História Is It Love Adam - Com você ao meu lado (Temporada 2) - Capítulo 29


Escrita por:

Visualizações 18
Palavras 2.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores!
Hoje temos o último capítulo dessa história, dessa semana e vamos fechar ela com chave de ouro!
Para vocês, o primeiro HOT da Elisa e do Lucas!

Capítulo 29 - Lucas - Não quero só uma noite


As coisas seguiram para um caminho que eu não esperava, mas que eu, sem dúvida alguma, tinha adorado. Algumas brincadeiras no estacionamento, alguns amassos no carro e eu estava já fervendo de vontade dela. O que me deixou feliz foi saber que ela me queria assim também, então não pensei duas vezes em sugerir como deveríamos seguir a noite.

Eu nem acreditei que estávamos lá, no meio daqueles corredores do motel, nos beijando descontroladamente, nos deixando levar por toda esse desejo que tínhamos um pelo outro. Eu tocava em seu corpo, apertava ele contra o meu, enquanto saboreava seus lábios macios, até não ter mais ar nenhum, mordiscando seus lábios e o possuindo com uma certa violência que a muito tempo não me deixava levar.

Suas mãos macias desciam pelo meu corpo, pela minha bunda e quando chegamos na porta do quarto, foi o único momento que nos separamos. Assim que fechei e tranquei a porta dele, rapidamente Elisa se agarrou a minha nunca me puxando para um nova sessão de longos beijos. Eu já sentia meu pênis duro dentro das minhas calças e nós dois ainda estávamos vestidos.

Pressionei Elisa contra a parede oposta à porta, apertando sua bunda e pressionando bem meu corpo contra o dela, eu podia sentir nossas intimidades roçando sobre a roupa e esse contato fez ela soltar um leve gemido contra os meus lábios, completamente sexy que só me deixou ainda mais empolgado.

Eu desci meus lábios pelo seu pescoço macio, beijando sua extensão e passando a língua por ela. Sua pele é muito macia e seu perfume é completamente inebriante.

- Eu não sei se estamos indo muito rápido... – disse ela com a respiração pesada, descendo suas mãos pelo meus ombros.

Eu parei de beija-la e olhei bem para seus olhos, eu estava louco por ela, mas se ela não me quisesse, não ainda, eu ia ter que lidar com isso e me resolver sozinho depois.

- Se você não quiser, terminamos por aqui. Não quero te forçar a nada!

- Esse é o problema... eu quero... até mais do que deveria...

Suas mãos descem pela gola da minha camisa e consigo sentir o toque de suas mãos contra a minha pele... Sua voz sexy, seus toques, ela estava me dando sinal verde e eu ia avançar ele, com certeza.

- Então aproveita e se deixa levar.... – eu disse isso e voltei a beija-la, sentindo agora suas mãos se desfazendo lentamente da minha camisa.

Eu fiz o mesmo e comecei a tirar a roupa dela, mas não com delicadeza e cuidado, mas com pressa e ansiedade. Nós não estávamos indo com calma, estávamos sedentos um pelo outro e pelo jeito que Elisa me beijava e tocava eu sabia que estávamos na mesma sintonia.

Ela me tocava sem pudor algum, descendo suas mãos pelas minhas costas, acariciando e apertando a minha bunda, por dentro da boxer. Eu sabia que tinha que me conter para que as coisas não acabasse rápido demais. 

Mas era difícil não sentir meu membro latejando de vontade, quando ela começou a beijar meu pescoço e meu peito, enquanto suas unhas desciam levemente arranhando as minhas costas... A sensação delas em volta da minha espinha, junto com seus lábios descendo sobre mim é simplesmente deliciosa.

Eu fui ficando à mercê dela e em seus olhos brilhantes de desejo eu via que ela estava adorando isso. Tudo que eu queria era descobrir tudo que ela poderia me oferecer. 

Sem deixar de beija-la, deixei que ela me guiasse até a cama, onde me sentei na ponta dela, conforme ela foi me instruindo. Ela ainda estava de lingerie, mas eu já podia ter uma linda visão de seu corpo, seus seios grandes, seu quadril largo... Ela é linda demais e eu estava bem curioso para descobrir o resto de seu corpo.

Mas, me contive e a deixei no comando, só observando quando ela, sem deixar de olhar para mim de forma sensual, se abaixou na minha frente e colocou a mão dentro da minha cueca, envolvendo meu membro com sua mão.

Na hora um gemido escapou dos meus lábios e mais um não quando ela o retirou da minha boxer e começou a me masturbar, subindo e descendo sua mão por toda a minha extensão.

