeza

Essa mulher só deve pensar em putaria, não é possível.

Liv Mills: Ruby, vai dormir.

Ruby Lucas: Vc também, princesa

Liv Mills: Princesa é a casa do caralho.

Ruby Lucas: Vc se estressa facinho hein

Liv Mills: Digamos que minhas emoções se alternam facilmente.

Ruby Lucas: Interessante

Ruby Lucas: Não vejo a hora de passarmos um tempo juntas, quero ver isso de perto

Liv Mills: Acredite em mim, não é legal.

Ruby Lucas: Se forem as emoções que eu pensei vai ser maravilhoso

Tenho certeza que vem putaria por aí.

Liv Mills: E quais são elas?

Ruby Lucas: Começa com raiva, muda pra tesão e termina com prazer. O que acha?

SABIA! Bem que queria sentir essas coisas agora.

Liv Mills: OK. Vai dormir.

Ruby Lucas: Queria tá vendo a sua cara agora, deve tá linda, toda vermelha

Ruby Lucas: Boa noite, Liv

Liv Mills: Boa noite, Rubs. Dorme bem.

Ruby Lucas: Uia, ganhei apelido.

Ruby Lucas: Dorme bem, Liv.

Emma P.O.V

Sempre vi o Henry como um garoto sensato, não esperava que ele fosse aprontar algo que poderia ter sido tão sério. A pesar de ele ter se desculpado e dito que entende as consequências do que ele fez eu sei que não é verdade. Mesmo eu tendo dito que ele podia ter matado alguém a ficha dele ainda não caiu. Provavelmente deve estar achando que é apenas exagero meu.

-NÃOOOOOO! Ouvi o grito e fui ver o que era. – NÃOOOOOO! Abri a porta do quando do Henry, ele deve estar tendo um pesadelo, chorando e se debatendo.

- Kid, acorda. Disse com uma voz bem leve. – Acorda, Hen. Abriu os olhos e me abraçou.

- Ma. A respiração dele estava ofegante.

- Calma, foi só um sonho, respira. Quer sua bombinha? Ele negou com a cabeça. – Me conta o que houve.

-OK. Respirou fundo. – Assim como hoje eu estava dirigindo, a Liv estava no banco ao meu lado, o Tony, a Sarah e a Vic estavam sentados no banco e a Lily sentada no colo da Vic. Só agora que percebi que o carro tinha mais gente do que devia, massageei minhas têmporas. -Mas ao invés de eu bater o carro no poste eu perdi o controle e ele capotou. Sua respiração começou a ficar pesada, como se estivesse segurado o choro. – A Lily foi arremessada para fora do carro, os outros menos a Liv bateram a cabeça. A Liv era a única consciente ela falava comigo mas eu não conseguia me mexer, nem ao menos minha boca. O carro começou a pegar fogo, eu vi a Liv gritar desesperada e não pude fazer nada. Começou a chorar e eu o abracei.

- Calma, foi só um sonho, já passou. Sua respiração foi se acalmando aos poucos.

- Acho que nunca mais vou dirigir na minha vida. Sorriu sem humor.

- Já não ia deixar mesmo, então você não tinha escolha.

- Verdade.

- Agora dorme. Assentiu, virou para lado e sai do quarto.

O fantasma da possibilidade de perder meu filho por uma besteira não vai me abandonar tão cedo, tenho certeza.

Olívia P.O.V

Acordei com algo muito pesado encima de mim.

- Bom dia, morceguinho! Disse animada.

- Bom dia, tia Z.

- Levanta, vamos tomar café em família.

- Ok, já estou descendo. Levantei, coloquei meu óculos, passei a mão pelo cabelo para dar uma ajeitada, peguei o celular e desci. Do meio das escadas já senti um cheiro muito bom. – Bom dia família!

- Bom dia Liv!

- Que cheiro dos deuses é esse?

- Sua mãe fez torta de maçã. Minha avó respondeu. Acho que fiz uma expressão de muita felicidade, pois a olhou para mim e riu. -Vamos comer cambada? Começamos a sentar na mesa.

