História Irreversível - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias CPM 22, Homem-Formiga, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Henry "Hank" Pym, Janet Van Dyne (Vespa)
Tags Candyvandyne, Cpm 22, Drama, Hank Pym, Homem Formiga, Janet Van Dyne, Jank, Otp, Romance, Saudade, Shipp, Tudo Culpa Da Paola, Vespa
Visualizações 82
Palavras 1.270
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Musical (Songfic), Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esta fanfic é dedicada à primeira e única autora a trabalhar com esse shipp aqui e que insistiu para que eu a fizesse.
@CandyVanD espero que minha one-shot esteja tão boa quanto são as suas histórias envolvendo esse OTP. Isso é só um pequeno agrado por você ser uma pessoa tão especial e maravilhosa pra mim.
Também quero dedicar essa fic à @SophiaStrange que ficou preocupada comigo pois sabia que meu dia hoje não estava sendo favorável. Obrigada por sempre me apoiar e ajudar em tudo!
Amo vocês duas <3

Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único - Irreversível é só o fim


Fanfic / Fanfiction Irreversível - Capítulo 1 - Capítulo Único - Irreversível é só o fim

Quando a encontrei, ainda estava muito abalado pela morte de Maria. Minha esposa fora assassinada em minha frente, da maneira mais brutal e cruel que um humano pode ser. Junto com ela, morri também. A cada dia quando acordava, implorava para que fosse meu último.

Então o destino me pregou uma peça. Numa amostra de meu trabalho para o grande Veron Van Dyne, conheci sua linda filha, Janet Van Dyne: A mulher de olhos azuis brilhantes; cabelos castanhos suntuosos; curvas esbeltas e sorriso encantador.

“A vida me sorri, então, recolho os cacos que deixei no chão”

Um sopro de vida se instalou em meu coração novamente. Tive esperanças mais uma vez! Finalmente poderia seguir em frente, recolher os cacos do meu coração partido jogados no chão e juntá-los com os dela.

Sim, também sofrera com a perda trágica de seu pai. Vê-la lutuosa e triste, fez meu mundo desabar. Eu tinha que fazer alguma coisa! Assim nasceu a Vespa. Uma heroína forte, poderosa e líder.

“Milhares de recordações, transformam tudo em canções e essa daqui é pra você!”

Lembro-me de quando os Vingadores foram fundados. Ela estava tão feliz ao lado deles! Conduziu-nos de maneira exímia, até mesmo Thor jurou nos seguir até a morte. Janet era o tipo de pessoa que poderia conquistar tudo o que quisesse graças à sua bondade ímpar e coração valioso.

Todavia, nossos momentos, agora não passam de recordações... Quando o ego fala mais alto; a prepotência nos domina; destinamo-nos a vivermos solitários.

Com o violão em mãos, arranho de acordo com as videoaulas que havia começado a fazer por incentivo dela que dizia que eu cantava bem. Desabafo minha tristeza e saudade em forma de canções dedicadas a ela.

“Se eu pudesse desfazer tudo de errado entre nós e apagar cada lembrança sua que ainda existe em mim”

Nunca tencionei machucá-la, magoá-la ou fazê-la sofrer. Nunca foi minha intenção me transformar num completo babaca que só pensa em se mostrar superior aos outros e que muda de personalidade como troca de roupa.

Só queria poder desfazer todas as merdas que fiz, apagar todos os erros que cometi com Janet. Também gostaria de apagar cada lembrança dela que ainda existe em mim, pois não sei se posso suportar essa dor.

“Eu sei que nada que eu diga vai trazer o longe pra mais perto de mim dessa vez”

Ela se foi. Está se mudando para Paris. Desta vez está determinada em me esquecer e sei que vai conseguir, pois não é mulher de ideias inconstantes.

A pior sensação é estar de mãos atadas. Não há nada que eu possa dizer para fazê-la voltar.

“Porque gostar de alguém vai ser sempre assim... Irreversível”

Por que não se pode esquecer alguém do dia para a noite? Por que a ciência não inventou uma cura para a sensação de solidão? Por que tenho que ser tão otário? Por que se apaixonar é algo irreversível?

“A vida ri de mim, então, percebo o quanto é triste te esperar em vão”

Assim sendo, vejo o destino me pregando uma peça cruel desta vez. Voltei à estaca zero, à inércia. Como pude errar deste jeito?

Nos últimos dias, até tive esperanças de que ela voltaria. Contudo, neste momento, tenho certeza de que esperá-la é em vão. Enquanto isso, a vida caçoa de mim e lhe dou toda a razão.

