1. Spirit Fanfics >
  2. Irmandade >
  3. Capítulo 1; A festa acabou...

História Irmandade - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Mais uma fic... espero q gostem... pq pelo que eu estou vendo essa fique será grande😍☺

Capítulo 1 - Capítulo 1; A festa acabou...


Fanfic / Fanfiction Irmandade - Capítulo 1 - Capítulo 1; A festa acabou...

~[(Yun on...)]~

-Jô Quem Pô - mostro minha mão aberta, enquanto a outra mostra um "V". - droga... por que sempre eu que me ferro?

- Não sei, só sei que você perdeu... Vai lá, antes que ela acorde.

- Tá, tá - reviro os olhos e saio pela porta da casa e caminho até a da casa dos vizinhos onde estava um fuzue danado (música alta e algumas pessoas gritando). - Meu Deus, espero que pelo menos ouçam a campainha - respiro fundo e toco a campainha, e ninguém a atende. Aperto novamente e assim fico apertando sem parar e só paro quando algum ser não surdo naquela residência atender.

Depois de uns 10 minutos de quase afundar a campainha, a porta abre _Graças aos Céus_ revelando um rapaz alto, cabelos preto, com uma camisa branca rasgada _não me pergunte porque_ e uma calça preta com um tênis da mesma cor.

- Olá, boa noite, bom vejo que para vocês está tendo uma ótima noite - dou-lhe um sorriso e o mesmo me olha com cara de tédio.

- Fala logo, por sua causa estou perdendo a festa.

- Tá, tá... é que eu vim aqui, mas não querendo vir, par- O garoto fecha a porta na minha cara. - a mais isso não vai ficar assim.

Aperto a campainha, acho que depois da vigésima vezes ela quebrou _kkkk_ então comecei a bater na porta. A mesma foi aberta novamente, agora revelando outro rapaz que se mostrava mais alcoolizado que eu já presenciei.

- Boa noite, ou melhor boa madrugada, né- digo olhando o relógio em meu pulso.

- Fala logo - disse olhando para trás onde ocorria uma muvuca.

- Ok, vim pedir para abaixarem o som só um pouco, sabe , tipo lá no 15 - dou um sorriso para o mesmo.

- Ok, a gente vai abaixar. Só isso? - olha novamente para trás.

- Sim. - dou um sorriso e o mesmo fecha a porta.

Após eu sair da varando daquela casa, o som da uma pequena abaixada, mas assim que chego na calçada....

Entro dentro de casa, avisto Karol que estava no sofá se levantar e vir em passos rápidos até mim.

- E aí, eles vão abaixar?

Eu então levanto o dedo indicador.

- Escute sua resposta. - digo a fazendo ouvir que o som aumentara mais.

- Espero que el- Pausa ao ver Isa sair do quarto.

- Vocês ainda não foram pedir para abaixarem o volume?

- Eu fui lá e falei, mas além de baterem a porta na minha cara duas vezes para ser exato, me ignoraram e fizeram o contrário do que eu pedi. - disse quase choramingando.

- Tem certeza pediu direito? - Karol diz olhando com a face duvidosa.

- Sim. Se desconfia, vai lá voc- Paro de falar assim que vejo a porta do quarto abrir e um ser sair do mesmo amarrando o cabelo, com uma cara, apesar de parecer com sono, sem dúvida continha muita raiva.

- Quem é o ser que está surdo a essa hora da madrugada? Que além de me acordar está pedindo para morrer? - indaga furiosa olhando para mim e Karol, que faz com que nós nos escondermos atrás de Isa.

- É... É... São os vizinhos!! - Karol solta se encolhendo mais ainda.

- Bom saber que aqueles moleques ferraram com meu sono. - cruza os braços passando a língua na bochecha com uma cara de deboche. - E vocês não fizeram nada?

- A Yun foi lá... e, bom tá ai o resultado de mais de uma tentativa para fazerem baixar o volume. - Isa fala saindo de perto de mim e Karol que estavamos atrás de si.

- Sim... eles até bateram a porta na minha cara duas vezes. - digo fazendo um bico.

- Humm, então eles não querem baixar o som... - anda em direção a porta - Agora sou eu quem vou lá. Eu já volto.

Todas nós acentimos. Após Ana sair da casa Isa vai até a cozinha e paga um copo para com beber água e eu e Karol se jogamos no sofá.

- Vamos apostar? - Karol chama a minha atenção.

- Apostar o que? - respondo curiosa.

- Que a Ana vai quebrar o som ou não, e se sairá alguém machucado nessa história?!? - ao final solta um sorriso.

- Pode ser.

- Tá, então eu aposto que ela vai quebrar o som deles.

- Ahhh não vale você sabe que ela vai. - Karol revira os olhos.

- Tanto faz. Agora sua vez. - Diz a mesma soltando um suspiro.

- Acho melhor vocês não fazerem isso, se a Ana descobrir que você estão fazendo isso, vai sobrar para vocês depois. - escutamos Isa dizer da cozinha, onde não é muito longe da sala.

- Ela tem razão Karol. - Eu fala fazendo a mesma virar os olhos e cruzar os braços.

- Tá bom. - termina fazendo um bico.

