História Irony of destiny - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé
Visualizações 11
Palavras 3.528
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então gente é minha primeira fic peço desculpas desde já por qualquer coisa e boa leitura, nos vemos nas notas finais

Capítulo 1 - Não fui com a sua cara!


Fanfic / Fanfiction Irony of destiny - Capítulo 1 - Não fui com a sua cara!

- EDWARD, VOLTA AQUI COM O MEU CELULAR! – Falo correndo atrás de meu irmão

Edward: não você passa tempo demais nele e nem presta atenção em mim!

                Bom meu nome é Bella tenho 18 anos, vim morar em Seul (Coréia do sul) a pouco tempo viemos do Brasil, motivo bom minha mãe recebeu uma tal de proposta irrecusável, não queríamos vir mas já que minha mãe "insistiu" tanto, apesar de que ela nunca foi tão presente na minha vida e do Edward, nós acabamos aprendendo a nos virarmos sozinhos, minha mãe é tão ocupada que as vezes por dias não aparecia em casa mas, com o tempo fomos lidando com isso e hoje a gente vive como quer, amanhã nos vamos para essa tal universidade , dizem que ela é a melhor universidade de toda Seul, quer saber desisto, se ele quer ficar com o meu celular que fique, ele ta bloqueado mesmo.

Edward: Ué, já cansou? – ele pergunta quando ver que eu parei de correr atrás dele

- Não só não sou obrigada a fazer o que eu não quero! – falo subindo as escadas – falando nisso onde está a mamãe?

Edward: não está em casa como sempre – disse ele desinteressado – Mas, a papelada do colégio já está pronta, você acredita que aqui eles usam uniforme completo, e pelo o que eu vi e provei eu fiquei parecendo vendedor de bíblia – falou fazendo cara de nojo – sinceramente acho que eu já vou chegar violando algumas regras – ele subiu as escadas, com um sorriso sarcástico no rosto e me entregou meu celular de volta.

- É também acho kkk – pego telefone – Eu fiquei parecendo uma freira só faltou aquele breguinaite que fica na cabeça – dou risada do que eu disse – Mas então nossas motos já chegaram, por que eu não vou de pé para escola não, fico em casa! – falei caminhando até a porta do meu quarto

Edward: relaxa maninha, estão na garagem amanhã é só pegar! – falou dando um sorriso – aqui está a chave.

- Obrigado – pego a chave – Agora eu vou dormir por que eu preciso estar com paciência amanhã – falo dando um abraço no meu irmão

Edward: Boa noite pequena – ele retribui o abraço e da um beijo em minha testa

                Depois de ter entrado no meu quarto vou direto para o banheiro tomo um banho visto meu pijama e me deito em minha cama, não demora muito e eu adormeço.


                                               flashback antes de vir para a coreia on

 

Era uma ótima tarde estava voltando da escola como de costume com o Edward, já tínhamos planejado tudo para nossa próxima festa, sim estávamos planejando uma festa, o que era normal para nós em uma sexta-feira, chegamos em casa cheia de sacolas e topamos com nossa mãe sentada no sofá provavelmente nos esperando, eu e meu irmão nos olhamos estranhando aquilo, mas, passamos direto pra a cozinha deixamos a sacola em cima da mesa.

- o que você acha que é? – Perguntei o olhando curiosa

Edward: Não sei, mas confesso que eu tô curioso! – Disse ele indo em direção a sala e eu o segui

Mãe: Achei que não voltariam para casa hoje! Quero conversar com você... – Ela nos olhou apreensiva, indicando o sofá para nos sentarmos

- Ok desembucha! – Falei cruzando os braços ainda de pé sem a menor intenção de me sentar

 

                 Minha mãe aqui, querendo falar comigo e o Edward, aí tem coisa a última vez que ela fez isso foi quando anunciou que ia se separar do nosso pai que está enfiado em algum lugar do mundo, e essa cara de cu amassado dela olhando para a gente não ajuda, só digo uma coisa aí vem bomba.

