1. Spirit Fanfics >
  2. Is It Love? - In Her Darkness >
  3. The Second Door to The Underworld is Open (Freedom)

História Is It Love? - In Her Darkness - Capítulo 79


Escrita por:


Capítulo 79 - The Second Door to The Underworld is Open (Freedom)


Fanfic / Fanfiction Is It Love? - In Her Darkness - Capítulo 79 - The Second Door to The Underworld is Open (Freedom)

Episódio 27 (Part. II):

"Mantenha os amigos sempre perto de você e os inimigos mais perto ainda.

– Lao Tsé"

– Como você quer que a gente saia, Esperto? – Perguntou Peter irritado com a presença de Loan.

– Fica frio parasita... Isso eu vou deixar com as feiticeiras. – Disse Loan em um tom pejorativo ao nós chamar daquela maneira.

Dou um estralar de dedos, Samantha que estava caminhando entre os degraus do palco pisa em falso e cai de cara no chão, as pessoas se aproximam dela e até dão risadas.

– Agora podemos ir? – Perguntei a Loan após meu pequeno ato.

– Sim... – Respondeu Loan satisfeito enquanto saímos de fininho.

(...)

Nos corredores eu sentia a prepotência de Loan.

– Você sabe como lutar com aquelas criaturas?... Em? – Perguntou para ele.

– Vocês tem magia... Isso já basta. – Loan respondeu vitoriosamente.

Aquilo me irritou, o pego pelo colarinho e o deixo suspenso no ar.

– Eleonor não faça isso. – Pediu Peter tentando me impedir.

Eu paraliso os passos de Peter estirando minha mão livre na direção de Peter.

– Acha que eu usando muita força? – Pergunto ironicamente, apertando mais o pescoço dele. – Você não manda em nada.

Deixo ele cair no chão ele me olha assustado, com raiva por ter humilhado ele, porém essa não foi a minha intenção.

– Então do que precisamos? – Perguntou Killian tentando acalmar a situação.

– Primeiro, armas... Pistolas e revólveres não vão resolver... Tem que ser espingarda, metralhadora, rifles... Tudo que tenha potência letal... Magia quase não afeta eles. – Digo estralando os dedos e tirando Peter da paralisia.

– Eu conheço um lugar. – Afirmou Killian olhando para Loan. – Mas esse cretino vai no porta malas.

Peter pega Loan por trás do pescoço e arrasta ele pelo corredor da universidade.

Chegamos no carro mais próximo que era de Killian um Rolls-Royce preto, jogamos Laon no porta malas e dirigimos até parte do local e descemos no meio da tempestade.

– E seguro deixá-lo aí? – Perguntou Peter atrás de mim.

– Eu não ligo. – Digo segundo Killian.

A gente andou até a biblioteca municipal de Mystery Spell, nós andamos até lá, dentro eu vi a porta que estava quase caindo.
Killian abre a porta e eu vejo as armas rapidamente eu entro e vejo o que eu preciso.

– O que é isso? – Pergunto pegando a arma totalmente estranha para mim.

– É um lança granadas. – Respondeu  Peter em seu tom melancólico. – Eu jurava que livros eram a maior arma que um ser humano poderia vir a ter.

– Número um não somos humanos, dois você não é o ¹Doctor Who... Três você está na guerra... Se quer sobreviver vai ter que colocar as suas mãozinhas nas armas.

Pego muitos rifles, rifles de longa distância, fuzis, metralhadoras, espingardas de cano curto, lanças granadas, uma das espadas que estavam lá e munições para cada arma, colocamos na bolsa que estavam alí.

Na saída Mike me para e me entrega um soco inglês com uma inscrição da carta As.

– Achei sua cara. – Disse Mike em do meu lado.

Não respondo apenas pego o soco inglês e coloco no meu bolso da calça.

(...)

Encontramos  Krista, Caleb, Arthur e Sebastian.

– Então como vai ser? – Perguntou Caleb nos olhando para nós.

– Nós temos que nos dividir... Nicolae e Lorie está com problemas... – Afirmou Peter olhando para eles.

– Precisamos de mais pessoas. – Disse Arthur olhando para  nós.

– Já mandei uma mensagem... Para todos... Temos que nos dividir. – Disse Caleb olhando para cima e vendo o céu verde.

– Ah estava quase me esquecendo. – Digo abrindo o porta malas. – Esse inútil vai com a gente.

E então dividimos as armas e munições, nós fomos para a primeira fenda onde saia de vez enquanto Fúrias e então ficaram eu, Ingrid, Caleb, Mike, Conrad, James, Arthur, Aiden, Loan, Amara e Hank.

(...)

Lá vimos nada de início, mas Hank toma a minha metralhadora das minhas mãos e dispara contra a Fúria que ia nós atacar, especialmente Caleb e Ingrid.

– Eu tive uma idéia. – Disse Mike para mim.

– Qual?

Eu pego minha adaga de com cabo verde água que estava em minha mochila e entrego para Mike, ele marca sua mão um triângulo e faz o mesmo na minha mão.
Nós fomos de mãos dadas até o centro da manifestações das criaturas, elas pegam fogo, tudo ficam encendido.
Entre as chamas eu sinto uma onda de água apagando as chamas, isso foi por conta da hidrocinese praticada por James.
Duas fúrias vieram para cima de mim sinto os tiros nelas, vejo Amara jogando para mim a espada, a lâmina fica flamejantes eu corto a cabeça da criatura e enfio a espada flamejante na peito da outra.
Olho em volta e vejo que a maioria as fúrias no chão todos que tinhs magia queimou os corpos, pego o lança granadas e ponho dentro do da rachadura e laço a granada, que estoura tudo lá dentro, dúvido que algo saia de lá agora.
E foi aí que a gente ouviu um grito, a voz era de Loan.
Seguimos até o barulho e vejo que sobrou mais uma Fúria com uma espingarda meu pai e Caleb o rifle de longa distância eles atiram na criatura que demora para ser abatida.

