1. Spirit Fanfics >
  2. Irresistível Vingança. >
  3. Ainda estou começando.

História Irresistível Vingança. - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Ainda estou começando.


Fanfic / Fanfiction Irresistível Vingança. - Capítulo 6 - Ainda estou começando.

Gahyeon

Assim que a reunião acabou fiz sinal pra Siyeon, ela disse pro chefe que ia ao banheiro e ele seguiu, fui atrás dela e a olhei brava.

- Você foi pra cama com a Minji?

Sy - Eu não tive escolha, ela ia te demitir.

- Ela disse que ia pensar.

SY - Tradução: te demitir.

Suspiro e abraço ela.

- Você... é uma boa unnie, eu te amo mana, abrigada.

Ela  me abraça forte e beija meu rosto.

Sy - Eu só garanti uma semana,mas... vou desfilar pra ela e provavelmente ela queira novamente, então o resto do acordo será cumprido...mas não escorregue, ainda tem a Xin.

- Ta bom unnie.

Ela beija minha testa e me solta, suspiramos e ela foi embora, me recomponho e depois saio, vou la falar com ela e pra minha infelicidade a Xin estava lá, e mais uma vez a Minji jogou na minha cara que dormiu com minha irmã. Voltei pra minha mesa e a Yoohyeon chegou, fui lá e anunciei, depois a recepcionista me ligou falando  de Zhao Yue.

-  Esse nome não me é estranho.

Fui lá e vi ela numa cena bem intima com a modelo, ela me encarrega de receber Yue, então me arrumo, desço e vou até a mulher de cabelos curtinhos, sorrio e a reverencio.

- Bom dia  senhora Zhao, sou Lee Gahyeon, assistente administrativa da presidência,  é uma honra recebê-la na Padrão.

A - Bom dia, pode me chamar de Akira... onde estão as proprietárias?

- Senhora Xin saiu há alguns minutos, teve que ir até o fórum... minha patroa está terminando uma reunião, mas não demora a descer.

A - Ah sim, entendo.

- Por favor me acompanhe até nossa sala de recepção.

A - Eu estou esperando minha Sócia chegar, Lu Ting.

- Irei pedir para a recepcionista para guiá-la até nós.

A - Maravilha.

Ela sorri e ajeita a gravata, não parecia ser i tipo de empresária que ligava pra aparência como minha chefe por exemplo, na verdade ela fazia mais o estilo da Dami, algo mais jogado e bagunçado.

Fui até a recepcionista e pedi para que ela leve Lu Ting até a sala de recepção, depois levei Yue até lá e lhe ofereci café da manhã, ela prontamente aceitou e comeu feito uma sem tento.

"Nota mental, essa chinesa come muito."

Vi uma mulher se aproximando com a recepcionista, me levanto e sorrio, mas a mulher continuou séria e olhou com reprovação pra Yue.

L - Você acabou de tomar café Zhao Yue.

A - Mas tava com fome, ora.

Ela respira fundo, coloca a pasta na mesa e vai até Yue, ajeita a gravata e coloca a camisa da outra pra dentro da calça, depois arruma o cabelo dela.

L - você me mata de vergonha.

- Sabe que tenho um estilo próprio.

L - Ser desleixada não ter estilo próprio.

Ela termina e pega a pasta.

L - Onde estão as duas?

"Ignorada com sucesso"

A - Xin teve que ir resolver um problema e a JiU deve ta comendo alguma modelo, mas disse que ia descer....ah esta aqui é a assistente delas, Lee Gahyeon;

Reverencio a mulher e ela faz o mesmo.

- É uma honra recebê-la na Padrão senhora Lu.

L - Zhao.

Fico confusa e a mulher olhou brava pra Yue.

L -  Usou meu nome de solteira de novo?

A - Ainda não me acostumei amor.

L - AKIRA SOMOS CASADAS A 2 ANOS.

"eITA"

A mulher bate na Akira que só fez rir, depois ela me olhou séria.

L - Não temos tempo pra esperar.

J - Não precisam, cá estou belas damas chinesas... pode ir Gahyeon, você foi fantástica.

