1. Spirit Fanfics >
  2. Is It Love? Matt - Pequeno Anjo >
  3. O meu apoio

História Is It Love? Matt - Pequeno Anjo - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada pelos seus do capitulo anterior 🥰
Obrigada a todos que tem favoritado até aqui
Aproveitem o capítulo 🤭
Por favor, leiam as notas finais 🌸

Capítulo 4 - O meu apoio


Fanfic / Fanfiction Is It Love? Matt - Pequeno Anjo - Capítulo 4 - O meu apoio




Não dormi muito bem essa noite, já que o meu filho acordou, chorou e ficou brincando a madrugada toda. Além de dormir pouco, me levanto exausto pra ir trabalhar. Vendo ele dormir tranquilamente.

— Agora você dorme? – levanto a sobrancelha.

Me levanto da cama, tomo uma ducha e me arrumo pra ir trabalhar.

— O que eu vou fazer com você?

Fico olhando o meu menino e respiro fundo, criando coragem pra pedir ajuda da Bella.

— Será que ela vai aceitar – ando de um lado pro outro no corredor, tentando me convencer.– Ela disse que podia chamar se quisesse.

Mas ontem eu estava fedendo tanto, que tenho medo de ter traumatizado um anjinho.

Depois de um tempo enrolando, respiro fundo e bato sua porta algumas vezes.

— Bom dia... – ela boceja, saindo de casa coçando os olhos de maneira extremamente fofa.

Vejo a Bella, com os cabelos um pouco bagunçados, vestindo um pijama da Lufa-lufa, com os olhos pesados de sono, abraçando um texugo de pelúcia.

Como alguém que acabar de acordar, consegue ser mais linda do que já é?

— Você – desvio o olhar envergonhado.– Pode ficar com ele? Enquanto eu saio pra trabalhar – coço a nuca.– Ele acabou de dormir, eu sei que está cansada, mas pode dormir no meu col...

Paro de falar quando ela fecha a porta de casa e entra no meu apartamento.

— Pode ir – deita no meu colchão se cobrindo.– Não se preocupe, eu não vou roubar nada.

Vejo ela fechar os olhos pra dormir e solto uma risada interna.

Ainda bem que ela tem uns parafusos a menos!

— Obrigada anjinho, eu vou deixar a senha da porta em cima da mesa – agradeço mas ela não responde.

Pego minhas coisas, dou beijo na testa dos dois dorminhocos e saio pra trabalhar.


Meu celular treme enquanto eu almoço no Bobs e eu atendo a ligação do meu irmão.

— Tudo pronto!

— Mas já? – olho no relógio.– Não são nem meio dia e você já conseguiu?

— Você sabe que eu não gosto de perder tempo. Mas isso não é tudo, encontrei a bruxa e fiz ela assinar os papéis.

Bruxa?

— Você fez o que? – sorrio incrédulo.

— Está tudo registrado e oficializado, você já pode trocar os documentos dele – ouço o barulho de um bebê.

— Você está com o meu filho?

— Isso é a televisão! – sua voz sobe um oitavo.

— (Daryl eu encontrei!) – ouço a voz da Bella de fundo.

— A televisão está me chamando te vejo mas tarde, tchau! – encerra a ligação.

Fico pasmo quando ele desliga na minha cara e vejo o Colin de boca aberta na minha frente.

— Você tem um filho? – pergunta paralisado.

Eu esqueci de contar pra ele!

Depois de explicar toda a história pro Colin, volto ao trabalho na Carter e depois volto pra casa, com meu amigo mais animado do que eu querendo ver o meu bebê.

— Eu vou comprar algumas coisas pra ele – falo com o Colin, entrando no condomínio.– Eu quero pedir a Bella pra ir comigo, mas estou com medo de abusar da sua bondade. Ela já me ajudou ontem e hoje, não quero ficar escorando nela.

Nós entramos no elevador e eu aperto o número do meu andar.

— Cuidar de criança não é fácil, você teve sorte dela querer te ajudar.