– Tinha veneno... Na criatura. – Digo sentindo o cheiro da ferida de Loan.

Ingrid, Mike, James, Aiden Amara e eu tentamos curá-lo mas falhamos.

– Esquece ele vai morrer. – Disse Amara desistindo.

– E se dermos sangue a ele? – Perguntou Conrad me olhando.

– Não... Aquilo só funcionou porque você é um vampiro... Ele é um humano... – Respondo para ele ainda com as mãos estancando o sangramento.

– Se vampiros precisam de sangue... Humanos precisam de hospital. – Concluiu Ingrid me olhando.

– Ele não tem muito tempo. – Disse Hank tocando no pescoço dele.

Arthur pegou as pernas, Conrad pegou os braços e eu tive que dar um jeito de ficar estancando a ferida que perfurou as costas direto para o abdômen.

(...)

Pai qual é a desculpa? – Pergunto com a mãos estancando as feridas.

– A gente achou ele assim... Sem Possivelmente atacado por algum membro de uma gangue de assaltantes... Ferimento com um facão. – Respondeu Hank. – Os bandidos saíram possivelmente com o objeto.

– Tá bom... – Respondo sentindo o cheiro de sangue e veneno.

(...)

Unknown Version:

"Não é que eu tenha medo de morrer. É que eu não quero estar lá na hora que isso acontecer.

– Woody Allen"

No segundo ponto das criaturas do submundo estavam Nicolae, Lorie, Peter, Sebastian, Krista, Mallory, Sarah, Killian, Bruce e Helen.
Os diabretes atacam sem dó seus olhos totalmente azuis suas garras das mãos e pés fazia jus ao seu nome, usas orelhas pareciam de um duende seus longos chifres e rabo atacavam sem piedade.
Chegava ser cômico ver uma "criança" atirar com uma espingarda de cano corto, Nicolae fica de costas para Lorie a protegendo.
Peter ajudava Sebastian com a metralhadora, as irmãs Rosenbergs protegiam uma a outra Mallory protegia Krista com brutalidade e um fuzil e Krista protegia Mallory com magia e uma rifle de longa distância.
Sarah e Killian atiravam com as metralhadoras era quase impossível não ver Bonnie e Clyde do século XXI.
Bruce e Helen também estavam entre a magia e balas.

(...)

As duplas cuidavam dos diabretes que saiam aos montes daquela rachadura e foi aí que dois deles atacou Sebastian e Peter, era impossível alguém ajudar, porém alguém improvável foi ajudá-los e pagaria caro por esse ato.
Ela voava em sua forma de coruja atacava os diabretes Sebastian conseguiu se soltar de porém o mesmo diabrete voou até Izzy a segurou pelo pescoço tirando o seu ar.
Nesse momento Peter conseguiu se soltar e arrancando algo do peito do diabrete que o atacou possivelmente aquilo era um coração.

– Isabella... Não. – Disse Peter com a arma atirando na criatura mas já era tarde quando o diabrete solta a pequena coruja branca que cai no chão despida em sua forma humana.

Sebastian termina de atirar no diabete que havia matado sua irmã enquanto Peter segurava o corpo sem vida de Izzy.

– Por favor... Trás ela de volta. – Pediu Peter para Helen. – Liga para Ellie... Por favor só trás ela...

Helen se senta no chão ao lado de Peter e afaga seu ombro e diz. – Se eu pudesse eu traria... Mas há consequências... Quando uma alma é levada... Não pode trazer de volta... E um equilíbrio... Se alguém morre e é ressuscitado alguém tem que morrer no lugar para manter esse equilíbrio... Eu sinto muito. – Ao dizer isso Helen fecha os olhos de Isabella.

– Tudo bem. – Disse Peter ainda segurando o corpo morto dela. – Tire a minha alma e a deixe viver... Ela é jovem não merecia isso... Me mata... Por favor...

– Garoto levanta. – Disse Sebastian chorando tentando tirar Peter do lado do corpo morto de sua irmã. – Ela não quer te ver assim.

Peter se levanta secando as lágrimas, Sebastian coloca seu casaco envolta do corpo da irmã a cobrindo para que ninguém mais visse aquela cena.

– Temos que chamar o Hank... – Disse Bruce para Helen olhando aquela cena.

Bruce encontra seu celular no chão e vê uma mensagem de James.

James: Estamos todos bem... Só tem um ferido que já levamos para o hospital... Vocês estão bem?...  Love U 4ever <3.

Bruce não teve coragem de falar a verdade de início mãos deixou uma mensagem em aberto.

Bruce: Estamos bem, porém ocorreu um incidente... Precisamos do Hank... Eu e Helen estamos bem... Love U 4ever.

Bruce olha para o céu e vê os raios de sol e o azul do céu tomando forma ele olha para o corpo de Izzy e ele havia entendido, a alma dela havia encontrado a paz.

“Retirai o meu pecado, e serei limpo; Lava-me, e serei mais branco que a neve.

– Psalm 51"

1) Frase de Doctor Who 2° temporada, episódio 2: "Você quer armas? Estamos em uma biblioteca! Livros! As melhores armas do mundo!"


Notas Finais


Série de Inspiração:

Criminal Minds, 10° temporada, episódio 10.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...