História Iron's Hearth (Interativa). - Capítulo 19


Escrita por: e SrASOCIAL

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Lgbt, Luta, Magia, Medieval, Morte, Romance, Rpg
Visualizações 8
Palavras 1.947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Cheguei após anos, mas serão compensados. Boa leitura.

Capítulo 19 - Criatura e criador, novo Zaryk e irmãs.


Fanfic / Fanfiction Iron's Hearth (Interativa). - Capítulo 19 - Criatura e criador, novo Zaryk e irmãs.

Cap 19 Criatura e criador, novo Zaryk e irmãs.

†*****†*****†****😈****†*****†*****†

( )= Ações em meio a frase, por exemplo: Levanto o braço ou "Fala(o) cansado(a)".

{ }= Pensamentos.

[ ]= Flashback ("Flashback on:" e o conteúdo do flashback terá [ ].), Tempo, por exemplo, "No outro dia..." e oscilações de personagens, autor e narrador por sua perspectiva da história.

†*****†*****†****😈****†*****†*****†

[Zaryk on:]

[Flashback on:]

[Zaryk-.... será mesmo?

?- Claro que pode, vamos tentar.

Zaryk- Ok!

Eu tentei o máximo de mim, porém o que aconteceu não foi o que esperava. Utilizei muita magia e acabei transformando o que deveria ser um ser vivo, em um ser morto e sem carne, porém muito forte. A criatura irracionalmente me atacou e eu a repeli com uma barreira. Selei o monstro e o enviei para o lugar que dei o nome de submundo.

Zaryk- Irmã, eu não queria abandonar ele...

?- Bem, eu acho que ele não vá te odiar, acho que talvez um dia até entenda.

Zaryk- Tomara que sim...

?- Ok, vamos tentar de novo?

Zaryk- Sim...]

[Flashback off.]

Levanto o olhar para aquela criatura colossal, e digo...

Zaryk- Olá Morte, quanto tempo não?

Morte- É, vejo que está bastante mudado, bem, na verdade, está mais fraco. Só eu posso devolver uma parte de seu poder, mas no seu nível... Nunca me derrotará.

Zaryk- Será? Eu sei que aqui sou mais limitado, sei que aqui você é mais forte, porém eu que criei este lugar, então eu tenho a vantagem.

Morte- Acha que me vencerá apenas com inteligência e astúcia? Está enganado, minha pressão espiritual te deixa paralisado.

Zaryk- Vamos ver quem deixa quem paralisado aqui.

A morte, cerca de 20 metros de distância, joga sua foice na horizontal, ela vem numa velocidade absurdamente rápida e precisa, bem, eu lembro de todos os ataques dele.

Sem esforços eu desvio da foice e a paro com a mão, ela é muito pesada.

Morte- O que foi Zaryk? Tá difícil segurar a foice? Quer uma ajudinha?

Com o movimento de um dedo ele arranca meu braço sem cerimônia. Eu seguro meu braço como que quisesse parar o sangramento. A caveira estremece de rir enquando estende a mão para pegar sua foice. Eu conjuro uma chama em minha mão e faço a cauterização do corte. Grito de dor e caveira diz...

Morte- Assim tá muito fácil... Venha sério!

Zaryk- Calma, eu tenho uma carta na manga. Espere.

Morte- (Estendendo a mão) Que seja um coringa então!

A foice vem na direção de sua mão em um movimento rápido. A caveira colossal aponta para mim e com um olhar ameaçador, e esfera negativa. Ela diz...

Caveira- Agora meu coringa!

A caveira balança a foice e uma espécie de ventos cercam a mesma. A foice é tomada por uma série de partículas negras, e por fim, ela se torna o mais puro negro...

†*****†*****†****😈****†*****†*****†

Curiosidade I.

"Death's dance" é o nome da foice lendária criada pelo deus criador do universo e multiverso. Ela foi dada à uma de suas crias como presente. A foice tem uma habilidade especial: Jugment. Esta habilidade consiste na aniquilação total de todo e qualquer ser vivo ou morto-vivo, até mesmo deuses.

†*****†*****†****😈****†*****†*****†

... A foice mais parecia um céu sem estrelas, estava tão negra que não conseguia ver sua lâmina, já que a iluminação precária não me permitia.

A caveira foi se aproximando, passo a passo; bem devagar. Ao chegar, levanta a foice e diz...

Morte- Agora o julgamento final! Jugment!

Em um ato desesperado, conjuro uma magia de invocação. Sumono um leão e ultilizo uma magia de invisibilidade e saio de perto. Me escondo rapidamente e espreito ainda invisível.

