1. Spirit Fanfics >
  2. Is It Love - Colin >
  3. Até onde o amor nos leva.

História Is It Love - Colin - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem do capitulo de hoje.
ESSE CAPITULO É PARA +18

Capítulo 5 - Até onde o amor nos leva.


Fanfic / Fanfiction Is It Love - Colin - Capítulo 5 - Até onde o amor nos leva.

Fico pasma com o que vejo.

Colin está dormindo sentado no chão em frente à minha porta. Ele está com uma cara de acabado, de mal dormido. Será que ele passou a noite aqui? Finalmente entendi o porquê do Matt saber que não tinha ido pra casa ainda, provavelmente Colin disse que eu não tinha voltado.

Ele ainda está dormindo, prefiro não o acordar ainda. Silenciosamente coloco minha bolsa no chão e sento em sua frente pra observa-lo dormir.

Como ele pode dormir em um corredor tão pequeno a noite toda? Não pode ser, ele não dormiu a noite toda aqui, eu nem estiquei minhas pernas e já estou encostando nele do outro lado da parede. Em todas essas semanas com ele, nunca tinha visto declarações abertas de sentimentos da parte dele, mas ele ter dormido nessas condições só para ter a chance de resolver a situação me aquece o coração, talvez meus sentimentos sejam recíprocos afinal. A felicidade falta não caber no meu coração com essa ideia.

Apesar de estar visivelmente mal, ainda consegue ser tão lindo, fico tão feliz por ter perto de mim alguém que se importa tanto comigo. Acho que em minha vida, nunca tinha tido pessoas assim do meu lado, não só Colin, mas Matt, Lisa e Adam. Esse carinho é a coisa que mais prezo. Já passei por várias coisas, mais finalmente estou em um lugar que minha presença realmente importa.

Colin pode ter tido várias mulheres no passado, mas eu estou apaixonada por ele, e se ele sentir o mesmo nada importa. O passado não será nada, pois andaremos para frete sempre.

De repente o Colin abre os olhos lentamente. Ele muda de posição para que se sinta mais confortável. Ele olha em minha direção e em seguida abaixa o olhar com tristeza.

— Você pode por favor me dizer o que a Dóris te disse — ele fala com uma voz rouca e tristonha

— Isso importa? O que vai mudar?

— PORRA CLARO QUE IMPORTA — ele grita, e quando percebe que me assustou ele continua — Desculpe, eu dormi mal e não quero brigar mais.

— Você dormiu aqui fora a noite toda?

— Sim — ele fala suspirando ainda olhando pra baixo

— Me diz uma coisa, porque se importa com o que eu penso, não temos nada, não foi o que você disse pro Matt? — falo com um tom de ironia

Ele olha pra mim instantaneamente, e depois com raiva abaixa a cabeça. Não raiva de mim, mas dele mesmo.

— Você escutou? Vamos fazer assim, você fala o que Dóris te falou e porque ficou com raiva de mim, depois eu explico meu lado e você decide em quem vai confiar.

Eu suspiro e começo:

— Ela falou que você não pode ver um rabo de saia, que seu único objetivo com todas é foder e jogar fora como se fosse um nada. — Ele escutou atentamente cada palavra — e falou ainda que ela era um exemplo, que eu não era mais de um brinquedinho novo.

Tá entendi — Seus olhos negros dessa vez tem uma aura meio deprimida — Eu te dei motivos para acreditar que eu faria isso com você?

Sua calma já estava me irritando

— Não, mas este não é o problema — eu falei segurando o choro — Você não intenderia.

Percebendo minha perturbação ele se aproximou de mim, me abraçou, eu pus minha cabeça sobre seu peito.

— Coral, eu quero entender — ele pega meu rosto em suas mãos — Me explica por favor.

Eu olho pra baixo com vergonha, ele segura novamente meu rosto me forçando a encara-lo. Seus olhos não eram mais tristeza, agora era apensas, ternura e carinho.

