1. Spirit Fanfics >
  2. Is It Love? - In Her Darkness >
  3. Are Uncle Viktor And Mia Being Mean to You?

História Is It Love? - In Her Darkness - Capítulo 37


Escrita por:


Capítulo 37 - Are Uncle Viktor And Mia Being Mean to You?


Fanfic / Fanfiction Is It Love? - In Her Darkness - Capítulo 37 - Are Uncle Viktor And Mia Being Mean to You?

– Porra!

Faço sem querer Drogo acordar e ele se assusta ao ver Mia.

– O que você tá fazendo aqui? – Perguntou Drogo

– Acho bonito ver vocês juntos. – Respondeu ela ironicamente.

– Drogo tira ela daqui... – Peço a ele.

– Aí para de ser dramática... – Disse Mia.

– Mia sai daqui. – Protestou Drogo.

– Não... Quer saber eu estava esperando quando vocês transarem... Quando eu vou ver? ou vocês nunca transaram? – Perguntou ela como alguém esperando um show.

Nojenta.

– O que você quer? – Perguntou Drogo irritado.

– Eu só vim dar um recado... Eu vou fazer a vida da sua namoradinha um inferno. – Avisou ela sorrindo. – Tchauzinho. – Ela disse mandando beijo para nós com a mão saindo do quarto.

(...)

21 de maio 2013 – Terça

Eu estava horrível, com sede minha mente não raciocinava direito, estava fincando lenta e burra.
Estava na sala, Mia se senta na minha frente e pega as bolsas de sangue e bebe na minha frente, ela fazia barulhos, eu saio de perto mas ela me segue o cheiro de sangue faz eu surtar.

– Você quer um inferno sua Cadela? – Pergunto me transformando em uma caveira e uso minha telecinese arremessando o corpo dela pela sala.

Mia não responde, ela tenta levar mas eu quebro as pernas dela, ela tenta gritar mas eu a sufoco tirando seu fôlego, eu estava de punhos cerrados.

– O que você está fazendo? – Perguntou Peter me segurando e olhando.

– Ela... Ela estava bebendo sangue perto de mim... Me ameaçou...

– Para.  – Pediu Peter me olhando.

– Não, eu vou matar a vadia. – Digo me virando para Mia, fui quebrando osso por osso.

– O que está acontecendo aqui? – Era a voz de Viktor.

– Mia estava provocando ela... Ellie vai matar...

– Eu vou fritar o cérebro da sua concubina... – Respondo interrompendo Peter e fazendo Mia sofrer.

– Para! – Ordenou Viktor.

Eu parei mas não porque estava sendo controlada.

– Se ela fizer outra gracinha, você já pode preparar o velório dela. – Digo olhando para Viktor e pegando minha mochila.

(...)

Eu estava nos corredores da universidade, andando com a Kimberly que fala comigo, meus lábios ressecados pedia o sangue da minha colega.

– Ellie, você me ouviu? – Perguntou Kimberly.

– Desculpa... Estou sem dormir. – Respondo a ela ainda querendo morder o pescocinho dela.

– Eu conheço um cara... Que vende umas comprimidos muito bons... Ele deve ter remédio para dormir... Se quiser eu passo o contato dele. – Sussurrou Kimberly.

– Não obrigada! – Digo a ela entrando na sala.

Os professores e meus colegas de classe pareciam um cardápio.

(...)

Eu estava sentado no pequeno muro da universidade, eu via Mia saindo do Corolla preto, ela chamou a atenção todos, as pessoas paravam ela como se fosse o próprio Deus.

– Oi. – Disse Sarah.

– Oi...

– Nossa você tá horrível...

– Viktor não me deixa me alimentar...

Sarah fica em choque e fala.

– Isso explica a aparição de Mia.

– Aquela vadia pirada tá me deixando louca...

– Mas o que exatamente ele te obrigou a fazer? – Perguntou Sarah me olhando e tentando entender a situação.

– O que eu não posso fazer é me alimentar de sangue humano...

– Viu... Você pode se alimentar de sangue animal...

– Sarah qualquer deslize vai ser motivo para ele quebrar meus ossos, não quero arriscar.

– Mas olha para você...

– Sarah eu aguento...

Mia vem em nossa direção e diz em forma provocativa.

– Olha só a bruxa e meio bruxa... A Sarah é sua namorada escondida?

Eu não respondo e Sarah fala.

