História Irmão - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Amizade, Naruto, Sasusaku
Visualizações 119
Palavras 758
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Apenas uma breve vontade de escrever sobre uma imagem...

*Os personagens pertencem a Masashi Kishimoto.
*A imagem não é minha, apenas a editei.
*A história é inteiramente minha e também postada no Nyah

Capítulo 1 - Numa sexta-feira à noite qualquer


Eu vi, você não precisa dizer.

Em um milésimo de segundo, num feixe de luz, em meio a um respirar, eu vi o seu olhar.

Estava petrificado, levemente assustado com um suave toque de surpresa. Era como se tivesse desaprendido a respirar, ou talvez, tenha simplesmente prendido a respiração naquele momento de reflexão.

Era como se encontrasse algo perdido, algo que esperou por muito tempo e nem ao menos sabia que buscava.

Ah, Sasuke, você não precisa me dizer com palavras o que sente, porque sou mais do que seu amigo, sou seu irmão.

Somos os irmãos que não compartilham do mesmo gene, mas que se entendem como se já tivéssemos vivido muitas vidas juntos.

Somos tão diferentes e ao mesmo tempo tão parecidos.

Eu, o alegre, o extrovertido, o estúpido, o palhaço.

Você, o calado, o taciturno, o misterioso, o gênio.

Da diferença veio a nossa amizade desde a mais tenra idade; a amizade recheada de rivalidade e de companheirismo.

Não só de flores foi a nossa história, já brigamos e como brigamos...

Nossos punhos conhecem bem o rosto do outro. Temos cicatrizes no canto dos nossos lábios, o corte que nunca cicatrizava nos nossos anos rebeldes. No entanto, no fim, sempre nos entendíamos.

Kakashi, o solteirão do fim da rua que nos deixava ficar deitados na varanda da sua casa enquanto compartilhávamos um tabaco e admirávamos o entardecer, sempre era o nosso mediador silencioso ou simplesmente o cara que nos mostrava como éramos estúpidos na adolescência.

Tudo isso, toda a nossa história e trajetória culminou nessa noite. Na noite em que finalmente o convenci a assistir ao show da minha nova banda das horas vagas como troca de uma bebida por minha conta, algo que afirmou precisar para se recuperar das horas me ouvindo tocar e cantar.

Você chegou atrasado, meio atrapalhado enquanto desviava das mesas cheias ou de algumas mulheres que improvisavam o corredor como pista de dança.

Seu terno aberto e a bolsa no ombro denunciaram que veio direto do escritório, mas veio e se sentou na mesa do canto. Foi entre uma batida e outra que eu o flagrei com aquele olhar enfeitiçado.

Você estava olhando para a vocalista. Olhando para Sakura se divertindo no palco e por vezes dividindo o microfone comigo. Estava olhando para a mulher com quem uma vez eu mesmo pensei que podia ter algo, mas no fim compreendi que não passaríamos de bons amigos por mais que fôssemos parecidos, e agora, vejo você olhar para ela meio desconcertado, meio fascinado, remexendo-se de vez em quando no banco ou virando o copo de cerveja antes do seu olhar traí-lo mais uma vez e voltar a admirá-la.

Sinto vontade de rir do seu desconcerto, do seu mexer constante no cabelo longo antes do milésimo de segundo em que nossos olhares se encontraram e você compreender que eu vi sua inquietude.

Rebateu com um olhar de frieza, mas nós dois sabemos que seu aparente menosprezo é apenas a casca do turbilhão que é a sua mente.

Um sorriso de canto foi tudo o que eu dei antes de voltar a focar no público e permiti-lo admirar a mulher sem intimidações, mas é claro que eu não deixaria passar aquilo em branco, pois no fim do show, depois de descemos para os bastidores improvisado daquele pub e organizamos nossas coisas, convenci Sakura a me acompanhar para falar com um amigo e nada foi mais engraçado do que o olhar mortal que você me deu ao nos ver se aproximando da sua mesa, entretanto seu olhar suavizou quando ela estendeu a mão para você.

Abençoado seja Suigetsu que gritou ao meu chamado para resolver um problema, pois com a desculpa perfeita os deixei para trás.

Sakura estava atônita sem entender. Já Sasuke, depois da surpresa inicial esboçou um sorriso de canto para mim, antes de oferecer uma cerveja que Sakura aceitou.

Creio que não pagarei esta noite a cerveja do nosso acordo e provavelmente não sentaremos juntos para conversar sobre os nossos trabalhos e familiares antes de convidar algum par de damas para sentarem conosco. Hoje o deixarei com Sakura e sairei pelos fundos com uma desculpa qualquer.

Desculpe Sasuke, você verá uma Sakura enfurecida por ter ido embora sem cumprir com a carona que a daria, mas sei que você se oferecerá com toda a sua soturnidade.

O deixarei esta noite, mas amanhã, e eu sei que sabe disso, o procurarei para saber os detalhes e para rir do seu desconcerto disfarçado de indiferença, afinal, é isso o que fazem os irmãos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...