O Colin já cuidou do seu irmão mais novo quando era criança, que por um acidente infeliz, ele não está mais entre nós. Meu amigo se culpa até hoje pelo o que aconteceu com o seu irmão. Por mais que não foi culpa dele.

— Ela é um anjinho que caiu do céu – sorrio.– Eu não sei o que eu faria sem a sua ajuda, mas não vou abusar, e já estou procurando alguém pra ficar com ele enquanto eu trabalho.

— Você disse que ela trabalha em casa né? Então faz um acordo, e paga pra Bella o que você pagaria contratando alguém. Melhor do que colocar uma completa estranha na sua casa.

— Ela é escritora e precisa de muita concentração, um bebê só iria atrapalha-la.

As portas do elevador se abrem e eu vou pro meu apartamento, vendo o da Bella aberto.

— Eu tô doido pra ver esse menininho – ele sorri animado.

Coloco a senha na minha porta, pra colocar minhas coisas dentro de casa e quando abro, levo um susto, com o tanto de sacola que tem em cima do sofá, no chão...

— Mas o que? – me viro e vejo a porta do anjo aberta e bato nela.– Bella?

— Pode entrar estamos na varanda – ouço sua voz de fundo.

Nós tiramos o sapato e entramos no seu apartamento.

— Eita ferro! – o Colin se espanta olhando a coleção de action figure.– Isso tudo é dela? – sussurra.

— Meu é que não é!

Vou para varanda e vejo a Bella e o Daryl, brincando com o meu filho.

— Olha Bruce – ela sorri.– o papai chegou.

— Bruce? – pergunto.

— Nós saímos pra dar uma volta com ele – meu irmão fala.– As pessoas ficavam perguntando qual era o seu nome e como não sabemos, falamos que era Bruce Wayne.

— Desculpa por isso, mas a ideia foi minha – ela fala envergonhada mexendo no cabelo.– É estranho não saber o nome dele – cora.

Tão linda...

— A Bella queria chamá-lo de Gohan, mas ele chorava toda vez que ouvia esse nome.

Ela faz um biquinho que não gostou.

Fico admirando o quanto a Bella esta linda e percebo a câmera na sua mão.

— O que? – aponto pra câmera.

— Nós estávamos tirando fotos dele – dá um lindo sorriso.– Ele fica tão fofinho em todas as roupinhas. Não é Bruce?

Meu menino sorri brincando com ela e eu fico encantado, a vendo toda carinhosa e meiga com meu filho.

— Então vocês resolveram comprar tudo? – O Colin fala atrás de mim.

Foi por isso que eu vim aqui! – estralo os dedos me lembrando.– Me distrai vendo a beleza dela.

— Mas não foi culpa minha – ela rapidamente se explica.– Ele ficou uma gracinha com a roupa do Flash e depois com a do Batman.

— E depois de Darth Vader – o meu irmão fala animado.– E aquela do Goku!

Os dois sorri um pro outro e ela fala sorrindo.

— Ele ficou tão lindo de Goku e principalmente de Vegeta! E tem aquela de Hogwarts.

— E a plataforma 9 ¾!

Eles ficam falando as roupinhas que compraram e o meu menino bate palma sorrindo no meio deles.

— Eaí Bruce Wayne – o Colin se ajoelha.– Até quem fim tirou a máscara.

Ele o pega no colo e a Bella se aproxima deles.

— Olha só o que nós ensinamos, fala Daryl!

— Eu sou Batman! – fala num tom grave.

Meu menino cerra os olhos e solta “Hm” e eles caem na gargalhada.

— Como você é fofo! – ela sorri e o bebê solta uma risada gostosa.

Eles ficam brincando com o Bruce e eu dou risada, os vendo animados.

— Vocês se divertiram muito hoje – o pego no colo sorrindo.– Mas compraram coisas demais e nós não podemos aceitar.

Eles fazem um som triste.

— Eu sabia que iria falar isso – o Daryl se pronuncia.– Por isso tirei todas as etiquetas das roupas!