- Com licença.

L - Toda.

Subo e vou pra minha mesa, vejo meu celular piscando e pego, abro e vejo um depósito na minha conta, estranho e deixo quieto, volto a trabalhar.

--------------------------------------------------------

-------------------------------------------------------------------

JiU

Recebi as investidoras novas e mostrei cada setor a elas, levei as mesmas até a contabilidade e mostrei os ultimos balanços, depois subimos e assinamos contrato, elas foram embora e eu peguei o contrato fui até Gahyeon.

- Gahyeon preciso que leve este contrato ao cartório para oficializar.

G - Sim senhora.

Ela pega e se levanta, pega a bolsa e eu reparo que estava mais pálida que o normal.

- Senta... agora.

Ela senta e foi quando vi ela revirar os olhos, depois se abanou.

G - Sabia que eu ia desmiar?

- Eu fiz enfermagem pra passar o tédio, enfim, anda tomando remédios?

Ela assente.

- Tem que ter cuidado, você trabalha sentada e não pode levantar tão rápido assim, principalmente depois de ter tido um filho.... a propósito, eu depositei a sua hora extra daquele dia, lembrei hoje, peço perdão.

G - Senhora foi mais que o estipulado por lei.

- Acréscimo pelo transtorno  por eu ter esquecido.

Sorrio e vou pra minha sala, me sento e fico monitorando as cêmeras, foi quando vi Yoobin subindo e me preparei pra bomba.

- Oi amor.

D - Não me chama de amor... aqui estão suas fotos.

Pego o envelope e vou até ela mas a mesma me empurra.

D - Fica longe Minji... eu disse que só eu posso te marcar.

- Moh para com isso, sabe que você sempre será a numero 1.

D - Não toca em mim... quando as marcas sumirem totalmente você me procura.

- Dami.

- Eu ja disse.

Ela sai e eu suspiro, abro o envelope e vejo as 100  fotos, estavam lindas, principalmente a que estava chupando Siyeon no banheiro.

- Vontade de colar na testa. hehehehe.

-------------------------------------------

--------------------------------------------------

Siyeon.

Após ajudar minha irmã a fazer compras, vim pra casa, encontrei um envelope no chão e peguei, tranco a porta e abro o envelope sem remetente, vejo fotos e tiro, quando olho direito fico furiosa, eram 3 fotos bem intimas com a Minji.

- Eu mato ela.

 Guardo no bolso e pego minhas chaves, saio, pego meu carro e vou pra empresa dela, já estava fechada então o segurança me barrou.

S - Estamos fechados senhora.

- Vim falar com JiU.

S - Nome?

- Lee Siyeon.

Ele fala no comunicador e balança a cabeça, depois libera acesso e eu entro, subo até a sala dela e adivinhem, a mesma estava lá rindo cínica.

- Posso saber o que é isso?

Mostro as fotos.

J - Um pequeno lembrete do tipo de pessoa que você é.

Ela levanta e vem até mim.

- E que tipo de pessoa eu sou?

J - Mesquinha, dissimulada e egoísta.

- Sabe bem o motivo pelo qual fiz isso.

Ela se aproxima de mim e roça o nariz em meu pescoço.

J- Inflar seu ego e ter a chance de mostrar mais uma vez a sua irmã que ela é dependente de você.

- não é verdade.

J - Você trabalha em uma empresa grande Lee Siyeon, poderia arranjar trabalho pro seu cunhado, mas o medo dele fazer merda e sobrar pra você fala mais alto que a sobrevivência da sua sobrinha.

Ela segura na minha cintura e beija minha nuca, mais uma vez sinto nojo de mim.

J - Poderia ter se demitido e dado seu cargo pra ela... - ela morde meu lábio e sorri - ou feito como ela, se ajoelhado implorando meu perdão.

- Gahyeon fez isso?

J - Sim, por isso ainda tem trabalho, acha mesmo que foi porque você foi pra cama comigo?... você nem me fez gozar bobinha.

Ela sorri sapeca e me solta.

