1. Spirit Fanfics >
  2. Is It Love? Drogo >
  3. Desejos!

História Is It Love? Drogo - Capítulo 40


Escrita por:


Notas do Autor


♥️

Capítulo 40 - Desejos!


Fanfic / Fanfiction Is It Love? Drogo - Capítulo 40 - Desejos!

Regiane: Dois dias depois eu estou na biblioteca procurando sobre os costumes dos vampiros. Claro, não há nada concreto. Tudo se baseia em mitos ou tradições ancestrais, portanto, tenho que evitar interpretar tudo isso ao pé da letra.

Regiane: Estou particularmente interessada no processo da mordida…

Regiane: Eu temo que minha intuição sobre o Drogo me morder algum dia se realize.

Regiane: Tudo o que eu leio rapidamente fica vago, adicionando emoção a minha pesquisa.

Regiane: Eu esqueço do tempo e o que me rodeia mergulhada completamente na atmosfera carnal dos vampiros. Sem perceber a sombra que aparece atrás de mim.

Sebastian: Regiane?

Regiane: Professor Jones, você me assustou!

Sebastian: Desculpe, eu vi você e fiquei intrigado com sua concentração.

Regiane: Oh, não é nada. É só uma pesquisa para satisfazer minha curiosidade.

Sebastian: Ainda assim está relacionado ao meu curso! Você tem outras razões para esse interesse apaixonado pela cultura dos vampiros?

Regiane: Eu só estou intrigada.

Regiane: Eu não quero tomar seu tempo, não sou a única aluna a ter dúvidas.

Sebastian: Certamente, mas você está além do programa.

Regiane: Olho para ele de lado, ele é realmente lindo. Se eu já não estivesse loucamente apaixonada, eu seria capaz de ficar atraída por ele.

Regiane: E ele é meu professor, não é razoável considerá-lo de outra forma.

Regiane: E, no entanto, sinto uma atração entre nós. Uma química que não consigo explicar. Há algo indecifrável sobre ele. Suas características são quase selvagens, ele se move com uma graça e discrição animal.

Regiane: Eu olho em seus olhos e percebo sombras. E se o professor Sebastian Jones não for o que ele diz ser…?

Regiane: Ele é muito bonito e muito sexy para ser um mero professor. E todas essas viagens sobre o que são realmente?

Regiane: Eu gosto da ideia de fazer pesquisas. Se não tivesse achado nada interessante, certamente iria questioná-lo.

Sebastian: Então você está interessada no processo de mordida do vampiro. É surpreendente como um interesse.

Regiane: Eu dou de ombros.

Regiane: Mesmo?

Sebastian: Eu diria que é um pouco insalubre.

Regiane: Por que? Eles são apenas mitos e só estou interessada em uma situação teórica.

Sebastian: Se você diz… Mas tenha cuidado. Quem muito procura pode encontrar o pior das respostas.

Regiane: Ele fala essas palavras tão perto que eu sinto seu cheiro lenhoso em torno de mim. Você teria que ser cego para não achá-lo atraente, mas meu coração pertence a outro.

Regiane: O Drogo, vai muito além de uma simples atração física. E eu não sou o tipo de olhar para outros homens, quando estou com alguém.

Regiane: Eu não aprecio esse controle sobre mim. Seja voluntário ou acidental, ele tira todo o meu livre arbítrio. Nem mesmo o Drogo se comportou com tanta insolência.

Regiane: Encaro ferozmente seus olhos e não desisto por um segundo. Eu não sou uma daquelas facilmente manipuladas, sendo pelo professor sexy ou não!

Regiane: É legal da sua parte se preocupar comigo, mas eu sei perfeitamente o que eu faço.

Sebastian: Eu dúvido disso.

Regiane: Ele se senta e fica sério.

Sebastian: Esse tipo de prática não é algo a ser levado descuidadamente.

Regiane: Não aprecio suas insinuações.

Regiane: Você não sabe do que está falando.

Sebastian: Certamente mais do que você. Deixe-me lembrá-la que ensino esses mitos.

Regiane: A teoria não tem nada a ver com a prática.

Regiane: Quando eu me afasto para sair, ele rapidamente agarra meu braço e me puxa contra ele.

Sebastian: Precisamente, por isso eu tenho larga experiência na prática antes de ensinar…

Regiane: Ele parece cheio de amargura de repente, me fazendo prestar mais atenção nele, noto um grande sofrimento em seus olhos. Ele certamente teve um evento traumático, algo que mudou tudo nele. Isso o deixou mais desconfiado.

Regiane: Ouça, Professor Jones, agradeço por você se preocupar comigo, isso me toca, mas está tudo bem.

Regiane: Não sei o que você está pensando, mas você está errado.

Sebastian: Aprender a ser mordido por um vampiro não é trivial.

