1. Spirit Fanfics >
  2. Ironia do Destino >
  3. Primeiro dia de aula

História Ironia do Destino - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Aproveitando a quarentena aqui em casa ksks, aqui vai mais um capítulo de Ironia do Destino ( devagar eu chego lá).!
Boa leitura amadoos..♡ espero que gostem. #Partiu

Capítulo 5 - Primeiro dia de aula


Fanfic / Fanfiction Ironia do Destino - Capítulo 5 - Primeiro dia de aula

~>POV_AUTORA (Olhaa eu aquii) 

Os dias foram passando, cada um em sua devida casa, menos Meliodas e Ban, quando um não tava na própria casa, estava na casa do outro e de vez em quando saíam juntos. E assim, Segunda-feira chegou, fazendo todos acordarem na manhã do primeiro dia de aula. Os jovens estudantes não sabiam se choravam ou se sorriam, a maioria estava na primeira opção. Assim que ouviam o alarme soar em seus ouvidos, sabiam que não podiam mais ficar na cama como faziam nos dias anteriores, tinham agora a obrigação de levantar, fazer as higienes, tomar café, e depois escola. 

Elizabeth, diferente de muitos, levantou animada, porém um pouco sonolenta por acordar cedo,  mas isso não a impediu de estar feliz, segundo ela, ir para uma nova série em uma nova escola era maravilhoso. Pensou em Diane, queria que a mesma estudasse na mesma escola que ela. Depois do banho, encarou o uniforme em cima da cama, ele fora comprado dias atrás, se perguntava o porquê da forma ser igual a dos marinheiros. Quando o vestiu, viu seu reflexo no espelho, a saia azul marinho batia no meio de suas coxas, a blusa branca vinha acompanhada de um lenço vermelho estendido para cima de seus seios, as mangas curtas contendo duas linhas azuis. Viu também que o uniforme continha um pano de mesma cor da saia, que se destacava atrás de si, indo de cima dos ombros até acima de suas costas. Não sabia o porquê daquilo, mais fazia parte do uniforme. 

Resolveu deixar seu cabelo solto, a costumeira franja em cima de seu olho direito já fazia parte do seu visual desde que era pequena, não gostava de mostra-lo. Por fim calçou suas meias pretas que iam até um pouco acima dos joelhos. Os sapatos brancos se destacavam em seus pequenos pés. Já pronta, pegou sua mochila e desceu para tomar o café da manhã antes de ir para escola.

Não quis ir de carro como o pai insistira, achava desnecessário já que o colégio não era longe de sua casa, queria aproveitar o primeiro dia de aula, queria ter amigos que gostassem dela pelo que era, e não pelo alto nível de vida que levava. Andando pelas ruas, entre outros alunos que avistava, ora conversando com outros, ora sozinhos e apressados, a albina observava como a vida era em Liones. Depois de passar por dois quarteirões, ela finalmente chega na escola.

Ali, diante daquele enorme portão, ela se encontrava nervosa, sempre fora assim, e sua timidez não ajudava em nada. Mas queria mudar isso, tentaria, pelo menos ali, não ser tão tímida e se enturmar rápido. Respirou fundo e decidiu adentrar o colégio, mas parou ao ouvir seu nome ser chamado por uma voz conhecida. Olhou para trás e viu Diane correndo em sua direção acenando com a mão.

. . .

Indo de um lado para o outro, Diane pulava tentando calçar os sapatos, não sabia porque raios o celular não despertara, agora estava aí toda atrasada. Repetia para si mesma que tinha que comprar um despertador. Sem tempo de tomar café, só pegou uma maçã e saiu da casa a passos apressados, não queria chegar atrasada logo no seu primeiro dia de aula.

Sabia que a escola não era tão longe, viu isso quando foi se matricular, mas mesmo assim, chegar atrasada não seria bom para seu perfil. Acalmou os passos quando avistou outros alunos da sua escola, soube disso porque usavam o mesmo uniforme que ela, somente as meninas claro, e então pôde respirar direito. Mais logo tratou de correr de novo quando avistou uma cabeleira branca, tinha certeza que era Elizabeth, apesar de ter visto a albina somente uma vez, sabia que só ela usaria uma franja em cima de um olho só. Gritou seu nome sem nem ligar para os outros ao seu redor. Correu em direção a garota que agora sorria para ela, sabia que a mesma a reconhecera, chegou e deu um abraço em Elizabeth, ficou feliz que pelo menos ela estava ali, não ficaria sozinha até se enturmar.

