1. Spirit Fanfics >
  2. Ironia do destino >
  3. I'm sorry

História Ironia do destino - Capítulo 17


Escrita por: SapataoEmocionadah

Capítulo 17 - I'm sorry


Narrador POV

A série arrancou várias risadas das duas, eles foram muito cuidadosos com os assuntos que abordavam, era incrível.

Elas ainda estavam na terceira temporada, mas Camila reparou na Elena, estava com dúvidas sobre sua sexualidade, se descobriu lésbica, se assumiu para a família, todos aceitaram bem, menos o seu pai.

Aquilo era assustadoramente familiar para Camila.

Ambas são de uma família cubana que imigrou para os Estados Unidos da América. O pai de Elena era um militar latino, foi realmente muito corajosa para se assumir. Camila tem um pai que quase nunca o vê, mas sempre foi assumidamente preconceituoso e com orgulho disso. Ela não conseguia nem imaginar como seria a reação do pai quando soubesse.

Sua criação sempre fora aquela, seguir, respeitar e defender a família tradicional. Sempre dizia que não saberia explicar para a sua filha o que seria dois homens ou duas mulheres se beijando, caso ele perguntasse. O que é ridículo.

De qualquer forma, seu humor melhorou bastante. Sempre achou que isso de "uma risada pode melhorar o seu dia" uma bobagem, mas agora, ela já não achava tão idiota assim.

Ela tinha se decidido. Amanhã devolverá a jaqueta de Lauren. Tinha o cheiro dela, isso era o que mais agoniava a latina. Ela era tão cheirosa...

-

Seu coração estava acelerado, estava nervosa. Não sabia como reagir depois do que acontecera na praia.

Ela não tinha saída, não havia como evitar ver a menina dos olhos verdes. Se não se encontrasse nos corredores da escola, iriam se encontrar na sala de aula. Apavorante.

- Hey, Camila! - Allyson saudou assim que a viu, se aproximando.

- Hey, Ally! - olhou em volta - As meninas ainda não chegaram?

Era tão perturbador ter aquela sensação cada vez mais crescente dentro de si, sentia como se a qualquer momento fosse explodir.

- Nah, estão atrasadas, como sempre. - deu de ombros. - Ei, essa não é a jaqueta da Lauren? - apontou para o tecido no corpo da latina.

- É, eu fiquei com ela, ainda não tive a oportunidade de devolver. - Ally deu de ombros. Camila só de pensar que esse momento estava se aproximando dava arrepios.

O perfume de Lauren ainda presente na roupa era perturbadoramente fascinante. Aquilo estava mexendo com os seus sentidos, não era nada bom para a sua sanidade mental pensar naquilo.

- Hey! - Normani se aproximava, estava com Dinah e Lauren ao seu lado.

A morena se retraiu ao avistar a latina, não sabia como agir, não teve nenhum contato direto com ela depois do que aconteceu. Se sentia estranha...

Lauren ficou confusa sobre o que estava sentindo e sobre o que a latina estava sentindo. Não entendia, afinal, ela disse que não gostava de meninas.

Por que ela tinha a beijado?

- Chegaram faz muito tempo? - Dinah perguntou para Camila e Ally, que negaram. - Que bom, odeio ficar atrasada.

- Então você se odeia, né minha filha? Seu hobby preferida é ser atrasada. - Ally implicou com Dinah, que apenas mostrou o dedo do meio, fazendo as outras rirem.

Ficaram por um tempo ali conversando, até que tiveram que ir para a aula.

Camila e Lauren tentaram não trocar olhares, elas não saberia como agir ao ser obrigadas a se falarem. Mas ninguém estava realmente disposto a isso.

- Atenção, turma. - a professora de inglês chamou os alunos. - Hoje vou passar um trabalho em dupla. - os adolescentes começaram a se animar - Eu escolho as duplas.

Todos reclamaram sobre aquilo, mas não é como se isso fosse fazer a mulher mudar de idéia. Lauren nunca acreditou em Deus e todas essas coisas de santo, mas naquele momento, qualquer coisa servia para ela pedir que não fosse a dupla de Camila.

- Vamos ver qual vai ser a primeira dupla... - levou o indicador até o queixo, fingindo pensar. Todos sabiam quem ela escolheria, estava mais do que na cara que ela percebeu os conflitos entre as duas meninas no começo, isso só poderia ser amor incubado. - Lauren Jauregui e Camila Cabello.

