História Is it love Gabriel e Mark "Um coração dividido" - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Comedia, Is It Love, Romance
Visualizações 115
Palavras 3.783
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente, tudo bem?
Sim, eu sumi por aqui. Tirei um tempo porque precisava refletir sobre algumas coisas que me rodeiam.
Minha tia estava doente e fui para o hospital alguns dias, sabendo disso minha inspiração sumiu.
Hoje, pela manhã, recebi a notícia que a mesma havia falecido vítima de câncer.
Estou muito triste por ela, por conta disso não acabei postando nada por aqui.
Espero que compreendam, um beijo para todos vocês ❤

Boa leitura 😉

Capítulo 33 - Apenas um desentendimento


Fanfic / Fanfiction Is it love Gabriel e Mark "Um coração dividido" - Capítulo 33 - Apenas um desentendimento

Quarta-feira...


          Trabalhando para o blog


     Cook hapiness on

      (Blog da Rosie)


     Apenas vivendo. Parte vinte e cinco.


     Oi minhas cupcakes, tudo bem com vocês?
No post de hoje, teremos outra parte do "Apenas Vivendo", onde partilho minha vida e minhas ideologias. Simplesmente, detalhes da vida de uma pessoa nada interessante, melhor definição para isso.
     Enfim, depois do último post sobre este assunto, muitas de vocês ficaram com algumas dúvidas. Algumas pessoas ficaram me perguntando sobre a minha relação com o meu gerente, o "biscoito".
     Eu e ele continuamos amigos como sempre fomos, é uma pessoa em quem eu posso confiar e que se mostrou amigável desde que eu cheguei. Apesar dele ter confessado seus sentimentos por mim, seguimos firmes com a nossa amizade. Naquela altura, fui sincera com ele e referi que o via apenas como um amigo, nada mais que isso. O mesmo entendeu e, hoje em dia, temos uma amizade sincera, algo fundamental para o nosso ambiente de trabalho.
     Me machuca não poder retribuir seus sentimentos por mim, visto que ele é um homem incrível, que merece ser amado. Eu não tenho culpa de o meu coração ter-se apaixonado por outra pessoa. Eu desejo que ele encontre alguém que o ame e que o respeite, assim como ele merece. Mesmo tendo essa fama de "pegador", o homem mostrou que tem sentimentos e eu acredito que, um dia, ele vai se apaixonar por alguém que goste dele da mesma forma.
     A relação do "biscoito" com o "bolacha", meu namorado, não é das melhores, mas algo me diz que não é só de agora. O único assunto que eles conversam é sobre trabalho, algo que eu notei numa viagem que tivemos há uns tempos atrás. Eu tenho medo de perguntar ao "bolacha" o porquê de tudo isso, uma vez que o mesmo se mostrou reservado quanto ao seu passado. Talvez por ter um passado menos bom não o queira relembrar, deve ser por isso.
     Outro dia, meu gerente me pediu para passar na sua sala e eu, como funcionária prestável, obedeci. O mesmo me fez um pedido, me pediu para eu organizar o intercâmbio da irmã mais nova, dado que a mesma embarcaria para Londres, cidade onde eu nasci. Como ele é um irmão muito protetor, não quis deixar a viagem da sua irmã nas mãos de um estranho qualquer e com toda a confiança que depositou em mim , me pediu para eu fazer essa tarefa. Com isso, teríamos que nos encontrar algumas vezes fora do trabalho para colocarmos o intercâmbio em prática, que é o grande sonho da mais nova.
     No princípio, quis recusar, uma vez que tenho muitas coisas para fazer durante as próximas semanas. Meu trabalho, o blog e a estadia da minha amiga, a "torta de maçã". A garota veio morar em Nova York e está passando uns dias na minha casa, enquanto não encontra um espaço para morar. Depois da explicação vinda do homem de olhos azuis, não pensei na hipótese de recusar, era visível o carinho e amor que sentia pela garota. Fiquei imaginando eu na mesma situação, também não queria que uns dos meus irmãos fosse para o outro lado do planeta nas mãos de um completo desconhecido.
     Uma pessoa que não gostou desse pedido foi o meu namorado, que teve logo uma crise de ciúmes. É perfeitamente normal a existência de ciúmes numa relação recente, mas parece que ele não confia em mim. Parece que ele não sabe que me sinto apaixonada por ele e que, mesmo outro tendo alguns sentimentos por mim, nunca haveria uma traição da minha parte.
      Bom minhas cupcakes, esta foi uma pequena atualização sobre a minha vida. Viver não é nada fácil! Eu gosto muito de partilhar com vocês detalhes do que me rodeia, sem referir nomes nem algo do género, só para manter a nossa identidade "longe dos holofotes". Vocês entenderam!
      Muito obrigada por me acompanharem, espero que tenham gostado de mais um capítulo da minha humilde vida.

