História Is Broken ? (Yaoi) - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Fantasia, Ficção, Gay, Homossexualidade, Mistério, Originais, Romance, Suspense, Yaoi
Visualizações 93
Palavras 1.961
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura, até as notas finais...

Espero que entendam esse capítulo e algumas metáforas que coloquei sem nem perceber.

Capítulo 39 - 2 Temp: No fim, só restam as boas memórias.


Hoje foi um dia corrido,  fiz uma missão que era baseada em eu matar uma quadrilha de bandidos em um forte perto de Pomar Branco, e posso dizer que o difícil não foi matar esse pessoal e sim achar o lugar onde estavam os desgraçados.

Nesse momento estou andando pela estrada principal da província, voltando pra casa depois da missão.

Foi ai que escutei um grito, então por ser curioso eu fui até a origem do barulho, dei de cara com uma moça.

"O que houve?!" perguntei confuso com a situação.

"E-eu.... Eu acabei de acordar depois de cair em um portal e vir parar aqui! Foi isso que houve! Me ajude! Eu tenho que voltar pra casa! Alem disso... Tem esses bichos me perseguindo!" ela falou completamente desesperada.

Olhei para os perseguidores da moça, dois lobos berserk, que são grandes e tem coloração avermelhada, estavam correndo em nossa direção.

"Se acalme, e deixe que cuido disso." eu disse á estranha visivelmente apavorada.

Saquei minha espada e assim que um dos lobos pulou em mim eu usei a lâmina para decapita-lo, o corpo do animal caiu sem vida no chão, então fiz menção de atacar o segundo lobo mas o mesmo saiu correndo para longe assim que dei um passo a frente.

Depois que resolvi isso caminhei até a moça, a fim de saber exatamente o que aconteceu e como aconteceu.

Mas por ela estar possivelmente perturbada com o que viu e aconteceu, resolvi leva-la comigo para casa pra só depois ela explicar.

E foi o que fiz, assim que cheguei em casa já fui contando aos outros o que aconteceu e eles me ajudaram a acalmar a mulher para que ela falasse.

"Eu estava acampando com meu marido e então vi uma luz em meio a floresta, quando me aproximei uma fenda de luz abriu embaixo dos meus pés e eu cai em uma praia! Eu estava em uma floresta e de um segundo pro outro estava sendo empurrada pelas ondas, então assustada procurei por ajuda mas aqueles lobos começaram a me perseguir... Foi ai que o Samuel apareceu." ela explicou com certa euforia e lágrimas nos olhos.

"Então quer dizer que é do mesmo lugar de onde o Samuel veio." Loryan comentou olhando para mim, que encarava o chão calado.

"Onde estamos?" ela perguntou.

"Eles dizem que o planeta se chama Arenthya, e esse continente se chama

Velleywood... Quer dizer que o tal portal nos trouxe a outro universo ou a outro planeta mesmo." expliquei a ela.

"Você nunca tentou voltar para sua antiga vida? Nunca procurou um modo?" ela fez novas perguntas.

"Eu nunca quis voltar, mas em meio as viagens que faço por ai escuto boatos sobre esses portais e de onde eles costumam surgir." respondi.

"V-vocês podem me ajudar a voltar? Por favor... Não posso ficar aqui..." ela pediu chorando, passando as mãos no rosto.

Olhei para Mirt e Malekf e vi o semblante de pena dos dois, já Loryan parecia pensativo.

"Nós te ajudaremos." Loryan falou de repente, deixando todos surpresos.

"Obrigado! Vocês... São boas pessoas..." ela disse limpando as lágrimas.

Durante o resto da tarde Mirt ficou conversando com a moça, e só depois ficamos sabendo qual o nome dela.

Mandy é uma emfermeira que mora nos EUA, ela casou faz pouco tempo e posso entender o por que de ela querer tanto voltar...

"O que foi Sam?" Malekf perguntou se sentando ao meu lado na sala de estar.

"Estou relembrando como era viver no meu antigo mundo." comentei perdido em memórias distantes.

"Você nunca tocou nesse assunto comigo, como era viver lá?" Malekf perguntou.

"Era bom e triste ao mesmo tempo, antes de encontrar Loryan eu estava passando por muitos problemas emocionais, eu tinha acabado de perder minha mãe."

"Desculpe por perguntar e te fazer lembrar...."

"Tudo bem Malekf, só tenho boas memórias de lá hoje em dia."

"O que tinha lá que você nunca poderia achar aqui?" ele questionou com um sorriso minimo no rosto.

