História Is it love Mark. - Um amor, mil segredos. - Capítulo 28


Escrita por:

Visualizações 775
Palavras 1.361
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Com vocês, essa ruiva é a Esther, esposa do Mark.

Capítulo 28 - Descobrindo a verdadeira história do Mark


Fanfic / Fanfiction Is it love Mark. - Um amor, mil segredos. - Capítulo 28 - Descobrindo a verdadeira história do Mark

MARK LEVIELS

Depois que Amanda, mexeu em minhas coisas eu fiquei atônito. Eu não queria contar a ninguém todo o sofrimento que carrego nesses quase dois anos.  Mas eu não estava aguentando ver mais a cara de Amanda de angustia em descobrir meu casamento. Eu precisava contar a verdade para ela. Pra piorar ela viu Luciana abraçada a mim em minha sala e imagino que ela tenha deduzido o pior, por eu está traindo minha esposa com ela. Vigiei o relógio e vi que já chegava a hora da nossa pausa. Corri para a recepção eu precisava ter essa conversa com ela urgentemente. Vi que ela se preparava pra pegar o elevador e então eu a segui.

— Amanda, por favor. Posso almoçar com você? Precisamos conversar. — Ela sorriu ironicamente enquanto apertava o botão do elevador.

— Almoçar comigo? O senhor não vai ficar constrangido se a Luciana — Ela pronunciou o nome da Lu com indiferença. — Nos pegar almoçando junto? E além do mais não temos mais nada para conversar. O senhor já deixou claro que é casado. — Suspirei olhando para cima e encarei Amanda que tentava manter a pose durona, mas com o olhar sofrido.

— Tem coisas que você precisa saber Amanda, por favor! Você ainda não sabe de tudo. — Ela ficou em incontáveis silêncios enquanto o elevador descia, assim que a porta abriu ela respondeu.

— Certo. Vamos lá. — Respirei aliviado, pelo menos ela ia me ouvir.

[...]

Chegando no Felipe, eu avistei uma mesa mais afastada possível para ter essa conversa que era tão delicada para mim. Fiz um pedido com vinho branco para acompanhar nossa conversa. Ficamos em silencio aguardando a bebida. O olhar de Amanda sofrido e perdido me fez doer o peito. Apesar de não poder, eu estava terrivelmente apaixonado por essa mulher. Assim que o vinho chegou eu dei uma boa sorvida, para encarar aquela conversa.

— E então? — Amanda perguntou tomando um gole do vinho dela. Eu pigarrei e a encarei.

— Sim Amanda, eu ainda sou casado, mas eu e minha esposa não moramos mais juntos. — Ela me olhou sem entender e eu fui ficando nervoso com a situação, arrumei a armação dos óculos. — Vou contar do início.