                              Até mais, "doce de morango"


     Cook hapiness off


      Quinta-feira...


       Pvo. Rosie


             Aparentemente um dia normal


     Como ontem havia atualizado meu blog, comecei minha manhã lendo e respondendo os comentários das minhas queridas leitoras.
     Eu adoro fazer meus pequenos desabafos online, com alguns cuidados, como não revelar a minha e a identidade as pessoas que me rodeiam. Por conta disso, fiz as minhas amigas virtuais, com quem falo e recebo conselhos.
     Muitas dessas pessoas também me falam sobre a sua vida e, sinceramente, amo saber dos detalhes delas também, são pessoas que não nos conhecem e estão lá para o que precisamos.
     Como o tempo não é muito, tive que sair de casa para começar mais um dia de trabalho.   Já estava acostumada com aquele caminho, percorro esse trajeto cinco dias por semana, vi sempre as mesmas paisagens. Vi as mesmas pessoas, que percorriam aquela distância para chegar dentro do horário proposto pelo chefe do seu local de trabalho. Nova York era, oficialmente, vítima de uma correria logo pela manhã.

Rosie:- Bom dia, meninas.

     Quando chego ao local desejado, não hesito em cumprimentar a Lisa e a Kate, que estavam trabalhando na recepção como todos os dias.

Kate e Lisa:- Bom dia.

      As mesmas me responderam e, enquanto, a loiro ficou vendo algo no computador à sua frente, a outra foi para a sala com alguns papéis na manhã.
      Sendo pouco mais de oito de manhã, as duas estavam trabalhando arduamente, pelo menos alguém trabalha aqui nesta empresa.

Rosie:- Novidades com o Richard?

     Me aproximo da minha amiga e pergunto num tom de voz mais baixo, sempre ouvi fizer que todo o cuidado é pouco.

Lisa:- A mesma coisa, sabe. Estamos falando e nos conhecendo, acho que estamos criando uma amizade. Isso é bom porque, depois, posso seguir com a segunda parte do plano.

      O ser humano de olhos azuis era também o ser mais vingativo que eu alguma vez conheci, estou falando a verdade.
      Como disse anteriormente, sinto muito pelo Richard. O plano da minha amiga é capaz de o destruir e, com certeza, o mesmo vai se arrepender do que fez com ela.

Rosie:- Só acho que este plano está indo longe demais, não acha que é melhor você falar que já sabe de tudo?

      Mesmo sabendo que essa hipótese era nula, pergunto tentando convencê-la de anular seu plano.

Lisa:- Não, o plano está parado ainda. Mesmo assim, ele vai ter o que merece.

      Como era óbvio, a garota não me escutou mais uma vez e pretende seguir firmemente com o seu plano maligno.

Rosie:- Ontem, você me disse que ele falou que estava gostando de você e quer continuar com isso mesmo assim?

     A loira me disse que ele referiu que estava gostando dela, embora não tenhamos entendido se era sentimentos de amizade ou mais que isso.
      Depois, também me disse, que o mesmo tinha falado que a pessoa que ele gostava não lhe dava bola. A meu ver, o Richard está gostando da Lisa, é mais que óbvio. Só que a minha amiga prefere viver na inocência, acreditando que ela não é a pessoa de que ele está falando.

Lisa:- Você acha mesmo que ele gosta de mim? Isso tudo é um plano que o mesmo criou para me irritar, tenho certeza.