A caveira atinge o leão e o evapora. A lâmina que era negra, volta ao normal. A caveira por sua vez gargalha enquanto fala...

Morte- Zaryk... Sabia que você era esperto, vamos, use seu Às agora... Ou vai ficar escondido?

Aquele ser colossal começa a me procurar por aquela sala enorme.

Começo a planejar um plano. Me vejo em uma situação difícil, porém sei vários lugares escondidos dentro desse local.

Calmamente; cautelosamente, armei um armadilha invisível. Apareço diante da Morte. Ela então diz...

Morte- Decidiu aparecer?

Zaryk- Uma hora tinha que terminar nossa luta. Não acha?

Morte- Claro. Você já sabe o meu trunfo, então tens vantagem.

Zaryk- Bem, talvez sim.

Morte- Bem, eu não quero uma luta injusta. Escolha uma arma e eu lhe darei!

Zaryk- Ok. Eu quero um cajado de magia negra.

Morte- Não é uma boa escolha, mas tudo bem.

A morte com sua mão vazia, materializou o cajado e o jogou para mim. Eu peguei o cajado e a Morte veio em minha direção rapidamente. Cada passo estremecia, era ensurdecedor, é como se o chão fosse quebrar. Me ponho em calma e conjuro um feitiço, quando ela está prestes a desferir um golpe fatal, ultilizo de uma fumaça negra, a sala inteira fica coberta pela fumaça, e com isso sumo em seu meio. Uso de uma magia arcaica, uma magia de explosão poderosa, capaz de destruir montanhas, Miro nos pés da caveira e faço o disparo da magia, a Caveira cai sem entender nada, eu então à selo com uma barreira de magia negra. A fumaça baixa e então pegando o livro gigante que aquela criatura carregava consigo. Ponho me a dizer...

Zaryk- Pois é... Mesmo não estando completo consegui te vencer... Que pena não?!

Morte- Verdade, sabe Zaryk. Obrigado, você realmente fez o que eu queria que fizesse por todos estes anos.

Zaryk- Como assim? Você sempre teve raiva de mim.

Morte- Não é isso, eu apenas não aceitava o fato de você nunca sorrir de verdade...

Zaryk- Pera, então tudo foi planejado?

Morte- Sim, se eu chegasse ao ponto de realmente te matar, eu lhe daria este livro para recuperar parte de seu poder.

Zaryk- Quer dizer que este tempo todo era só isso que queria?

Morte- Sim, e quando vi você lutando e dando sorrisos verdadeiros, isso me fez acreditar que meu criador realmente no fundo, escondia uma felicidade... Bem, agora pode levar este livro e acrescentar seu poder de volta.

Zaryk- (Sorrindo) Sabe Morte... Era tudo o que mais queria. Eu queria que você não tivesse rancor de mim, estou feliz.

Morte- Tudo bem. Vá criador, há muito a fazer ainda.

Zaryk- Até mais morte.

Eu abri o livro e então minha mente foi clareada com todas aquelas informações, tantas memórias, emoções, acontecimentos. A morte então me presenteou com uma roupa preta e uma máscara preta, eu então as vesti, a Morte logo após abriu o portão para que eu voltasse à vida...

†*****†*****†****😈****†*****†*****†

Curiosidade II.

A morte é o único ser capaz de julgar todos os seres, ela é a responsável por levar uma alma ao inferno ou ao céu, ou até mesmo dar uma nova chance de vida.

A morte pode até parecer maldosa, porém ela sempre faz um julgamento certo e justo em todos os casos.

†*****†*****†****😈****†*****†*****†

... Abro os olhos, pelo incrível que pareça, trajo a roupa que a morte me presenteou, até mesmo a máscara. Meus ouvidos se adaptam e então escuto gemidos e passo rápidos no chão. Me levanto, me sinto tonto, minhas feridas já não existem. Olho para trás e vejo Safira ao chão, toda ensanguentada, a Anja com sua foice pingando sangue. Eu então corro o mais rápido possível, parece que nunca seria capaz de alcançar. A anja ergue a foice e prepara um ataque fatal, os olhos de Safira já não tem cor, ela parece ter perdido as força para lutar. Vendo que não conseguiria impedir, resolvo gritar...

Zaryk- Lucky! Irmã! Pare!

A anja então vira para olha para trás. Ela me olha fixamente, eu me a próximo passo a passo, ela não tem reação, permanece parada. Chego ao ponto de ficar frente a frente com ela e me vem um flashback...

[Flashback on:]

[ Em meio ao vazio, vendo um ser, resolvo ajudar, este ser parece sofrer. Querendo resolver todos seus problemas. Digo...

Zaryk- Qual o seu nome pequena?

Lucky- Meu nome é L-lucky...