- Diane?! - Elizabeth não conteve sua alegria, teve certeza que Diane estudaria na mesma escola que ela.

- Elizabeth! Como é bom saber que você também estudará aqui, me sinto mais aliviada! 

- Eu também! 

- Só espero que estejamos na mesma sala! 1°A e você? Por favor me diga que também é?! 

- Estamos juntas! Sou do 1°A também. 

Diane dava pulinhos de felicidade, apesar de ter visto Elizabeth somente uma vez, já considerava ela sua amiga. 

. . .

Ban já estava sem paciência esperando por Meliodas no portão da escola, se ele se atrasase o baixinho iria ouvir. Enquanto imaginava os sermões que daria em seu amigo, viu o carro que conheceu ser do mesmo, suspirou em alívio. Meliodas desceu do carro junto de Zeldris, e foi logo em direção ao albino que o estava esperando.

- Por que tanta demora, por acaso estava se maquiando? - Ban reclamou.

- É, resolvi dar um toque no visu! - O loiro fez um pose estranha. - É que eu estava esperando Zeldris! 

- Não coloque a culpa em mim, ninguém mandou acordar atrasado. - o Moreno desmentiu o irmão e seguiu caminho para dentro da escola

Meliodas deu um sorriso amarelo coçando a nuca, e Ban só sorria da cara do amigo.

- Vamos, seu irresponsável! - chamou e seguiram o mesmo caminho de Zeldris.

. . .

~>POV_MELIODAS

Zeldris já tinha sumido de nossa vista, então eu e Ban andávamos tranquilamente pelo corredor rumo à nossa sala. Eu não estava prestando atenção por onde eu passava, nem em que ou quem estaria na minha frente, quando de repente minha cara esbarra em uma coisa, ainda bem que era macia, parecia até..Droga!  Ouço um gritinho histérico e..

- Seu pervertido! - a voz dessa vez era outra. Sinto uma dor horrível no crânio. Caio no chão com o soco que levei, com certeza ficará um galo ali.

- Aiaiaiai - eu esfregava o lugar tentando amenizar a dor. - foi mal aí! - levanto o rosto e para minha surpresa, era a mesma garota que eu havia salvado de ser atropelada. E ao lado dela tinha outra, cabelos Maria Chiquinhas, a cara dela não era de bons amigos.

- M-meliodas? - olha, ela me reconheceu, mas estava me olhando meio receosa, droga agora ela vai pensar que sou um pervertido.

- Conhece ele Elizabeth? - Elizabeth? Então esse era o seu nome? Bem bonito, combina perfeitamente com ela.

- S-sim, graças a ele não fui atropelada! - isso mesmo, conta tudo.

- Tá, mais isso não muda o fato de ele ser um pervertido por enfiar a cara nos seus peitos! - a amiga insistia em me chamar desse nome.

- Não foi culpa minha. - Me levanto para poder explicar o acontecido - eu não estava olhando por onde ia então acabei esbarrando nela sem querer. Me desculpe Elizabeth! Eu nunca faria uma coisa dessas, ainda mais com você.

- Tudo bem, sem problemas! - seu jeito tímido era tão fofo.

- Vamos Elizabeth! Se não chegaremos atrasadas. - a Maria Chiquinhas saiu arrastando ela para longe. Que menina mais irritante.

- Você não mentiu mesmo né? - a essas horas eu já havia esquecido desse energúmeno de nome Ban. É sério que ele ainda duvidava?

- Eu disse que era verdade seu idiota! - lembrei agora que ele só estava sorrindo de mim minutos atrás. - Vê se para de sorrir e vamos pra sala. 

Quando eu entrei na sala, lá estava ela, emanando toda sua beleza, estamos na mesma turma, interessante. Quando ela me viu, vi que ficou surpresa, então dei um sorriso e um aceno para ela, que retribuiu o gesto. Pelo visto ela não estava com raiva, espero! Vi que sua amiga me olhava com olhar mortal e tratei de ir sentar em alguma carteira vazia.

