História Is It love? Drogo - Magia e sedução. - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Is It Love?
Personagens Drogo, Lorie, Nicolae, Personagens Originais, Peter
Visualizações 32
Palavras 1.848
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, LGBT, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 30 - Capitulo 30


Fanfic / Fanfiction Is It love? Drogo - Magia e sedução. - Capítulo 30 - Capitulo 30

P.O.V Jade

Acordo com alguém sacudindo meus ombros. Abro meus olhos mas os fecho novamente me incomodando com a claridade. A pessoa ainda me chama só que dessa vez sem me tocar. Tomo coragem e abro olhos, vejo Sarah parada bem a minha frente. Eu não dormi na minha cama, acabei pegando no sono sobre o sofá. Não falei mais com Drogo depois de ontem à noite com o Klaus e acho que não vamos nos falar tão cedo.

Sarah: Você está bem amiga? Porque não dormiu no seu quarto?

Jade: Sim. Acho que…Na verdade não, eu e Drogo demos um tempo. – murmuro baixinho. Sarah arregala os olhos.

Sarah: Vocês terminaram? Como foi isso?

Jade: Sim, mas tudo bem porque quando o Drogo saiu, o Klaus chegou.

Sarah: Ah, não! Você e o Klaus? – diz frustrada.

Jade: Não, calma. Klaus e eu conversamos. E eu percebi o quanto eu amo aquele fedelho do Drogo. Nós temos nossos problemas, mas eu quero fazer dar certo.

 

(...)

P.O.V Drogo

Acordo na minha cama totalmente perdido e de ressaca. Tateio o lado da cama e não tem ninguém e uma sensação de alivio toma conta do meu corpo. E eu volto a me deitar para dormir.

????: Bom dia! – tomo um susto ao ouvir uma voz feminina saindo aparentemente do meu banheiro.

Drogo: Bom dia...Eu acho. Eu sei que é uma pergunta idiota mas...nós transamos ontem à noite?

????: Sim. - responde dando de ombros.

Drogo: Qual seu nome mesmo?

????: Margo.

Assinto me levantando deixando-a sozinha no quarto. Faço um café forte para dar um jeito na minha ressaca. Pego meu celular para ver as notificações e vejo o nome dela.

X

Amor: Oi, tentei ligar pra você a noite toda. Me sinto péssima. Por favor, Drogo, não existe nada entre eu e Klaus. Essa história de tempo é uma estupidez. Desculpe se eu provoquei isso. E eu não quero reatar por mensagem. Eu te amo. Amanhã a caminho da casa da cafeteria eu passo ai as 8h30.  12h50 PM

Olho para o relógio e são 8h28. Arregalo os olhos e me apresso a chamar Margo.

Drogo: Margo, E ai? - grito para ela que ainda estava se vestindo.

Margo: Que filhote você acha que eu devo ter? - diz saindo do meu banheiro novamente.

Drogo: Não sei. Que tal um bem grande?

Margo: Mas meu apartamento é pequeno.

Drogo: Então pega um pequeno. Você precisa ir. – lhe empurro em direção a porta.

Margo: Espere! E os meus sapatos?

Drogo: Precisa de sapatos?

Margo: Mas é claro. – saio a procura dos seus sapatos e só acho um pé. Demoro a achar o outro. – por que a pressa?

Drogo: Sabe minha namorada? Ela quer voltar.

Margo: Que ótimo! – ela diz realmente entusiasmada. – você deve estar muito feliz!

Drogo: Sim, estou. Então vamos logo. – a apresso mais.

Margo: Boa sorte com a sua namorada.

Drogo: Obrigado. – abro a porta para Margo. Vejo uma Jade parada na porta bem a minha frente. Empurro Margo para trás da porta para que Jade não consiga vê-la. – Jade! – falo um pouco nervoso.

Jade: Você leu minha mensagem não é? – ela me abraça.

Drogo: Você chegou bem na hora! – forço uma risada.

Jade: Então, posso voltar a ser sua namorada? - pergunta com um sorriso lindo no rosto.

Drogo: Sim, pode. Claro.

 

(...)

