História Ironic - Capítulo 40


Escrita por:

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Enzo, Jeremy Gilbert, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Stefan Salvatore
Tags Delena
Visualizações 153
Palavras 2.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ei amorinhas....

Tudo bem???

Espero que gostem do cap...

Escutem a música Alergico da Anahí

Capítulo 40 - Adeus... Ou não?


Fanfic / Fanfiction Ironic - Capítulo 40 - Adeus... Ou não?

Acordei na manhã seguinte em minha cama, e não pude deixar de imaginar Kol me trazendo para a cama, o que me arrancou um sorriso do rosto.

Suspirei, levantei e fui fazer minha higiene matinal. Tomei meu café e vi o telefone tocando. Atendi sem olhar quem era.

- Oi. - Disse assim que atendi.

- Elena. - Disse Stefan.

- Stefan…

- A próxima sessão de fotos é hoje as 13h.

- Tudo bem. Me passa o endereço. - Respondi já pegando um pedaço de papel e anotando.

Sorri.

O resto da manhã passei jogada no sofá assistindo minhas séries na Netflix.

Faltando uma hora para a sessão de fotos, me arrumei e saí indo para o local indicado.

Fui direto para o camarim, pus a lingerie e o robe e saí para começar a sessão.

Vi Damon encostado na parede e fui ao seu encontro.

- Oi moreno. - Chamei, fazendo-o me olhar.

- Oi Elena. - Respondeu desviando o olhar.

- Você parece distante. - Disse acariciando seu rosto.

- Elena… Por favor. - Disse ele fechando os olhos e virando o rosto.

- Damon olha pra mim. - Pedi carinhosamente virando seu rosto para mim.

Ele suspirou e me olhou.

Aproximei-me dele sem perder o contato visual, queria tanto beijá-lo…

Ele segurou minha cintura com carinho, engoli em seco… Quando estávamos a milímetros de distância Stefan me chamou para começar a sessão de fotos. Afastei-me assustada e acompanhei-o sem olhar para trás.

Dessa vez foi uma tortura fazer a sessão, pois Damon não tirava os olhos de mim, deixando-me desconfortável com a situação.

Duas horas depois terminamos e fui para o camarim, não demorou muito e Damon entrou fechando a porta.

- Moreno? - Chamei-o já que ele não falou nada.

- Elena. - Começou ele suspirando.

- O que você quer de mim? - Perguntei sorrindo.

- Por que você se aproximou de mim mais cedo? - Perguntou seco.

- Porque eu estava preocupada com você. - Respondi-lhe

- Não aguento mais o seu jogo sabia? - Disse ele.

Suspirei e engoli em seco.

- Para de me atiçar garota. - Disse ele se aproximando. - Me esquece.

- Você está aqui, na minha frente, me mandando ficar longe de você, mas tá doido de vontade de me agarrar. - Respondi dando um passo a frente, ficando colada nele. - Você não consegue ficar longe de mim.

Ele deu um passo atrás.

- Elena, pode até ser verdade que eu te quero. - Disse ele me olhando.

- Perai, você está mesmo assumindo que me quer? - Perguntei-lhe perplexa.

- Já cansei de negar pra mim mesmo, não consigo não te querer. - Respondeu passando a mão pelo cabelo.

Sorri sentindo meu peito explodir de alegria.

- Eu preciso de um tempo, por minha cabeça no lugar. - Disse ele olhando para os lados.

Suspirei… Não era bem o que eu imaginava.

- Moreno. - Chamei-o. - Deixa eu te ajudar…

- Não quero sua ajuda. - Respondeu-me. - Esse enrolo que estamos é uma montanha-russa, sem controle e eu preciso de segurança.

- Então é isso? - Perguntei-lhe nervosa. - Você quer um brinquedo mais comportado e “seguro”?

- Não… Simplesmente está na hora de parar de brincar. - Disse ele sorrindo triste.