- Eu te odeio Kim Minji, está usando minha família pra me atingir, você é um monstro.

Ela começa a rir e começa a andar comigo até que chegamos na parede onde ela me pressionou.

J - Você sabia que eu era bolsista, sabia que tinha mal pra pagar alojamento, sabia que eu não tinha computador próprio e nem impressora pra imprimir trabalhos, sabia que eu ganhava menos de um salário naquele bar fedido e mesmo assim, me iludiu... eu passei 3 meses de fome e sem dormir, indo ao Cyber digitar e imprimir, fazendo teus trabalhos finais e a porra do teu TCC e o que eu ganhei? Beijos vazios, uma amiga traumatizada e um colchão mijado pelo teu cunhado e teu ex namoradinho delinquente.

Ela morde meu lóbulo e sussurra.

J - Eu não sou o monstro aqui... meu irmão é um médico cirurgião bem sucedido que está me pagando cada centavo do empréstimo que fiz construindo o consultório dele e a sua irmã? uh? está aqui se jogando de joelhos diante de uma mulher poderosa com uma cirurgia praticamente aberta por dentro, sustentando um vagabundo  quem nem ensino superior tem porque ela não teve uma unnie descente pra guiá-la e dizer "irmã, não siga meus passos, eu  Sou UMA PUTA, mas sou esperta."

Me assusto e engulo seco.

J- você assiste ela sofrendo, assiste ela sentindo dores, assiste um cara vagabundo que não luta por ela e se acomoda em casa na desculpa de que vai cuidar da filha, assistiu ela se humilhar em ficar aqui, e eu sou o monstro Lee Siyeon?

- Okay...  eu sou o monstro.

J - Exatamente... você é um monstro e eu só estou começando.

- Não vai descansar enquanto não nos ver destruidas não é?

J - Não coloque plural, eu tenho pena da sua irmã, ela casou com o castigo dela e eu sinceramente não faço o tipo que mata cachorro a grito... mas você meu docinho.

Ela acaricia meu rosto.

J - Você tem muito a me pagar... muito mesmo, principalmente agora que eu perdi meu sexo favorito, porque ela odeia que me marquem, e olha que eu mandei você não me marcar.

Ela me olha estranho, era psicótico.

J - Eu odeio ter que dormir sem sexo.

Ela se distancia e vai até a mesa, pega um envelope e tira mais fotos e me mostra.

J- Talvez amanhã eu acorde de mal humor por ter dormido sem sexo e isso vá parar num outdoor em frente a uma certa doceria.

"Ela sabe dos meus pais."

Engulo seco e ela guarda as fotos, sorri sádica.

- Por favor não.

J - Me diga Lee Siyeon, eu irei dormir sem sexo hoje?

- Não.

J - ótimo.

Ela sorri e pega as chaves e a bolsa dela.

- Na sua casa hoje, não vale a pena pagar motel de novo pra isso.

-----------------------------------------------------

Entro com ela e dou as pantufas pra ela calçar, a mesma calça e olha minha sala inteira, suspiro e tranco a porta.

- Ja jantou?

J -   Não.

- Vou fazer algo pra você comer.

J - Deixa que eu peço, enquanto isso você vai lá tomar um banhinho, se depila e passa uns creminhos.

Meu sangue ferve mas eu me controlo, assinto e vou pro quarto, tomo banho e vou passar os cremes puta da vida, escuto a campainha e vou lá abrir... vejo ela sentada com a blusa aberta.

"Filha da puta sexy do caralho."

Ajeito o roupão, abro a porta e meu cu simplesmente cai.

- BoRa?

-------------------------------------------

---------------------------------------------------

JiU.

Tava de boa jogando quando escutei o nome do satanás e logo depois a voz dela.

S - Quanto tempo Lee Siyeon.

Jogo o celular pro lado, tiro a blusa e vou lá, abraço Siyeon por trás e quando SuA me ver, arregala os olhos, ela tinha flores nas mãos e estava muito bem vestida, beijo a nuca da Lee e ela estremesse, invado o roupão dela com uma das mãos e apertos seu seio.

