1. Spirit Fanfics >
  2. Is it love ? Matt - A gata borralheira e o Bad boy >
  3. É tudo real!

História Is it love ? Matt - A gata borralheira e o Bad boy - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Atenção: Capítulo Hot.

Capítulo 16 - É tudo real!


Fanfic / Fanfiction Is it love ? Matt - A gata borralheira e o Bad boy - Capítulo 16 - É tudo real!

                     Emma Scott 

 Sorri sentando no sofá.Minha cadelinha vasculhava todo o apartamento do Matt entretida em explorar o novo ambiente até então desconhecido.Em compensação Matt parecia está no exato lugar no qual eu queria.  

— Que tal pararmos o que começamos?

Sugeri sorridente. Matt mordeu os lábios já imaginado o que eu queria.Eu coloquei a cerveja na mesinha um tanto nervosa, e subi nas pernas do moreno envolvendo meus braços em torno do seu pescoço. 

Nos beijamos com tanta  intesidade,com tanto desejo e paixão. Nunca tinha sentindo tanta necessidade das carícias de um homem como o Matt.Meu corpo precisava dele urgentemente, como jamais ansiou outro homem com a mesma veemência. A língua dele explorava minha boca me deixando mais quente a suas carícias, ele segurou na minha bunda e apertou com força enquanto sua outra mão passeava pelas minhas coxas. Abri a boca tentando absorver o ar e encarei seus olhos amedoadas, Matt colocou a mão na minha nuca e me beijou novamente. Me levantando do sofá, envolvi minhas pernas na sua cintura enquanto ele me levava ao seu quarto.Matt fica em cima de mim, eu puxo sua blusa e tiro,dou de cara com seus lindos músculos e abdômen perfeitamente definidos.

Emma encarou Matt boquiaberta pelo corpo atlético do moreno.Mordeu o lábio passando os dedos nos gominhos do Matt, que pegou a mão de Emma  e deu um beijo, e falou ainda com os lábios colados do dorso da mão dela.

—Gostou princesa? Ainda tem mais.

—Sim, gostei muito. 

Falei ofegante. Matt tirou a calça jeans ficando só de cueca. Eu encarei o volume o tanto generoso e mordi o lábio o querendo em mim.

Matt pegou a perna da Emma acariciou e começou a beijar trilhando cada centímetro do corpo dela, a deixando cada vez mais quente, mais sensível aos seus toques.

— Ma-Matt! Ah...!

Matt  deitou  em cima de mim e  começa a me beijar, meu pescoço desceu um pouco até meu decote e pegou uma parte da minha blusa com o dente e me olhou sorridente.Eu tiro minha blusa ele me ajuda com o sutiã, Matt deslizou as alças pelos meus braços e jogando em qualquer canto dali, ele passou a mão carinhosamente nos meus seios e logo depois aproximou os lábios o tocando carinhosamte. Eu fechei os olhos e entrelacei meus dedos entre seus fios de cabelo castanhos o fazendo chupar mais forte meu mamilo esquerdo.

—Ah...! Ma-Matt! 

Fechei os olhos ao sentir a boca do moreno me chupando, e com a outra acariciando o bico do meu seio já ériçado na sua mão. Matt foi descendo o beijo até minha barriga e quando suas mãos  seguraram minhas coxas eu fechei os olhos e mordi os lábios, ele passou devagarinho a mão esquerda na minha intimidade por cima da pequena calcinha. Suspirei quando ele pegou nas alcinhas e foi deslizando o tecido fino entre minhas coxas me deixando desnuda pra ele.

— Princesa você é tão perfeita!

Falou passando a mão no meu clitóris, me fazendo gemer o nome dele. 

— Matt... 

Ele deu um sorrisinho e deu um beijinho na minha coxa, foi subindo e subindo até encostar aquela língua quente e perfeita no meu prazer. Eu segurei firme o tecido de algodão da cama e revirei os olhos ao sentir meu orgasmos se aproximando. Matt começou a beijar e chupar minha intimidade cada vez mais rápido me fazendo contocer-me na cama a cada toque dele. 

