1. Spirit Fanfics >
  2. Is It Love? - In Her Darkness >
  3. Death

História Is It Love? - In Her Darkness - Capítulo 38


Escrita por:


Capítulo 38 - Death


Fanfic / Fanfiction Is It Love? - In Her Darkness - Capítulo 38 - Death

1 de junho de 2013 – Sábado

Já era férias, meu treinamento com Viktor havia me ajudado com minha sede,  apesar dele sempre quebrar algum osso meu. Eu Ingrid vamos voltar para Inglaterra para ficar com meus avós e meu pai nas férias,  eu e Drogo decidimos manter distância esses *3 meses de férias, não que terminamos mas nosso relacionamento virou um grude e não é isso que eu quero com ele.

(...)

Eu estava nas ruas do centro da cidade, estava usando óculos escuros já que o sangue de Conrad havia saído do meu sistema.
Sinto uma onda de energia ilusória, olho para cima e vejo um explosão em um prédio comercial acima de mim, as ruínas caíram em cima mim, eu ainda estava com os óculos vejo um homem se aproximar de mim, ele era alto, afro-americano, careca, de bigode e barba ralos e olhos pequenos castanhos.

– Calma... Logo isso vai acabar. – Disse o homem em um tom que era para ser tranquilizante mas não foi o eu senti.

Sinto ele tirando os escombros de cima de mim, olho em volta com a visão embasada, mas eu sinto o cheiro de cereja-do-inferno e camomila e sangue mas não me descontrolo, vejo alguns corpos de civis que estavam passando assim como eu, os corpos estavam estirado no chão, minha visão fica cada vez mais turva, o homem me carrega como se eu fosse um pedaço de carne.

(...)

Ingrid's Version:

Eu estava em casa sinto um desconforto aonde eu tenho a tatuagem que da lua crescente.
Vejo Mike jogando Ouija e afirma.

– Tem alguma coisa errada.

– O que?

– Os espíritos não estão se comunicando direito, estão falando coisas sem sentido.

Vou até o meu quarto e todas as minhas cartas de tarot estavam estranhas todas as minhas cartas eram A Morte ao pegar o tarot cigano todas as minhas era O Caixão.
Vou até a sala e vejo Mike que desistiu de falar com os espíritos.

– Tem algo de errado acontecendo né? – Perguntou o garoto.

– Todas as minhas cartas estão estranhas...

Após proferir isso recebo uma ligação de São Francisco.

– Alô?

– Ingrid, por que todas as minhas cartas estão todas como A Morte ou O Caixão? – Perguntou Helen do outro lado da linha.

– Eu não sei... As minhas estão iguais. – Afirmei olhando para Mike. – Mike também não tá conseguindo falar com os espíritos.

– Mike Turner?

– Sim, ele mesmo! – Respondo seriamente.

– Ele é amigo da Ellie?... E você ia bisbilhotar o futuro da sua irmã?

– Sim. – Confesso meu crime. – Mas é porque estou preocupada, tô sentindo muita dor na costela... E você?

– Querendo saber sobre a vida amorosa dela... Ela toda vez desvia o assunto quando eu pergunto.

Ah te peguei tia.

– Tá eu vou falar com Nicolae... Depois eu te ligo. – Digo desligando o telefone na cara dela e ligo para Nicole.

– Pronto.

– Nicolae... Ingrid... Como estão suas cartas?

– Vou ver.

Não demorou muito e ele me responde confuso.

– Estranhas só tem um desenho em todas as cartas...

– A Morte. – Digo junto com ele.– O que isso significa?

– Nicolae... Tô rezando para não ser o que eu pensando. – Respondo engolindo a saliva.

Desligo na cara dele e ligo para Sarah.

– Sarah?

– Sim?

– Olha suas cartas de tarot.

– Ingrid? – Perguntou ela confusa.

– Só faz o que eu tô te falando.

Ela volta para a linha resmungando mas responde.

– Todas as minhas cartas estão como A Morte, não tem nenhuma diferente. – Respondeu ela curiosa.

Desligo na cara dela e ligo para Helen.

– As cartas de todo mundo está assim. – Digo para ela.

– Sabe o que significa?

Engulo a saliva, fecho os olhos e respondo.

– Sim eu sei...

– Eleonor vai morrer hoje. – Completou Helen.

Desligo o telefone e pego novamente me casaco.