— Você me importa demais, quero te entender se eu for te... — ele se interrompe — Me conta, confia em mim, só quero seu bem.

Começo a chorar imediatamente.

— Eu tive apenas 1 namorado em toda minha vida, e este namorado me fazia muito mal, mas eu não percebia. Ele dizia que me amava, mas se eu o deixa-se ele se mataria, outras vezes dizia que mataria meus pais e ainda outras dizia que eu jamais encontraria alguém que me ama-se como ele e ficaria sozinha para sempre. Ele me proibia de sair com meus amigos, por isso perdi diversas amizades, ele chegou até a me amarrar no quarto pra que eu não saísse. Ele também me depreciava falando que eu estava obesa e me prendia dias sem comer para emagrecer e dizia que era para meu bem — Comecei a chorar muito mais — Colin ele me batia

Cai aos prantos e Colin me abraçou como que para me proteger do mundo externo. Depois de alguns minutos, consegui me acalmar. Ele pegou meu rosto novamente e disse:

— Já mais poderia imaginar o que você passou, mas eu te prometo, jamais permitirei que passe pelo mesmo. Agora eu entendo o seu medo.

— Não é só isso além de tudo ele me traia, tive medo de passar por isso novamente. Acreditei nela porque você não demonstra muito seus sentimentos, pensei que eu que estava imaginando sentimentos onde não tinha.

— Cabecinha dura — ele fala sorrindo e me dando um selinho — Lembra da conversa do Matt e a coisa pela qual eu fiquei nervoso e ia te contar no final do Show?

— Sim

— A respeito da conversa você não ouviu tudo, quando eu falei pro Matt que não tínhamos nada ele logo perguntou “e você não quer nada sério?” E eu respondi que não estávamos namorando AINDA — ele enfatizou o ainda

Eu fico vermelha imaginando essa cena.

— A parte da Dóris está certa em uma parte, eu ficava com várias mulheres, não tinha uma que eu desejasse algo sério, e todas estavam cientes disso, até a própria Dóris. Antes que a gente se pegasse eu falei pra ela que não tinha nenhum sentimento por ela, deixei isso bem claro.

Eu fiquei com uma ponta de ciúmes.

— E o seu nervosismo de manhã e no show? — falei curiosa e ao mesmo tempo apreensiva — Pensava que queria terminar comigo

Ele ri muito e diz:

— Caralho, mas você é muito cabeça dura, porque não me perguntou antes de tirar conclusões — Ele falou me dando um pequeno peteleco na testa — Eu te disse que nunca namorei ou me apaixonei, mas pra minha surpresa agora isso mudou. Por eu nunca ter tido relacionamentos, não sei expressar sentimentos e principalmente não sei como pedir em namoro. Eu me deparei com esse sentimento por você, e pretendia te pedir em namoro após o show, mas não sabia se eu estava sendo rápido demais, ou te sufocando sei lá. Também tinha certas dúvidas a respeito dos seus sentimentos. — Ele respirou fundo —Mas quando você me “deixou” eu fiquei muito mal, não sabia como reagir, foi horrível essa sensação, e a dúvida se deveria te pedir em namoro se foi, só me importo em estar ao teu lado.

Ele olhou pra mim esperando minha resposta. No entanto, fiquei paralisada, não imaginava escutar aquilo. Ele começou a se preocupar.

— Você está certa isso é besteira descu...

Eu o puxei e o beijei ardentemente.