~[(Yun off)]~

...Na casa vizinha...

Ana bate na porta, a mesma não da nenhum sinal de que alguém se prontificou em abrir. Então, ela força a maçaneta e por algum motivo _ porta aberta _ consegue entrar. Quando adentra o local, um rapaz que estava sentado em uma escada perto da porta, se levanta e vai até a mesma.

- Quem é você? Você foi convidada por acaso?

Ana ignora o garoto, e segue seu caminho até chegar a sala, onde continha muita gente e principalmente o inferno do som que não a deixou descansar.

Vai até o mesmo e tira da tomada, assim fazendo o som sumir subitamente.

- Ouuuuuu - todos que estavam presentes gritaram quase que num uivo.

- Ei, que porra é essa? - diz um rapaz.

- Porra nada. Vocês sabem que horas são? - diz pegando o celular para ver as horas - quem tem que achar ruim sou eu e os vizinhos. Se vocês não sabem, hoje terei que acordar cedo para ir na porra do acampamento e vocês não deixam eu e a porcaria da rua inteira dormir.

- Aff - vira os olhos, já de braços cruzados. Esse se chama Jin-young - já terminou de dar seu showzinho?! Tá agora da para você sumir dessa casa, já que você não foi convidada.

- Eu vou ir embora mesmo, mas se essa coisa for ligada no som alto, eu volto mas não responderei por mim... estão avisados - se retira do local onde estava, recebendo vários olhares de ódio.

Assim que chegou em sua casa, pode se ouvir o barulho voltar ao que era antes.

- Ahh mais eles estão de 'brinks com minha cara... - indaga colocando a mão na cintura. - Isa cadê o Sposh?

A mesma aponta para um canto do cômodo com uma cara de espanto.

- Já volto. - resmunga Ana ao sair da casa com seu bastão.

- Ihhhhh agora o som morre - fala Yun correndo para fora da casa, seguida de Karol.

- Ai meu Pai amado. - Isa diz ainda estatística tentando saber o que fazer para que isso não acabe em assassinato.

...Na casa vizinha...

Ana com seu bastão em mãos foi até a casa onde ainda por mais que ameaçasse os demais dela, ainda havia o barulho infernal.

Assim que chegou em frente a porta. Ao invés de bater ou apertar a campainha... foi logo entrando. Assim o mesmo rapaz que está sentado na escada da última vez que ela havia entrado na casa, ainda se encontrava naquele local. Mas assim que ele a avistou adentrando novamente o local, ele se levanta como fez antes, mas dessa vez ele a segurou pelo braço por perceber que ela estava com um objeto em mãos e com uma expressão  mais irritada.

- O que veio fazer aqui novamente?

- Me solta se não você leva - ela levanta o taco até onde seu olhar pode o ver.

O garoto estremeceu. E soltou a mesma que estava sendo segurada por ele.

- Bom mesmo... agora se me da licença... - Ana se dirigiu ao outro cômodo. - tenho assuntos a serem tratados.

Assim que ela adentra mesmo local onde esteve a pouco tempo atrás, e onde ira acontecerum show de horrores. _ AMO TRETAAA  _

~[(Ana on)]~

Assim que adentro o local algumas pessoas que estavam conversando, começam a me encarar. Eu amo quando as pessoas me olham confusos kkk dá vontade de fazer logo kkk mas não, tenho que fazer cena primeiro.

Faço o mesmo que antes. Vou até a desgraça e a tiro da tomada, e parece que estou vivenciando um Djavú. Aqueles que não estavam me encarando agora estão. Quando eu digo que estou vendo um Djavú acreditem em mim. O mesmo rapaz veio até mim.

- Ei, que porra é essa?... De novo, mas que merda... o que você quer?

- Só vim resolver um problema... - indago raivosa.

- Como assim?

- Assim!! - eu me viro e levanto o taco,  e abaixo rápido fazendo com que o mesmo acerte o aparelho de som. Repetindo sem parar esse movimento.

- Sua loka, para com isso... - tenta pegar o taco, mas lógico que não iria deixar, deixo o que estava fazendo e aponto o mesmo para ele.

- Se você falar mais alguma coisa, perde os dentes, tá avisado.

Com isso as três meninas que antes estavam em casa, aparecem no local. Isa, vai de encontro com comigo, já que é a única que consegue acalmar a fera. E as outras duas assistiam de camarote o caos naquele lugar.

- Ana, chega, você já conseguiu o que queria, agora vamos embora, precisamos dormir. - exclama Isa segurando o meu braço.

- Tá... - Antes de sair me solto de Isa e viro para os que ainda se encontravam sem nenhuma reação pelo ocorrido. - dá próxima eu arrebento é a pessoa não o som.

- Sua loka vou ligar para a polícia...

- Chama!

- Desculpa, ela não é assim... Ana pelo amor que você tem ao seu sono vamo embora - pega no meu braço novamente, ela me olhava irritada, então pra mim não ficar escutando depois resolvi ir. Porque com certeza aquele som não ressuscitara.


Notas Finais


Ainda n dá pra saber quem é quem mas fiquem ligados q o próximo vcs saberão q é qm na história ☺


Me desculpem qualquer erro... e em breve saira mais um capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...