O olho com cara de não muitos amigos.

— E como não sabemos onde as outras coisas vão ficar, pedimos pro montador vir só depois que você chegasse – ela fala gentilmente.

— Outras coisas? – arregalo os olhos.– Tem mais?

— Eu comprei o enxoval do meu sobrinho e Bella comprou as roupinhas – o Daryl sorri.– Não queríamos mexer nas suas coisas sem permissão, então o montador vai chegar daqui há uma hora. Não temos tempo a perder, então decida logo onde o vai ser quarto dele!

Eu tento falar alguma coisa, mas não se forma uma palavra, o Colin dá um tapa nas minhas costas e eu formo uma frase.

— Gente eu não posso aceitar, é muita coisa e isso tudo é muito caro!

— Qual é Matt – o Daryl revira os olhos.– É meu sobrinho, e dinheiro pra mim não problema, só aceita!

— É verdade, a gente até comprou uma lanterna que faz o batsinal pra quando você desligar as luzes – fala toda fofinha.– Ninguém aqui dorme num berço ou cabe nas roupas que compramos, então deixa o pequeno Bruce ficar com elas.

Droga! Como eu vou conseguir negar algo se ela fizer essa carinha?

— Isso é muito lindo princesa, mas é caro também! Não posso escorar em vocês desse jeito! – fico firme.

— Mas você não está escorando na gente – balança a cabeça negando.– Nós fizemos isso de bom grado, considere só como um presente de chá de fralda.

Por favor não sorri desse jeitinho pra mim – peço em pensamento, tentando me manter firme.

— Em chá de fralda nós damos fraldas! – exclamo.– Não damos um quarto inteiro pra alguém!

— Então somos o inverso, porque esquecemos de comprar as fraldas – meu irmão fala.

— Deixa de ser chato Matt – o Colin revira os olhos.– Aceita logo, você é pai solteiro e não tinha nada além de uma bolsa! Para de reclamar e aceita a ajuda deles! – suspira.– Como vocês esqueceram das fraldas, então deixa que eu compro!

Agora pronto! Já está difícil resistir a Bella e agora o meu melhor amigo passa pro outro lado.

— Criar um filho é muito caro Matt – ela toca no meu braço.– O meu pai é viúvo e cuidou de mim e do meu irmão sozinho, por mas que estamos ajudando com isso, você vai gastar muito com fraldas, leite e muitas outras coisas. Então por favor só aceita a nossa ajuda.

O que eu faço com você? Se continuar desse jeito, eu vou acabar te roubando pra mim.

— Tá – falo num suspiro.

Eles comemoram e a Bella me dá um sorriso lindo.

— Você tem que escolher um quarto pra colocar os móveis que o Daryl comprou. Nós limpamos a sua casa por alto e ele devolveu o colchão pro seu quarto. Eu aproveitei e peguei o meu cachecol de volta.

— Você pegou? – sorrio tentando disfarçar e ela dá um sorrisinho concordando.

Oh merda! Como eu vou sentir o cheirinho dela agora?

Nós andamos até o meu apartamento conversando.

— Você já escolheu um nome pra ele? – o Daryl pergunta.

— Eu gostei de Bruce – sorrio.– Eu sou o Batman – falo olhando pro meu filho.

“Hm” – cerra os olhos.

— Como você é lindo! – beijo sua bochecha.

Meu menino dá uma risada gostosa e eu o encho de beijos.

Eu mostro pra eles o quarto de hóspedes e eles me olham confusos.

— Tá vazio – meu irmão fala.

— Eu já estava planejando comprar as coisas dele hoje e como o Bruce não me deixou dormir essa noite, esvaziei o quarto enquanto ele brincava com a minha cara.

Eles dão risada.

— Conseguiu tirar os jogos sozinho? Mas não é muito pesado? – a Bella pergunta.

— Esse não era o quarto de jogos – explico.– Esse aqui não tinha muita coisa, é um apartamento de três quartos pra alguém solteiro. Não tinha o que fazer nesse quarto, então ele só tinha uma coisinha ou outra.