- Porque estamos perdendo tempo? Vem...

Sy - Desculpe SuA.

Ela fecha a porta na cara da SuA e vira de frente pra mim, Conto de um até 5 nas mãos.

S - aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

SuA grita do lado de fora puta da vida e eu sorrio sapeca.

Sy - Não acredito que fez isso.

- Quer que eu a chame?

Sy - Não, claro que não.

- Não sabia que falava com ela ainda.

Sy -eu não falo, nem sei como ela me achou e nem o que veio fazer.

- Pelas flores, acho que veio tentar uma reconciliação.

Ela suspira e eu pressiono ela contra a parede, desato o nó do roupão e desço um pouco beijando seus seios.

- Okay... não vamos falar dela.

Desço mais um pouco beijando o abdomen, foi quando escutamos a campainha de novo, levanto e ela fecha o roupão, abre e era o rapaz da comida, pego a carteira e pago ele, depois pego a comida e vou jantar.

Ela vai pro quarto e eu epgo meu Cell, ligo pra Xin e conto sobre a SuA, ela pareceu ficar animada.

X- Vou por alguém de olho nela.

Desligo e termino de comer, depois levanto e vou pro quarto da Siyeon, ela estava no notebook fazendo algo, assim que me viu ela guardou e levantou, pegou uma toalha e me deu, entendi o recado e fui tomar banho.

Lavei a boca com preguiça de ir buscar a escova na bolsa, depois fui pro quarto de toalha e vi ela na cama sentada.

- Parece brava.

Sy - Impressão sua.

Ela levanta e desliga a luz, depois vem até mim e me beija, correspondo a altura, ela tira minha toalha e eu o roupão dela, fomos pra cama e desta vez ele ficou por cima.

----------------------------------------------------------

Acordo com a campainha dela tocando, suspiro e balanço ela.

- Siyeon tem alguém na sua porta.

Sy - Não estou.

- Nossa hahahaha.

Aconchego ela no meu e beijo sua nuca, foi quando o celular tocou e ela suspirou, levantou brava e foi atender.

Sy - O que é?

...

Sy - Que? ...to indo.

Ela corre até roupão, veste e corre até o banheiro, lavou as mãos e saiu do quarto, levanto e vou até a toalha, me enrolo e vou espiar.

Sy - Como isso aconteceu?

Th - Ela escorregou no banheiro, eu nem tenho o telefone do trabalho dela.

Apareço por que  sou dessas, Ele Arregala os olhos e Siyeon fica vermelha de vergonha.

- Bom dia Park.

Th -  B-Bom dia.

Vejo a nenem na cestinha na mão da Siyeon, suspiro.

Sy - JiU minha irmã sofreu um acidente e está no hospital, eles  terão que fazer uma cirurgia nela e precisamos de dinheiro pra pagar.

- Querem que eu adiante o pagamento dela?

Th -   Por favor.

Suspiro e vou até minha bolsa, pego o celular e ligo pra Mengyao.

M - Bom dia senhora.

- Bom dia Shen, Faz as contas da Gahyeon pra mim por favor.

M - Um momento.

Espero e ela demora um pouco, depois volta e me dar o valor.

- Coloca ai como pago e não gere uma nova folha, ela se acidentou e irá fazer cirurgia, vamos aguardar o laudo médico.

M - Sim senhora.

Desligo e transfiro o dinheiro.

- Prontinho, já está na conta dela.

Th - Obrigado Kim.

- Senhora KiM pra você.

Siyeon manda  ele ir embora e fecha a porta, entra com a menina e me olha.

- Tô vendo que não terei sexo matinal hoje.

Sy - Você só consegue pensar nisso?

- É a unica diversão que tenho, enfim, vou tomar um banho.

Sy - JiU... sabe que minha irmã rompeu a cirurgia não é? 

- Sei, é sua chance de por o Thunder pra trabalhar.

Sy - JiU.

- Eu não posso pagar salario pra uma funcionária em experiência.

Sorrio e vou pro banheiro morta de preocupação, um acidente desses pode ser fatal pra uma mãe recém parida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...