História Irondad Clichês - Capítulo 6


Escrita por: e BunBunny

Visualizações 48
Palavras 1.565
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Apesar do tema sério, fizemos esse capítulo meio divertido hahaha
Obrigada por lerem!

Capítulo 6 - Ross Está Caçando o Homem-Aranha


"Stark, eu sei que você está escondendo ele, acabe com isso de uma vez e entregue o garoto! Ele é um assassino! Matou um herói que estava dando a vida para nos proteger enquanto usava a sua tecnologia para matar a todos!"

Ross gritava durante a transmissão na casa do lago, o primeiro lugar que Peter pensou em correr quando Mysterio contou a todos, o único lugar seguro que Tony poderia levá-lo quando encontrou o garoto no meio do caminho preso em um ataque de pânico ruim o suficiente para não saber o que era ou não real.

Peter estava no quarto agora, encolhido na cama de Morgan com a própria menina e Pepper o consolando, porque caramba, um cara aleatório que realmente tentou se tornar um herói inventando um perigo com tecnologia holográfica, enganou seu filho, quase o matou, e foi derrotado por ele ainda assim, derramou em rede mundial sua identidade secreta, aquela que ele não era muito bom em manter, mas que conseguia esconder de quem realmente precisava, e ainda o fez parecer um maníaco homicida.

Tony estava bravo, ele estava muito bravo.

"O Homem-Aranha é uma ameaça! Entregue-o de uma vez!"

—Eu juro por todo e qualquer Deus que existe nesse mundo, Ross, se você tentar encostar o dedo em ao menos um fio de cabelo do meu filho, aqueles acordos que eu assinei vão ser papéis queimados em um segundo e eu não vou responder por minhas ações. - O tom de Tony era calmo e controlado, porém sua fala conseguia transmitir muito bem que não continuaria assim se Ross tentasse dar ao menos um passo em falso. Ele não entendeu o recado.

"Ele é um assassino!"

—Ele é uma criança! E você não sabe de merda alguma do que aconteceu! Vai acreditar na mídia podre ao invés de mim, Ross? John Jonah Jameson salvou o universo a oito meses?! Se está tão preocupado e não quer ao menos tentar me ouvir, por quê não pergunta a Fury o que aconteceu? Foi ele quem arrastou uma criança para toda essa merda afinal! - Tony gritou de volta, gesticulando incessantemente com as mãos. Ross soltou um rosnado do fundo da garganta.

"Você sabe muito bem que nós e a Shield não temos mais conexões."

—Boo-hoo! Vai ficar de birra para descobrir a verdade porque você e Nick estão de mal? Me poupe! Se eu soubesse onde ele estava iria pessoalmente matá-lo por envolver meu filho nisso quando eu disse claramente que não o queria envolvido nisso! - Tony berrou já perdendo a pouca paciência que possuía. Ross tinha os lábios franzidos e um olhar assassino para ele mas Tony não vacilou.

"Não me importo com quem começou isso ou não, Stark, apenas que você está protegendo um criminoso, um vigilante não monitorado que você armou até os dentes sem ele ter assinado os malditos acordos e agora é um assassino procurado!"

—Ele tem 16 anos, porra! Mal tem idade para assinar o nome na escola! Quer que ele assine um documento jurídico sendo menor de idade? Isso sim seria ilegal, Ross, e você não gostaria disso na sua pele. Agora podemos voltar a verdadeira história? O verdadeiro Q da questão?

A conversa durou horas, entre conversas tão civilizadas quanto Tony poderia fazer estando com o nível de raiva que estava naquele momento, agradecendo não ser ele o Hulk ou o verdão já teria saído a muito tempo com a forma que aquele maldito homem conseguia ficar em sua pele. Eles falaram por quase o dia todo, Pepper indo e vindo ocasionalmente com um pouco de corrida, argumentando calmamente sobre algo para tentar amenizar o ânimo dos dois homens irritadiços e então voltando a subir quando via que o clima esfriou um pouco.

Mas no fim, eles ainda não haviam entrado em um consenso real.

—Eu vou deixar algo bem claro aqui e agora, Ross, minha casa está fora dos limites, se você ou alguém do governo tentar vir aqui sem a minha autorização, eu não vou pensar duas vezes antes de usar a armadura. Meu filho não fez nada de errado, e eu vou provar isso para você.

"Eu posso não poder entrar nas suas terras, Stark, mas se o garoto sair, nem que seja um centímetro, eu vou caçá-lo e jogá-lo na balsa, e você não vai poder fazer mais nada sobre isso.

Então ele desligou a ligação, e Tony caiu exausto no sofá, um suspiro pesado saindo por entre os lábios enquanto ele pensava em tudo que poderia fazer para foder dez vezes mais com os filhos da puta que deram tanto problemas para o seu filho.

