1. Spirit Fanfics >
  2. Irresistível >
  3. Capítulo 12 - Bônus.

História Irresistível - Capítulo 12


Escrita por: Xhaos

Capítulo 12 - Capítulo 12 - Bônus.


Fanfic / Fanfiction Irresistível - Capítulo 12 - Capítulo 12 - Bônus.

Dois meses depois…



Dois meses tinham se passado desde que pediu Lucy em casamento, então poderia estar mais feliz. Até mesmo Igneel estava de volta, embora não ficasse mais em casa, alegando que eles precisavam de privacidade. Mesmo que Lucy insistisse todas as vezes que o via, para voltar para casa. Depois de tudo que aconteceu com Gajeel, sua audiência no mês anterior o condenou a seis anos de prisão sem fiança ou condicional, e dois anos de serviços comunitários. Ainda sentia raiva por não conseguir fazê-lo, pagar mais como deveria. Lucy ainda dizia que não valia a pena perder a cabeça com ele, e desde que ele não se aproximasse, gostaria de viver sua nova vida da melhor forma possível. 


— Aí está você. — A voz de Wendy lhe chamou atenção. Sua irmã caminhava em direção a Lucy que estava do outro lado do salão. — Eu amei o livro de Apollo, chorei tanto quando Elise o deixou, todo aquele desastre aconteceu, e ele foi atrás dela pronto para renunciar sua divindade, e viver como mortal com ela. O amor dele por ela superou até mesmo Zeus. 


Lucy havia terminado o livro a algumas semanas, e em menos de vinte e quatro horas, já estavam praticamente esgotados. Agora ela mal tinha dias de folga com tantos eventos com os fãs, e lidar com Wendy, Miliana, vovó Hana e Erza, não era uma tarefa fácil. Contudo, estava contente por estar vê-la sorrir, principalmente após conhecer o pai de Lucy, e perceber que não passava de um velho ranzinza, que ainda não era capaz de ver o quão incrível era sua filha, porém, prometeram comparecer ao casamento que deveria acontecer alguns meses a frente. 


— É um homem de sorte, meu filho. — Ouviu Igneel dizer ao seu lado, segurando uma taça de vinho. — As a ama, e ela te ama. Posso dizer isso apenas por olhar vocês em poucos minutos. 


— Eu também a amo muito. — Disse tilintando sua taça a dele. — Farei o possível e o impossível para mantê-la feliz ao meu lado. 


— Continue amando, e estará no caminho certo. — Ele assentiu e voltaram a olhar o grupo de mulheres não muito longe dali. 


— Ah. Quase esqueci, um amigo quer falar com você. — Ela sorriu. — Ele quer roteirizar um filme sobre mitologia grega. Mostrei a ele seus livros, e ele disse que gosta da sua forma de escrever e de reinventar os Deuses, fugir do tradicional. 


A loira estava tão feliz que não pode não sorrir ao ver sua animação. 


Naquela noite, finalmente iria oficializar o noivado, embora todos já soubessem. 


— Não entendo porque temos que fazer isso. Todos já sabem que vamos nos casar. — Natsu disse sentado à mesa. 


— Você tem que fazer as coisas direito. Ou não terão sorte. — Disse vovó Hana. 


— Minha cunhada merece isso e muito mais, só por ter que te aguentar. — Wendy disse e todos riram. 


— Engraçadinha. — Murmurou e se levantou, dando algumas batidinhas na taça com o garfo, chamando atenção de todos. 


— Aí vem. — Milliana disse rindo.


— Força garotão. — Igneel disse alto. 


— Você consegue Natsu — Erza ergueu a taça como incentivo. 


— Após dez que ele vai esquecer e travar no meio. — O homem que Lucy reconhecia como o advogado da última vez, disse. 


— Eu pago. — A ruiva concordou. 


— Eu dobro. — Igneel se juntou a eles. 


— Se ele esquecer o que vai dizer. Quero um carro novo. — Wendy se virou a Igneel. — Já que vou passar algum tempo aqui. 


— Fechado. 


— Vocês querem que faça isso certo ou fracasse de uma vez? — Disse segurando a taça tão forte, que todos conseguem ver sua mão tremendo e o rubor de irritação em sua testa. 


— Sei que fará tudo certo. — Ouviu Lucy dizer, e ao cruzar seu olhar com o dela, sorriu se acalmando. 


Natsu observou todos na mesa, que agora sorriam orgulhosos por vê-lo ali. 


— Agradeço a todos por fazerem por comparecerem essa noite. Sei que muitas vezes eu disse que relacionamentos não eram para mim, e não pretendia me envolver com alguém tão cedo. 


— Nós sabemos. — disseram em conjunto. 


— Continuando. Posso dizer que estou tão surpreso quanto vocês, se me perguntassem como tudo aconteceu, não saberia explicar, mas posso dizer que faria tudo de novo. Conhecer a mulher que hoje senta ao meu lado, posso dizer que me mudou por completo, ela entrou me prendeu de uma forma que penso que me soltar é impossível, então não lutei contra, pelo contrário, foi mais difícil fazê-la entender isso do que eu, e olha que sou. 


Ele fez um gesto vago que fez todos rirem. 


— Mas não me importo, poderia ter levado semanas, meses, anos ou tempo que fosse, eu esperaria. Não porque prometi, mas porque não saberia viver sem ela, muito menos seria capaz de me envolver com outra pessoa. Todas as manhãs quando acordo, é ela quem eu vejo, e quando durmo, é a última a ter minha total atenção. Sei que passamos por muita coisa, mesmo em pouco tempo. — Disse agora olhando para Lucy. — Mas obrigado. Você costumava dizer isso, mas irei tomar o seu lugar hoje. Obrigado, por confiar em mim, e entrar naquele carro. 