      Não queria brigar com a recepcionista, todos temos opiniões diferentes e eu tenho que respeitar a dela.
      Mesmo tentando demonstrar que ela estava errada mais que uma vez, a mesma manteve sua decisão. Como amiga, o melhor é apoiar seu plano, embora não concorde com isso.

Rosie:- O melhor é pararmos de falar sobre este assunto, não quero brigar com você. Até mais.

      Em todas as amizades há brigas e na nossa não seria diferente, seja por diferentes opiniões ou, até mesmo, traição por alguma das partes, uma vez que também há casos assim em amizades.

Lisa:- Até mais.

      Ainda escuto a loira falar, mesmo já estando perto do elevador que, dentro de momentos, me levaria ao 42°andar.

Matt:- Irritada?

     A voz do meu amigo me desperta dos meus pensamentos, eu estava pensando no assunto de agora há pouco, enquanto tentava ligar o computador à minha frente.
      Nem tinha notado a presença do Matt, estava mesmo distraída com os meus pensamentos.

Rosie:- Um pouco.

      A minha expressão facial também não devia ser das melhores, daí a pergunta do meu bad boy predileto.

Matt:- Aconteceu alguma coisa ou é apenas a ausência de vontade para começar o expediente?

     Matt e suas brincadeiras, me pergunto se ele consegue falar seriamente com alguém.

Rosie:- Sim, aconteceu. Eu e a Lisa quase brigamos por conta do Richard.

     O Matt sabia da história do desconhecido, ficou sabendo disse ontem, visto que almoçamos juntos e a loira acabou por contar sua nova aventura ao meu amigo.
     Depois do envolvimento amoroso dos dois, eles continuaram com a amizade, apenas entenderam que, naquele momento, queriam se conhecer melhor, mas descobriram que o melhor era serem apenas amigos.

Matt:- Você apoia o plano dela?

      Acabei por contar ao meu amigo tudo o que pensava sobre a "pequena" vingança da loira de olhos azuis, o mesmo me escutou atentamente antes de começarmos o nosso trabalho.

Matt:- Também não concordo muito com o plano dela. Para ser sincero, acho que não vai dar certo. O melhor é darmos o nosso apoio.

      O Matt me disse que o que o advogado fez estava errado, mas que o que a loira está fazendo também não está certo. Ele ficou se imaginando naquela situação e, como eu, sentia pena do Richard.
     Após uns minutos de bate papo sobre esse assunto, acabamos por dar início ao nosso trabalho, que era muito para hoje.
      A nossa sala era partilhada por mais de vinte funcionários, todos com funções parecidas. Eu e o Matt tínhamos projetos relacionados com o site da empresa e com a divulgação da mesma, algo que eu amava fazer.

Matt:- Bom almoço, princesa.

      O moreno tinha combinado um almoço com o Colin, o lugar escolhido não tinha sido uma surpresa para mim, a barraquinha em frente à empresa.
      Tendo em vista a briga que tivemos mais cedo, optei por não fazer compainha à Lisa e à Kate quando a loira me enviou uma mensagem me convidando para almoçar com elas, quero ter um tempo para refletir sobre isso.
      O meu namorado ficou trabalhando em casa, uma vez que a pequena Sophia estava doente. Assim, cuidava da filha e, de vez em quando, fazia alguma coisa relacionada com o seu trabalho.

Gabriel:- Vai almoçar sozinha?

      A voz do meu gerente fez-se ouvir quando eu estava prestes a passar pela recepção da Carter Corporation.

Rosie:- Sim e você?

       Parei para o responder. As pessoas passavam em direção à rua, seguindo para o restaurante escolhido para desfrutarem da sua refeição em plano horário de almoço.

Gabriel:- Também. Quer me fazer compainha?

      O que era melhor? Almoçar sozinha refletindo sobre atitudes anteriores ou almoçar com uma amigo e, ao mesmo tempo, bater um papo com ele?
      Não era preciso refletir muito sobre essas hipóteses, a escolha era fácil.

Rosie:- Claro.

