História Is it love Mark. - Um amor, mil segredos. - Capítulo 88


Escrita por:

Visualizações 320
Palavras 1.628
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 88 - Ouvindo a justificativa


Mark continuava de pé, e senti minha barriga pesar, eu precisava entender o que de fato aconteceu e não sairia dali por nada. Me sentei no pequeno sofá ali de sua sala e o encarei. Mark parecia envergonhado.

— E então, comece? — Mark se aproximou em passos felinos e sentou ao meu lado, retirando os óculos.

— Não sei por onde começar... — Forcei um falso sorriso.

— Do começo, Mark. — Ele assentiu e suspirou, ficou um bom tempo em silencio e eu tive a maior calma do mundo, apenas atenta em suas feições e se ele demonstraria algum vacilo.

— Bem, quando aconteceu o acidente com a Esther, eu me via perdido. Comecei a fazer coisas que jamais fiz antes. — Franzi o cenho preocupada.

— Que coisas? — Mark me olhou e abaixou a cabeça.

— Pode parecer bobo, mas antes do acidente de Esther, eu mal colocava bebidas alcoólicas na boca, na verdade bebia mais por alguma formalidade, mas depois o acidente, eu comecei a me afundar no álcool. Pedi um tempo das empresas Carter..., não estava com cabeça pra isso, eu ia ficar com Esther nas visitas e quando chegava naquela casa sozinho, sem a presença dela, eu me afogava em bebidas. Foi quando fui amparado por Mariano e Luciana, naquela época, Mariano morava em New York com Luciana, eles estavam noivos, alias. Luciana sempre enrolou o pobre homem com esse noivado, enrolou por anos, até essa ultima separação deles. — Suspirei, eu sabia que Luciana era uma vadia de quinta. — Eu e Mariano ficamos bem amigos, ele me dava o suporte, o consolo que eu precisava, o ombro amigo sem interesse financeiro ou sentimental, como muitas que se faziam de amigas da Esther, tentaram me consolar, se é que me entende. — Assenti. Claro que eu entendia. — Uma noite, ele precisou viajar para fechar um negocio importante, Luciana não quis ir e claro ele me confiou sua esposa a mim, para que eu cuidasse dela pelo tempo que ele ficasse fora. — Um sorriso sínico queria escapulir dos meus lábios, quando ele disse a palavras “cuidasse”, mas me mantive seria e concentrada em cada palavra que ele dizia. — Pois bem, nessa noite Esther teve uma piora e eu me desesperei. Não podia ficar na sala com ela no hospital e então Luciana decidiu que fossemos embora pra casa, ela achou melhor.
Chegamos em casa, Luciana me serviu com um whisky para que eu desafogasse a tristeza que me corroía. Bebemos juntos a noite inteira, só sei que teve uma hora... — Mark parecia pensativo tentando lembrar de algo. — Em que ela foi buscar mais whisky e gelo que havia acabado e foi ai que tudo começou. Eu já estava completamente bêbado sem nem enxergar um palmo do meu nariz sem me sentir zonzo. Quando tomei uma golada única do drink e minha vista foi só piorando, só me lembro que ela avançou em meu colo e me beijou. Eu tentei evitar, mas... — Mark suspirou triste. — Não sei o que de fato aconteceu eu apaguei ali, eu tento. Juro que tento lembrar e me sinto muito culpado por ter acabado a minha amizade com Mariano por isso. A única coisa que eu me lembro foi de acordar com gritos de raiva do Mariano, eu completamente nu, na cama deles e Luciana estava nua agarrada em mim. Fiquei meio tonto, perdido, como se ainda eu estivesse com o efeito da bebedeira. Mariano partiu pra cima de mim, e eu apanhei muito dele. Claro. Eu nem estava em condições de lutar. Percebi que Luciana estava surpresa com a chegada de Mariano, na verdade ele viria apenas na outra semana, mas ele antecipou a volta. Meu Deus! Aquilo foi o fim. Eu me senti mal por tantos anos. Traí Esther e a amizade de Mariano, a Esther nem sonha com isso. No final, após meses e meses, Luciana conseguiu convencer a Mariano voltar com ela e de se caso Esther acordasse, ele não contaria absolutamente nada. — Continuei observando os olhos e semblante de Mark e percebi que ele falava a verdade. — Eu me afastei de Luciana por um tempo, mas devido a doença de Esther, acabei me aproximando, e ela bancando a vitima sofredora, que sofria com a situação da irmã e havia perdido o Mariano, eu me senti na obrigação de ampara-la, de colocar um ponto final naquela situação e fingi que nada aconteceu, quer dizer tentar. Porque foi complicado no início. — Mark segurou minha mão acariciando e percebi que ele estava tremulo.

