1. Spirit Fanfics >
  2. Irresistible 2 - Depois da Mudança >
  3. Capitulo Treze: Tentativas

História Irresistible 2 - Depois da Mudança - Capítulo 14


Escrita por: ThatBitchAlice

Notas do Autor


Oi minhas lindas(o), tudo bem com vocês?
Bom, estou trazendo um capítulo novinho para vocês e esperando com todo meu coração que gostem! Comentem muito, isso me faz ficar animada com a história e continuar escrevendo!!
Sério, comentem! Faz bem e Deus gosta!!!

*Ah, mais uma coisinha!! Se vocês puderem por favor, compartilhem a história, para ter cada vez mais pessoas lendo e acompanhando essa casal que a gente ama!
Enfim, sem mais enrolações, vamos lá!

Capítulo 14 - Capitulo Treze: Tentativas


Fanfic / Fanfiction Irresistible 2 - Depois da Mudança - Capítulo 14 - Capitulo Treze: Tentativas

"Falta paciência e sobra personalidade
Quando um vai falar, o outro não sabe escutar
Essa hora o sangue ferve e o controle a gente perde
Um joga a culpa no outro e terminamos de novo
Não tem amor que aguenta isso, não tem
A gente tá fazendo mais mal do que bem
Acho que eu não dou certo com ninguém
Desse problema cê sofre também" - Marilia Mendonça

Nova York, NY

14/02/2021

16:23

POV DAMON SALVATORE

Minhas mãos estão suando, e posso sentir meu coração acelerado em meu peito, me mostrando que ainda não me recuperei do choque de pegar Elena sangrando enquanto ela gritava desesperadamente sobre o fato de estar perdendo nossa filha.

Ela está deitada, na maca, enquanto toma soro. Seus lábios estão quase tão brancos quanto seu rosto e ela não parece nenhum pouco com a Elena energizada de todos os dias, eu a olho agora e não consigo visualizar a mulher saudável que anda para cima e para baixo o dia inteiro. Minha mão está pousada no braço da maca, eu estou a observando, ela e a Isabel, que pelo que entendi, ainda está presente no útero de minha ex namorada, viva.

Chegamos aproximadamente uma hora atrás, o que foi o tempo suficiente para a médica de plantão mandar Elena para fazer alguns exames, me deixando sozinho e agoniado na sala de espera, também foi tempo o suficiente para estancar o sangramento, mas ainda não sei o motivo deste. O que ainda me deixa nervoso e ansioso.

- Tenho resultados - ouço a voz da médica e paro de olhar para Elena, me virando para a porta e encontrando os cabelos ruivos e os olhos azuis de Addison Montgomery, a médica de plantão, que por um acaso está acompanhando a gravidez de Elena desde quando ela descobriu. - É grave - murmura e já me preparo para as piores notícias do mundo - Elena está com um descolamento da placenta - diz e sinto minhas pernas tremerem. - Foi o que causou o sangramento, e as dores abdominais - explica. Engulo em seco.

- O que causa isso? - questiono, cruzando meus braços, quero saber o que pode afetar na gestação de minha filha. Na verdade, na filha que eu senti que era minha, mas não a pressionei o suficiente.

- Estamos investigando, na verdade, na maioria das vezes é causado por hipertensão, idade materna avançada, o que não é uma opção, Elena é jovem, inflamação das membranas que envolvem o bebê devido a uma infecção bacteriana, gestações de gêmeos, diabetes melito, tabagismo, alcoolismo e uso de drogas - vai listando e nada me parece a motivação do sangramento. Addison suspira e então olha para a mulher na cama - Estresse - murmura e rio irônico.

- Essa mulher toma estresse no café da manhã, nunca vi alguém gostar tanto de passar nervoso - digo, irritado com Elena. Irritado por ela passar por situações estressantes estando grávida, irritada por estar internado, irritado por não poder gritar com ela, irritado, porque ela mentiu. Ela não deveria mentir, não para mim e não sobre isso.