- Temos um belo membro aqui... – disse ela com uma voz carregada de desejo. – Ele está até me dando água na boca...

- Eu não quero que você passe vontade. – disse com uma voz pesada, sentindo ainda todo o prazer tomar conta do meu corpo, enquanto ela continuava me masturbando com habilidade.

Ela sorriu para mim e levou ele até sua boca. Porra que sensação gostosa era aquela. Sua boca subia e descia rapidamente sobre mim e sua língua tocava a cabeça do meu pênis com cuidado e leveza, que já estava me levando à loucura. Ela sabe realmente como fazer um oral em um cara, mas eu estava me recusando a gozar, não tão cedo e não tão rápido...

Ela parecia estar gostando isso, acho que meus gemidos e minha mão envolvida em seus cabelos mostravam que eu estava gostando disso. Mas ela parou então e ainda olhando, se desfez de seu sutiã, me mostrando os lindos seios que ela tem.

Quando meu pau foi envolvido pelos seus seios eu sabia que eu não tinha muita escolha, logo eu ia gozar. A sensação de seus seios se movendo ao meu redor, me acariciando e ainda por cima sua língua, tocando levemente a cabeça dele, eu acabei gozando rapidamente entre os seios dela.

Elisa adorou isso, pelo seu sorriso eu via que ela estava bem satisfeita consigo mesma e depois de me fazer gozar ela se curvou sobre mim e disse na minha orelha...

- Eu sabia que você ia gostar... – com uma voz bem sexy.

Eu aproveitei a proximidade dela e a puxei para meu colo, a deitando rapidamente na cama, em dois movimentos. Me curvei sobre ela e disse em seu ouvido, no mesmo tom que ela tinha falado comigo a minutos atrás:

- Agora é a minha vez de te fazer gozar...

Ela mordeu o lábio e eu a beijei, invadindo sua lábios com violência e forçando minha língua contra a dela, permitindo que me membro roçasse sobre ela, ainda por cima de sua calcinha. Do jeito que estávamos indo eu sabia que logo eu ficaria duro de novo.

Me concentrei nela, era a minha vez de lhe dar prazer e eu não pretendia falhar, beijei seu pescoço, distribuindo pequenas mordidas e logo estava entre seus seios que ainda estavam um pouco cobertos pelo meu sêmen.

Limpei eles, com movimentos delicados que fizeram Elisa suspirar e depois, desci minha língua entre eles, para depois mordiscar um de seus mamilos. Desde a hora que vi eles pensei em como queria suga-los e não me contive. Um de cada vez, suguei eles com gosto, mordendo os seus mamilos com cuidado e passando minha língua sobre eles.

Elisa estava delirando com isso, seu podia sentir seu quadril se movendo contra mim, suas mãos arranhando as minhas gostas e seus gemidos já preenchiam todo o quarto. O que não me fez pensar duas vezes quando me desfiz de sua calcinha e desci meus lábios pela sua barriga e virilha.

Olhei aquela entrada linda e úmida e logo me afundei nela, investindo minha língua dentro dela, buscando encontrar seu ponto de prazer. Ela gemeu alto da hora que minha língua passou pelo seu clitóris e eu me concentrei em continuar lá, movendo minha língua em movimentos circulares e mordiscando aquele ponto carnudo que lhe dava tanta felicidade.

O prazer estava estampado em seu rosto, eu conseguia ver, ela estava com o rosto corado, a respiração acelerada, gemia e pedia que eu continuasse quando eu parava... Nisso eu já sentia meu pau completamente duro, implorando para mim para se afundar finalmente naquela entrada maravilhosa.

- Isso Lucas... assim.... continua… Eu estou quase...

- Você é deliciosa... viciante… – disse me afastando brevemente de sua entrada.

Eu penetrei dois dedos dentro dela, fazendo-a gemer agora bem mais alto, o sons dela eram meu combustível sexual, tudo que eu queria era continuar, até o meu limite. Voltei a suga-la, sentindo-a apertar meus cabelos com força e eu só parei quando senti seu gozo invadir minha língua. Eu tinha feito a minha tarefa com proeza. Me afastei dela e enquanto observava ela se recuperando e peguei uma camisinha e envolvi meu membro e me deitei sobre ela.

Em seus olhos e via a mesma ansiedade que eu deveria estar exalando então me permitir entrar nela, em um movimento lento e cuidadoso. Nós dois suspiramos com esse contato, a sensação da carne úmida dela me envolvendo foi simplesmente incrível e comecei a estocar lentamente, conforme o ritmo de nossas respirações, sem deixar de olhar para seu lindo rosto.