"Bem, tinha a internet que era algo muito bom, junto com os carros e chocolate, celular, séries, filmes, chuveiros com água quente, videogames, e claro... Bichos menos perigosos que os daqui." falei rindo logo em seguida.

"Pode explicar o que são essas coisas?"

"Claro." respondi, e nisso passei metade da noite explicando e falando do meu antigo mundo para Malekf.

Logo depois subi e ajudei Mirt a arrumar o quarto de hóspedes para Mandy, ela dormiu rápido depois de jantar, então deixamos ela sozinha para descansar.

E agora estou na cozinha com Mirt e Loryan, para traçarmos uma rota até o primeiro lugar onde procuraremos um portal para Mandy.

"Espero que essa moça volte segura para o lar dela." Mirt disse enquanto fazia anotações em um livro.

"Também espero, estou contando com a sorte." Loryan disse guardando o mapa em uma mochila.

Com isso um flashback me pegou em cheio e eu lembrei de um desenho animado do meu antigo mundo, um desenho chamado Dora aventureira, e como minha imaginação é fertil... Imaginei Loryan com uma fantasia de Dora, e isso resultou em um Samuel rindo descontroladamente.

"Sam? Qual a graça?" Mirt me perguntou.

"Nada não." respondi saindo da cozinha com um sorriso no rosto.

______________________________________

Amanheceu o dia, e eu dormi bem pouco, por isso me sinto completamente esgotado antes mesmo de levantar.

"Vamos Samuel." Loryan disse puxando minha coberta.

Fui obrigado a levantar, e depois de tomar banho desci para o café, na cozinha encontrei Mandy e Mirt.

"Bom dia.." falei bocejando.

"Bom dia Sam." Mirt disse com um sorriso.

"Samuel, você não sente falta da sua antiga vida?" Mandy perguntou do nada.

"Não sinto, minha vida é aqui agora." respondi.

"Eu estou com medo, eu nunca seria feliz aqui... Longe da minha família e amigos... Eu estou esperando um filho e tenho que voltar de qualquer jeito."

"Você... Está grávida? Bem que eu tinha achado estranho essa sua barriguinha " falei com um tom de brincadeira, Mandy riu.

"Estou sim, mas ainda não sei se é um menino ou uma menina." ela comentou sorrindo enquanto alisava a barriga com a mão.

"Parabéns, espero que de tudo certo." Mirt disse a ela, e os dois voltaram a comer em silêncio.

Depois disso Mandy se ofereceu para lavar a louça e nos ajudar a arrumar a casa, e posso dizer que ela é ótima improvisando.

"Ela me lembra a Rose..." Mirt comentou comigo enquanto organizamos a sala.

"Sim... Lembra um pouco" falei lembrando do dia em que Rose cortou meu cabelo, enquanto fugiamos dos inimigos antigos.

Rose era uma pessoa incrível e amável, ela faz uma falta enorme, assim como meus pais.

"Terminaram ai?" Malekf perguntou ao entrar no cômodo.

"Sim" eu e Mirt respondemos.

"Então vamos nos aprontar para ajudar a Mandy logo." ele disse.

______________________________________

Saímos de Pomar Branco com a floresta de hub como destino, os boatos dizem que lá é um dos lugares que buscamos.

Andamos muito até chegar na entrada da floresta, uma floresta densa com árvores cheias de flores hub, essas flores tem um cheiro bem forte.

Dentro da floresta há varias trilhas estreitas.

"Eu nunca tinha ouvido falar desse lugar." Mirt disse.

"É  que as pessoas evitam vir aqui, há varias lendas que rondam a floresta, alem dos animais perigosos... Os comerciantes preferem dar a volta na floresta do que cortar caminho adentrando ela." Malekf explicou, e isso deixou o clima bem tenso.

"Imagino que não tenham só bichos perigosos... Como pessoas também." Loryan disse apontando para uma fogueira apagada no meio da trilha.

"Por que fariam uma fogueira aqui?" Mandy perguntou segurando em meu braço.

Foi nessa hora que algo que não estávamos esperando aconteceu...

Orcs com um tom de pele negro pularam das árvores em cima de nós, e nos cercaram, imobilizaram Mirt e Malekf primeiro, enquanto eu e Loryan tentavamos matar alguns deles.

Quando estavamos todos imobilizados com os braços sendo segurados, os malditos começaram a falar.

"O que fazem entrando em nossa casa? Não ouviram os avisos sobre o lugar?." Um dos orcs perguntou passando a lâmina de sua daga em minha bochecha.

"Se você não nos soltar... Vou te matar de um jeito bem doloroso." ameacei o orc, pude ver os olhos dele faiscarem.