Regiane: Eu coloco um sorriso no rosto.

Regiane: Mas como isso é apenas um mito…

Regiane: Eu banco a idiota para esconder minha perplexidade. O professor de Mitos e Lendas parece saber muito sobre o mundo sobrenatural…

Regiane: Não sei até onde posso confiar nele no que diz respeito aos irmãos Bartholy, então prefiro esconder o que sei.

Regiane: Ele me dá um sorriso frio. Mesmo assim, tem um encanto surpreendente.

Sebastian: Obviamente, aparentemente.

Regiane: Eu olho para o meu relógio e começo a guardar as minhas coisas na minha bolsa rapidamente. O professor Jones por sua vez se levanta e se coloca em minha frente.

Sebastian: Tenha muito cuidado, mesmo com amor e confiança, coisas perigosas podem acontecer.

Regiane: Eu o vejo sair, um pouco chocada. Como ele pode estar tão perto da verdade?

Regiane: Tenho a estranha sensação de que ele me conhece intimamente… 

 ~~~~~ Horas mais tarde ~~~~~

Regiane: Antes de chegar à casinha, faço um caminho diferente esta noite.

Regiane: Entre o Nicolae, que está constantemente no meu pé, e essa curiosa conversa com o professor Jones, me sinto espionada. Talvez eu seja paranóica, mas prefiro ficar de guarda…

Regiane: Eu me arrumei para impressionar o Drogo, colocando o meu melhor vestido!

Regiane: Eu geralmente não ando pela propriedade no meio da noite, muito menos de salto!

Regiane: Eu chego um pouco adiantada, melhor assim, terei tempo para acalmar as batidas do meu coração…

Regiane: Eu passo pela porta e… surpresa! As velas iluminam o quarto e a música doce escapa do telefone do Drogo.

Regiane: Fico impressionada.

Regiane: Ele está encostado em silêncio contra a parede, com os olhos em mim. Seu auto controle parece estar por um fio. Seus olhos intensos me penetram.

Regiane: Ele se aproxima de mim e toma minha boca, sem me dar tempo para dizer uma palavra.

Regiane: Estou tomada por um turbilhão de emoções. Eu o agarro enquanto ele me leva nos braços para o sofá. Imediatamente, ele aproxima seu corpo contra o meu, passando suas mãos pelo meu corpo, proporcionando mil e uma sensações. Eu amo a maneira que ele me tortura deliciosamente.

Regiane: De repente, uma sensação maliciosa me cruza.

Regiane: Quando ele se afasta ligeiramente, eu agito meus dedos apelando para magia, fazendo sua blusa voar e sua camisa desabotoar sozinha…

Regiane: … e deslizar pelos seus ombros.

Regiane: Drogo ergue uma sobrancelha, divertido.

Drogo: Você está se divertindo?

Regiane: Eu sorrio.

Regiane: E você ainda não viu nada!

Drogo: Você está me deixando intrigado.

Regiane: Espero que sim!

Regiane: Pego sua corrente entre meus dedos e a puxo para forçá-lo a se aproximar.

Regiane: Continuo a minha exploração, deslizando suavemente a roupa em seus braços musculosos. Seu corpo parece esculpido em mármore, o que lhe dá a aparência de uma estátua grega.

Regiane: Um fogo impaciente arde em mim quando seu corpo se revela aos meus olhos gananciosos.

Drogo: Seja sábia, bruxa!

Regiane: Eu faço um beicinho inocente, mas uso meu poder para remover sua camisa definitivamente, fazendo-a cair no chão. E encolho os ombros.

Regiane: Oops.

Regiane: Saboreio as curvas de seus músculos sob meus dedos, e sua reação ao meu toque…

Regiane: Ele não esconde o prazer que sente. Pelo contrário, ele se delicia e me faz perder o controle em troca.

Regiane: Sinto as suas mãos nas minhas coxas se aventurando sob o tecido do meu vestido. Mantenho a respiração, mergulhando em seus olhos, sem esconder a intensidade do prazer que ele me dá.

Regiane: Com uma lentidão calculada, ele desliza entre minhas pernas e se posiciona sobre meu corpo. Mas enquanto ele se prepara para ir adiante, eu o empurro um pouco e me afasto sentando no sofá.

Drogo: Regiane…

Regiane: Eu o interrompo imediatamente, baixando os olhos em suas calças… A fivela de seu cinto se quebra instantâneamente.

Regiane: A surpresa passa em seus olhos, antes que um novo sorriso chegue aos seus lábios.

Regiane: Eu dou risada.

Regiane: Você não esperava por isso… Não é mesmo?

Drogo: Na verdade não, mas vou começar a tomar gosto pela feitiçaria…

Regiane: E eu ainda não terminei com você!

Regiane: Eu sorrio maliciosamente e me concentro novamente em seu jeans: o zíper primeiro desce suavemente, e gosto da reação do Drogo.

Regiane: As calças logo deslizam ao longo de suas pernas, e não demora muito mais para o meu vampiro favorito se jogar novamente em sua presa.

Regiane: Eu o deixo me agarrar novamente e rapidamente me entrego em seus braços.

Drogo: Você é…

Regiane: Surpreendentemente?

Drogo: Extraordinária e cheia de surpresas, você pode fazer isso novamente quando quiser…

Regiane: Eu não terminei… Você não está completamente nu.

Regiane: Drogo ri e me olha amorosamente. Ele balança a cabeça e planta um beijo no meu ombro, desencadeando uma infinidade de arrepios pelas minhas costas. Estou totalmente atordoada com seu contato, fascinada por sua presença.

Regiane: Pega em um súbito momento de paixão, agarro-o e o aperto mais contra mim.

Regiane: Diante da minha impaciência, ele abre o meu vestido nas minhas costas e desliza-o pelos meus ombros… Eu estremeço sob a carícia de seus dedos e suspiro sob as ondas de prazer que cresce em mim.

Regiane: Coloco minhas mãos em seus cabelos e encorajo-o a continuar, enquanto meu corpo instintivamente se molda sob ele. Respondendo a todas as suas carícias com igual fervor.

Regiane: Drogo tem o dom de me privar de qualquer moderação. Com ele, me sinto livre de tudo. Eu o sigo cegamente no caminho do prazer. Me perder com ele é sempre maravilhoso.

Regiane: Quando me encontro nua em seus braços, não sinto constrangimento. Sua maneira de me olhar amorosamente me dá confiança.

Regiane: Somos iguais, escravos da mesma febre. O contato de sua pele nua contra a minha aquece meus sentidos. Minha fome por ele ainda é intensa. Sua boca insaciável brinca pelas menores partes do meu corpo, explorando.

Regiane: A cada arrepio, ele intensifica sua carícia. Por fim, ele volta aos meus lábios com um ar que me desarma. Eu o recebo com uma pressa que o diverte.

Drogo: Você está realmente com fome.

Regiane: Sem esperar pela minha resposta, ele me envolve em um cobertor e me levanta em seus braços para me levar para a cama. Lá ele me protege contra ele, por um momento, em segurança.

Regiane: Suspiro de bem-estar e me abandono pouco a pouco. Ainda estou perturbada por esse turbilhão de sensações e tenho medo de voltar à realidade… 