Esther e eu nos conhecemos na faculdade, como eu era bem tímido, era difícil eu me relacionar com alguém embora eu era bem solto quando queria você sabe... transar com alguém. Esther era uma menina muito inteligente e nós estudávamos juntos, ela me ajudava e eu a ajudava. Nós fomos criando cada vez mais laço e quando percebemos, nós já estávamos apaixonados. Quando vim trabalhar na Carter eu e Esther já estávamos prestes a noivarmos. Bem, nos casamos e um casamento bastante privado, só participaram nossos familiares apenas. E vivemos um amor tão intenso... — Percebi que Amanda estava incomodada. — Eu a amava mais que tudo, só que infelizmente nosso casamento começou a enfrentar problemas. Esther conheceu um rapaz e ela quis me abandonar por ele. Graças a Luciana, isso não aconteceu, minha cunhada sempre dava conselhos a mim e a sua irmã. Nós casamos muito novos e Esther muito pouco sabia da vida, ela viu no casamento o sonho da liberdade, começou a curtir coisas diferentes. Nós brigávamos muito. Eu era apaixonado demais nela, e ela queria me deixar por outro. Até que em um maldito dia. — Puxei o guardanapo lembrando da terrível cena. — Nós saímos de uma boate juntos, e por uma crise de ciúmes minha por ter visto aquele rapaz lá. Nós discutimos de frente a boate. Esther disse que estava cansando, e que faltava pouco para se livrar de mim, que cada dia que passava seu amor por mim estava morrendo. Já não suportava estar casada. Eu a mandei para o inferno e atravessei a rua de encontro ao nosso carro para irmos embora. Quando olhei pra trás só escutei um baque e quando dei por mim. Vi Esther jogada no chão a uma certa distância. O carro que a atropelou fugiu sem prestar socorro e eu me vi desesperado ali. Minha esposa estava entre a vida e a morte. — Percebi o olhar assustado e choroso de Amanda, ela estava bastante agitada segurando com força o guardanapo. — Quando fui para o hospital com ela que o médico me veio com a notícia. — Fechei os olhos relembrando. — Ela havia fraturado diversas partes do corpo e pra piorar, descobrimos que ela estava gravida e por causa do acidente, perdeu o bebê. Eu perdi meu filho. — Engoli o choro do sofrimento que me desolava. —  Ela sofreu um trauma no córtex cerebral. Ou seja. Nunca mais ela voltaria a vida ativa. Esther entrou em estado vegetativo e apesar de ela reconhecer a gente, a única expressão que ela consegue esboçar é o olhar. Meu Deus! Eu me sinto tão culpado por isso. Eu prometi a ela que enquanto ela vivesse, eu estaria ao lado dela. Dentre esses dois anos quase, eu não vivi mais. Eu padeci, eu não me sentia bem com isso de viver ser feliz, se por causa da minha discussão com a mulher que eu amava, eu a tirei essa felicidade. Eu não poderia ser feliz vendo ela sofrer daquela forma. Não era justo eu deitar em uma cama transar com outras mulheres, enquanto a minha esposa, que mesmo que não me amava mais, estava vegetando em vida naquela cama. Entende agora, porque nunca ninguém me via com algum relacionamento, ou caso? — Ela assentiu com lágrimas nos olhos. — Mas aí..., apareceu você e meu Deus, esse jeitinho louco, desbocado, tão diferente dos meus gostos, aos poucos foi me dominando. Eu não devia, eu sabia que tinha feito uma promessa na qual Luciana viu. Mas, cada vez mais estava tornando insuportável te ver, te desejar e não poder te tocar. Pra piorar eu vi você de rolo com o Richard, decidir chutar o pau da barraca e assumi todas as consequências em ter você pra mim. — Segurei em sua mão e ela chorou. — A tempos eu não me sentia feliz Amanda. Até você surgir em minha vida. Voltei a sorrir verdadeiramente por passar cada instante com você. Eu descobri que me apaixonei. E apesar de depois de estar com você e me sentir sujo por estar fazendo isso com Esther, eu não a deixaria. Luciana..., se ela descobrisse ela ia me martirizar pro resto da vida até sua irmã falecer, nesse meio tempo Luciana se apaixonou por mim, e ela se declarou e me beijou. Eu disse a ela que jamais poderia deixar isso acontecer entre nós em respeito a irmã dela. Ela disse que a irmã não me amava mais e jamais se importaria, mas eu me importaria, como eu disse. Não era justo eu viver feliz enquanto Esther vegetava entre a vida e a morte, e apesar de vegetar, Esther ainda tem consciência. O coração dela se agita quando me ver, ou quando ver seus familiares, ela tem noção das coisas e ela não suportaria saber que eu estava vivendo e feliz. O médico nos explicou que uma hora o corpo dela não aguentará mais e poderá partir. Só não sabemos quando. E enquanto isso não acontecer eu devia total fidelidade e sofrimento com ela. Por isso você me ver com o telefone direto em mãos, vira e mexe ela tem uma piora e então preciso correr para estar ao lado dela, e quando eu chego, ela se acalma, aquele dia mesmo na sexta feira em que eu a levei para casa e pensava em um jantar com você, a Luciana me mandou mensagem dizendo que Esther estava alterada, seu coração estava acelerado e ela parecia estar piorando, eu corri para ficar com ela, e ela se acalmou. Entende agora minha terrível situação?  Eu amo você Amanda, não queria te perder, mas eu sei... que isso, essa revelação vai afetar nossa vida. Por isso eu sempre escondi essa carga de todos, o único que sabia dessa minha situação era o senhor Carter, nem mesmo sua esposa sabe. E agora você já sabe de tudo... — Amanda me encarou chorando bem baixinho e acariciou minhas mãos, eu estava tenso e sofrendo. Odiava mexer naquela história que causou a infelicidade da minha esposa. Mas por Amanda, eu precisei mexer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...