Elisa me puxou para um beijo carregado de desejo e apertava minha nunca com força. Seus lábios vorazes envolvem os meus e lentamente minhas investidas vão ganhando a mesma intensidade e voracidade que nossos lábios.  

Eu escutava ela gemer contra meus lábios e eu fazia o mesmo. Me agarrando ao seu corpo e indo mais forte, sempre. Ela se agarrava a mim, descendo as mãos pelas minhas costas, apertando a minha bunda e pressionando o seu quadril contra o meu, fazendo eu ir bem fundo dentro dela. Nosso sexo que começou delicado foi ficando cada vez mais intenso.

Elisa foi se agarrando completamente a mim, envolvendo seus braços em meu pescoço, suas pernas em meus quadris. Seus gemidos chegavam diretamente em meus ouvidos e ainda sentia seus lábios dando pequenos beijos em minha orelha. Beijos abafados e rápidos. Eu sentia todo o suor tomar conta de nossos corpos que estavam cada vez mais perto de alcançar o limite do prazer.

Depois de longas estocadas, Elisa gozou em volta de mim e eu pude me permitir me entregar para um verdadeiro orgasmo. Fazia tempo que eu não sabia o que era um sexo como aquele, tão delicioso e intenso daquela forma.

Eu sai de dentro dela e me livrei da camisinha usada, ficamos abraçados juntos, sentindo nossas respirações se acalmarem para que pudéssemos pensar nos próximos passos. Trocamos alguns beijos, tomamos banho juntos e voltamos a nos deitar na cama, só que agora limpos e mais tranquilos do que antes.

Ela se aninhou no meu peito, me permitindo sentir o calor do seu pequeno corpo junto ao meu, o cheiro da sua pele limpa... Eu estava completamente absorvido por essa mulher e queria mais dela, muito mais do que o que tivemos hoje.

- Então você gostou?! – disse enquanto acariciava suas costas nuas. – Valeu a pena a aventura?

- Muito... Achei que tinha sido clara nisso com meus gemidos e suspiros na cama, no banheiro...

- Eu gosto de confirmar, para ter certeza que eu agradei! Porque eu sabia que eu ia gostar disso desde o momento que você aceitou estar aqui comigo...

Elisa ficou um pouco sem graça, mas falou sem vergonha alguma:

- Bastante... – disse ela acariciando meu peito com a ponta dos dedos. – Fazia tempo que eu não sabia o que era um sexo bom assim....

Eu vi seu sorriso brincalhão no rosto e sorri automaticamente. Eu estava orgulhoso de mim mesmo ouvindo aquilo dela.

- Só não vai ficar metido viu... odeio esse tipo de comportamento.

- De forma alguma! Ouvir isso só me faz pensar que tenho que te dar mais e mais prazer. Para mostrar que essa noite não foi um caso à parte...

Eu me viro, ficando em cima dela e lhe dou mais um beijo, envolvente, longo e bem mais delicado dos que os outros que trocamos nesse quarto. Depois disso eu me deito novamente, a abraçando com força contra mim.

- Eu espero que tenhamos mais noites assim! – disse olhando para ela.

- Por mim, podemos sim... Eu gosto de estar com você...  – ela deu um sorriso tímido e mordeu seu lábio, marcando sua boca vermelha e macia. Eu já estava ficando viciado nela e nem tínhamos começado direito.

- Eu também, por isso que eu quero deixar uma coisa bem clara entre nós, Elisa. Eu não quero você assim, só uma noite ou outra... Eu quero você de verdade.

Elisa focou seus olhos em mim e eu pude ver um certo brilho neles, um brilho sincero e esperançoso. Eu sorrio para ela e falo acariciando sua bochecha com o polegar:

- Você está livre no sábado à noite?

Ela sorri para mim e responde:

- Para falar a verdade eu estou sim! Mas, quais são seus planos?

- Gosta de comida indiana?

- Gosto!

- Então... O que acha de um jantar comigo? Tem um restaurante indiano muito bom no centro e acho que você vai gostar.

Ela dá um pequeno riso e responde:

- Eu aceito sim!

Ela me dá um beijo lento e eu fico muito feliz com a resposta dela. Quero fazer as coisas direito porque sei, que embora não seja fácil, o que eu e Elisa podemos ter, vale muito a pena.


Notas Finais


O que acharam?
Valeu a pena?
Comentem!
Segunda tem mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...