Gemi alto quando sentir que ia gozar, tentei tirar o Matt das minhas pernas mas ele continuou lá. Então estremeçi quando gozei,Matt me chupou e logo em seguida ficou por cima de mim e beijou-me me fazendo sentir meu próprio gosto na boca dele. Eu entrelacei minhas mãos no seu pescoço e sorri ao vê-lo em meus braços, pesquei seus lábios e chupei sua língua,  ao   roçar minha intimidade no seu membro duro. 

Desci as mãos até sua cueca e passei a mão na bunda do Matt, bem  durinha dava vontade de morder todinha. Ele me ajudou a tirar sua cueca box da cor vinho, eu abri a boca anestesiada quando vi o tamanho do seu pênis, era enorme e rosado com veias proeminentes. Passei a mão nele e Matt me encarou com um sorriso preso nos lábios, passou a mão vasculhando o cabelo e encarando minha mão na sua genitária. Eu desci o rosto e encostei a  cabeça nos meus lábios, olhei pra cima e o vi fechando os olhos, agachei afundando meus joelhos no colchão e engoli seu membro todinho. Lambi  toda a extensão, Matt segurou na minha cabeça e me ajudou a movimentar-se na minha boca, acariciou suas bolas e fui fundo até chegar no meu limite, estocava seu membro delicioso na minha boca e pode sentir o gosto do pré gozo dele adocicar  meu paladar.

— Princesa você ta me deixando louco.

Matt falou com uma rouquidão na voz, seus olhos escurecidos pelo prazer. Ele agarrou Emma pela cintura a puxando para si, começou a beija-lá e falou no seu ouvido:

— Eu preciso de você agora.

Matt me deitou na cama e abriu uma gaveta do criado mudo pegando um preservativo, ele o rasga com os dentes e veste seu membro. O moreno se ageita entre minhas pernas  as abrindo e se inclina para por seu membro dentro de mim, ele vem até minha boca e  começa a me beijar,  fazendo os movimentos de vai e vem isso me deixa com muito prazer. 

— Ahhh mais forte, Matt.

Vejo a carinha do Matt de prazer ele continua metendo com mais força, eu agarro em suas costas e puxo  mais ele pra mim. Nosso corpo encaixado loucos pelo desejo me faz ver estrelas. Matt agarra em meus lábios dando estocadas mais precisas fazendo nosso corpo pular na cama.  Depois de chegarmos ao clímax três vezes eu caio sobre seu peito  peito suado. 

— Você foi incrível,Matt.

Falei acariciando seu rosto suado, Matt deu um sorrisinho e beijou minha testa acariciando meus cabelos.

— Você que é incrível princesa.

Eu aconcheguei meu corpo no dele, ficamos coladinho um no outro. Meu rosto em cima do seu peito, eu podia ouvir claramente o coração acelerado do moreno, beijei seu peito e acabamos dormindo. 

[...]

 Acordo no outro dia  um pouco sonolenta, sorriu ao lembrar da noite de ontem. Olho em volta e percebi o lugar vazio na cama, Matt já tinha acordado. Levanto da cama enrolado no lençol e tento pegar minhas roupas que estão jogadas no chão, depois da nossa noite de ontem aiii e que noite. Visto minha roupa e faço um coque no cabelo, vou até o banheiro lavar o rosto e acabo usando o enxaguante bucal do Matt já que não havia como escovar os dentes. Quando sai do banheiro fui caminhando a procura da minha cadela que desde ontem não a vi mais.Quando  passo pela cozinha algo acaba me tirando atenção. Matt estava só de jeans sem camisa e cozinhando, enquanto estrelinha balançava o rabo para ele alegremente. 

— Bom dia princesa dormiu bem?

Matt perguntou sorrindo, veio até mim e e me deu um beijo no rosto 

— Dormir muito bem Matt, tão bem que acabei perdendo a hora eu tenho que ir.

—Não antes de comer o que preparei pra gente.

Emma pensou em recusar, visto que a essas alturas o seu pai já estaria á esperando com a cinta na mão. Mas o olhar amendoado do moreno e aquele sorrisinho cheio de covinhas foi irresistível para ela.