Mãe: mais isso é jeito de falar com sua mãe – Ela me olha incrédula

Edward: A maninha tem razão, a última vez que você se sentou com a gente foi para dizer que a senhora estaria se separando do papai! – Ele comentou rindo

Mãe: por que será né!? – Pergunta dando um olhar sugestivo para mim, que desvio o olhar

Edward: Começa não mãe, fala logo o que tem para falar – Disse já sem paciência

Mãe: ok, ok.... eu estou aqui para avisar que nos vamos nos mudar – Olhou para mim depois voltou a olhar para o Edward – Vamos para a Coréia do Sul, Seul para ser mais exata!

- É O QUE???? – Perguntei incrédula – Tinha que ser.... – Dei um sorriso sarcástico

Edward: deixa eu ver se eu entendi tu, você, a senhora, senhorita, vossa excelência vai morar na Coréia do Sul e veio aqui SÓ para nos avisar!? Boa viagem – disse com um sorriso sacana no rosto

Mãe: Não NÓS vamos para a Coréia – fez sinal com a mão indicando todos ali – E vamos ainda hoje

- Ata.... pera ke? – olhei para meu irmão que agora estava estático com a boca aberta em formato de “o”

Mãe: Isso mesmo sairemos daqui meia noite então acons...... – Interrompo a mesma

- Mais nem morta eu não saio daqui nem com reza brava – disse descruzando os braços – Se quer tanto ir que vá a senhora, eu tô bem aqui – disse sem interesse

Edward: Isso é verdade nois ta bem aqui, pode ir se quiser – disse dando de ombros

Mãe: Não vocês não entenderam, ou vão, ou vão, não dei opções! – disse se levantando

- Vai me obrigar agora? – perguntei com um sorriso tosco nos lábios

Mãe: Se pensa assim o problema não é meu – Disse cruzando os braços

- Eu fico – disse convicta

Edward: E eu também – disse ao meu lado já em pé

Mãe: qual é a parte de que vocês não tem escolha, que vocês não ouviu!? – falou nos encarando

- A qual é vai para baixa da égua como quiser, que eu e o Edward ficamos aqui com o que a gente tem -  disse a encarando de volta

Mãe: Se vocês dois não forem eu vou cortar a verba da herança de vocês dois, posso não tocar nela mas, eu ainda mando na mesma, então eu posso mandar eu cortar o pouco de dinheiro que sai dela para vocês sobreviverem – disse em um tom sério

Edward: Calma ai..... – Interrompido

- Ótimo, eu moro debaixo da ponte mais para lá eu não vou – disse e me sentei no sofá

Mãe: Perfeito, me poupa mais tempo – disse pegando sua bolsa para sair

Edward: Mãe, a senhora pelo menos pensou na gente?! – perguntou incrédulo  

Mãe: Pensei em você sim, e deduzi que o melhor lugar para tu é lá – disse e logo se virou para mim – Já você, também seria bom ir por que eles dariam mais do que já ganham aqui, que já é uma boa quantia, mas, se quiser ficar fique para mim não vai fazer diferença, mas com o dinheiro dessa maldita herança você não fica.

- A T A agora vai querer dá uma de santa agora, não passa de uma oportunista por favor Sra. Smith, eu sei que eu sou uma pedra no sapato e que se não fosse por mim o dinheiro estaria livre nas suas mãos – disse me levantando e terminei – Vá até para o inferno com essa herança se quiser, eu me viro aqui, por que se a senhora não sabe tem uma palavra chamada trabalho – disse me levantando para subir para meu quarto

Mãe: Ainda bem que sabe, olha Edward se quiser tenta convencer ela eu tô sem paciência para ficar discutindo com ela – disse indo até a porta

Edward: E quem lhe garante que eu vou mesmo com a senhora?! – encarou ela com um sorriso tosco

Mãe: Ao contrario dela – apontou para mim – Eu posso obrigar você a ir, então com ou sem ela você vai sim – disse abrindo a porta – antes das 23:30 eu venho lhe buscar é bom que tudo esteja pronto – disse e por fim saiu pela porta fechando a mesma

                E cá estou eu, forçada, mas estou, na verdade ta sendo tranquilo, bom para mim vir para cá dei uma condição, eu teria emancipação escolar o que é isso?! Pesquisa tô com preguiça.

