1. Spirit Fanfics >
  2. Is It Love? Gabriel Simons >
  3. Capítulo 33

História Is It Love? Gabriel Simons - Capítulo 34


Escrita por:


Capítulo 34 - Capítulo 33


Fanfic / Fanfiction Is It Love? Gabriel Simons - Capítulo 34 - Capítulo 33

Pov. Anna

Sasha: "Passamos! Passamos!"

Ela não parava de gritar e pular de um lado para o outro como um coelho ao saber que passamos nas provas com sucesso.

Sasha: "Temos que ligar para Jenny para irmos comprar os vestidos para a cerimónia de formatura e o baile." - ela diz sem parar de pular.

Owen: "Boa sorte porque eu não penso em acompanhá-las."

Anna: "Vamos Owen, não me deixe sozinha com elas." - eu sussurro suplicante.

Ele dá um passo para trás ao me ver sendo arrastada pelo braço por Sasha em direção as lojas de Manhattan, entrávamos em lojas e mais lojas observando os diferentes modelos e cores de vestido; eu sempre me imaginei em fazer isso com minha mãe enquanto ela me dizia o quão linda eu estava com cada um deles por mais feio que o vestido parecesse.

Sasha: "Não fique triste Anna, esse é um dia importante e devemos comemorar." - minha amiga me abraça.

Eu estaria totalmente perdida sem a minha melhor amiga.

Colocamos vestidos diferentes enquanto nos olhávamos no espelho como se tratasse de modelos, Jenny nos encontra na loja para ser nossa juiz e nos dizer qual deles é o melhor. Levamos por volta de três horas procurando o vestido certo para o baile. mas não encontramos nada.

Jenny: "Se não encontrarmos o vestido nessa loja, eu me rendo. Meus pés estão doendo." - ela diz cansada.

Pego o meu celular para cancelar o meu almoço com Gabriel, mas então essa noite posso levá-lo essa noite para Starlite e comemorar que passei em minhas provas.

- "Nos vemos essa noite, tenho a missão para encontrar o vestido perfeito."

As meninas me arrastaram para uma grande loja graças a um belo vestido longo e que modela o meu corpo ressaltando os meus atributos; isso segundo elas.

Jenny: "Você esta linda nesse vestido, Anna. Com certeza esse é o certo."

Ele é lindo, não posso negar e ele é fácil de tirar, então Gabriel não terá problemas quando esse dia chegar. Será que só consigo pensar em sexo quando penso nele?

Anna: "Irei levar." - digo segura.

Como se fossem meninas, as garotas começaram a gritar, acho que elas estão mais felizes do que eu por causa da formatura. Meus irmãos não irão falhar comigo, porque juro que os castro.


(...)

Pov. Daryl

Essa noite será o dia que irei acabar com tudo de uma vez por todas, Alex se encarregou de infiltrar um de nossos homens na gangue de Benjamim para saber sobre cada um de seus movimentos. Seus planos são atacar a Starlite essa noite, onde minha irmã estará com seu namorado e suas amigas, mas antes que isso aconteça farei uma visitinha a esse filho da puta, sei onde ele esta se escondendo.

Alex: "Vai colocar um colete à prova de balas?" - ele perguntou.

Daryl: "Não preciso de um fodido colete à prova de balas."

Alex: "Se uma. bala te acertar e você morrer, sua namoradinha vai me matar, mas antes eu te revivo e corto suas malditas bolas para depois te matar."

Reviro os meus olhos, me irrita o fato de ser tão dramático. Acabo colocando o coleta em baixo da minha camisa porque não quero ter problemas com Lisa; pego minhas armas colocando uma na parte de trás da minha calça e duas dentro do meu casaco.

Faço um sinal para ele sair junto.com o resto dos meus homens, na porta encontro com Lisa que me olha com lágrimas nos seus olhos e sua expressão me faz saber que ela esta irritada.

Lisa: "Por favor não faça isso." - ela murmura.

Daryl: "Se eu deixar que a policia cuideis acontecerá o mesmo, não deixarei que ninguém atente contra a minha família."

Eu a envolvo com os meus braços deixando um beijo em sua testa, cada vez que eu tenho que enfrentar qualquer gangue, a sensação em meu estômago me diz que não irei voltar.

Lisa: "Prometa-me que voltará."

Sua voz quebrada e apagada destrói a minha alma, se eu pudesse sair dessa merda para lhe dar uma vida tranquila, eu faria mas uma vez que você entra nesse mundo de merda, você não pode mais sair.

Daryl: "Não posso prometer algo que posso chegar a não cumprir."

Me separo dela deixando o meu coração com ela, mais uma vez irei manchar as minhas mãos com sangue e ela sabe disso, sabe que eu não sou um santo e mesmo assim me ama. Subo em meu carro. e saio dos portões da mansão, várias caminhonete com meus homens muito bem armado me seguem.

Axel: "Pronto para o caso da morte nos levar?" - ele diz do meu lado.

Daryl: "A morte sempre me ronda."

O motor do meu carro ruge com força passando por entre os carros em uma velocidade impressionante, ao chegar nesse galpão, tudo acontece, meus homens sem parar de dirigir atiram nos homens de Benjamim que também devolveram os tiros.

Freio em seco e Alex abaixa a janela atirando sem parar justamente na entrada e nas janelas que ficava na parte de cima do galpão.

Uma nuvem de bala vem em direção ao meu carro o deixando em chamas, descemos rapidamente do carro nos escondemos atrás de uma caminhonete e começo a devolver os tiros.

Alex: "Maldição Daryl, eles nos superam em números!" - ele grita desesperado.

Daryl: "Não sairei daqui até matar esse filho da puta!"

Em um impulso saio atirando em sua direção, suas balas impactam diretamente em meu peito com força me fazendo dobrar de dor, meu ombro começa a arder, meu corpo dói, o sangue que sai encharca a minha camisa e logo depois os meus olhos se fecham.


(...)

Pov. Anna

A música soa com força vibrando em todo lugar, dança sem parar desde que cheguei com as meninas, meu organismo esta cheio de cerveja que mal posso me manter em pé. Gabriel não pode vir por causa de uma reunião com o grande Ryan Carter mas ficou de vir me buscar e assim passaremos a noite inteira fodendo.

Rio sem parar sem deixar de cantar junto com as loucas das minhas amigas, que me seguem balançando as cadeiras de um lado para o outro com sensualidade.

Meu peito arde de um momento para o outro, o vazio se instala dentro de mim, como se milhares de agulhas estivessem passando pela minha garganta e se instalou em meu peito me impedindo de respirar. Meu copo escorrega da minha mão se quebrando se impactar com o chão; eu preciso me segurar em Sasha que olha para mim com preocupação.

Sasha: "Anna o que esta acontecendo? Você esta muito pálida."

Sua voz chega em meus ouvidos como um sussurro, acabo caindo em seus braços, minha vista fica embaçada e escuto a voz de minha mãe em minha cabeça sussurrando.

Daryl...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...