- Ela está acordando - a ruiva informa, se afastando de mim e chegando perto de Elena, que começa a abrir os olhos e tenta se levantar - Se mantenha deitada querida - pede, empurrando levemente Elena para trás, que corre os olhos pela sala e me acha. Mas não consigo segurar seu olhar por muito tempo, então pigarreio e pego meu celular do bolso.

- Vou chamar Katherine para vir aqui - falo simples, saindo do quarto de hospital. Liguei para Katherine a algum tempo atrás, quando Elena estava dentro da sala de exames, então eu apenas arrumei uma desculpa para sair do mesmo ambiente que ela.

Chego no corredor da sala de espera, e no mesmo segundo Katherine e Jeremyh se colocam de pé, prontos para me fazer todo o tipo de pergunta que der na telha.

- Ela está bem? - Jeremyh questiona primeiro, quase correndo em minha direção.

- Não - sou sincero, soltando um suspiro - A doutora Montgomery estancou o sangramento, provocado por um descolamento de placenta - explico, vendo os olhos de ambos se arregalarem. - Podem ir vê-las, um de cada vez, como a médica disse. - aviso.

- Pode ir primeiro - Katherine fala para Jeremyh. Ele nem mesmo faz menção de negar, apenas passa por mim direto, entrando para ver a irmã acamada. A morena a minha frente me olha interrogativa.

- O que foi? - questiono, ficando levemente incomodado.

- O que você fez para Elena que a fez esconder que era o pai da menina? - a pergunta me pega de surpresa, e preciso fazer esforço para não fazer uma careta mal educada. - Conheço minha irmã bem o suficiente para saber que ela não mentiria assim, não sobre isso. - a mulher continua e solto uma risada em escárnio.

- Perdão Katherine, mas não acho que conheça sua irmã tão bem assim - rebato, vendo que ela cruza os braços e levanta o nariz, exatamente o que Elena faz quando está decidida a vencer a discussão - Elena sabia muito bem que o sonho da minha vida era ter um bebê, que eu jamais negaria uma criança, ainda mais vindo dela. Katherine, se sua irmã pisasse na minha cabeça eu agradeceria - continuo, vendo como ela vai perdendo a pose, diferente de Elena, Katherine parece tentar enxergar que está errada. - Não sei porque ela não me contou, e talvez eu nem queria saber. - murmuro.

- Desgraçado - ouço Katherine sussurrar, de alguma forma sei que ela não está falando de mim. Da suspira pesadamente e levantada os olhos novamente - Ela vai ficar bem? - pergunta, mudando de assunto repentinamente, e como Elena, sei que isso significa que não tocaremos mais no assunto anterior.

- Não sei, sai do quarto antes da médica falar alguma coisa sobre isso - admito. - Não consigo ficar no mesmo quarto, estou com raiva, posso acabar fazendo merda - confesso, me direcionando para as cadeiras da sala de espera, ouvindo os saltos de Katherine me seguindo. - Por que ela não me contou? Não consigo entender, ela sabia que o meu sonho era ter filhos, os nossos conflitos mais sérios se baseavam nisso, foi por isso que terminamos Katherine. - desabafo - Ela não queria, eu sim, Elena não podia ter escondido isso de mim. - continuo falando, enquanto minha ex cunhada, se senta ao meu lado e suspira, parecendo pensar no que vai me dizer agora.

- Eu nunca vou entender o que se passa na cabecinha de vento de Elena - começa, chamando minha atenção para o seu rosto, e a vejo de braços cruzados - Mas posso te garantir Damon, eu não acho que minha irmã esconderia isso. Acho que ela foi manipulada, muito bem manipulada.

- Isso não justifica - rebato.

- Pelo amor de Deus! Tente entende-la - pede, e entendo que não tenho chance, Katherine já escolheu um lado, e se for igual a irmã, vai defender com unhas e dentes - Ela estava sozinha, com medo, lidando com uma coisa que ela não queria, que não estava nos planos dela, tinha acabado de ser traída. Se quer saber, eu também não te contaria - afirma.

- O que?! - pergunto, indignado com sua frase - Ficou louca?