Os olhos de Lucy estavam marejados, e ela sorria com a cabeça inclinada para o lado. 


— Se eu não entrasse..você me jogaria no porta-malas. — Ela riu meiga. 


— Com certeza eu faria isso, principalmente se isso também nos trouxesse aqui hoje. — Ele segurou sua mão, a fazendo se levantar. — Como minha querida irmã disse, você merece tudo, e eu farei o impossível para lhe dar, mesmo que eu precise mover montanhas ou abrir a água do mar, eu farei isso por você. 


Se colocou de joelhos, e então tirou uma caixinha vermelha de dentro do bolso. Já tinha lhe dado um anel, mas não importava, daria quantos fossem necessários. 


— Lucy Heartfilia, aceita se casar comigo? 


Ele abriu a caixa, e dentro havia um pequeno e delicado anel, prateado com duas pedrinhas vermelhas que Lucy julgou serem rubis, e no centro, o que parecia ser um diamante. Suas lágrimas tomavam conta de seu rosto, já que não era capaz de as controlar. 


— Eu… — Disse limpando o rosto. — ..preciso te contar uma coisa antes.


Os olhos brilhantes de Natsu, mudaram para preocupados como se tivesse ido de água para o vinho. 


— Querida? 


— Vinte, e vai levar um fora. — O homem sentado ao lado de Igneel, a quem Natsu tinha apresentado mais cedo como amigo. Gray Fullbuster, que era dono de um vinhedo em outra cidade. Levantou a taça. 


— Quarenta, e eu ajudo já separação de bens. — Jellal confirmou. 


— Se não calarem a boca, vão perder os dentes. — Natsu os encarou de lado, praticamente gritando.


— Calei. — Jellal riu, mas Erza o acertou um soco no braço, fazendo passar a mão no local. — Aí..


— Não tá mais aqui quem falou. — Gray viu a taça de vinho, os quais fez questão de fornecer ao jantar e a todo casamento.


— Você está bem? Se quiser podemos adiar. — Natsu voltou sua atenção à loira em sua frente. 


Ela balançou a cabeça.


— Não é isso. — Ela sorriu levando a mão dele até sua barriga. — Porque não pergunta ao nosso bebê, se ele concorda? 


Os olhos de Natsu se arregalaram. Sua boca estava aberta, mas não conseguia falar. Tudo que conseguia fazer ela olhar para a barriga, e depois voltar seus olhos a ela, como se pergunta-se: Eu vou ser pai?. E ela assentiu concordando. 


— Eu vou ser pai. Meu Deus!— Ele se levantou tão rápido que Lucy se desequilibrou com o susto, mas Natsu a puxou para seus braços a beijando carinhosamente, e logo se voltou para a barriga dela. — Eu..ah.. eu..


— Você vai ser papai, Natsu. — Lucy disse se deixando levar pelas lágrimas de novo.  


— Eu, nossa. Eu te amo. — Disse a beijando de novo, e logo voltou a encarar sua barriga pela segunda vez. — Eu te amo também. Prometo ser um bom pai. Você e a mamãe são os mais preciosos do mundo pra mim, nada vai acontecer com vocês. Eu prometo. 


Todos na mesa bateram palmas, sorriram enquanto comemoravam.


— Bom, já que teremos uma criança. Claramente, eu sei a madrinha. — Erza disse erguendo sua taça. 


— Ei, eu quero ser a madrinha também! — Milliana encarou a ruiva.


— Você? Não. Nem pensar, faz sentido Erza e eu sermos o padrinho e madrinha, somos um casal. — Jellal tomou a frente. 


— Sem chance, o melhor amigo do noivo deve ser o padrinho. — Disse Gray. 


— Você? Menos Gray, ela nem sabia da sua existência até algumas horas. — Jellal bateu na mesa. — Erza e eu somos a melhor opção. 


— Não, eu sou madrinha. — Continuou Milliana.


— É...eu também gostaria de ser- Wendy levantou a mão. 


— VOCÊ JÁ É A TIA! — Todos disseram juntos.


— Certo… 


— Eu serei o padrinho! — Gray levantou. 


— Eu serei! — Jellal se levantou também. 


A confusão tomou conta da mesa, enquanto Natsu e Lucy se olhavam e riam.


— Talvez eu devesse ter esperado ficarmos sozinhos para contar. — Disse sem graça, enquanto olhava a briga. 


— Deixe que se resolvam. — Natsu se virou para frente de Lucy. — Não respondeu meu pedido. 


Ela balançou a cabeça sorrindo, enquanto olhava o brilho nos olhos dele. Por um momento se culpou por pensar que ele não ficaria feliz com isso, mas o conhecia. Mesmo em pouco tempo, não importava, o amava e sabia que ele a amaria, assim como seu filho. 


— Eu aceito. — Ela estendeu a mão a ele, que sorriu ao trocar o anel de seu dedo. — Ele é lindo. 


— Não aceitaria nada menos do que ele. Você merece e agora e a terei.


— Serei sempre sua. — Sorriu. — E você meu.


— Para sempre. 


— Para sempre. 


Juraram para si, e após um beijo demorado, voltaram sua atenção para a mesa. 


— Só existe um jeito de resolver isso. — Gray disse abrindo seu blazer. 


— Pode apostar. — Jellal abriu as abotoaduras da camisa social que usava. 


— Que vença o melhor padrinho. — Disseram juntos, enquanto viravam cada um, um copo de cerveja que estava na mesa, enquanto todos os outros riam.




Notas Finais


Chegamos ao final dessa FanFic, sinceramente fico feliz de estar a respostando acabei relendo e alterando pequenos pontos mas sinceramente, eu adorei escrever e poder reler ela. Espero que todos tenham gostado.
Vejo vocês nas próximas^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...