Aut.: Eta que a ignorância rola solta néh?!
Bella: Fica quieta aí você também
Aut.: Mais olha a audácia desse embuste... Aish, emancipação escolar é quando você tem poder para cuidar de interesses escolares mesmo sendo de menor. (é eu acabei de inventar)
Bella: Mas eu já sou de maior!
Aut.: A fic é minha o embuste, então para explicar melhor mesmo sendo de maior é a sua mãe que paga, e você com a “emancipação escolar” tem o direito de cuidar da papelada toda sem sua mãe, então juízo.
Bella: Juízo é meu nome do meio ksksk!
Aut.: A T A....



Tá depois com o papo todo ai em cima com a autora, seis entenderam, tanto eu quanto o Edward temos a emancipação escolar.


                                               flashback antes de vir para a coreia off

 

                                               *Quebra de tempo*

            Acordei com um barulho insuportável soando em meus ouvidos, ainda de olhos fechados tateei com a mão em cima do criado mudo e senti uma coisa redonda, que estava vibrando vale falar, e percebi que era dali que vinha o barulho, estranhando tudo aquilo abri meus olhos a contragosto procurando identificar o que diabos insistia em me acordar.

- Mais que filho da puta, eu vou matar ele... – sai da minha cama ainda com o objeto em mãos, que no momento já tinha parado de tocar, e sigo para o quarto do Edward, chegando no mesmo abro a porta com um pouco de força resultado com o mesmo acordando

Edward: O QUE ACONTECEU?? – acorda assustado

Com o objeto em mãos tomo um pouco de força e arremesso na parede a cima da cabeça do mesmo – Da próxima vez faço questão de acertar sua cabeça!

Edward: E lá se vai o meu dinheirinho – fala ignorando minha ameaça

- Pensasse antes de colocar essa porra no meu quarto – falei cruzando os braços

Edward: Mais é só um despertador – disse incrédulo

- O qual você sabe que eu odeio – disse com a mão na maçaneta da porta para mim fechar – Boa noite – disse com um sorriso brincalhão no rosto, logo depois fechando a porta e seguindo para meu quarto

Edward: Nem pense em voltar a dormir vá se arrumar para ir pra escola – escuto o mesmo gritar de dentro do quarto

- Vá se ferrar você também! – grito de volta

 

                Eu amaldiçoo eternamente meu irmão por ter me lembrado disso, agora nem se eu quisesse conseguiria dormir, isso é muito frustrante, cada vez mais minha pergunta faz lógica, para que, que escolas servem além abrigar por algumas horas adolescentes de todo tipo na puberdade e mortos de fome?

                Preguiçosamente entro em meu quarto e me arrasto para o banheiro afim de tomar banho, tomo um banho meio rápido por que sabia que eu ia acabar me atrasando, saio do banheiro e estava pegando uma roupa até que legalzinha até que vejo o uniforme padrão da escola.

- Mais nem a pau que eu visto isso – falei para mim mesma fazendo uma cara de nojo

                Volto a minha atenção para meu guarda e pego uma roupa que me agrade – uma calça jeans preta com alguns rasgados na coxa, uma blusa de malha também preta estilo rock que vai um pouco a baixo da minha cintura  com franja e manga longa e pra completar minha jaqueta de couro de sapato bota cano curto bico fino de camurça com um pequeno detalhe de metal dourado enfeitando o zíper – deixei meu cabelo solto mesmo ( foto de capa detalhe que a cor é a mesma da foto também) não sou de usar maquiagem passo apenas o básico, lápis de olho e rímel – isso mesmo quando eu falo básico é tipo nada mesmo não sou muito fã de batom, vai que a gente encontra um gatinho por ai e necessitamos da uma fugida ;-; - termino de me arrumar e desço para sala e encontro meu irmão jogado no sofá mexendo em alguma coisa no telefone.

- Anda pirralho vamo meter o pé – falo pegando minha bolsa e as chaves da moto e da casa

Edward: falou a adulta – disse fazendo o mesmo que eu – nem vamos preparar alguma coisa para nós comer?! – perguntou fazendo bico

- Rapa fora logo, a gente vai comer na cafeteira aqui perto, tô sem cabeça para poder fazer alguma coisa

Edward: Acordou com um ótimo humor hoje em maninha – disse ele com um sorriso brincalhão no rosto, passando pela porta, logo a fechei trancando a mesma e indo em direção a garagem com o Edward junto comigo

- E aí acha que o ele vai estar lá também?! – pergunto abrindo a garagem

Edward: Provável, ele nunca saiu do seu pé – fala dando um sorriso sarcástico – cata um capacete aí para mim... – disse enquanto eu ia em direção de uma das prateleiras onde guardava os mesmos, peguei um para mim e joguei outro para ele – ei.... vai com calma ai!