- Damon, você a traiu - argumenta e meu sangue ferve em minhas veias.

- Nós não estávamos juntos! - respondo, aumentando meu tom de voz, o que chama atenção de algumas pessoas - Por que eu tenho que ser o culpado dela não ter me contado? Por que Katherine? Por que eu estou errado? - questiono, fazendo a mesma morder o lábio nervosa.

- Você não está errado - murmura - Só quero que entenda o porquê dela ter feito isso Damon. - explica e franzo o cenho.

- Por que? - pergunto.

-Porque Elena merece alguém como você - me diz e travo o maxilar, olhando para frente - Que a ame, que a proteja, que...

- Seja um idiota apaixonado por ela - resmungo, e ouço a risada fraca de Katherine.

- Isso, ela merece alguém que seja um idiota apaixonado por ela - repete - E você também merece, tudo isso. Merece uma idiota apaixonada, e se quer saber, é isso que Elena é. - constata e a olho intrigado - Uma idiota apaixonada. - garante, me fazendo revirar os olhos - É verdade. Elena é uma idiota por você, mas estava com medo, e confusa, e foi o que a motivou a fazer essa burrada. O medo, ela só estava com medo - murmura.

Durante os próximos minutos, ficamos em completo silêncio, com a tensão e a última frase de Katherine no ar. Mas para mim, nada justifica.

Elena podia estar com medo, podia estar se sentindo traída, e podia até mesmo me odiar naqueles dias, mas ela não tinha o direito de mentir para mim. Lhe perguntei por diversas vezes se Isabel era minha ou não, e ela mentiu, em todas elas, em todos aqueles momentos, ela mentiu para mim. E isso me irrita, me choca, me frustra, e me magoa.

Por diversas vezes ela me acusou de não confiar nela, me disse que depois de tantos meses ao seu lado, eu ainda não a conhecia, mas parece, que quem não me conhece é ela, pois se me conhecesse, saberia que eu nem mesmo discutiria - ou desconfiaria - se o filho era meu ou não.

Jeremyh volta, com os braços cruzados e a expressão fechada, e diz a Katherine que ela pode entrar, o que a morena faz, sem nem mesmo piscar. O outro, se senta ao meu lado e suspira, antes de começar a conversar comigo.

- Estresse - começa e o olho - Ela teve o descolamento na placenta por conta de estresse, quase perdeu minha sobrinha, e sua filha, por puro estresse - constata, e continuo olhando, tentando entender onde ele quer chegar com isso. - Nós dois sabemos que ela não pode continuar nisso, nessa onda de estresse diário, então, enquanto estamos aqui, por que não pensamos em uma solução para isso? - pergunta.

- O que a médica disse? - pergunto, entrando na onda de Jeremyh, porque sei que se eu vou ter que ficar aqui, pensar em uma solução para ajudar Elena a colocar minha filha no mundo é a melhor coisa que posso fazer.

- Ela disse que se Elena continuar assim, ela vai ter outro sangramento, e vai ser tão grave que pode causar uma cesária de emergência, e a última coisa que ela quer, Isabel ainda não está totalmente pronta, é muito pequena - Jeremyh argumenta - A solução é...

- Repouso - completo, e ele concorda com a cabeça. Suspiro irritado, sei que a última coisa que Elena quer fazer agora, é descansar, sua empresa está crescendo, se tornando algo sólido, ela não vai querer deixar isso de lado nem que a paguem. - Eu tenho uma ideia

...

POV ELENA GILBERT.

Addison repete tudo o que falou para Jeremyh, explicando para a minha irmã a causa do meu sangramento, e continuo tendo a mesma sensação que tive quando Jeremyh escutou, medo. Estou com medo, estou angustiada, e extremamente preocupada, não posso perder Isabel, já cheguei até aqui, não posso de maneira alguma deixar ela assim.

Fico pensando em maneiras diferentes de resolver esse problema, mas não consigo achar nenhuma solução para sem ter que parar de trabalhar, não consigo ver nenhuma saída que não seja esperar mais um pouco para lançar a minha marca com Caroline, e isso me apavora. Tudo me deixa extremamente apavorada, a situação, a empresa, o sangue, Damon... Estou incrivelmente assustada.