- Tudo bem. - Respondi limpando uma lágrima teimosa. - Pode voltar pra sua vida perfeita, que eu estraguei. - Gritei nervosa. - Mas fique sabendo que não vou te esperar, o Kol quer ficar comigo de verdade, ele me aceita como sou. - Disse triste. - Vou tentar ser feliz com alguém que me quer.

Damon aproximou-se de mim, segurou meu rosto com ambas as mãos e selou nossos lábios, o beijo não passou de um selinho, mas senti ali, naquele momento, que o que tínhamos havia acabado e senti mais uma vez meu coração se partir ao meio.

Lágrimas corriam livremente por meu rosto, Damon se afastou e vi seus olhos marejados. Engoli em seco, sentindo-me despedaçar, ele deu-me as costas e saiu deixando-me sozinha naquele camarim.

Senti meu mundo desabar, nunca namoramos, não tínhamos nada, mas, mesmo assim, esse final me abalou, sem estrutura, senti meu corpo amolecer e caí no chão, desmaiando.

Acordei com uma pessoa dando leves tapas em meu rosto, abri os olhos e vi Stefan ao meu lado.

- Elena, que susto. - Disse ele me levantando.

- O que aconteceu? - Perguntei-lhe.

- Não sei, cheguei para te chamar e você estava caída no chão. - Respondeu-me.

Suspirei, lembrando-me do que havia acontecido.

- Stefan, eu estou bem, acho que foi só uma queda de pressão. - Disse tranquilizando-o.- Não comi nada hoje.

-Tem certeza que é só isso? - Perguntou desconfiado.

- Tenho sim. - Respondi-lhe. - Vou me trocar.

Stefan saiu me deixando sozinha, troquei-me depressa e fui para casa.

Liguei para Caroline no caminho e ela me encontrou na porta de casa, com o que havia pedido a ela.

Entramos correndo e fui direto para o banheiro com a caixinha em mãos.

Estava suando frio, não podia ser verdade, não agora…

Esperei os intermináveis cinco minutos e no fim lá estavam as duas barrinhas vermelhas, deixei-me escorregar pela parede sentindo as lágrimas caírem.

Estava perdida, não tinha meus pais, não tinha Damon e agora grávida. Respirei fundo tentando controlar minha crise de choro e saí do banheiro.

- E então Elena? - Pergunto Care aflita.

- Eu estou grávida. - Respondi deixando mais lágrimas caírem.

Caroline veio e me abraçou.

- E agora, Care, o que eu vou fazer? - Perguntei-lhe.

- Ele precisa saber Elena. - Respondeu-me ela.

- Não, isso nunca. - Respondi-lhe. - De qualquer forma ele acharia que é do Kol.

- Elena, o que você vai fazer? - Perguntou-me.

- Vou pedir demissão da empresa do Elijah e vou procurar Katherine. - Respondi-lhe.

- Elena fugir não vai resolver o problema. - Disse ela sentando-se no sofá.

- Ficar também não vai resolver. - Respondi-lhe nervosa.

Peguei o telefone na bolsa e liguei para Katherine contando-lhe tudo que havia acontecido e as consequências dos meus atos. Ela brigou comigo o que já era esperado, mas disse para eu encontrá-la em duas semanas.

- Elena vou te deixar sozinha. - Disse Caroline levantando-se.

- Care, prometa que não vai contar nada para o Damon. - Pedi-lhe.

Ela suspirou.

- Prometo Elena. - Respondeu-me. - Até porque esse assunto envolve vocês dois, é você quem tem que contar.

Concordei e a vi sair, deixando-me sozinha, com meus pensamentos.

Justo agora que estava pronta para dar uma chance ao Kol…

Pensando nele, peguei o telefone e liguei para ele, pedi que viesse me ver.

Ele não demorou e contei-lhe tudo.

- Elena, fica, eu posso cuidar de vocês. - Disse ele acariciando meu rosto.