– Mike anda. – Digo para ele.

Saio pela porta e mando uma mensagem para todo mundo do nosso clã.

Eu: Vamos nos encontrar na casa dos Bartholys. «Charles, Dylan, Jade, Sebastian e Sarah»

(...)

Eu estou pouco me fudendo se Viktor odeia bruxas, eu não tô nem aí para a puta loira da Mia, eu preciso de ajuda.

Eleanor's Version:

Eu acordo me sinto paralisada, com muita dor.

– Olha... Sangue de cadáver funciona. – Disse o homem me olhando.

Eu só conseguia mexer os olhos e o homem continua.

– É eu sei... Eu tô diferente... Tive que trocar de corpo de última hora... Os mercenários do Conselho quase me mataram... Sorte que eu conheço bruxas e tenho ainda alguns aliados.

Ezra.

– Mas eu entrei na sua mente... Realmente não sabe onde a minha Alisha está... Eu não sou telepata... Mas eu nasci com umas habilidades diferentes que meus outros colegas ilusionistas, vocês só conseguem ver traços dos medos, momentos felizes... Eu entro e vejo tudo cada momento detalhado... E você não me serve para nada... Mas ainda podemos nos divertir.

Ele pega um funil de metal em minha boca e pega um galão, eu queira me mexer, mas meu corpo estava paralisado, minha magia também estavam, o composto de cereja-do-inferno com camomila paralisou os meus poderes, todos meus poderes.
Ao abrir o galão eu sinto o cheiro de água benta, Ezra despeja o dentro do funil a água benta, minha garganta e estômago queimam por inteiro, eu queria gritar mas a paralisia não deixava.

– Vejo pelas suas lágrimas que dói... É uma pena que você não possa gritar... Sangue de cadáver é um saco. – Dizia Ezra, ele tira do seu terno meus óculos escuros. – Soube que alguém aqui não queima na luz do dia... Mas os olhos são muito sensíveis.

Ao proferir isso ele abre a porta da van que estávamos, sinto o cheiro da terra e até mesmo de água, estamos em algum lago.
Ezra deixa a porta da van aperta eu fecho os olhos e a luz do dia entrar ouço ele saindo da van e sussurrando.

– A segunda dose do seu remédio é daqui uma hora... Aproveite a luz do dia.

Ouço ele se afastando cada vez mais e ainda tenho forças para deixar meus familiares sairem dentro de mim e mentalmente eu falo.

Tenho uma missão para vocês, não falem.
Vênus você tem que achar a minha irmã e dar um recado a ela
Diga que estou no lago do afogamento e que Ezra está aqui.

Vênus some que nem fumaça e agora era a missão de Cosmos.

Eu quero que vá até a Inglaterra, diga ao meu pai e meus avós que eu amo eles, caso eu morrer, para eles não terem arrependimentos e que eu vou estar em um lugar melhor e diga o mesmo ao meus tios.
Mas antes de ir a Inglaterra vá até a minha irmã e meus amigos diga que eu também os amo, cada um deles e que sempre estarei ao lado de todos.
Diga ao Drogo e Conrad que eles foram uma das melhores coisas da minha vida, que eu tive os melhores dias ao lado deles, que eu amo eles, que sempre amarei... E se eu morrer, vou sempre estar ao lado deles.

Cosmos me olha e eu pude ver sua lágrima cair em mim ele some como fumaça, valeu a pena queimar minhas retinas para ver meus familiares pela última vez.

(...)

Mike's Version:

"Guardar raiva é como segurar um carvão em brasa com a intenção de atirá-lo em alguém; é você que se queima.

– Buda"

Já estávamos na casa dos Bartholys e a tensão só aumenta Sarah e Viktor pareciam dois animais selvagens prontos para atacar.

– A gente não sabe aonde ela está... E não tem como fazer feitiço porque parece que os poderes sumiram. – Falou Charles.

– A gente pode rastrear pelo cheiro. – Falou Peter.

Uma fumaça branca se forma e se transforma em um corvo branco, era Vênus.
Ela grasna para Ingrid.

– A Eleonor tá no lago próximo a área rural.

– Onde os universitários fazem festas? – Perguntei olhando para ela.

– Ezra a levou para lá. – Disse Ingrid.

– A gente tem que se organizar... – Afirmou Jade.