- Posso entrar? - ouço a voz de Damon e levanto a cabeça, vendo ele e Jeremyh juntos, o que tecnicamente não poderia acontecer, mas pela cara de Addison, sei que ela vai permitir e fazer vista grossa para o fato de que três pessoas vieram ficar comigo.

- Claro, eu já estou de saída de qualquer jeito - a médica diz, o que me faz sorrir brevemente, agradecida por isso. Addison sai, e meus irmãos e Damon ficam na sala, provocando um clima horrível dentro da sala, todos estão tensos, Damon está nervoso, Katherine apreensiva e Jeremyh me parece muito preocupado. E não posso culpá-los por esses sentimentos, pois estou sentindo todos eles ao mesmo tempo.

- Precisamos resolver como vamos distribuir essa sua carga de estresse, Elena - Damon começa, colocando os cotovelos no apoio da maca - Chegamos em um ponto em que a sua rotina estressante e maluca, não está fazendo só mão a você, está refletindo em Isabel agora. Então acho que precisamos conversar, e entrar em um acordo sobre o que vamos fazer - afirma. Respiro fundo, e apenas concordo com a cabeça.

- Eu e Damon, estavamos pensando em uma coisa, e achamos o mais viável, chegamos até a ligar para o seu noivo, que disse que está a caminho, para discutir tudo o que está acontecendo, e chegamos a um acordo - Jeremyh explica e franzo o cenho. Desde quando eles tomam decisões por mim?

- Perdão? Quem autorizou vocês, a conversarem entre si e decidirem as coisas por mim mesmo? - pergunto, quase dando risada.

- Nós - Damon rebate e levanta uma sobrancelha, vendo em seus olhos o ódio que ele está sentindo, a mágoa. E novamente, não posso julgá-lo por isso, eu menti, estou errada.

- O que decidiram? - pergunto, decidindo não discutir com eles.

- Sabemos que está cheia de coisas para fazer, sessões de foto para comparecer, vídeos de produtos para fazer e publicar, sabemos que agora você está lidando com a empresa, a sua marca no caso. Mas conversando, nós estendemos que você precisa sair de alguma coisa, está sobrecarregada e estressada o tempo todo, e isso é tudo que você não pode ficar no momento - Jeremyh vai falando e engulo em seco, apenas concordando com a cabeça. - Também sabemos que ama o que você faz, mas até o final da gravidez, você vai parar com suas sessões de foto, e com as publicidades, pelo menos por enquanto - afirma e fico nervosa, concordando com a cabeça, mesmo assim, não quero discutir agora.

- E quanto a sua marca - Damon agora fala, me fazendo virar a cabeça em sua direção - Você também vai parar de administrá-la até o final da sua gravidez. Eu vou assumi-lá para você.

- O que?! -pergunto, sentindo as lágrimas chegarem em meus olhos - Não, você não vai fazer nada! - garanto, e Damon suspira - Vocês disseram que eu teria que abrir mão de apenas uma coisa. E agradeçam que eu ainda estou levando numa boa essa decisão de vocês, mas como disseram, apenas uma coisa, e a minha marca não vai ser essa coisa. Eu vou continuar na minha empresa normalmente, e não há ninguém no mundo que vá me tirar isso. - afirmo e agora Damon levanta uma sobrancelha e estala a língua.

- Você não tem escolha - rebate e espremo os olhos em sua direção.

- Quem disse? Você? - debocho e o vejo bufar.

- Caroline disse - Jeremyh responde por ele e fico confusa - Sabíamos que você seria resistente quanto a empresa, por isso, ligamos para Caroline. E ela concorda com a gente, por isso... - fala, vindo até mim, com a mão em minha perna, parecendo querer me dar algum conforto para suas próximas palavras - Caroline afirmou, que se você não cooperar com a gente, deixar Damon lidar com a empresa e com os assuntos burocráticos da mesma até o final da gravidez, ela não vai mais participar, vai sair da marca por completo, e se você resolver usar as coisas dela, ela vai te processar.