Ela balança a cabeça compreendendo.

Nós brincamos com o meu filho até os móveis e o montador chegar. Depois arrumamos as coisas dele. Como estávamos em 4, rapidinho terminamos. O meu filho chorou muito e ficamos revezando pra cuidar dele.

Depois de tudo terminado, sorrio ao ver o quarto do Batman.

Eles capricharam!

Nós pedimos comida pelo aplicativo e jantamos na sala, enquanto meu menino morde o seu brinquedo sentado no sofá.

— Não sabia que crianças choravam tanto – o Colin fala.

— Ele sente falta dela – a Bella se pronuncia.– Ele sente falta da bruxa.

— Bruxa? – levanto a sobrancelha.

— Você disse que não queria que ele soubesse o nome dela, então a apelidamos assim – o meu irmão se explica.

— Vocês passaram muito tempo juntos – encaro os dois.

— Eu vim aqui pra pegar os documentos dele. Precisava pro papéis que me pediu, ele acabou precisando de fralda e saímos pra comprar e pra arranjar leite – Daryl

Isso explica os galões dentro da geladeira.

— Nós nos empolgamos um pouco e acabamos a vendo a bruxa no shopping – ela fala triste.

Um pouco?

— Demos muitas voltas antes de chegar lá e sem querer acabei levando os documentos lá pra dentro, quando voltei pro estacionamento a encontrei. Eu pedi pra Bella esperar, enquanto eu conversava com a bruxa.

— E ela brigou? – pergunto.– Deve ter ficado irada quando soube pra que era!

A Bella mexe na comida cabisbaixa e o Daryl coça a nuca desviando o olhar.

— A bruxa brigou tanto assim? – falo.– Não acredito que ela fez um baita escândalo!

— Na verdade... – o Daryl suspira criando coragem.– Ela parecia feliz por assinar os papéis.

— O que? – o Colin para de comer.

Eu tento pronunciar algo, mas nada sai da minha boca.

Meu menino sorri querendo brincar comigo e eu pego no colo.

— Ela nem esperou eu terminar de falar. Quando soube que era pra abrir mão da criança, assinou sem ao menos ler – Daryl

— Ela não demonstrou nenhum pingo de remoço – a Bella mexe na comida cabisbaixa.– Poxa vida ela estava abrindo mão de um filho, que passou nove meses na sua barriga e no final, nem perguntou se ele estava bem... Eu daria de tudo pra ter minha mãe de volta...

O clima fica pesado e a única coisa que se ouve é o meu filho brincando.

— Desculpa por isso – ela suspira.– Minha mãe morreu no parto do meu irmão, eu mal me lembro dela, só me lembro de uma coisa, dela pedindo pro meu pai cuidar da gente... Então ver uma mãe que não se importa com o próprio filho, me deixa muito abalada...

Eles concordam com a cabeça e eu falo olhando pra ela.

— Eu e o Daryl tivemos um pai que batia na nossa mãe e na gente, então cuidar de uma criança, me assusta, porque eu tenho medo de ser que nem ele... – Bella me olha triste.– Mas entre manda-lo pro orfanato e encarar isso. Eu resolvi escolher o mais difícil – pauso.– E como um anjo, você apareceu pra me socorrer, no momento em que eu mais precisava – olho nos seus olhos.– Você pode não ter sido criada pela sua mãe, mas o seu pai fez um ótimo trabalho... Então se ele conseguiu cuidar de dois filhos sozinho e a educou muito bem. Vou toma-lo como exemplo, mesmo sem o conhecer – sorrio.– Porque você é a prova viva, de que um pai pode tentar e conseguir, educar muito bem uma criança sozinho... E também, eu não estou preocupado, já que vocês estão sendo o meu apoio... Encheram minha geladeira de leite materno, que dá medo de perguntar, aonde arranjaram tudo aquilo... deram um quarto pro meu menino e compraram um estoque de fraldas como se eu tivesse três e não um filho.