Oh, não.

É impossível não citar o quanto as duas ficaram tensas com isso. Oh, uau, o destino realmente não estava colaborando muito para elas.

As outras duplas foram formadas, assim como na primeira vez, Lauren e Camila era uma dupla, e Allyson e Dinah era outra.

- Vocês vão ter dois dias para entregarem, vai ser simples.

Eles assentiram e saíram da sala após ouvirem o sinal tocar. Elas eram obrigadas a terem que se ver por dois dias, estavam desesperadas por dentro, mas não queriam demonstrar isso.

- Lauren. - Camila a chamou quando, finalmente, teve coragem - Eu queria te entregar antes, mas... - balançou a cabeça, completamente atordoada - Enfim, aqui está sua jaqueta. - tirou do corpo com rapidez. Lauren estaria mentindo se não dissesse que reparou na latina, nem se lembrava mais daquela roupa.

- Oh, não precisava se incomodar. - disse sem graça ao ter a jaqueta em mãos. - Ela fica bem melhor em você... - deixou escapar, se arrepender no segundo em que abriu sua boca.

Camila riu nervosa, completamente envergonhada.

- Ah, não, eu... - tentou pensar em algo, não confessaria que era uma tortura ter aquela jaqueta para si, com seu cheiro e a lembrança que ela trazia no momento em que a olhasse - só senti que isso era o certo, eu acho.

- Bem, hm, seu salto está lá em casa... Você meio que, huh, esqueceu. - a lembrança enrubesceram-na, afinal, não sabia se podia tocar nesse ponto. - Camila, por falar nisso...

- Obrigada, Lauren. Qualquer dia eu vou buscá-lo. - Camila não deixou que ela terminasse a frase, já estava indo embora, mas sentiu uma mão no pulso, a impedindo de ir além.

- Antes de você sair... - conseguiu se conter, ainda estava chateada com aquilo, mas ela não sabia dos motivos da latina, poderia ter sido algo sério para ela fugir daquele jeito. - Hoje onde nos encontramos?

- Pode ir na minha casa. - se soltou e foi embora.

Ela estava completamente fodida. Ter Lauren em sua casa era algo perigoso, mas não tinha raciocinado aquilo muito bem, só queria sair logo daquela situação. O problema é que ela sabia que não poderia fugir disso para sempre, isso a apavorava.

-

- Oi, Lauren. Bem vinda. - a cumprimentou ao abrir a porta de entrada. A morena se sentiu intimidada com o tamanho daquela casa, era maior do que imaginava ser. - Quer beber algo? - negou com a cabeça, os dedos batendo ansiosamente no cós da calça.

- Não quero incomodar. - respirou profundamente, tentando se acalmar.

- Oh, não incomoda. - chamou para ir em seu quarto, mas Sinu entrou no seu campo de visão, estava com um olhar interrogativo. - Ah, mama, essa é a Lauren. Ela veio fazer um trabalho de escola.

- Hey, Lauren. Fique a vontade.

- Obrigada.

-

Depois de subirem as escadas, chegaram no quarto da latina. Lauren analisou tudo metodicamente.

- Esse é o meu quarto. - disse ao abrir porta do cômodo, deixando Lauren passar primeiro para depois entrar e fechar a porta.

- Confesso que fiquei surpresa, imaginava um quarto todo trabalhado no princesinha. - tentou brincar para descontrair, recebendo um olhar curioso da latina.

- Imaginava que eu tinha um quarto todo rosa e cheio de bonecas? - sorriu com a língua entre os dentes. - Interessante, srta. Lauren. - a olhou divertida, arrancando algumas risadas de Lauren.

Aquilo ajudou a tirar a tensão que estava no corpo das duas, mas Camila ainda estava mais retraída para não fazer nada de errado. Aprendeu que ser impulsiva pode estragar sua vida as vezes.

Estavam quase terminando o trabalho, as vezes acontecia algumas brigas bobas, mas elas sempre conseguiam chegar em algum acordo.

Sinuhe apareceu algumas vezes, oferecendo algo para comer, para ver se estavam bem, se estavam comportando...