—Okay. Mais tem que ser bem rápido pois tenho que passar lá em casa antes de ir pra Carter. 

Matt me leva até a cozinha e puxa uma cadeira pra me sentar.Olhou para o lanche e falou:

—Não se preocupe não tem nada de origem animal.

Fico surpresa ele sabe que...

—Como você  sabe que sou vegetariana? 

Ele me olha e fala todo posudo.

—Digamos que fiz meu dever de casa.

Com essa eu me acabo de rir. Matt não era só lindo e carinhoso, ele era o homem mais perfeito do mundo... dessa galáxia...dessa dimensão...Matt simplesmente era o Matt.

—Olha se gosta?! 

Matt senta perto de mim e come um sanduba com pasta de amendoim, nós ficamos algum tempo se olhando e rindo. 

—Humm... Isso aqui tá muito bom foi você que fez?

—Tecnicamente não, comprei tudo feito . 

—Há seu danadinho tava suspeitando desse seu talento na cozinha.

—Faço tudo pra impressionar a princesa .

Matt me da um beijinho ele acaricia minhas mãos. 

—Gosta de anéis outra coisa pra anotar na minha agenda.

Ele diz isso olhando para meus dedos entupidos de anéis de diferentes formas e cores.

—É legal! E você gosta de que?

Digo sorrindo. Matt me encara e abre o sorriso lindo que tem ao falar.

— Gosto de princesas.

Eu ruborizei automaticamente. Aquilo não parecia real, Matt era um príncipe e eu digamos ao olhar dele uma princesa, então a simpatia seria... a porção do amor. Será que o Matt estava encantado por mim pela simpatia da Paris? Aí meu Deus a Paris, como eu vou contar que estou paquerando o Matt? 

—Já são tarde tenho que ir. A minha cadela precisa comer.

Falei levantando da cadeira, Matt se levantou rapidamente e segurou no meu braço.

—Eu dei leite pra ela, não precisa se preocupar. Senta come direito eu te levo para casa se quiser. 

[...]

Entrei em casa na pontinha dos pés segurando minha cadela. Olhei  para a sala de jantar e seu Alonso ainda não estava tomando seu cafezinho expresso. Suspirei aliviada, então tinha tempo o suficiente de chegar no meu quarto sã e salva. Subi as escadas correndo abrir a porta do meu quarto e cai na cama respirando fundo. Sorri  encarando  o teto, minha cadelinha correu  para sua caminha enquanto eu fui tomar banho e me preparar para ir a Carter. 

Emma descia as escadas quando uma cena tomou sua atenção.Seu pai acabará de chegar em casa, como a mesma roupa de ontem e ainda por cima com os cabelos molhados.

— Papai onde você passou a noite?

Cruzei os braços encarando o seu Alonso perder a cor.

—É...É...Emma por favor eu não tenho que te dar satisfações da minha vida.

Emma abriu a boca chocada.

— Ah é assim? Você dorme fora de casa e não me dar satisfação, enquanto eu passo a noite solitária nessa mansão.

Vendo a cena e os choramingos de Emma pela cobrança no pai, dava até para acreditar que a garota ficará a madrugada olhando o relógio a espera do pai.

—Eu vou trocar de roupa Emma nos vemos na Carter. 

Deu um beijo na minha testa e saiu, como se fosse a coisa mais natural do mundo, dormir fora de casa depois de quinze anos trancafiado no escritório ou de guarda ao me ver chegar tarde para me dar bronca. 

Dessa vez Emma se salvou ao não dormir em casa. Já havia usado todas as desculpas possíveis para suas escapulidas que já se esgotará ideias para driblar o pai. Mas mesmo tendo sido salva pelo gongo, tinha algo lhe entrigando. 

 — Afinal, com quem será que papai passou a noite?

Meu celular estava vibrando, quando desbloquiei a tela pude ver o nome do Ryan bem em cima.

Emma eu preciso ter uma conversa séria com você. Quero você  na minha sala assim que chegar na Carter. 


 


  

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...