       O meu homem ao meu lado me disse que queria ir no seu restaurante favorito do momento, tinha comida típica inglesa, o que me fez querer experimentar aquele lugar.
      A garçonete anotou nossos pedidos que, minutos mais tarde, estavam servidos e prontos para serem aprovados.
      Eu gostava de conhecer lugares novos e, tanto a comida como o ambiente deste aqui, eram maravilhosos. Tenho que vir aqui mais vezes.

Gabriel:- Posso saber o porquê de não ter compainha para almoçar hoje?

      Claramente, o gerente do 42°andar estranhou o facto de eu não ter almoçado com a Lisa e com o Matt ou, até mesmo, com o meu namorando.

Rosie:- O Matt foi almoçar com o Colin, numa das barraquinhas perto da empresa. O Mark não veio no trabalho hoje e eu optei por não fazer compainha à Lisa e à Kate.

      Revelei uns mínimos detalhes, o loiro não precisava de saber tudo.

Gabriel:- Pelo menos veio almoçar comigo. Assim, a gente bate um papo.

     Ele tinha razão, almoçar sozinha só me faria mal porque eu estaria pensando o tempo inteiro sobre a minha "briga" com a Lisa acerca do plano de vingança que a mesma criou.

Rosie:- Quando a gente vai se encontrar para organizar o intercâmbio da sua irmã?

      Foi o primeiro assunto que veio na minha cabeça quando me perguntei sobre o que devíamos conversar.

Gabriel:- Eu passo na sua casa no Sábado para começarmos a preparar tudo, o que acha?

     Com certeza, o fim de semana era a melhor opção para aquela reunião de preparação do intercâmbio, dado que tínhamos mais tempo nesses dias.

Rosie:- Por mim, está ótimo. Você já lhe disse  que ela vai fazer intercâmbio?

     Intercâmbio é o sonho da maior parte dos estudantes, algo que fundamenta a pessoa a nível pessoal e não só, é uma ótima coisa para os estudos.

Gabriel:- Ainda não, quero que seja uma surpresa. Quando ela me fala de intercâmbio digo logo que não.

     Vai ser uma surpresa agradável para a garota, daqui a uns meses vai realizar o seu sonho.

Rosie:- Faz muito bem.

      Ainda me lembro da última vez que me fizeram uma surpresa, o Mark planejou tudo direitinho.
      Foi bem legal e um momento que nunca esquecerei, foi oficialmente o dia da partida para o mundo da felicidade.

Gabriel:- Vou ser sincero com você. Não estou muito feliz com essa história de intercâmbio, sinto que vou perder a minha irmã.

      Não posso falar que entendo o que ele sente, até porque nunca passei por isso.   Apenas compreendo que ele possa sentir isso, uma vez que já perdeu os pais. Só tem a irmã e esta quer ir morar por um tempo no outro lado do planeta, é complicado.
     Por outro lado, o gerente não pode ser egoísta e pensar apenas nele, o mesmo tem que compreender que é o sonho da garota.

Rosie:- Você não a vai perder, são apenas uns meses.

      Era visível sua tristeza, ele adora a irmã e ter que lidar com isso está sendo difícil para ele.

Gabriel:- Já perdi muita gente importante e agora tenho que ficar sem a minha irmã?

     O homem à minha frente tinha algumas lágrimas nos olhos, eu estava me sentindo mal vendo ele aos prantos por esta situação.
      Quando as lágrimas ameaçaram descer, o mesmo limpou seu rosto e me encarou novamente.

Rosie:- Por favor, não chore. Você sabe que sua irmã te ama e que este é sonho dela, são apenas três meses. Você não a vai perder.

      Tentei dizer que tudo daria certo e que, mesmo ela estando longe por um tempo, voltaria.
      Odeio quando as pessoas choram na minha frente, fico triste por conta disso.

Gabriel:- Mas vou ficar sozinho...

      As pessoas ao nosso redor não pareciam notar esta situação e, se notavam, agiam normalmente.

Rosie:- Nunca vai ficar sozinho. Você tem amigos incríveis, eu estou com você e muitas outras pessoas também.

      O mesmo agradeceu pelas minhas palavras, depois de me elogiar falando que eu era uma ótima amiga.
      Saímos do restaurante, após pagar a conta e fomos para a empresa novamente.
      O Gabriel estava mais calmo, tinha sido apenas uma crise e agora voltou ao normal.