 

P.O.V Jade

Volto para casa depois de uma caminhada longa em alguns quarteirões. Fazia tempo que não me exercitava. Sempre tive costume de fazer isso, mas aconteceu tudo tão rápido...eu descobri que sou uma bruxa, comecei namorar um vampiro, fiquei gravida muito nova. Mas isso tudo no final valeu a pena, vou construir uma família linda com o cara que eu amo. Eu só tenho a agradecer.

Scott: Toc, toc. Posso entrar? – Scott bate na porta do meu quarto.

Jade: Oi Scott! Entra. – o mesmo entra e se senta em minha frente na cama. – o que o traz aqui?

Scott: Eu vim dar um de irmão legal e te consolar. Trouxe sorvete! – ele levanta a sacola que está em sua mão.

Jade: Como assim? Do que você está falando? – ele me olha estranho.

Scott: Eu soube que você terminou com Drogo, então vim aqui dar o meu ombro de irmão.

Jade: Bom, sim. Mas espera...como você soube que eu e ele terminamos?

Scott: Eu vi o Drogo em uma festa ontem e ele estava com uma garota, por um momento eu achei que fosse você e até pensei em dar um oi, mas quando cheguei mais perto vi que não era você. E um tempo depois eles se beijaram. – o ouço com atenção acho que nem pisquei.

Jade: Foi só um beijo? – pergunto com medo da resposta.

Scott: Bom...não. Eu vi os dois irem em bora juntos aos beijos. – fico paralisada no meu lugar por alguns segundos até Scott chamar minha atenção para ele novamente. – desculpa, e..eu achei que vocês haviam terminado. Serio desculpa.

Jade: Não, tudo bem. Você poderia me deixar sozinha?

Scott: Claro. Tchau, fica bem. – assisto. Scott vira as costas e sai.

Eu não estou querendo acreditar em tudo isso. Por um momento eu acho que eu estou de boa com Drogo, e no outro eu descubro que ele transou com outra.

X

Drogo: Fala amor?

Jade: Vem aqui agora!

X

Finalizo a chamada sem lhe dar tempo de responder ou falar alguma coisa.

 

(...)

 

Drogo: Oi amor. Aconteceu alguma coisa? Você estava estranha no telefone.

Jade: Eu nem posso olhar pra você agora.

Drogo: O que? Como assim? – ele se aproxima.

Jade: afaste-se de mim!

Drogo: Não estou te entendendo, nós estávamos bem até agora.

Jade: Pois é eu achava que nós estávamos bem também até eu saber que você transou com outra mulher!

Drogo: Como você soube disso? - ele arregala os olhos.

Jade: Isso não interessa. Eu falei pra você se afastar! - repito só que dessa vez gritando. 

Drogo: Eu cometi um erro, está bem?

Jade: Um erro? E onde você enfiou o seu erro? Na vagina dela? – ele não responde – quero que vá embora! Saia! Agora!

Drogo: Não! Eu quero ficar e conversar sobre isso.

Jade: Está bem. Como ela foi? - me sento na cama novamente, olhando para ele.

Drogo: O que?

Jade: Você disse que queria conversar. Então vamos conversar. Como ela foi?

Drogo: Ela foi...eu não lembro eu estava bêbado.

Jade: Que ótimo vai pôr a culpa na bebida. – me levanto da cama e começo a estapeá-lo – seu cretino. 

Drogo: Desculpe, está bem? Eu fique com nojo de mim mesmo e de manhã estava chateado, daí eu vi sua mensagem e fiquei muito feliz. E tudo que eu queria era tira-la da minha casa o mais rápido possível.

Jade: Espere um minuto. Que horas sua amiguinha foi embora? – ele murmura uma coisa que não identifico e ai eu percebo que...- meus deus. Ela ainda estava lá? Estava lá quando eu fui lá? – ele concorda. Volto a estapeá-lo.

Drogo: Escute, o importante é que ela não significa nada pra mim.

Jade: E mesmo assim, vale arriscar o nosso relacionamento!

Drogo: Eu achei que não havia mais relacionamento.

Jade: Tínhamos terminado. Mas não significa que você tinha que ter dormido com outra mulher. Isso foi uma puta falta de consideração.

Drogo: Achei que nosso relacionamento tinha morrido.

Jade: E você foi se divertir rapidinho. Meu deus. E eu tive que saber através do meu irmão! – Drogo dá uma risada nasal.