Zaryk- O que lhe aconteceu?

Lucky- (Chora inconsolavelmente).

Eu toco a cabeça da garota que estando ajoelhada olhou para mim, devagar fui me agachando, ela me acompanhou com os olhos. Eu sorri, enxuguei suas lágrimas com minhas mãos e disse...

Zaryk- Ei irmãzinha, pode me falar tudo, eu vou te escutar.

Lucky- E-eu....- ]

[Flashback off.]

... A anja se ajoelhou chorando, não sabia se era uma crise de bipolaridade. Eu sabia o que devia fazer. Toquei sua cabeça, ela me olhou, então me agachei aos poucos, ela me acompanhou com os olhos. Enxuguei as suas lágrimas, sorri e disse...

Zaryk- Quanto tempo não? O que aconteceu este tempo todo Lucky?

Lucky- (Chorando) Irmão... Por que sumiu este tempo todo?

Zaryk- Na verdade eu não sei de nada que aconteceu. Agora o que importa é que estamos juntos de novo.

Lucky- (Voz trêmula) Irmão, eu estava tão assustada... É horrível sem você aqui, é sufocante, insuportável. Não havia razão sem você aqui...

Zaryk- Agora acabou tudo.

Eu abraço ela com bastante força, ela apenas chora, eu então beijo a testa da mesma e digo...

Zaryk- Irmã, você quase matou minha filha ali. Você pode ajudar ela? Afinal você é uma anja agora né?

Lucky- Sim. Perdão por quase matar ela e ter matado você. É posso curar ela.

Eu e ela nos levantamos, a Lucky se aproxima de Safira e então encosta sua foice no peito esquerdo dela. Safira logo se cura e seus olhos ganham vida novamente, ela se levanta. Eu explico à Safira tudo o que aconteceu, ela então compreende. Nós seguimos para nosso abrigo e nos recolhemos, dormindo assim.

[No outro dia...]

Acordo bem desposto, me levanto e chamo todos, todos acordam. Safira um pouco mau humorada. Lucky feliz. Me volto para Lucky e digo...

Zaryk- Irmão, eu sei que é pedir demais, mas poderia curar nossa amiga Kiyara? Ela foi tratada, porém queria acelerar o processo de recuperação.

Lucky- Tudo bem irmão, não há problemas.

Lucky se aproxima de Kiyara e com a ponta da foice, cura a mesma. Kiyara abre os olhos lentamente, sai das cobertas e se levanta devagar dizendo...

Kiyara- Quem são vocês? Cadê a Safira, quem é você? E quem é essa garotinha de assas?

Zaryk- A Safira está ali (aponto para Safira). Esta de assas é minha amiga. Eu sou Zaryk (tirando a máscara).

Kiyara- O que aconteceu? Do nada vocês mudaram demais...

Eu então expliquei tudo o que aconteceu, ela gostou bastante das partes das lutas e se impressionou com a minha morte pela Lucky. Depois de tudo, nos reunimos, pegamos nossos pertences e partimos em direção à capital de Elfrarains atrás de minha irmã biológica. Ao chegar na capital, procuro antes uma loja de armas. Entrando na loja, vejo um senhor já bem velho, ele nos recepciona bem. Conto eu que queria umas armas novas, uma espada, estilo katana, além de várias facas de arremesso. O senhor sem hesitar me traz um pano empoeirado, ele me entrega. Eu abro o pano, logo vejo várias facas de arremesso e uma katana, olhando mais fundo, vejo um medalhão, havia nele um dragão gravado à mão, confesso que era bem bonito. Após tudo isso o senhor disse...

?- Tome isso. É por conta minha, leve e faça o que tem que fazer. Ah, ia me esquecendo. Tome isso também...

O velho estendeu a mão e me entregou um colar com um pingente do formato de chave, era um pouco grande e realmente parecia uma chave de verdade, ela então disse...

?- Vá e cumpra o destino. O colar e o pingente você saberá a hora de usar.

Zaryk- Mas antes me diga ao menos seu nome.

Aldebaran- Meu nome é Aldebaran.

Zaryk- Muito obrigado Aldebaran, nos vemos na próxima.

Nós fomos embora e nos demos logo após horas, de frente com a árvore sagrada e também castelo da rainha, paro de caminha e digo...

Zaryk- Pessoal, é aqui que vamos entrar. Temos que ir ao subsolo. Há um problema, hoje é a reunião dos três reinos, ou seja, pode dar muito errado. Mas que os jogos comecem!

[Zaryk off.]

†*****†*****†****😈****†*****†*****†

To be continued...


Notas Finais


É isso pessoal, até mais. Beijos.
;3.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...