"Você é corajoso demais para um humano comum...." ele disse me analisando, então o monstro se aproximou de mim e cheirou meu rosto como se buscasse algo.

"Você não é um humano comum, nem você e nem os outros... Tirando a mulher."

"Vocês tem motivos para nos atacar?" Mandy perguntou em meio a um choro silencioso.

"Você está com medo?" o orc perguntou se aproximando de Mandy, eu tentei me desvencilhar do outro que me segura os pulsos, mas não consegui.

"Seu maldito, não era comigo que estava falando?! Orc imundo..." o provoquei para que ele voltasse a atenção a mim.

E então levei um soco no estômago, mas não reagi a isso, e provavelmente frustei o Orc.

"Você é um controlador de sangue, precisa que ou eu ou você se machuque para que possa usar os poderes... Se não acontecer então não passa de um homem indefeso." o orc disse rindo, chegando bem perto de mim.

Essa foi minha deixa para que eu o mordesse no pescoço, e o sangue jorrasse, logo depois os outros começaram a lutar contra os orcs, igual a mim.

Não contei quantos deles eu matei, mas ficamos um bom tempo nessa briga, e quando pensamos que iamos dar um fim nisso...

"Não se mecham ou então a vadia aqui morre!" um dos orcs disse com uma faca no pescoço de Mandy.

Todos pararam, e ficamos sem reação, pensei que ela estivesse perto de mim enquanto eu matava os orcs...

"Calma... Deixe ela..." Malekf disse tentando melhorar a situação.

"Larguem suas armas!" o orc mandou, nós obedecemos.

Eu sinto o ódio queimar dentro de mim.

"Sam..." escutei aquela voz ecoar dentro da minha cabeça.

"Voz!?" falei também mentalmente.

"Essa moça irá morrer de qualquer jeito, ele pretende mata-la... Você não terá como impedir dessa vez..." a voz disse.

Logo depois assisti o orc cortar o pescoço de Mandy, o sangue dela começou a cair abundantemente, então Mirt atacou o maldito sem mais nem menos e começou a lutar com ele.

Eu corri até Mandy, mas ela ja estava desacordada, sem vida..

Rose veio em minha mente, e eu cobtinuava sem reação perante o corpo em meus braços, nós nem nos conhecíamos direito... Mas em pouco tempo ela me fez ver que era uma boa pessoa, como pude deixar a mesma situação de Rose se repetir?!

"Sam... " ouvi Mirt me chamar, mas minha visão estava desfocada, e a voz dele estava baixa.

"Sam... Não foi sua culpa... Nenhuma delas morreu por sua culpa... Se liberte dessa angústia que você guarda, você tentou... E isso que importa." a voz falou novamente, me deixando dentro de meu próprio silêncio depois.

______________________________________

Depois de enterrar Mandy, nós voltamos pra casa em silêncio, ninguem disse uma palavra sequer.

Cada um deu seu jeito de lidar com essa mesma situação, Mirt foi cozinhar para se manter ocupado e distraido, Malekf foi escrever seus livros, Loryan ficou deitado em nossa cama enquanto parecia pensar, e eu fui para a varanda.

Eu sempre soube que me culpava e sempre me culpei da morte de Rose, e pela primeira vez a voz me fez perceber que... Realmente não foi minha culpa, e que esse é meu jeito de lidar com a perda.

Me sinto assim em relação a Mandy também, eu queria ter ajudado ela a voltar para casa, mas no fim não pude.

Eu não deveria me culpar, mas continuo me sentindo o culpado.

"Sam... No fim o que restam são só as boas memórias." a voz novamente.

Eu fiquei calado, mesmo conhecendo Mandy tão pouco, eu tenho sim boas memórias dela, assim como tenho da Rose.

"Eu não sou o culpado..." falei só para a voz ouvir.

"Você não é.... Então deixe que as coisas melhoram depois de um tempo."

"Não sou o culpado.... " repeti em voz alta, e fechei os olhos tentando não chorar.

Rose apareceu como um flashback em minha mente, seu sorriso enquanto cortava meus cabelos.

E depois Mandy rindo enquanto eu falava de seu filho....

Eu queria dizer que não sou o culpado, mesmo sabendo que não sou o que saiu não foi isso.

"Me desculpem..."


Notas Finais


Obrigado por ler, deixe seu comentário... Eles ajudam muito.

Até o próximo capitulo ❤ ;-;

Obs: desculpem qualquer erro.

Link da minha nova história:

https://spiritfanfics.com/historia/mr-book-red-yaoi-9393853


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...