— Isso quer dizer um sim pro meu pedido? — ele falou voltando a me beijar

— Claro — falei entre nossos beijos

Nossos beijos ficaram cada vez mais ardentes, nos levantamos e entramos dentro do meu apartamento, sem parar de nos beijar. Ao entrar Colin fecha a porta com o pé. E ficamos nos beijando em pé em frente da cama. Ao parar ficamos extremamente ofegantes, ele me olha apreensivo. Eu fico na ponta dos pés e sussurro no ouvido dele:

— Eu quero você

Ele me pegou nos braços e me pôs na cama, me beijou ardentemente, eu rapidamente tirei sua camisa, minhas mãos passearam no seu peitoral definido. Ele escorregou suas mãos por baixo da minha blusa, e a passou por cima da minha cabeça. Logo depois suas mãos foram para minhas costas desabotoar meu sutiã. Depois que ele finalmente conseguiu, suas mãos foram em direção aos meus seios, com os dedos ele segurou meus mamilos sensíveis e girou eles lentamente de um lado para o outro, o que me deixou ainda mais ofegante. Ele passou a beijar meu pescoço, dando pequenos chupões, não o suficiente pra ficar roxo. Seus beijos foram descendo até meus seios, onde ele sugava e dava leves mordidinhas, o que me fez deixar escapar um pequeno gemido.

Ele abriu meu zíper, eu o ajudei a tirar meu short. Sua boca permaneceu em meus peitos interligando entre um e outro, suas mãos por outro lado, desceu até minha partes inferiores, seu dedos começaram a fazer movimentos circulares, quando eu estava molhada o suficiente, ele pois dentro de mim um de seus dedos, o que me faz escapar mais um gemido, ele poe mais um dedo e faz movimentos diversos.

Eu seguro com força na coxa da cama, meus gemidos ficam cada vez mais difíceis de controlar e finalmente eu chego ao orgasmo, o que faz Colin ficar bem satisfeito. Mas não vou sentir esse prazer só, o empurro pra que eu fique por cima dele, ele se surpreende, mas me deixa no controle. Abro o zíper de sua calça, e a tiro de seu corpo, junto com sua cueca. Seu membro já estrava bem rígido, com minha mão eu o seguro e movimento para cima e para baixo com uma certa delicadeza, vejo a boca do Colin se abrir lentamente. Decido por minha boca, e permaneço com o mesmo movimento com a boca, depois de algum tempo Colin começa a ficar ofegante e soltar leves gemidos, quando ele está quase chegando ao seu limite, ele me puxa pra ele, e pega uma camisinha, eu a pego e ponho nele. Ele me deita novamente, e mesmo cheio de desejo ele tenta ser o mais calmo e cuidadoso comigo. Eu ponho minhas mãos em suas costas e quando ele entra dentro de mim o agarro e acabo arranho um pouco ele, mas não muito forte. Inicialmente ele é mais lento, mas ao decorrer que ambos ficam mais excitados a velocidade aumenta rapidamente. Ele começa me beijar até que ambos estão prestes a chegar no clímax soltamos gemidos e nossa respiração fica mais cansada e arfante.

Após acontecer, ele deita do meu lado e fica de lado pra me observar, eu faço o mesmo. Depois de um tempo a nossa respiração normaliza. Ele me abraça, e acabamos dormindo.

Acordei depois de 1 hora, ele ainda estava dormindo, provavelmente por conta da noite mal dormida, eu decidi me levantar e ir pra cozinha e fazer um belo café, era pleno domingo e queria aproveitar bem. Da cozinha dava pra ver Colin deitado só com um lençol fino cobrindo seu belo corpo. Mordo minha boca com esse pensamento, o sexo com ele foi fenomenal, foi prazeroso e senti o carinho dele durante cada movimento.

Quando me veio à cabeça nossa conversa no corredor, fiquei pensando como seria possível ele não saber a respeito de meus sentimentos. Sempre pensei que ele que não demonstrava, mas na verdade eu também não deixava claro meus sentimentos. Mas isso não ia acontecer mais.

CONTINUA...


Notas Finais


O QUE ACHARAM DO CAPITULO DE HOJE?
O QUE VOCÊS GOSTARAM?
GOSTARAM DO FINAL DESSA BRIGA?
DEIXEM AQUI NOS COMENTARIOS SUAS OPINIÕES.
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...