Gabriel:- Foi ótimo almoçar com você, obrigada pelos conselhos e pelo almoço.

       O Gabriel era muito agradável, muitas pessoas julgam esse homem pela fama de "mulherengo" que ele tem.

Rosie:- Também adorei o almoço, foi um prazer escutar seu desabafo.

      Todos nós precisamos de um ombro amigo, alguém com quem possamos contar em todos os momentos, seja nos bons ou nos menos bons.
       Todos temos altos e baixos, este foi um momento mau do meu gerente, onde ele aproveitou para desabafar comigo.

Gabriel:- Obrigada novamente. Não esqueça de Sábado.

     O homem loiro tinha uma reunião no primeiro andar e, como estava quase na hora, foi para a sala prevista.

Lisa:- Não quis almoçar com a gente para ir almoçar com o Gabriel?

      A voz de um ser loiro que eu bem conheço foi ouvida, era a Lisa.

Rosie:- Eu queria almoçar sozinha, mas acabei encontrando o Gabriel pelo caminho e não hesitei em aceitar o seu convite.

      A loira não estava nada feliz, será que a mesma ficou irrirada por causa da nossa "briga"?

Lisa:- Você nunca almoça sozinha, Rosie. Não invente desculpas.

      O quê? Ela estava duvidando de mim sem motivos para isso? Não acredito!

Rosie:- Eu falei a verdade. Cabe a você acreditar ou não.

Não acredito que estava brigando novamente com a minha melhor amiga, ainda por cima sendo o motivo uma simples bobagem.
       Eu não concordava com o plano dela e, sendo sincera, dei minha opinião. A mesma não gostou e agora está falando bobagens, que irritante.

Lisa:- Saiba que eu não vou parar com o plano, quer você goste quer não.

      Após proferir a frase, voltou para o balcão da recepção me deixando estática.
      Porque ela não acredita em mim? O melhor é termos um tempo para refletir sobre o que aconteceu, perceber quem errou e quem acertou.
      Era oficial, a loira não queria me escutar e, por conta disso, acabamos brigando. Me sinto mal por tudo isso, odeio brigar com alguém.


     Pvo. Lisa


     Simplesmente, devia estar concentrada no meu trabalho, só que não estou. Em vez disso, estou pensando na minha briga com a Rosie, talvez tenha exagerado.
      O motivo que brigamos é bem bobo, tudo por  conta do meu plano de vingança. A questão é que eu e a Rosie temos opiniões diferentes acerca do assunto, ela não concorda com o meu plano.
       Como se já não bastasse, recusou o meu convite para almoçar e foi almoçar com o Gabriel Simons, que ódio. O pior é que inventou uma desculpa, falou que queria almoçar sozinha.
       "Você já penso na hipótese da mesma estar falando a verdade", meu subconsciente atira. Também me pergunto o porquê de ele existir, só me está fazendo ver que eu, talvez, tenha exagerado.

Kate:- O computador não tem culpa do que aconteceu com você.

      A outra recepcionista fala, eu estava tentando enviar um email no computador e este não dava, começava a ficar irritada novamente.

Lisa:- Estou há meia hora tentando enviar um email e ele não envia, que raiva.

      Acho que meditação seria uma bom passatempo para mim, vou pensar seriamente na ideia.

Kate:- Deixa eu ver.

      Eu não percebia nada de computadores, ainda para mais quando não estou nada concentrada como eu me encontrava no momento.

Lisa:- Boa sorte.

      Espero que ela consiga, preciso de enviar esse email.

Kate:- Claro que não consegue enviar, você estava clicando no local errado.

     Agora nem sei enviar emails, sinto falta da minha concentração.

Lisa:- Sinceramente, não estou conseguindo me focar no trabalho.

      O email tinha sido enviado, fiquei um bom tempo tentando e saber que ela não era enviado porque eu estava clicando no local errado me choca.

Kate:- Aconteceu alguma coisa?

      Mesmo confiando na Kate, não queria falar sobre o ocorrido.
      A garota tem se mostrado uma boa amiga, tivemos aquela divergências, mas já passou.