- Não enche... – disse mal-humorada - acha mesmo que o pai dele teria coragem de mandar o filho para cá só por minha causa?! – perguntei já sabendo a resposta

Edward: Sem sombra de dúvidas, agora é torcer para não cair na mesma sala que a gente – disse colocando o capacete – falando nisso qual é a nossa sala? – Já ligando a moto

- Deus dai-me paciência, por que se me der força eu mato um – disse colocando o capacete e subindo na moto ligando a mesma – é a sala b-2, a gente vai na cafeteira aqui na esquina – falo dando partida na moto e indo em direção a cafeteira

                O que não demorou muito já que era bem perto, entramos no sentamos em uma mesa e fizemos nossos pedidos o que não demorou muito a chegar, logo nos colocamos a comer á que não poderíamos nos atrasar tanto assim. Terminamos e saímos o Edward foi em direção em sua moto e quando eu estava colocando o capacete alguém fala comigo.

Xxx: E aí Bella que surpresa lhe ver por aqui...! – fala com um tom de ironia

Me viro pra para ver que alma falava comigo, e não é que o Edward estava certo esse infeliz do Jack não se cansa caralho – pensei

- Eu já devia imaginar néh Wesley... – falo com um sorriso sarcástico no rosto – pelo menos ainda tá gostoso néh – me apoio na janela do carro dele, com um sorrisinho torto no rosto

Wesley: Ah é – acenei com a cabeça afirmando, afinal eu não estava mentindo, ele ainda continua gostoso pakas – então será que a gatinha aceita uma carona – disse me encarando

- Não obrigado, alias enfia a carona no cu – disse voltando com minha postura, olhei de relance para o Edward, e ele não estava com a cara muito boa não – por que eu já tenho o meu veículo – disse me sentando na minha moto e já colocando o capacete

Wesley: Educada como sempre – ele resmunga, e olha melhor pela janela – Wou é uma ninja 300 e preta ainda – olhou para moto depois para mim com os olhos brilhando

- Baba não que ela é nova – disse brincando e colocando o capacete, foi aí que ele notou a presença do Edward

Wesley: Eae tio beleza?!! – disse para meu irmão

Edward: Tio é o cu da cachorra – respondeu mal-humorado – e fica longe de mim – completou

Wesley: I rapaz acho que o mal- humor da sua irmã tá te afetando – disse dando risada, recebendo um olhar de desdém do meu irmão – Bom eu fui a gente se vê na escola – piscou para mim

- É a gente se vê – disse fazendo uma cara de nojo, e dei partida na moto – a gente se vê na frente da escola Edward – e dei no pé, quer dizer pisei fundo no acelerador, olhei pelo retrovisor e vi o Edward atrás de mim, volto minha atenção para a rua e sigo caminho

                Não é tão perto, mas eu cheguei até que rápido, (Aut.: também com você quase atropelando os coitados que tenta atravessar a rua e ignorando os sinais de trânsito -_-) já na frente escola eu paro a moto, ainda em cima da mesma retiro meu capacete e espero o Edward que logo para do meu lado e faz o mesmo.

- Iae ta pronto?! – pergunto sarcástica

Edward: Pronto é meu nome do meio – fala com um sorriso de lado

Me viro para o porteiro que estava nos encarando sem entender e falo – O tio libera passagem aí, somos os alunos novos – ele me olha desconfiado, mas logo abre o mesmo dando passagem

                Fomos direto para o estacionamento, estacionamos nossas motos e adentramos no local deixando nossos capacetes no guarda volume, não vou mentir a escola era grande bem limpa e cheia de frescura, se não tivesse placas com certeza ficaria difícil de encontrar nossa sala, o lugar tinha três andares e a nossa sala ficava no ultimo andar, sem mais delongas subimos até lá e procuramos nossa sala o que não foi difícil também por que em cima da mesma tinha uma placa de todo tamanho anunciando “SALA B-2”, logo parei e o Edward já ia passando reto.