Deixei algumas lágrimas caírem de meus olhos e neguei, balançando a cabeça.

- Não é justo com você Kol. - Disse-lhe.

- Não seria justo se você escondesse isso de mim. - Respondeu ele sorrindo. - Eu quero você, e te prometo amar essa criança como se fosse minha.

Sorri em meio as lágrimas.

- Elena, eu te amo. - Disse ele segurando minhas mãos. - Quero te fazer feliz.

Suspirei, era tão bom ouvi-lo dizer que me ama…

- Kol…

- Elena, não precisa responder agora, sei que você tem muita coisa no que pensar nesse momento, mas lembre-se, eu estou aqui pra você. - Disse ele me abraçando.

Deitei minha cabeça em seu peito, deixando-me ser confortada.

Respirei fundo, sentindo meu peito desapertar. Kol beijou minha cabeça e separou-se de mim.

- Elena. - Chamou-me.

Olhei-o sem nada dizer.

- Casa comigo? - Perguntou-me.

 

Damon’s POV

Estava no escritório revisando alguns contratos, quando Enzo entrou em mina sala e jogou-se na cadeira a minha frente.

Bufou, mas nada disse.

- Enzo, o que foi? - Perguntei já me irritando com sua atitude.

- A Bonnie. - Respondeu fechando os olhos.

- O que ela fez? - Perguntei-lhe soltando os papeis na mesa.

- Ciúmes Damon, ciúmes. - Respondeu ele bagunçando o cabelo.

Ri.

- De quem? - Perguntei-lhe.

- Da Lexie, acredita nisso? - Disse ele, como se fosse a coisa mais absurda que ele escutou.

Suspirei.

- Enzo, se você quer que dê certo com a Bonnie, vai ter que aprender a ter paciência.

- Eu sei Damon, mas cara sério mesmo, assim não dá, estou me sentindo sufocado. - Disse ele jogando as mãos para cima.

Respirei fundo e balancei a cabeça.

- Conversa com ela Enzo. - Disse-lhe. - É tudo que posso te dizer.

- Obrigado parceiro, vou tentar fazer isso. - Respondeu e levantou e saiu, deixando-me sozinho.

Quando achei que fosse recomeçar o trabalho, Stefan ligou avisando sobre a sessão de fotos.

Bufei e guardei os papéis. Saí da minha sala e fui direto para o local das fotos.

Chegando lá, encostei-me na parede e fiquei pensando em minha vida e nas coisas que vinham acontecendo desde que Elena entrou em minha vida.

Não podia mais negar, ela mexia comigo, eu a queria e muito.

Saí dos meus devaneios quando a vi parada em minha frente.

- Oi moreno.

- Oi Elena. - Respondi desviando o olhar.

- Você parece distante. - Disse acariciando meu rosto.

- Elena… Por favor. - Disse fechando os olhos e virando o rosto.

- Damon olha pra mim. - Pediu carinhosamente virando meu rosto.

Suspirei e lhe olhei.

Ela aproximou sem perder o contato visual, céus como queria beijá-la…

Resolvi não pensar nisso e segui meus instintos segurando-a pela cintura com carinho, a vi engolir em seco…

Quando estávamos a milímetros de distância Stefan a chamou para começar a sessão de fotos. Elena afastou-se assustada e acompanhou-o sem olhar para trás.

Respirei fundo, o que eu quase fiz?

Não posso me deixar levar por esses sentimentos confusos e conflituosos, tenho que avaliar o que sinto, antes de embarcar em qualquer coisa com ela.

Não consegui desviar meus olhos de Elena em momento algum, acompanhava seus movimentos e poses, acho que na intenção de gravar cada detalhe dela, não sei…

Duas horas depois terminamos e Elena foi para o camarim, olhei para os lados e ninguém estava prestando atenção, então entrei e fechei a porta.

Não sabia o que estava fazendo, então fiquei calado.

- Moreno? - Chamou-me.