– Pelo menos eu não sou forçada me esfregar em uma múmia de 1.000 anos.

– Vocês tem sorte de estar em uma local público... – Disse Mia meio envergonhada.

– Ou o que? Vai sugar meu sangue até a última gota? – Perguntou Sarah se levantando e indo em direção a uma briga com Mia.

Eu queria separar mas possivelmente eu não conseguiria.

– Senhoritas. – Disse Sebastian separado as duas antes de um confronto. – Por que não vai para casa Srta. Cooper?

– Claro, mas cuidado com a coleira de prata Sr. Jones. – Disse Mia como se conseguisse irritar o professor.

Ela sai e eu e Sarah ficamos do lado de fora da universidade e eu ainda estava com sede, muita sede.

(...)

22 de maio de 2013 – Quarta

Era meu último teste na universidade para minha sorte era o de Física, peço ajuda de Cosmos para me concentrar e foi aí que eu consegui fazer, eu estava com tanta fome e sede.

– Srta. Collins? – Perguntou o professor.

– Sim?

– Sua nota... Foi impecável, parabéns sua nota é de 100.

Olho para o teste, mas eu não estava tão focada assim para ter tirado essa nota.
Olho para o professor e ele estava sorrindo e então ele fala baixinho.

– Mia disse que você pode agradecer bebendo sangue hunano.

Olho para ele, Mia o hipnotizou fazendo ele mudar minha nota e me mandar o recado, pego o meu teste, assino a lista e vou até Conrad.

– Quanto eu tirei? – Pergunto esfregando o meu teste na mesa dele.

– 100?

– Você pode corrigir por favor. – Suplico olhando para ele.

Ele corrige rapidamente e fala minha nota.

– 91 a 93.

Dou um suspiro, apesar de estar lenta e morrendo de sede eu ainda tinha minhas capacidades de calcular.

(...)

23 de maio de 2013 – Quinta

Eu fui muito bem nas matérias A , A- meu único B- foi educação física.
Eu fui para o terraço para não ficar perto das pessoas que estavam se despedindo por ser o último dia de aula para quem não ficou na recuperação.
Lá encontro Mia, ela me inferniza todos os dias, seus dedos tinham sangue, ela segurava uma bolsa de sangue.

– Tá na hora de comer. – Disse ela sacudindo a bolsa de sangue e se aproximando de mim.

– Me deixa em paz. – Digo deixando ela falando sozinha.

– Não... Vire as costas para mim.– Disse ela na minha frente. – Come um pouquinho.

Ela tentou esfregar o sangue dos seus dedos perto de mim eu pego seu braço dela e a derrubo no chão ela cai de barriga para baixo e piso em seu ombro ainda segurando o seu braço enquanto ela estava no chão.

– O que você quer de mim? – Pergunto pisando ainda mais seu ombro.

– Ele te transformou... Drogo me deixou para morrer... Por que ele não se importa comigo? – Perguntou ela chorando. – Você não sabe o que Viktor fez... Ele me atirou na covil dos originais... Eles me torturam... Me treinaram e depois que eu era apenas um fantoche eles me mandaram para Viktor.

Eu não solto o seu braço, ela me chuta no tornozelo caio no chão e rapidamente Mia fica em cima de mim ela tenta abrir minha boca para despejar o sangue da bolsa em mim então eu dou um soco em seu rosto, ela caia para o lado.
Eu corro para longe e me deparo com Sebastian.

– Me ajuda a sair daqui... Por favor. – Eu estava enfraquecendo, mal havia energias para continuar.

Sebastian coloca dentro do meu carro e eu vou até o meu apartamento, pego o livro e tranco a porta com a magia.

Sluit en Niemand Sal dit Oopmaak Nie, Sluit en Niemand Sal dit Oopmaak Nie.

Agora ninguém pode abrir a porta, tiro meus sapatos e me deito na cama, minha sede aumentava mais e mais.
Me concentro para adormecer e acabo sonhando com David e Abby.

"– É só você aguentar mais um pouquinho. – Disse minha mãe passando as mãos nos meus cabelos.

– É Banana você é forte... Aquela vaca não vai te derrubarDisse David."

Ao acordar eu ouço minha irmã conversando com alguém.

– Ela trancou a porta com uma magia especificava... Se não me engano é a linguagem africâner.

– Você não consegue abrir? – Era a voz de Drogo.