Lisa:- Apenas uma briga com uma pessoa. Já passa.

      A minha colega entendeu que eu não queria falar sobre o assunto, algo que me machucava.

Kate:- Isso vai passar. Agora vamos voltar ao trabalho.

      O expediente não tardou em terminar, o que para mim foi ótimo.
      O que eu precisava era de relaxar, tomar um banho e assistir minha série, tirar os meus problemas da cabeça. Por conta deles, minha concentração não esteve presente na maior parte do meu tempo.
     Quando cheguei em casa, tirei uns minutos para cuidar de mim e, enfim, poder relaxar.     Após isso, preparei meu jantar e comecei a assistir minha série, enquanto comia, um ótimo programa de fim de dia.


          "Você não é pescoço, mas mexeu com a minha cabeça!”


      Uma notificação chegou no meu celular e, como eu estava assistindo serie na televisão, o celular acabou me dando um susto.
"O que era agora?", era o meu pensamento depois de me acalmar.
       Rio com o conteúdo da mensagem, nem era preciso ver o nome da pessoa para saber de quem se tratava.


          Já vi cantadas melhores.
     Pensei que a internet tinha cantadas mais inteligentes.


      Não hesito em brincar com a situação, é muito  divertido. Será que algum cara pensa que pode conquistar uma mulher com cantadas?


           Essa foi a que achei que combinava com o brilho dos seus olhos.


Quando eu achava que a situação não podia piorar, a situação só piora.
      Nem estava assistindo mais minha série, o foco agora era rir das bobagens do desconhecido, ou melhor, Richard.


           Só você para me animar.


     A nossa conversa me distraía dos problemas que eu tinha, era como se fosse um refúgio para mim.


          Aconteceu alguma coisa?


      O mesmo se mostrou precupado, acho que estamos desenvolvendo uma certa amizade.


           Sim, eu briguei com a minha melhor amiga.
      Tudo por causa de uma bobagem.


      Queria ser sincera com ele, havia chegado o momento em que eu precisava de desabafar com alguém. Geralmente, tenho a tendência de guardas as coisas só para mim e, por conta disso, acabo sofrendo mais.


            Isso é mau, mas vocês vão resolver as coisas.
      Não vale a pena a gente brigar com alguém, a vida são só dois dias.



       Espero que ele tenha razão, o que eu menos quero agora é perder uma amizade sincera por eu ser uma idiota.
      Se ele soubesse que está envolvido no motivo da nossa briga...


              Fui eu que não confiei nela e também não respeitei a opinião dela acerca de um assunto.
      Me arrependo completamente.


      O meu arrependimento surgiu depois de minutos de reflexão sobre o assunto.
       Agora vem aquela frase "Se o arrependimento matasse".


               O melhor é falar com ela e explicar-lhe toda a situação.
       Há pouca sinceridade neste mundo e as pessoas valorizam quem é assim.



        Em relação a uma conversa futura com a Rosie concordo plenamente, mas só o vou fazer assim que ambas refletirmos um pouco.
       O pior é ele falar de sinceridade quando ele não revela que é o Richard, o ser mais irritante que eu conheci.
       Mesmo tendo esta conversa sincera com ele, vou continuar com o plano. A Lisa que eu conheço nunca desiste.


            É isso que eu vou fazer. Primeiro, temos que refletir e só depois é que podemos conversar.
       Obrigada pelos conselhos, você é um ótimo amigo.


      Quero deixar claro que já o considero "meu amigo", tudo parte do plano.
       Afinal, a vingança continua de pé.


           Você também é, eu gosto de conversar com você.


      Acho que avistei uma amizade, só falta a segunda parte do plano.


             Eu também.


     Apenas para o plano. Mentira! No fundo, eu sentia que gostava de conversar com ele, mesmo depois de saber que se tratava do Richard.



 



























































Notas Finais


Espero que tenham gostada deste capítulo, foi muito legal voltar ao ativo
Em princípio, domingo postarei mais um capítulo.

Um beijo para todos vocês ❤
Fiquem com Deus

Obrigada 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...