- Ela fez o que? - questiono, sentindo minha garganta fechando, meu estômago se revirando e minha boca ficando completamente seca.

- Se você continuar na empresa, Caroline sai do projeto, e você não vai ter sua designer. - Damon repete e engulo em seco, me sentindo derrotada.

- Posso conversar com Damon? - questiono - A sós, por favor - peço. Meus irmãos se entreolham e o moreno bufa nervoso.  Meu irmão é extremista para cacete, não posso contar com ele, mas Damon, por mais decepcionado e magoado que esteja comigo, ainda vai me ouvir, ainda posso ter uma chance, pelo menos é o que eu espero. Katherine e Jeremyh dão uma última olhada em Damon, que apenas concorda com a cabeça, ainda com a cara fechada, uma expressão fria, que poderia facilmente me cortar em mil pedaços de fosse possível. Depois que minha família sai do quarto, o homem de braços cruzados fica apenas me olhando, esperando o que eu tenho para falar, então engulo em seco novamente, tomando coragem para conversar com ele. - Não faz isso comigo - começo, mas a expressão dele não muda, continua frio como uma pedra de gelo - Por favor, não deixe que eles tirem isso de mim Damon. Por favor - posso descer dessa maca agora, me ajoelhar e implorar para que ele me ajude, sem problema algum - É o meu sonho - murmuro, segurando as lágrimas que alcançam meus olhos. Ele continua impassível, e apenas respira fundo antes de começar a falar.

- Você teve um sangramento - diz, a voz mais grossa e gelada do que eu esperava, esse não é o meu Damon - Causado por estresse, você não para, Elena. - argumenta - Eu e Jeremyh só estamos tentando proteger Isabel.

- Protege-la de quem? De mim? - rebato, tentando não descontrolar e começar a chorar - Eu entendo a gravidade da situação, vi o sangue, mais do qualquer um eu entrei em completo choque, mais do qualquer um, eu senti o desespero de pensar que eu estava perdendo minha filha. - continuo, sendo completamente sincera, eu senti o medo, o desespero, o choque, eu senti tudo, em uma intensidade muito grande - Eu entendo tudo isso, e vou desacelerar, o máximo que eu conseguir. Mas por favor, não deixe que tirem de mim a coisa que eu mais quero no mundo - peço, sentindo meu lábio tremer, enquanto meus olhos se enchem cada vez mais.

- Não estamos tirando nada de você, vou cuidar da empresa até que Isabel nasça, depois pode fazer o que quiser com ela - ele diz, dando de ombros, e não me aguento.

- Não! Eu não quero que assume a empresa por mim - estouro, mas ele não parece afetado, continua com a expressão gélida - Damon, a vida inteira eu sempre estive atrás de alguém. Quando adolescente, quando eu fiz algo que interessava como a marcha das vadias, meu levou todo o crédito, depois, quando resolvi vir para cá, não foi porque eu quis, foi pela influencia de Jeremyh, pois ele tinha feito intercâmbio, entrei na Dreamscape, conquistei a porra de um cargo importante, e continuei na sua sombra, como a garota que teve sorte, que deu para o chefe para conseguir alguma coisa! Nada foi mérito meu, nunca! Nunca foi mérito meu, e agora... - suspiro - Agora é palpável, agora é meu, agora estou criando uma coisa minha, sem a sombra de ninguém, com meu nome estampado nos outdoors, é meu Damon! Meu! - digo, e nem me dou mais ao trabalho de segurar minhas lágrimas, deixo que elas rolem por meu rosto - Quando você assumir essa parte, quando começar a cuidar da empresa por mim, mesmo que só por um mês e meio ou dois, já vai ser o suficiente, para não ser meu - sussurro, rezando para que sua expressão não seja condizente com o que está acontecendo em sua cabeça, rezando para que ele esteja me ouvindo - E novamente, vou ser a garota que teve sorte, não a que estudou, que batalhou, que construiu, só a garota de sorte, que deu para um dos maiores empresários dos Estados Unidos e se deu bem por isso. De novo, vou perder o meu mérito, de novo - termino, secando as lágrimas que molham meu rosto inteiro. - Era por isso, que eu não queria crianças, elas exigem tempo, cuidado, dedicação, elas exigem que eu deixe meu trabalho por elas, exigem que eu desista do meu sonho, desista de mim, para cuidar delas, para que elas possam construir os próprios sonhos. - murmuro, fungando.