*Play em Big Bad World - Kodaline* (deixe tocando até o final do capítulo)

- Camila, eu tentei, mas não consigo fingir que isso nunca aconteceu. - Lauren soltou repentinamente, fazendo a latina se encolher, imaginando qual assunto ela estava falando.

Já havia terminado o trabalho, não tinha nenhuma outra desculpa para fugir.

- O-o que? - sua voz saiu mais baixa do que o normal, demonstrando seu nervosismo.

Evitou tocar naquele assunto durante aquele tempo, mas precisava saber o que a latina pretendia, não estava entendendo.

- Primeiro você começa a me evitar do nada, sempre que entro em um local que você está, você sai. Eu tentava falar com você, eu praticamente falava sozinha... - começou a falar, a latina ouvia o que ela tinha a dizer atentamente - Eu não entendo você, Camila. Depois de ter me evitado praticamente a semana inteira, e quando consigo ficar sozinha com você durante algumas horas, você me beija. - desabafou, Camila respirava fundo, tentando pensar no que falar. - Você foge e finge que nada aconteceu, o que há de errado com você?

Camila se levantou, esfregando o rosto com as duas mãos, mexendo ansiosamente no cabelo, andando de um lado para o outro. Lauren esperava que ela se pronunciasse.

- Ok, Lauren. - deu uma pausa e respirou fundo - Eu não deveria ter te beijado, okay? Aquilo foi um erro. Não deveria ter acontecido.

- Mas aconteceu, Camila. - também se levantou, olhando nos olhos de Camila, estava sendo o mais sincera possível - Se você não sabe, eu vou te contar um segredo: eu não sou um brinquedo, eu tenho sentimentos. - disse tão dolorosamente a última frase que sentiu seus olhos lacrimejar - Eu não entendo o que você pretendia com aquilo, mas não deveria ter me usado.

Camila negou com a cabeça, droga, por que tinha que ser tão burra?

Deveria ter pensado nas consequências, nos sentimentos de Lauren, no que poderia dar de errado, mas só tinha pensado em si mesma, nas suas vontades. Foi uma egoísta.

- Não, Lauren, eu não quis te usar. Em nenhum momento eu pensei em te usar... - se aproximou um pouco mais, colocando as mãos sobre as bochechas de Lauren, querendo que ela enxergasse o fundo da sua alma, queria que ela entendesse o quanto que aquelas palavras eram verdadeiras. - Magoar seus sentimentos nunca esteve nos meus planos, eu me importo de verdade com você. Você não sabe como você é importante para mim, eu te considero tanto... - seus olhos se perderam em seus polegares, que estavam acariciando a bochecha da morena, mas logo voltou a ter o contato visual com a maior. Surrava tão lentamente as palavras, em uma tentativa idiota de reduzir a dor ao dizê-las - Nos conhecemos a tão pouco tempo, mas foi suficiente para que eu me apegasse a você, para que, acima de tudo, eu me preocupasse com você. O que aconteceu anteontem, aquilo foi culpa minha. Eu estava no ápice da minha loucura, confusa, não estava com a cabeça no lugar. - umedeceu seus lábios com a língua, dando uma pausa para tentar respirar.

Estavam perigosamente próximas, Lauren podia sentir a respiração de Camila no seu rosto, mas estava muito magoada para deixar se levar por isso. Ergueu suas mãos, as colocando sobre as de Camila e tirando do seu rosto, entrelaçando suas mãos entre elas, as duas acompanhava cada ação da morena com os olhos. Estavam fascinadas com o encaixe perfeito de suas mãos.

- Por que você saiu correndo? - sua voz vacilou por um segundo, não aguentou segurar por mais tempo e sentiu a lágrima solitária descer livremente em sua bochecha, se odiando por ter sido tão fraca.

- Eu fiquei com medo. - Lauren franziu o cenho.

- Por quê?

- Você não entenderia...

- Então me explica, meu Deus. - elevou sua voz sem perceber, foi automático, não tinha controle com suas ações em situações como aquelas.