– Talvez...

Eu estralo os dedos e a porta abre, meus poderes estavam fracos, meu corpo estava fraco e minha mente estava lenta.

– Não vou deixar Mia encostar um dedo nela. – Prometeu Drogo para Ingrid.

– Eu sei que não... Mas agora Ellie precisa de você.

Drogo entra no quarto passa as mãos em mim, sinto ele me pegando no colo, eu me agarro em sua blusa.
Ouço os passos de Ingrid e ela diz.

– Tem roupa na mochila por 1 semana, qualquer coisa bate no apartamento que eu preparo mais uma bolsa.

– Ok... Obrigada Ingrid.

– Cuide dela. – Ordenou Ingrid.

– Sempre... – Disse Drogo.

Eu dormi no carro e ouço a voz de minha mãe.

"Aguente firme Eleonor... Estou sempre com você..."

Deixo uma lágrima cair o carro enquanto o carro andava.

(...)

Ouço uma discussão entre Viktor e Conrad enquanto Drogo me carregava para o seu quarto .

– Sabia que a sua amante ia forçar a Eleonor a beber sangue? – Perguntou a voz de Conrad

– Nossa híbrida é mais forte que eu pensava. – Respondeu a voz de Viktor.

– Ela não é sua... Ela não é nossa... E se sua Lolita não parar com essa perseguição para cima da Eleonor eu enterro ela viva de novo. – Ameaçou Conrad.

(...)

24 de maio de 2013 – Sexta

Eu ainda estava dormindo, sinto alguém tentar abrir minha boca e agarro o rosto da pessoa ainda de olhos fechados e eu estava pronta para quebrar sua mandíbula, quando vejo era Drogo, solto seu rosto.

– Tá tentando me torturar? – Pergunto olhando para ele.

– Já deu os 3 dias... Você está entrando no processo de putrefação... – Disse Drogo passa a mão em meu rosto. – Já são 6 da manhã então beba.

Eu seguro a bolsa de sangue em minhas mãos eu bebo pouco a pouco com dificuldade que depois passa.
O estado de putrefação significa que o vampiro vai ficar fraco pela falta de sangue, ficamos parecendo cadáveres, isso não mata, mas também não é uma sensação boa.

– Vem,  eu vou te preparar um banho. – Drogo se levanta e separa algumas roupas da mochila e me ajuda a levantar da cama.

(...)

Nos corredores estávamos andando lentamente quando Lorie apareceu.

– Nossa você tá feia. – Disse Lorie com a boca aberta.

– Ah obrigada Lorie. – Respondo ironicamente.

– Lorie por que você não vai brincar com seu pai e sua madrasta?... Vai lá. – Pediu Drogo abrindo a porta do banheiro.

– Tá bom... – Disse Lorie saltitante pela corredor e indo para as escadas.

(...)

Fico sentada na frente do espelho, meu reflexo está horrível, minhas pálpebras estavam vermelhas, minha boca estava rachada e meu cabelo estava podre enquanto isso Drogo analisa a água da banheira.

– Já está bem fria, como você gosta – Disse ele. – Quando você terminar e só abrir a porta.

Balanço cabeça e o vejo sair.

(...)

Ao terminar meu banho e me trocar, Drogo entra e me ajuda a secar os cabelos com o secador e até penteia.

(...)

Estávamos já em seu quarto, Drogo estava lendo um livro O Último dos Canalhas de Loretta Chase.
Eu estava deitada em cima dele, ele envolve seu braços em mim aquilo me animava um pouco.
Quando ele terminou o livro ele deita perto de mim e pergunta.

– Tio Viktor foi malvado com você?

– Foi sim. – Respondo com uma cara de inocente.

Ele segura o meu queixo e me beija.

– A vadia dele também? – Perguntou ele próximo aos meus lábios.

– Sim.

Ele beija mais uma vez, cuidadosamente.
Drogo já estava em cima de mim me beijando ferozmente, nada se quebrou, minha magia estava fraca, mas nada impediu do livro de Drogo ficasse estirado no chão  com uma pequena ilusão, das páginas saiam um tipo de poeira cósmica.

(...)

Ele não parou de me beijar, queria parar para retornar o fôlego, Mas quer saber, para que retomar o fôlego?


"A maioria das pessoas são mais fortes do que pensam. Elas só esquecem de acreditar algumas vezes.

– One Tree Hill"



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...