- Mesmo grávida você continua priorizando seu trabalho, priorizando tudo menos a pessoa que está na porra do seu útero - Damon resmunga, parecendo decepcionado.

- Não se trata disso! Se trata de mim! Estou priorizando a mim! - falo, alto o bastante para parecer um grito. - Eu amo Isabel, pode acreditar, ela se tornou minha prioridade, mas esse é a porra do meu sonho! - argumento - Isabel é minha prioridade, ela importa, até mais que a minha marca. Mas ela está bem, e se eu diminuir o restante das coisas, se eu parar por completo e apenas me concentrar na empresa, ela vai ficar bem, vou descansar o necessário, vou continuar tomando minhas vitaminas. - continuo argumento, vendo que ele não se abala, não parece nenhum pouco comovido - Vocês disseram que preciso desacelerar, Addison disse que preciso desacelerar, e eu vou. Eu juro que vou, mas ninguém falou que eu preciso parar por completo, então por favor, me deixe, ao menos, cuidar do meu sonho. É a coisa que eu sempre quis, que eu sempre batalhei - argumento, me sentindo mais fraca a cada palavra, mais derrotada. Ele respira fundo, e vejo o maxilar travando.

- Como você se sente? - questiona, e franzo o cenho, achando que ele só ignorou tudo que eu falei, suspiro.

- Estou... - ele me corta.

- Com alguém te afastando daquilo que mais quer no mundo? - engulo em seco. - Daquilo que sempre quis? Tão perto, mas tão longe - a pergunta soa ácida, e consigo sentir a magoa por trás delas, consigo sentir, consigo ver o ódio, e o significado por trás de tudo.

Pelos próximos minutos que se passam, que mais parecem horas, fico em completo silencio, apenas sentindo o olhar gélido do homem e mais lágrimas molhando meu rosto. Sinto o aperto em meu peito, e meu coração disparando, me mostrando o começo da crise de ansiedade que começa a me abraçar diante do momento.

- Me perdoa - murmuro. Damon estala a língua e nega com a cabeça.

- Vou cumprir com todos os meus deveres de pai para com Isabel. - afirma - Mas não espere que eu vá conversar com você, em nenhum momento. Te quero longe de mim, Elena, o mais afastada possível - a frase me corta, profundamente. - Se minha filha precisar de alguma coisa, avise Katherine, não vou atender nenhuma ligação sua - garante - Passar bem. - termina, me dando as costas e saindo do meu quarto, enquanto eu só faço o que me resta: choro, um choro pesado e dolorido, com lágrimas grossas, mas é o que eu preciso agora, só preciso chorar, tentar esvaziar ao máximo a dor que sinto em meu peito.

...


Notas Finais


Deixe sua opinião do que você acha que vai acontecer! Ou do que você quer que aconteça, quero muito ver o que você está esperando da história!!
Muito obrigada pela leitura, até o próximo!!

Ei psiu! Quer falar comigo, me xingar, me elogiar, fazer uma amizade sincera e afins? HAHHA. Me chama no insta! Eu desinstalo o meu Wattpad durante semana, não vejo nenhuma notificação! Então para falar comigo, me ajudar a decidir coisinhas relacionadas a Irresistible e minhas outras histórias, ficar ligada em tudo que eu estou planejando, receber as diquinhas maneiras para a sua historia, me segue no insta: @salvatorehastings__! Estou com um projetinho bem bacana para minhas leitoras, e amigas das minhas leitoras lindas! Espero que vocês gostem de tudo que estou bolando, me segue lá! 🤗⚡️✨🦋❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...