- Elena. - Comecei suspirando.

- O que você quer de mim? - Perguntei sorrindo.

- Por que você se aproximou de mim mais cedo? - Perguntei-lhe seco.

- Porque eu estava preocupada com você. - Respondeu-me.

- Não aguento mais o seu jogo sabia? - Disse a ela.

Elena arregalou os olhos e engoliu em seco.

- Para de me atiçar garota. - Falei me aproximando. - Me esquece.

- Você está aqui, na minha frente, me mandando ficar longe de você, mas tá doido de vontade de me agarrar. - Respondeu dando um passo a frente, ficando colada a mim. - Você não consegue ficar longe de mim.

Dei um passo atrás, como se tivesse levado um tapa.

- Elena, pode até ser verdade que eu te quero. - Disse lhe olhando.

- Perai, você está mesmo assumindo que me quer? - Perguntou-me perplexa.

- Já cansei de negar pra mim mesmo, não consigo não te querer. - Respondi passando a mão pelo cabelo.

A vi sorrir, um sorriso de felicidade.

- Eu preciso de um tempo, por minha cabeça no lugar. - Disse olhando para os lados.

Exasperei-me, não conseguia pensar perto dela.

- Moreno. - Chamou-me. - Deixa eu te ajudar…

- Não quero sua ajuda. - Respondi-lhe. - Esse enrolo que estamos é uma montanha-russa, sem controle e eu preciso de segurança.

- Então é isso? - Perguntou-me nervosa. - Você quer um brinquedo mais comportado e “seguro”?

Como ela podia não ver o quanto mexia comigo, o quanto eu a queria?

- Não… Simplesmente está na hora de parar de brincar. - Respondi sorrindo triste.

- Tudo bem. - Respondeu limpando uma lágrima teimosa. - Pode voltar pra sua vida perfeita, que eu estraguei. - Gritou nervosa. - Mas fique sabendo que não vou te esperar, o Kol quer ficar comigo de verdade, ele me aceita como sou. - Disse triste, e me senti levar um tapa novamente, não imaginava que ela fosse seguir em frente, - Vou tentar ser feliz com alguém que me quer.

Senti nesse momento raiva, não podia imaginar Elena nos braços de outro, que outro a tocasse, que ganhasse seu carinho.

Findei a distância que havia entre nós, segurei seu rosto com as duas mãos e selei nossos lábios, não foi um desentupidor de pia, foi um selinho e sabia que essa história estava acabado de uma vez por todas.

Elena chorava, o que não era minha intenção, mas vê-la frágil desse jeito, me lembrou da noite em que o ex a atacou e senti meu peito doer e o ar me faltar.

Senti meus olhos encherem de lágrimas, mas não poderia deixá-la vê-las cair, não queria causar-lhe mais dor do que já estava causando. Dei-lhe as costas e saí do camarim.

 

Escorei-me na porta e respirei fundo, limpei meus olhos e afastei-me sem olhar para trás.

Infelizmente encontrei Stefan no caminho.

- Damon? Ainda aqui? - Perguntou-me.

- Sim, estava olhando algumas fotos com a equipe. - Respondi-lhe forçando um sorriso.

Stefan me olhou desconfiado, mas nada disse.

- Bom, já terminei por aqui, nos vemos em casa? - Perguntei-lhe.

- Claro. - Respondeu ainda desconfiado.

Dei-lhe as costas e suspirei aliviado e triste ao mesmo tempo. Cocei a cabeça e fui direto para o carro e direto para casa, não tinha cabeça para o trabalho.


Notas Finais


E ai amores????

O que acharam???

Que reviravolta hein?

Será que a Elena vai aceitar o pedido do Kol?

Será que ela vai contar ao Damon???

E será que ela realmente está grávida???

Quantas perguntas hein???

Falem a verdade, deu uma dozinha do Damon neste cap ou não deu???

Até o próximo...

Xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...