Tony ouviu um fungar baixo da escada e inclinou a cabeça para ver, sentado três degraus acima do último, Peter. O menino parecia mal, com olhos vermelhos inchados e rosto doentiamente pálido, tremendo debaixo de um grosso cobertor, e nem estava frio.

—Venha aqui, Pete, está tudo bem agora. Fri, bloqueie as ligações de Ross a partir de agora.

Já feito, senhor.

Tony bufou, até mesmo sua IA não aguentava mais o homem. Ele também viu Peter se levantar lentamente de seu lugar e terminar de descer as escadas, tentando se manter o menor e mais alerta possível enquanto se aproximava de Tony, tentando se sentar tão longe quanto o sofá o permitia, mas mal conseguiu encostar o traseiro na almofada antes de Tony puxá-lo para seu lado, enrolando-o junto ao cobertor, Peter fungou e tentou controlar o novo fluxo de lágrimas, mas elas ainda escorreram por sua bochecha, um soluço escapando por entre os lábios quando Tony começou a limpar as lágrimas.

—Pete, está tudo bem, eu não vou deixar ninguém chegar até você, entendeu? - Peter negou com a cabeça, mas Tony de algum jeito sabia que não era porque Peter duvidava dele. —O que foi?

—T-tia May… Ned, MJ, m-meus amigos e você e Pepper e M-Morgan estão… estão todos em perigo agora por minha causa! Mysterio- Beck ainda está vivo, ou a vontade de está e armou essa para mim Tony e agora todos vocês estão em perigo… - Ele soltava apertando e puxando uma almofada que Tony já esperava rasgar em algum momento.

—Garoto, o universo sabe quem eu sou a oito meses e ninguém veio me caçar ou a minha família até agora.

—Mas você não matou ninguém…

—Pelo contrário Pete, eu tenho um histórico bem longo, e começa quando produzi minha primeira arma de destruição em massa. Você pode imaginar quantas vidas eu tirei enquanto fazia isso?

—Você achou que estava ajudando o seu país.

—Não tira o fato que matei milhares, mesmo indiretamente. Mas esse não é o ponto. O ponto é, você salvou a todos, Pete. Eu te dei Edith, apenas um AR básico para te ajudar em situações de risco e ele roubou, hackeou e conseguiu ter acesso às minhas tecnologias. Você o parou, e pelo que peguei de Edith, a culpa não foi sua ele ter morrido.

—Eu não queria que isso acontecesse… eu- eu ia apenas entregá-lo mas ele… ele continuou vindo e os drones- ele me enganou tantas vezes eu não queria dar outra oportunidade a ele então eu-eu usei toda a minha força… eu não devia ter feito isso.

—Peter ele buscou por isso tentando machucar as pessoas.

—Mas ele também era uma.

Tony não soube como responder. Ele entendia o raciocínio de Peter, era tão real, inocente e infantil, mas real. Tony não sentia mais remorso por aqueles - as pessoas ruins - que tirou a vida, ele sabia que algumas pessoas simplesmente não conseguiam sair dessa vida. E ele conseguia saber de longe que Beck era uma dessas pessoas.

—Está acabado, você está bem, seus amigos estão bem, e eu vou tirar você dessa bagunça, tudo bem? Afinal Edith tem tudo gravado, e eu tenho os melhores advogados do mundo. Vou provar a sua inocência.

—Mas a minha identidade…

—Infelizmente não posso fazer as pessoas "desverem" algo, garoto. Essa parte vamos ter que descobrir. Mas acredite em mim, vamos conseguir passar por isso. - Tony garantiu apertando mais o pequeno corpo contra o dele, sentindo Peter jogar as pernas por cima de seu colo e deitar a cabeça em seu ombro, fungando.

—Estou com medo papai… - Peter sussurrou tentando segurar o novo fluxo de lágrimas que começaram a se formar no canto dos olhos e Tony sentiu seu coração se apertar. Aquele garoto era a coisa mais dura que ele conheceu, e além de hoje, Peter só quebrou com ele uma vez, quando se agarrava a ele e implorava para Tony não deixá-lo morrer, algo que lhe dava pesadelos até hoje.

—Eu juro que não vou deixar Ross, ou qualquer pessoa que queira te fazer mal, te machucar de novo baby, isso, ou eu não sou o Homem de Ferro.

—Mas você se aposentou…

—Bem, então eu sou o pai de ferro, e quero ver alguém tentar machucar meu filho aranha comigo por perto.

Peter riu, era um som débil, muito fraco para o seu verdadeiro eu, quando sua risada alta e gargalhada conseguia preencher e iluminar todo o ambiente. —Obrigado… - Peter sussurrou após alguns minutos, os olhos fechados e respiração regulada, sem fungados. Tony sorriu, ele seguraria o que poderia pegar, e no momento era Peter finalmente começando a relaxar depois de tudo o que passou. Tony respondeu após apertar ainda mais a criança contra seu corpo.

—Não há de que, garoto.


Notas Finais


Esperamos que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...