— Por isso eu tive tanto medo do Mariano perto de você Amanda, eu sabia que ele nunca iria deixar de tentar de te tirar de mim. Eu sempre tive medo, e se caso isso viesse acontecer. Eu não poderia fazer nada a respeito, afinal, eu errei com ele também. Eu tive medo de acontecer comigo o que aconteceu com ele, e ficaria por isso mesmo. Era uma forma de vingança dele, entende? — Eu nada disse com uma expressão tensa no rosto.

— Na nossa ultima briga em que eu surtei, foi por ter visto a sala cheia de flores, eu fiquei fora por uma semana sem você, e quando voltei vi que vocês haviam se acertado e então pirei nem lembrei de mais nada, nem mesmo da gravidez, quando o que me vinha na mente era o flagra dele em me ver na cama dele com a mulher dele, e só de imaginar ele vingando aquilo usando você... Mas porra..., eu vi que estava errado. Você é uma mulher de valor, você me ama e é completamente diferente da Luciana, eu fiquei tão envergonhado que nem sabia como ligar pra você naquele dia e tive a ideia de ligar para o Mariano. Ele atendeu, e ficou surpreso e puto ao mesmo tempo com a minha ligação, perguntei como foi no hospital com você, e ele me disse que estava tudo bem, foi só um susto, isso me deixou mais aliviado. Eu decidi marcar de vê-lo, precisávamos conversar. Ele estava relutante, mas acabou cedendo. Eu e ele desabafamos um com o outro, e então eu pedi perdão por aquela noite da minha deslealdade a sua amizade. Ele estava profundamente ressentido ainda, mas disse que havia me perdoado, mas que realmente... — Mark fez uma pausa e engoliu seco. — Realmente ele se apaixonou por você, mas que a respeitava pois sabia dos seus sentimentos por mim, e que nenhum momento você deu total brecha pra que ele tentasse algo além da amizade. Quanto mais ele falava, mais um lixo eu me sentia, mais covarde eu ficava de te ligar e me desculpar, se antes de conversar com Mariano eu já me sentia um babaca por ter feito aquilo, depois então.... Eu sabia que eu não era merecedor do seu perdão, mas..., eu não queria desistir de você. Foi quando meu advogado me mandou um e-mail avisando que o divorcio saiu, tirei a copia e queria te mostrar, mas não sabia como e com que cara eu iria conseguir, foi quando tive a ideia da carta, do bombom, do vestido, restaurante e do pedido. Na carta deixei claro que só saberia a resposta se você fosse ao local. Eu fiquei nervoso, ansioso, eu imaginei que você não iria, eu estava puto e triste comigo mesmo por ter estragado tudo. Mas, quando soube que você foi ainda vestida com o vestido que lhe dei, meu peito se derreteu de amor, e aí eu pensei comigo mesmo, que faria qualquer coisa para que desse certo, qualquer coisa para que não a fizesse sofrer mais. Eu te amo demais Amanda, e eu garanto que serei um eterno apaixonado em você, foi você e agora nosso pequeno Max que deu luz a minha vida. Como posso ficar sem você? Espero que me perdoe por eu ter escondido essa parte da minha vida. Mas é que sinto tanta vergonha que escondi isso até de mim mesmo. — Mark suspirou parecendo ganhar o ar novamente e eu me levantei, ele me encarou atentamente.

— Sabe o que eu acho? Que você e o Mariano são dois babacas ludibriados! Poxa!  É claro que ela armou essa história de você e ela ter transado. Ninguém fica sem se lembrar do que fez dessa forma, e realmente nas condições em que você descreveu, acho que nem eu conseguiria transar com você naquela noite. Do jeito que essa vadia é, com certeza ela armou, ia fingir que vocês tiveram algo e logo em seguida ela engravidaria do Mariano e faria você pensar que era seu. Mas, o plano deu errado porque o Mariano chegou justamente naquele dia e acabou pegando no flagra e eles terminaram, voltando só depois então o plano realmente saiu errado. Era isso Mark. — Mark me encarou como se tivesse descoberto os números da loteria, e se aproximou me abraçando animado.

— É claro! Como eu posso ser idiota? É isso mesmo, eu lembro que ela trouxe o whisky pra mim, mexendo com uma colher no copo, e depois de eu tomar aquela porra eu apaguei. Você está certa Amanda. Ela nos enganou e eu que não achava que ela seria assim... Uma coisa é ela se apaixonar por mim, outra é ela querer enganar a todos para conseguir o que deseja. Mas e você..., me perdoa novamente por ter escondido isso de você? — Assenti, é claro que perdoaria, afinal de contas isso foi antes de mim.

— Perdoo sim, mas espero que esse seja seu ultimo segredo. O próximo eu não lhe garanto perdão. — Ele se ajoelhou beijando minhas mãos.

— Meu amor! É claro que é. Não existe mais nenhum segredo entre nós. Eu garanto Amanda. — Eu o levantei e ele me beijou lentamente e cheio de amor. Nos amávamos e tínhamos feito a promessa de nunca nos separar. E seria assim. Ninguém nem mesmo a cadela da Luciana conseguiria isso.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                          



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...