- Até que enfim a Liv desceu, estou morrendo de fome coisa anã. Tony bagunçou meus cabelos.

- Antony, fala baixo! Minha cabeça está explodindo.

- ISSO FILHO, NÃO ESTÁ VENDO QUE SUA IRMÃ ESTÁ DE RESSACA. Berrou tia Z. – Seja mais compreensivo. Sorriu irônica e todos fora a Lily rimos.

- Zel, torturar nossa filha não vai fazer ela tomar jeito. Disse tia Kristen sentado.

- Eu sei, amor. Mas é divertido. Sorriu e tia Kris mexeu a cabeça em sinal de negação.

- Zel, você virou a tia Cora. Está fazendo o mesmo que ela fazia com a gente.

- Rose, não precisava ofender. Minha avó lançou um olhar mortal para ela. – Te amo mãezinha.

- Sempre cara de pau que só você em Sis. Minha mãe provocou.

- É um dom, Gina.

Começamos a comer, é comum termos esses cafés, sempre regados a conversa e bom humor. Ter minha mãe presente é estranho, mas acho que já estou me acostumando, pelo menos por pouco tempo. Ela sempre vai de novo.

- Gina, por quanto tempo vai ficar dessa vez? Perguntou meu padrinho.

- Então Kill, por causa da confusão de ontem eu esqueci de contar. Dessa vez eu não volto. Não estou mais na narcóticos, me transferi para cá. Fora meus avós todos a olhamos surpresos.

- MENTIRA! Berrou tia Z e minha mãe negou.

- Já passei muito tempo longe da minha família e perdi muito tempo. Sorriu de leve.

Minha mãe parece meio desconfortável, como se estivesse deslocada.

- Como foi a noite de ontem arruaceiros?

- Foi ótima, vó. Lily olhou maliciosamente para Vic.

Tão discreta.

- Foi ótima até o Henry bater o carro né. Tony riu.

- O que aquele garoto tem na cabeça para beber e dirigir?

- Mãe, não fala assim do Henry. Me olhou incrédula.

- Por que está defendendo ele? É seu namorado? Não sei por exatamente por qual razão os meus primos e minha melhor amiga começaram a gargalhar.

- Vocês ainda estão bêbados? Os encarei. – E não mãe, ele é meu melhor amigo. Me olhou sem graça.

- É mais fácil ela dar uns pegas na Emma. Lily ironizou

- Diferente de você eu não gosto de loiras né. Arqueei a sobrancelha e Vic corou.

- Não, gosta de ruivas ou de morenas como a de ontem né priminha? Tony me encarou com zombeteiro, tenho certeza que estou vermelha.

- Que morena é essa que a melhor amiga dela não sabe de nada? Vic questionou com um tom ameaçador.

- A que ela tava dando uns pegas ontem. Todos me encararam, só quero enfiar minha cabeça na terra e não sair tão cedo.

- Já pararam de querer envergonhar sua prima? Meu avô se manifestou e eles assentiram.

- Liv, agora é sério, a ruiva estava te procurando. Eu ri e a Vic ficou sem entender.

- Eu fiquei no mesmo lugar o tempo todo, se ela procurou foi muito mal.

- Quer dizer que tem uma garota atrás da Liv? Disse tia Z.

- E ela está pegando outra. Meu padrinho complementou.

- Agora que eles pararam de idiotice vocês começam? Meu avô pergunta incrédulo.

- Está tudo bem, vovô. Sorri. – Primeiro, a tal ruiva em questão não queria nada sério, então eu disse que não queria continuar só na “pegação” com ela, mas ela ainda insiste.

- Ainda não sei como você resiste. Lily mordeu o lábio e recebeu um soco forte da Vic.

- E a morena eu conheci ontem. Fizeram uma expressão de falsa decepção, sinto muito mas não sirvo para continuar o legado de pegadores.

- Agora mudando o foco. Minha madrinha se pronunciou. – Lilian, quando você vai tomar vergonha na cara e pedir minha filha em namoro? Lily engasgou com o suco e Vic ficou sem reação.


Notas Finais


Me diz o que achou.
Até a próxima
:3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...