~~~~~ Um tempo depois ~~~~~

Regiane: Sinto uma pontada no meu coração quando deixamos nosso refúgio. Eu realmente não quero voltar para a mansão.

Regiane: Drogo está mais sereno porque, como vampiro, ele não tem mais a noção de tempo.

Regiane: Para mim, é diferente. Eu sinto que a cada minuto longe dele estou perdendo tempo.

Drogo: Nos encontraremos amanhã à noite.

Regiane: Você não pode viver para sempre dessa maneira.

Drogo: Por enquanto não temos escolha, mas, confesse que é excitante…

Regiane: Na verdade, eu prefiro aproveitar você sem ter que me esconder…

Drogo: Você não me fez sentir que estava com fome.

Regiane: Ele me dá um sorriso insolente e mostro minha língua.

Regiane: Drogo para e pega meu rosto com as duas mãos, seu olhar feroz me deixando alerta.

Drogo: É temporário, não espero deixar o Nicolae controlar nosso relacionamento. Coitadinha.

Regiane: É isso o que você está fazendo…

Drogo: Eu sei como o Nicolae funciona. Deixe-o ter um pouco de tempo.

Regiane: Você o conhece melhor do que eu de qualquer maneira, mas se você não fizer nada, eu vou tomar as rédeas.

Regiane: Ele me encara como se eu fosse um enigma.

Drogo: Você acha que eu não tenho coragem de desobedecer meu irmão?

Regiane: Eu encolho os ombros.

Regiane: Eu discuti com o Nicolae.

Drogo: Isso se torna um hábito.

Regiane: Ele sabe da gente.

Regiane: Ele para e olha para mim. Seu ar sério me preocupa.

Drogo: Você pode ser mais precisa? Você falou da casinha?

Regiane: Não, não, mas ele sabe que… eu amo você. No calor do argumento, eu me deixo levar e…

Regiane: Ele não gostou.

Drogo: Um vampiro apaixonado por uma bruxa é inédito. Nicolae deve ter tido uma síncope.

Regiane: Uma risada me escapa.

Regiane: Não muito longe disso!

Drogo: Por enquanto, é o nosso único problema. Nada insuperável, se pensarmos sobre isso!

Regiane: De fato…

Regiane: É a minha vez de parar. Eu hesito em falar com ele sobre minha briga com o professor Jones.