- Porque eu sou covarde, Lauren. Eu sou a merda de uma covarde. - quase gritou, se arrependendo no mesmo segundo. - Me desculpa, eu não sei o que deu em mim. - pediu, um pouco mais calma. - Eu nunca tinha beijado alguém, não até aquele dia. Eu estou confusa, confusa sobre o que eu sinto, sobre quem eu sou... - soltou suas mãos, levou uma até os cabelos, bagunçando-os. Virou de costa para Lauren, encarando a paisagem que a janela do seu quarto a permitia ver, incapaz de encarar a morena. - Você estava tão próxima de mim, sua respiração batia no meu rosto, me arrepiando inteira. Seus olhos tão brilhantes focando em mim, céus, aquilo foi a minha morte! - se afastou, caminhando com passos lentos até a janela, se apoiou no batente e virou-se novamente. Encarar aqueles olhos tão verdes, únicos que poderiam matar uma pessoa apenas com o olhar. - A verdade é que eu tenho dúvidas de quem eu sou desde o maldito dia em que eu te vi pela primeira vez, entrando naquela porra de sala de aula, tão estilosa... Você é tão linda, eu não consigo olhar para você sem me sentir atraída, é impossível.

Lauren ouvia tudo boquiaberta. Camila estava ali, na sua frente, dizendo que se sentiu atraída por ela desde que a viu, que não suportou a vontade de beijá-la, era impressionante.

Camila nunca havia duvidado da sua sexualidade antes, não tinha motivos para aquilo, nunca se atraiu por ninguém. Até um certo par de olhos verdes chegar e virar sua vida de cabeça para baixo.

Com muita dificuldade, conseguiu sair do transe e caminhou em direção a latina, encostando seus corpos e envolvendo sua cintura em um abraço singelo, deixando Camila sem palavras.

Demorou um pouco para perceber o que estava acontecendo, mas quando finalmente entendeu que era um abraço, envolveu seus ombros e apoiou a cabeça na curva do seu pescoço. Não resistiu em passar o nariz ali, inalando o seu cheiro, agora tão real quanto suas mãos trêmulas a apertando, trazendo para perto. Era impossível conseguirem se aproximar mais do que aquilo, mas não havia nada que não pudessem fazer juntas, não havia nada que a impedisse de fazer algo, desafiaram a lei da física. O impossível para elas significava nada..

- Me desculpa. Eu não deveria ter jogado a culpa toda em cima de você. - Lauren pediu, ainda abraçando a menor - E... Se você quiser, eu posso me afastar temporariamente de você, por mais doloroso que isso seja. - a latina ia protestar, mas Lauren não deixou. A soltou do abraço e moveu suas mãos até o rosto da menor, olhando em seus olhos. Estava tão perdida naqueles castanhos tão únicos, capazes de hipnotizar qualquer pessoa, que quase esqueceu o que tinha que falar. - Mas, acima de tudo, saiba que eu estou aqui com você, que eu sempre vou te apoiar. E, caso você escolha me afastar, eu vou entender, vou sofrer silenciosamente no meu canto, mas isso não me importa, sua felicidade me importa.

Era loucura falar tudo aquilo para praticamente uma desconhecida, mas estava tão fora de órbita que aquilo pareceu tão certo a se fazer...

- Eu não quero que se afaste, Lo. Isso me mataria. - Lauren deixou escapar um sorriso com o apelido que recebeu - Não era isso que iria ajudar na minha descoberta, por que eu já aceitei que gosto de meninas. O problema não é você e nem eu, e sim o meu pai. Ele sim, ele me mataria se soubesse disso. - Lauren novamente envolveu a cintura da latina, encostou suas testas e fechou os olhos, suspirando.

- Eu não faço idéia do que falar, Camz. Eu só posso dizer que eu gosto muito de você, quero que você, independente de tudo, fique bem. - aproximou seu rosto, beijando carinhosamente a bochecha direita da latina - Sabe, agora, se você quiser me usar, eu não vou reclamar. - se divertiu com a expressão chocada da latina, recebendo um tapa no braço. - Ouch!

- Idiota. - riu da cara de cachorrinho sem dono que a morena fez. O que ela não esperava, era que a latina selou seus lábios em um beijo casto, não resistindo aquele biquinho que a morena estava fazendo.

Lauren por um segundo sentiu como se pudesse sair da Terra com apenas aquele selar de lábios, Camila riu da cara de boba que a morena fez depois do beijo, soltando-se dos braços da maior.

Aquela foi definitivamente uma tarde agitada. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...