Drogo: Que ótimo, esse cara se metendo aonde não é chamado. A qual é? eu ia te contar.

Jade: Para de mentir! Eu sei que você não ia me contar.

Drogo: Nada disso teria acontecido se eu não pensasse que você estava transando com o Klaus.

Jade: Certo. Digamos que eu tenha transado com o Klaus. Você me perdoaria?

Drogo: Claro. Eu já fiz isso antes. – fala em um tom de acusação

Jade: Como? – não acredito no que eu acabo de ouvir. – naquela vez você tinha beijado aquela vagabunda da Rebeca.

Drogo: Eu estava dopado! – ele grita – não sabia o que eu estava fazendo. E outra, você me perdoou tão fácil.

Jade: Eu perdoei sim, mas porque eu também havia cometido o mesmo erro. Nós dois havíamos errado. – ele não diz nada – e sabe o que mais me magoa? E que eu não sei como você foi capaz de pensar que eu trairia você. Drogo nós vamos construir nossa família, eu não seria tão baixa.

 

(...)

 

P.O.V Drogo

Drogo: Vamos, diga o que está pensando? – pergunto a ela que está sentada bem à frente da sua penteadeira.

Jade: Estou pensando...em fazer um sanduíche. – ela diz se levantando e indo para a porta.

Drogo: Traz uma bolsa de sangue pra mim? Por favor. – ela não responde só vira as costas e sai

Depois de alguns minutos Jade volta com um sanduíche enorme nas mãos junto com uma bolsa de sangue. Ela me entrega a bolsa sem nem olhar na minha cara

Drogo: Obrigado. – ela assente. – Pode tomar o resto, você precisa de forças. – digo esticando a bolsa de sangue a ela.

Jade: Posso mesmo. Você dormiu com outra.

 

(...)

Drogo: Agora não vai mais falar comigo? Jade, eu sinto muito. Eu estava fora de mim. Pensei que eu havia te perdido. Eu não traio, isso não condiz mais comigo. Eu mudei por você. – ela continua sem me responder – sabe, não fui eu que quis terminar. Você que desistiu. Você...que correu quando as coisas pioraram.

 Jade: Isso...

Drogo: Isso o que?

Jade: Isso não tem nada a ver.

Drogo: Aqui estamos na mesma situação de novo. O que quer? Como quer lidar com isso? Quer brigar por nós ou desistir?

Jade: Eu não sei.

Drogo: Olhe, eu fiz um coisa horrível e estupida, está bem? E sinto muito. Gostaria de voltar atrás, mas não posso. Não consigo nos ver jogando algo tão bom fora. Eu te amo tanto. – chego mais perto dela e a beijo. Ela demora até corresponder o beijo.

Jade: Não, Drogo! Não! Não pode me beijar e fazer tudo desaparecer. Não funciona assim. Isso não vai melhorar, está bem? – ela se afasta.

Drogo: Está bem.

Jade: Acho melhor você ir.

Drogo: O que?

Jade: Acho melhor você ir agora.

Drogo: Está bem. Está bem. Hoje, você disse que não havia nada que não podíamos superar. Deve ter um jeito de superar isso, está bem? Eu não imagino minha vida sem você. Jade eu estou implorando pra você, por favor. Faz isso pela nossa família.

Jade: Eu pensava em você como uma pessoa que jamais me magoaria. Agora não consigo parar de imaginá-lo com ela. Não importa o que você diga ou faça.

Drogo: Não pode ser. Não pode ser assim. Ei nós temos esses dois pirralhinhos pra cuidar, nós temos que estar juntos nessa. – ela me olha com os olhos cheios de lagrimas.

Jade: Drogo. Por favor vai embora. – ela me implora. Eu tento comentar mais alguma coisa, mas acabo desistindo. Viro as costas pra ela e saio do quarto.


Notas Finais


oii meus amores. olha eu decidi postar esse cap porque eu pensei e cheguei a conclusão que, não faria sentido eu postar ele só na segunda temporada. enfim fiquem com essa bomba, eu fiquei bem triste escrevendo esse cap mass foi necessário. Ahhh pra quem é fã de FRIENDS igual eu, vai perceber que esse termino é IGUAL ao da Rachel e do Ross ahh. Ok era só isso. bjs até a próxima temporada.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...