- Bom dia alunos! - a sala toda respondeu em uníssono. Um homem que acho ser o professor entrou na sala indo em direção ao seu local de assento. Ele colocou seus materiais em cima da mesa e logo em seguida se apresentou - Para quem não me conhece sou o professor Hendrickson, minha matéria é Biologia e, sejam bem vindos. Para que eu possa conhecer quem é quem aqui, passarei uma folha e todos assinarão, combinado? - todos assentiram.

O professor então entregou a folha e, como combinado, os alunos passaram assinando os devidos nomes. Depois disso, devolveram ao professor.

- Muito bem, senhorita Gelda Villin, a primeira da lista, levante a mão por favor para que eu possa saber quem é! - uma garota então levantou a mão, ela estava sentada na primeiras carteira. Seus cabelos alvos estavam prendidos em uma trança lateral. - Ok!

- Senhorita Jenna Stenar! - a segunda que estava sentada atrás da tal Gelda levantou a mão assim como fora pedido. Assim, o professor seguiu, de acordo com a lista e eu só observava.

Terminada a primeira fileira, continuou na segunda, onde começou pelo último da fila. - Senhor Ban Renard? - Ban que estava na última carteira atrás de mim levantou a mão. 

- Meliodas Sanglier?! - chamou meu nome, então eu fiz o que todo mundo tinha que fazer, levantei minha linda mãozinha.

- Harlequim Jhones?! - era o carinha que sentava na minha frente.

- Gowther Mince?! - Este por sua vez fez uma pose estranha levantando a mão. O que fez alguns a abafarem risadas.

Deixei de ouvir o professor falando os nomes dos alunos e olhei para Elizabeth, ela estava sentada na terceira carteira da fila ao lado, assim como todos, estava curiosa nos nomes pronunciados por Hendrickson. Voltei minha atenção para o professor.

- Diane Collins?! - a amiga dela levantou a mão. Então o nome da mão de aço é Diane ?!

- Elizabeth Liones?- timidamente Elizabeth levantou a mão. Assim como eu, vi que todos olharam para ela. Como assim seu sobrenome é o mesmo que o nome do estado ?

O professor continuou até chegar no último da lista de frequência, assim que terminou, começou a falar sobre o que iríamos estudar durante o primeiro bimestre.

~>POV_BAN

Primeiro dia de aula, e eu tô como? Isso mesmo, sentado bem pleno assistindo às aulas, porque aqui é 100% comportado. Mentira gente, eu dormir a aula inteira. Começamos nossa aula hoje com Biologia, fala sério é a mesma coisa que ciências, só muda o nome. Depois dele veio um tal de Dreyfus, de matemática, ele também quis saber nossos nomes, mais diferente do primeiro, ele foi de carteira em carteira. Legal, duas aulas de Biologia e duas de Matemática, quase morro.

Depois dessas quatro aulas seguidas, finalmente chegou o intervalo, e como sempre eu e Meliodas saíamos juntos para o refeitório. Era um pátio bem grande, as mesas e bancos compridos, acho que ali tinha umas 10 a 15 mesas. Fomos para a fila pegar o lanche, e depois nos sentamos.

- Cara eu não aguento mais, quero ir pra casa! - falo que assim que começo a comer. O baixinho em minha frente me olha confuso, mas depois sorri.

- Credo, nem começou as aulas direito e já quer ir embora? Me pergunto como você chegou no ensino médio.

Eu já me preparava para protestar qundo um ser de cabelos negros chega e senta do lado de Meliodas. Zeldris e sua costumeira cara de merda.

- Será que meu querido irmão foi fisgado logo no primeiro dia de aula? - ouço a voz de Meliodas.

- O quê? Não comece com suas besteiras. - Zeldris ignora e começa a comer.

Fiquei confuso com aquilo, então Meliodas aponta com o rosto para algo atrás de mim, olho e vejo que é a garota da nossa sala, acho que é Gelda o nome dela, estava pegando seu lanche. Agora eu entendi.

- Quem diria o tão sério Zeldris ter um coração mole.! - falo para tirá-lo do sério.

- Quer dizer que é só olhar pra uma pessoa que já está gostando dela? Vocês são hilários. - revira os olhos e eu e Meliodas caímos na gargalhada.