Regiane: Talvez seja coisa da minha cabeça. Com tudo o que aconteceu nas últimas semanas, tenho algumas predisposições para a paranóia! Provavelmente não é nada.

Drogo: Regiane? O que você está escondendo de mim?

Regiane: Nada, nada muito importante…

Drogo: Vai saber…

Regiane: Eu tive uma pequena discussão… confusa, com Sebastian Jones.

Drogo: O professor?

Regiane: Ele me surpreendeu na biblioteca fazendo pesquisa sobre vampiros.

Drogo: E dai, você é aluna das aulas de Mitos e Lendas não vejo qual é o problema.

Regiane: O tema da minha pesquisa não faz parte do programa deste ano.

Drogo: O que você estava procurando exatamente?

Regiane: Eu me afasto e começo a torcer minhas mãos, um sinal de nervosismo. Drogo não deixa meus olhos. Ele me observa andar para lá e para cá, cada vez mais preocupado.

Drogo: Regiane?

Regiane: Eu queria saber mais sobre o beijo do vampiro.

Drogo: Por que? Por que você não falou comigo sobre isso?

Regiane: Eu não me atrevi porque você parece um pouco relutante sobre esses assuntos.

Drogo: E então?

Regiane: Bem… Ele parecia saber muito mais do que ele ensina em suas aulas, mais do que a teoria em todo caso…

Drogo: O que ele te disse exatamente?

Regiane: Que eu estava jogando um jogo perigoso e que eu tenho que ter cuidado, não consigo lembrar suas palavras exatas.

Regiane: Ele estava estranho, como se soubesse tudo sobre mim… Foi quase…

Regiane: Drogo franze a testa. Ele, obviamente, não aprecia a direção que essa conversa está levando.

Drogo: Quase o quê?

Regiane: Sobrenatural.

Regiane: Minhas palavras não o agradam, deixando-o inquieto.

Regiane: Você sabe quem ele é? Quero dizer, fora do trabalho como professor…

Drogo: Não. Não tinhamos nenhuma razão para investigá-lo, pelo menos não até agora.

Regiane: Minha ansiedade aumenta.

Regiane: Mas o que ele poderia querer?

Drogo: Eu não sei, mas você deve ter algumas idéias?

Regiane: Eu encolho os ombros.

Regiane: Ele sugeriu que eu fosse fazer algumas pesquisas com ele durante as férias. Como sua assistente… Mas isso se deve provavelmente por eu ser uma boa aluna.

Drogo: Entendo.

Regiane: Eu entendo o contrário quando vejo os músculos de seu maxilar saltar. Ele parece… Com ciúmes?

Regiane: Drogo, não há nada entre ele e eu, eu sou sua aluna.

Drogo: Ele parece estar interessado em você um pouco demais, e se não for por seus encantos, pode ser por sua condição de bruxa.

Regiane: Não poderia ser pelos meus bons resultados?

Drogo: Eu sei que você é uma boa aluna, mas também sou um homem e sei o efeito que você tem nos homens.

Regiane: Seu rosto se contrai. Obviamente, o professor Jones acaba de se tornar seu inimigo.

Drogo: Evite ficar sozinha com ele, pelo menos até você saber mais sobre ele.

Regiane: Ele me envolve pela cintura e planta um beijo na minha têmpora. Ele está muito preocupado. Mas fico lisonjeada por vê-lo tão preocupado.

Drogo: Enquanto isso, eu sou o único que tem direito as aulas práticas, fora da sala de aula…

Regiane: Eu dou risada contra seu pescoço. Seu lado possessivo não me desagrada…

Regiane: E tenho certeza que o professor Jones é sincero, não me sinto ameaçada. Sua presença é reconfortante.

Regiane: Mas é bem verdade que algo acontece quando estou com ele. Esse magnetismo só pode ser sobrenatural, como o Drogo.

Regiane: Eu prefiro deixar minhas impressões de lado. O Drogo pode perder sua compostura. Então eu ando em sua frente e já vejo a mansão nas proximidades…

Regiane: Ao chegar à entrada da propriedade percebemos movimentos. Com esta escuridão, é impossível ver o que ou quem é.

Regiane: Em poucos segundos, Drogo me arrasta para trás de uma árvore e me acena para ficar quieta. Quando os passos se afastam, estamos um colado no outro.

Regiane: Depois de ter certeza de que estamos sozinhos de novo, eu me levanto, mas Drogo me segura novamente para me beijar.

Regiane: Eu solto uma risada contra seus lábios.

Regiane: Acaricio sua bochecha sem deixar seus olhos. Ele continua a dar vários beijos no meu rosto.

Drogo: Até amanhã, coitadinha!

Regiane: Até amanhã meu doce vampiro.

Regiane: Eu então me apresso para entrar na mansão e vou direto para meu quarto. Satisfeita em passar mais uma noite ao lado do Drogo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...