Outra fumaça se transforma no Cosmos e ele da um grasno para nós e eu entendi o que ele disse e lágrimas caíram do meu rosto, e do rosto cada um de nós até mesmo de Jade.

Ele foi até Drogo e Conrad e da outro grasno para eles.
Eu não entendi o que eles falaram, pelo que eu sei de familiares e que eles podem falar em código, como agora eu não entendo o que ele falou para Drogo e Conrad assim como eles não entenderam o que Cosmos falou para nós.

Vejo Conrad tirar um anel azul escuro de um relógio de bolso e ouço ele murmurar.

– Prometo que vou te achar... Aguente firme.

Naquela hora a raiva que eu estava de Ezra, estava com raiva de mim mesmo, eu sou o melhor amigo dela e eu não aceito perdê-la.
Tiro minha jaqueta e me transformo no lobo bege e Sebastian se transforma no lobo negro fomos os primeiros a sair dali.

Jade's Version:

– Tá a vadia loira, o cabeludo e o velho babão ficam aqui. – Digo dando as ordens. – Eu vou levar a Ingrid e Dylan leva a Sarah... Charles você vai de carro... O vampiros que não vai ficar aqui já podem correr.

E com um piscar de olhos eles somem pego Ingrid pelo braço e voamos fora dali, Dylan faz o mesmo com Sarah.

Voamos até o lado do afogamento, tinha esse nome pois os adolescentes tinham mania de se atirarem no lago sem saber nadar alguns acabaram se afogando, daí os universitários da Mystery Spell e da universidade Milton Thorne vinham aqui para dar festas.

(...)

Estávamos ainda bem longe do logo espero que Mike, Sebastian, Peter, Drogo e Conrad tenham tido mais sorte.

(...)

Eleanor's Version:

"Oh Capitão! Meu capitão! nossa viagem medonha terminou...

– Walt Whitman"

Depois que perdeu a graça de me forçar a beber água benta, jogar água benta em meu corpo que apesar de estar paralisada eu ainda sentia dor e jogar água benta dentro dos meus olhos, Ezra pegou o meu corpo e atirou no lago eu sinto a água entrando em meus pulmões e tudo ficou preto.

"Eu estava no paraíso que Ingrid invadia quando dormia lá estavam minha mãe e meu irmão.

Eleonor, não é sua hora. – Disse minha mãe. – Tem que ser forte e resistir.

– Você não resistiu. – Afirmo para ela.

– É diferente... Eleonor pessoas que precisam de você. – Disse David.

Eu não quero ir. – Afirmo olhando para eles.

Eleonor na hora... Eu te amo e faria qualquer coisa para ter minha família reunida de volta. – Disse minha mãe. – Pense nos seus avós, seu pai, sua irmã, seus amigos, Drogo e Conrad...

– Eu tô cansada mãe...

David me abraça e diz.

– Eu sei que você está cansada... Mas a vida é assim, sei que não podemos crescer e morrer juntos... Mas viva por mim... Por nós... Você e a Ingrid são as melhores sempre foi e sempre vai serão... Eu amo você... Agora volte para o seu mundo.

(...)

Ingrid Version:

Ao chegar lá eu vejo uma mulher ruiva, segurando o corpo de Ellie que estava de olhos fechados, ela havia matado um homem, possivelmente Ezra.
A mulher ruiva estava com a boca suja de sangue.

– Quem é você? – Perguntou Jade pousando no chão.

– Ela é a minha irmã. – Respondeu Conrad. – Eve esses são Dylan, Jade, Sarah, Ingrid...

Conrad se vira e vê o lobo bege e o lobo preto.

– Aqueles são Mike e Sebastian. – Disse Conrad apontando para eles.– Esse é Drogo...

Demorou um tempo quando Charles chegou.

– E esse é o Charles. – Disse Conrad. – Pessoal essa é a Eve, minha irmã.

Me aproximo do corpo de Ellie imóvel.

– Ela vai ficar bem?

Eve me olhou e respondeu sinceramente.

– Aquele homem injetou muito sangue de cadáver nela... Jogou água benta... Realmente ele torturou a garota... E difícil disser se ela vai sobreviver.

Eu te proíbo de morrer Eleonor Olivia Collins... Eu te proíbo.

Contínua.... 

(Encerra-se o primeiro ciclo).


Notas Finais


* Nos Estados Unidos as férias é em junho, julho e agosto.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...