- Com licença! Será que eu posso me sentar aqui com vocês? - olhamos para a criatura que pedia para sentar conosco, era um garoto que estuda junto com a gente.

- Claro! - Meliodas responde. - Arthur não é? 

- É sou eu, e vocês são Meliodas e Ban certo?! - se referiu a minha pessoa e ao loiro. Assentimos com a cabeça.

Aí ele começou a falar de onde veio, sobre sua vida, meu Deus o cara fala, mais parece ser gente boa.

~>POV_DIANE

Eu e Elizabeth estamos sentadas em uma das mesas do refeitório. Percebi que ela é um pouco tímida, ou será que é por causa do que aconteceu mais cedo que ela está assim.?

- Sabe o que eu acho Ellie? - novo apelido para ela, é melhor do que ficar falando o nome inteiro. Ela me olha esperando que eu prossiga. - Que você deveria ser menos tímida!

- V-Você acha? - num disse? A garota até gagueja.

- Sim! Olha, ser tímida tem lá suas vantagens, mas também tem as desvantagens, precisa se soltar garota. Deveria ter dado uns belos tapas naquele pervertido. - falei o que era verdade.

- Diane! Não fala assim, você ouviu ele, foi sem querer. Você nem o conhece direito.

- E você conhece?

- N-não, mas creio que ele não seja má pessoa. Vamos esquecer isso Ok. - ela pede como se estivesse incomodada com aquilo, quem sou eu pra discordar.?!

- Ai, tá bom. Mais se isso voltar a acontecer..

- Não vai Diane. - ela me interrompe. Parecia bastante segura, espero que ela não se arrependa.

- Tá bom. - Desisto de tentar fazer ela bater no garoto - Ellie? Somos amiga não é ? - pergunto meio receosa.

- Somos! - ela fala tão alegre. Ai que alívio.

- Pois é, se precisar de ajuda é só chamar !

- Obrigada Diane ! 

Começamos a conversar sobre coisas banais e não demorou muito o sinal tocou, era hora de voltar para sala. Não sabemos que aula será agora, mas veremos.

. . .

O primeiro dia de aula chegou ao fim quando o último sinal tocou a exatamente 12:00. Ellie e eu já estávamos no corredor que dava na saída da escola. Até que não foi tão ruim assim, não nos deram dever de casa.

- Onde exatamente você mora? - Ellie me tira dos meus devaneios. 

- Minha casa fica à uns cinco ou seis quarteirões daqui, é uma casinha simples, de cor alaranjada, bem fácil de achar. E você?

- A minha é depois de dois quarteirões. - a essa altura já tínhamos passado de um.

- Mora com seus pais eu imagino?! - continuo puxando assunto, não gosto de deixar o clima parado.

- Moro com meu pai e minhas irmãs, somos três meninas! - vi que ela não pronunciou a mãe, nem vou dizer nada.

- E você? - me pegou desprevenida. 

- Ah eu? Sou independente, moro sozinha. Mais eu tenho o Dofy, meu cachorrinho. - digo só o que interessa, não entrarei no assunto da minha família com Ellie, por enquanto.

- Deve ser horrível Diane! - seu olhar era de pena - Mais que bom que tem seu cachorrinho para te fazer companhia. Já eu tenho o Hawk, é um gatinho muito preguiçoso.

Íamos conversando até chegar em frente uma casa enorme, e me surpreendi quando Elizabeth falou que era sua.

- Essa é a sua casa? Casa não, mansão gente! - falo arrancando sorrisos de Ellie.

- Não exagere Diane! Não é uma mansão, é só uma casa mesmo. - nem adianta tentar mudar minha opinião.

- Pra mim ainda é mansão, comparada a minha. -  que com certeza era uma casinha de cachorro ao lado dessa.

- Que isso! Não quer entrar? - ela convida, mais lembro de Dofy, não posso deixá-lo sozinho ou minha casa vai por água abaixo.

- Não Ellie, obrigada! Eu adoraria mais o Dofy tá sozinho! Então, até amanhã!

- Tá. Até amanhã Diane.

Deixei ela entrar para depois eu seguir para minha casa.





Notas Finais


O primeiro dia de aula dos nossos amadinhos^^
Perdoem eu por qualquer erro > _ <
Até a próxima.. Bjs♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...