Eles dão risada.

— Se ela não se importa com o próprio filho e abre mão dele sem sentir remoço nenhum – continuo.– Então sem remoço eu vou tirar o seu nome... Porque de uma mãe assim, o Bruce não precisa... Eu vou ser o pai e a mãe dele, vou cuidar de uma maneira que ela nunca cuidou ou cuidaria...

— E você não vai estar sozinho – o anjinho sorri.

— Pode contar comigo pro que precisar – o Colin fala.

— Comigo também, eu vou ser o tio legal – o Daryl sorri.

Dou risada e olho pro Bruce com um sorriso no rosto.

— Sua família está crescendo garotão – beijo sua bochecha.– Então esquece a bruxa, tá bom? – Ele dá uma risada gostosa e eu faço cosquinhas nele.

Não importa as dificuldades que vierem, eu vou dar o melhor de mim e ser o pai que meu filho merece.


Depois de uma noite bem longa, acordo cedo e me arrumo pra trabalhar.

Ando de um lado para o outro esperando a babá que contratei aparecer. Mas invés dela chegar, o tempo passa e eu fico cada vez mais agoniado olhando no relógio.

— Eu vou me atrasar de novo – bufo irritado.

Quase sem esperanças, respiro fundo e saio de casa. Pra pedir ajuda pro anjinho novamente.

Quando saio do apartamento, vejo a Bella de robe, encostada na sua porta.

— Olha quem acordou – ela sorri e meu filho automaticamente vai pro seu colo animado.– Você dormiu bem?

Bruce recebe um beijinho dela e dá uma risada gostosa.

— Você estava me esperando? – pergunto.

— Sim – sorri.– Você demorou, vai acabar se atrasando... Vocês dois já tomaram café da manhã?

A vejo brincar com o meu menino e um sorriso aparece nos meus lábios.

— Ele sim... – respondo sem graça coçando a nuca.

— Dá tempo de você tomar um cafezinho? – sorri pra mim.

Balanço a cabeça concordando e ela me puxa pra dentro do seu apartamento, pra tomar café da manhã.

— Não é bom trabalhar de estômago vazio!

Eu me sento e começo a lanchar.

— Hoje você vai conhecer onde eu trabalho Bruce Weyne – sorri brincando com o meu filho.

Ele dá umas risadas gostosas recebendo muito beijinhos dela.

— Do jeito que você é fofo, todos vão te amar!

— Você não vai ficar com vergonha? – beberico o café com leite.– Se as pessoas pensarem que ele é seu filho.

— Acho que elas já pensam isso, quando fomos sozinhos no mercado ontem – fala sorrindo, brincando com ele.– Como você é fofo!

Olho pra Bella se divertindo com o pequeno Bruce, brincando da forma mais carinhosa que eu já vi e sorrindo toda meiguinha. Arrancando as gargalhadas sapecas dele.

Desde que o Bruce chegou na minha vida. Nunca estive tão próximo da Bella, quanto estou hoje... Acho que sem querer... esse menininho conseguiu trazê-la pra mim.






Notas Finais


Parece que o pequeno Bruce Weyne ganhou uma nova mãe 🤭
A vida desse casal, vai dar um pequeno avanço nos próximos capítulos. Pois veremos que apesar das circunstâncias, as coisas podem dar mais certo do que esperávamos💞

E o que vocês acharam desse capítulo? Por mais que foi um pouco parado. Foi pra mostrar, o apoio que o Matt tem. Agora que já mostrei como as coisas vão andar, vou focar nesse lindo casal💓
Até sexta 🌸


Gostaria de compartilhar com vocês a minha felicidade, já que minha tia está maravilhosamente bem e livre do vírus 🤭 muito obrigada pelo apoio de cada uma de vocês.
Vocês não tem idéia, de como me animaram esses últimos dias 💓💓💓

Is It Love? Daryl - Minha rainha...
https://www.spiritfanfiction.com/historia/is-it-love-daryl--minha-rainha-19066562


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...