- Encontrei.... – Falo segurando o braço na para que ele parasse de andar

Edward: E lá vamos nós – fala e sem demora bate na porta, logo uma pessoa cujo acho ser o professor abre a porta

Xxx: E vocês são?! – pergunta sério nos encarando

Edward: Nós somos os alunos novos e você?! – perguntou sorrindo simpático, só digo uma coisa coitado do professor

Lay: Assim, eu sou o professor Lay, entrem! – ele deu espaço para que nós entrássemos, e fizemos assim que entramos todos os olhares da sala caíram sobre nós, logo o professar fala – Pessoal esses aqui são os novos alunos se apresentem para a turma... – disse se direcionando para nós

- Pera.... ke? – o olhei confusa, até que me lembrei que na Coréia era assim – Ata.... é... não é necessário saber meu nome – falo indiferente recebendo uma cotovelada do Edward e um olhar de reprovação do professor, quando eu ia voltar a falar alguém me interrompe

Xxx: Bella?!! Jesus a minha salvação está aqui eu não acredito – passo o olho pela sala a procura da pessoa que estava falando e não acredito

- Willyam!! Mentira.... – Falo sorrindo, olho para o lado dele e vejo outra pessoa – Julia você também – abro mais ainda meu sorriso, Willyam e Julia, meu melhor amigo colorido e minha melhor amiga, os dois são irmãos também são do Brasil, estudamos juntos desde o jardim de infância até o segundo ano do ensino médio, então os pais deles se mudaram para cá os arrastando juntos, acabamos perdendo contato agora estou revendo eles de novo meu dia já melhorou... Logo o professor Lay fala novamente

Lay: bom então se não se apresentar, pelo menos venha com o uniforme da escola vou deixar passar por que é seu primeiro dia de aula, então sentem-se por favor

- Quem se importa – falo em português o deixando confuso, logo vejo o Willyam mostrando duas carteiras, uma atrás dele e outra atrás da Julia, e que eram as últimas também, um lugar era no canto atrás do Willyam o que era perfeito para mim, logo tratei de ir até o local e me sentar, quer dizer me jogar de qualquer jeito, não sem antes abraçar meus dois antigos amigo

Lay: o que a senhorita disse? – perguntou se direcionando a mim

- Nada – disse com um sorriso no canto dos lábios

                Depois disso o professor se deu por vencido e voltou a dar sua aula, que por incrível que pareça na minha opinião era bem atrasada pois eu já sabia o conteúdo todo, e parece que o Willyam também por que ele se virou de lado e ficou conversando comigo colocando o papo em dia, claro que estávamos falando baixo para não atrapalhar o professor, do nada uma bolinha de papel é arremessada na direção do Willyam, que se não fosse por mim ter segurado ela antes de chegar ia acertar em cheio em seu rosto, viro o rosto lentamente para encarar que individuo fez isso, encontro um garoto com um sorriso que eu julgo ser irônico demais para o meu gosto, volto minha atenção para a bolinha de papel amassada em minhas mãos, lanço um olhar em direção ao Willyam que até o momento parecia estático, mas logo volta a vida tentando pegar a bolinha que eu não deixava, estranhando demais isso.

- O que, que foi Willyam é só uma bolinha de papel – falo colocando-a longe do mesmo

Willyam: Bella me dá essa bolinha, por isso mesmo não tem nada de mais! – falou se esticando mais ainda para tentar pegar

- Tá, tá queta o cu aí e me deixa ver AGORA – elevo minha voz na última palavra só que não tão alto para não chamar a atenção do professor, no mesmo momento ele para e eu volto com a bolinha a minha frente desamassando a mesma

Que direito ele tem de fazer isso em.... esse jegue paraguaio exportado da china de descendência coreana – pensei, na bolinha estava escrito:

                *Encontro mais uma vadia igual a sua irmã? É bom se afastar por que se não quem vai sofrer além dela é você......*


Notas Finais


espero que tenham gostado qualquer coisa estou aberta a sugestões, tchau........... até o próximo capitulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...