“Mas acho forças pra cantar, quem sabe você possa me escutar”

No entanto, continuo tentando me manter firme, de pé. Aumento o som do meu violão conectado ao meu amplificador, canto a todos os pulmões na esperança de que talvez possa me ouvir.

“Eu só queria te dizer... Se eu pudesse desfazer tudo de errado entre nós e apagar cada lembrança sua que ainda existe em mim”

Apenas queria confessar a ela que se eu fosse capaz, consertaria tudo o que fiz de errado e começaria mais uma vez. Depois apagaria cada lembrança dela de mim para que pudesse viver em paz, sem alguém que só a provocaria o mal.

“Eu sei que nada que eu diga vai trazer o longe pra mais perto de mim dessa vez, porque gostar de alguém vai ser sempre assim... Irreversível”

Se gostar de alguém é algo irreversível, por que somos loucos de relutar contra este sentimento? Havia algo me incomodando. Havia me dado todas as coordenadas de sua viagem.

Sei que nada poderia trazer Paris para perto dos Estados Unidos, mas e se eu fosse até lá? Inconsequente, arrumo minhas malas; chamo um táxi e peço que vá o mais rápido possível até o aeroporto.

Chegando ao local, enquanto solicito à atendente as passagens, vejo a mulher da minha vida passar com todo seu charme e elegância no sentido da plataforma de embarque. Desorientado, corro atrás dela, abandonando o guichê.

“A cada passo que eu dou pra frente, sinto o meu corpo indo pra trás”

A cada passo que eu dou, parece que estou mais próximo de um grande arrependimento. Disse que a deixaria viver em paz, não a faria mais sofrer. Mas olha eu aqui, novamente atrapalhando sua vida...

“E a cada hora que vivo sem sentido parece me fazer te querer cada vez mais”

Contudo, minha vida não tem sentido sem ela. Janet é meu norte, minha razão de estar vivo, meu tudo. A cada segundo que estou longe dela, a desejo; a amo mais.

“Eu trago em mim apenas um sorriso, braços abertos pra te receber”

Avizinho-me da elegante mulher que havia parado para arrumar seu sapato. Com um grande sorriso cortando meus lábios e os braços abertos para tê-la mais uma vez aconchegada em meu peito, peço licença às pessoas que estão no caminho entre nós.

“Mas acabo sempre triste e sozinho, procurando uma maneira de entender”

Aproximo meus dedos de seu ombro, apertando-o com a palma de minha destra. Quando olha para mim, noto que havia sido um terrível engano. Não é Janet, nem ninguém parecida. Apenas o cabelo e as roupas são semelhantes.

Sequer me desculpo. Apenas saio correndo, me sento em um dos bancos e me ponho a chorar. Meu destino é ficar triste e sozinho. Esse é o preço por ser um babaca. Continuo tentando entender isto, mas acho que nunca serei capaz.

“Se é irreversível para mim, então é irreversível pra você. Se tudo tem que ser assim, então deixa ser!”

Se a paixão é realmente irreversível, a regra vale para ambos os lados. Caso sinta minha falta, deve me procurar. Se o amor tem que ser assim, então que seja!

“Mas só queria te dizer... Se eu pudesse desfazer tudo de errado entre nós e apagar cada lembrança sua que ainda existe em mim”

Só queria ter uma chance de poder dizer que se eu fosse capaz, alteraria os erros que cometi, a apagaria da minha vida para que pudéssemos viver tranquilamente. Nunca teria estragado tudo...

“Eu sei que nada que eu diga vai trazer o longe pra mais perto de mim dessa vez, porque gostar de alguém vai ser sempre assim...”

Não há nada que possa fazer para trazê-la de volta. Também não há nada que prove que queira me ver. Talvez seja melhor que fiquemos distantes, assim poderá seguir em frente sem ter a minha maldita presença a incomodando.

Agora, mais do que nunca, eu tenho a total certeza de que gostar de alguém vai ser sempre assim... Irreversível.

“Irreversível é só o fim! Irreversível é só o fim, pra mim!”

E irreversível é o fim, o nosso fim. Pelo menos para mim, será ainda por um bom tempo. Quem sabe algum dia eu a esqueça, contudo por enquanto, sinto que é impossível.


Notas Finais


Hank Pym aqui ainda é jovem, portanto é representado pelo Chord Overstreet e assim como ele, Janet é representada pela Ashley Benson.
Capítulo feito com a música do CPM 22 - Irreversível, recomendo ouvi-la: https://www.youtube.com/watch?v=mPqwGlZKj3U


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...